nunca vou ter

— Você pode, por favor, me falar a maldita verdade? Eu não aguento mais isso, só fala logo.
— Você quer a verdade Adam? Tudo bem, mas depois não reclame da minha grosseria. Eu não gostei de você, eu te amei, com todo meu ser, amei você como amo olhar para o céu, como amo te olhar dormindo, eu amei você, ou eu te amo, nem eu sei mais, porque é tanta dor guardada aqui dentro. Você não imagina o quão difícil foi para mim, me abrir para você, confiar, você me mudou, foram meses, e você me transformou em o que ninguém, em anos conseguiu, mas talvez, eu tenha essa vontade louca de gostar de quem não gosta de mim, nesse caso amar. Tenha essa vontade de cuidar de quem não quer ser cuidado, quero ficar por quem quer ir embora. Você nunca pediu para ser gostado ou compreendido, isso fui eu, criando esse maravilhoso conto de fadas, em que um dia você perceberia que eu te amava tanto que doía, que me faltava o ar, que um arrepio percorria a espinha só de sentir seu calor próximo do meu, mas nós nunca fomos nada, essa é a verdade, eu te amei, e você não me viu, eu tive que me fazer de orgulhosa, forte, durona, mas eu só queria chorar, eu só queria te ter perto de mim, só queria cuidar de você e te amar, mesmo que você não me amasse, a verdade Adam, é que eu amei teu sorriso, tua voz, teu cheiro, teu ser, mesmo quando você não me viu, e eu só quero que tudo acabe que a dor vá embora, isso não é um conto de fadas, você não vai me amar no final, não vai idealizar um futuro estúpido e cheio de clichês, essa é a verdade, a vida real é uma merda, e eu nunca vou te ter.
—  Alice em, Os Devaneios de Adam Joseph-Fritz.

Entre todas as coisas bonitas desse mundo, seu sorriso foi a que mais marcou. Seria fácil citar o por do sol mas só escolhe essa opção quem nunca viu seus olhos castanhos que carregam um mar de mistério capaz de me fazer ficar ali viajando neles. Entre todas as coisas bonitas, você é aquela que guardo no lugar mais importante que existe, no lado mais limpo do coração. Entre todas as coisas bonitas, você sempre será a que eu nunca vou cansar de ter por perto. Entre tudo e todos, você sempre será a menina dos olhos castanhos que chegou trazendo paz.

Eu nunca amei ninguém como​ eu amei você

Em todo tempo que me dispus a estar com você eu fui completamente seu. e Deus como eu amei cada segundo da nossa história. deitar na cama e te ouvir falar por horas e horas e sentir que estava aproveitando ao máximo a minha vida porque cada segundo passado com você era inexplicavelmente extraordinário. digno de ser a melhor coisa da minha vida. e foi. e é. é a minha história a ser contada. todas as vezes em que tive a chance de te sentir pegar no sono, eu nunca disse, mas me fazia ter vontade de dormir junto e não mais acordar. sempre imaginei minha morte como uma dor incalculável, mas morrer com você nós braços parecia surreal demais. ainda lembro da sua voz. das músicas que me cantava e que me pedia pra cantar. elas ainda são minhas preferidas. ainda lembro dos teus bichos e de como era engraçado você chamando a atenção deles. ainda lembro dos teus medos e de como você os esquecia quando eu te abraçava forte. minha alma não cabe mais em mim depois de ter se encaixado em você. tudo bem se você hoje me odeia. tudo bem se tudo que sente for raiva. eu não entendo como mereci tudo isso sendo a pessoa que mais te quer o bem. mas sei que nunca vou ter respostas, é só o que é e fim. sei que você está focada em outro amor, em outras coisas que me parecem divertidas de longe, e me faz ter saudade de quando nos divertiamos com as nossas. tá tudo bem. eu quero muito que você tenha isso e muito mais. ao contrário de mim, você ainda tem tanta coisa boa pra sentir, tanto motivo pra se entregar. invejo sua sorte. eu não tenho mais rancor, não sinto mais tanta necessidade da sua presença. ainda tenho resquícios do nosso amor partilhado a intensidades absurdas. e isso me basta. não vou mais te procurar nas pessoas. nem nas poesias. não vou mais atrás de informações. eu finalmente aceito o fim.

Me olhando no espelho, penso o que há de errado comigo. Porque sempre faço as escolhas erradas e sempre vou pelo caminho que não é o melhor pra mim. Erros e mais erros já cometidos entram em conflito em minha mente. Será que será sempre assim? Será que nunca vou ter a chance de acertar?
—  Laís Lima. Constelava.
É tão ruim perceber que nunca mais vou ter você pra me acolher, que nenhum problema vai deixar de me afetar tanto por conta do seus conselhos de como viver e encarar os problemas da vida. É ruim perceber que nada nesse mundo um dia vai me fazer tão bem como um sorriso seu fazia.
—  4 anos de muita saudade.
"Sobre estar só eu sei"

Sensação horrível de estar só no mundo, de que vai ser assim sempre, e que não adianta esperar sentada, em pé, deitada, não adianta correr atrás, andar, ou seja lá o que for, nunca vai existir alguém. Nunca vou poder ser amada de verdade, nunca vou poder ter a felicidade de um amor duradouro. Certeza? De nada. Só a de que as pessoas vem e vão. Principalmente que se vão, a maior certeza nessa minha vida de eternos “adeus”. Ninguém fica, ninguém quer saber de espinhos. Preciso me acostumar. Preciso parar de resistir. Preciso parar de acreditar. Preciso parar de sentir. Preciso parar. Preciso. Sumir. Esquecer. E não recomeçar. É isso.

Mãe,

Eu sinto muito, sinto muito por não dizer eu te amo todos os dias, por não te abraçar e dizer o quanto você é importante pra mim todas as manhã. Eu tenho me isolado em meu mundo. Eu apenas gostaria de ter uma conversa sincera com você, sem medos, sem vergonha e principalmente sem criticas.

Há tantas coisas  que gostaria de compartilhar com você, mas a senhora nunca entenderia, eu não sou feliz e talvez eu apenas precise de alguém que me dê colo. A senhora é uma ótima mãe, mas eu preciso de atenção, eu não suporto mais guardar tudo que sinto e ficar calada.

Quero conversar sobre como os meus dias tem sido ruins. Quero falar sobre minhas inseguranças, sobre como me sinto sozinha a maior parte do tempo. Quero que alguém no final do dia me diga que tudo vai ficar bem.

Mas infelizmente nunca vou ter coragem de lhe dizer tudo isso cara a cara. No fundo somos iguais. Guardamos os problemas no fundo da gaveta e fingimos está bem, quando na verdade, mãe, não está nada bem.

Gabrielly S.

você é meu mergulho no raso e ainda assim eu me afogo. embora isso possa parecer ruim, eu te digo: não é. é tão bom quanto de ver acordar quando te abraço no meio da noite. você é tudo que eu nunca soube que queria e agora eu quero como se não existisse mais nenhum prazer - a não ser o de te olhar - no mundo inteiro. e te olhar esporadicamente é quase um infarto, porque eu queria te olhar o tempo inteiro. pois, me asfixia abstratamente o fato de não ter você pra olhar numa quarta-feira às seis e trinta da matina. o fato do aleatório ser tão antiquado quando eu penso em passar a vida inteira te olhando, me faz pensar em aproveitar cada milésimo de segundo que meu astigmatismo avista seu borrão. e eu nunca sei por onde começar quando você encosta. porque eu quero acertar tudo e quero cuidar de tudo no mesmo momento em que luto pra cuidar de mim e não estragar todo o resto do mundo com minhas cicatrizes chulas e a dramaticidade que só era colocada nos filmes do século XX.

tudo que eu sei é que eu nunca vou ter certeza do que sinto quando enrolo seu caos no meu e que eu sou um problema dos grandes, onde tudo vira fratura exposta quando você não está por perto pra suturar.
e de todas as coisas que necessitam de certeza, existem duas que eu jamais deixei de ter:

a primeira certeza da vida é a morte;
e a outra eu soube no exato momento em que te conheci e fiz dela a única razão para não ter medo da primeira.

Onde você está? Por que se foi? Acho que nunca saberei. Foi porque o irritei? Porque tentei ajudar? Porque não atendi quando você jogou pedras na minha janela? E se eu tivesse atendido? O que você teria dito? Eu o teria convencido a ficar ou a não fazer o que fez? Ou aquilo teria acontecido de qualquer jeito? Sabia que minha vida mudou para sempre? Eu achava que isso tinha acontecido porque você chegou e me mostrou o lado bom de viver e, ao fazer isso, me obrigou a sair do quarto e ir pro mundo. Mesmo quando não estávamos andando por aí, mesmo no chão do seu quarto, você me mostrou o mundo. Eu não sabia que minha vida ia mudar pra sempre porque você me amou e então se foi, de um jeito tão definitivo. Nunca vou perdoá-lo por ter me deixado. Só queria que você pudesse me perdoar. Você salvou minha vida. Por que não pude salvar a sua?
—  Carta a alguém que cometeu suicídio
Vermelho

e mesmo que eu diga que não, está mais que óbvio que eu sinto falta, está estampado no meu rosto que agora se faz triste, nas minhas olheiras que agora estão cada vez mais profundas, nos meus olhos que, quando amanhece, estão inchados, é aquela frase clichê que eu sempre associei a ele, mesmo ele não gostando de clichês “é difícil negar o que os olhos acusam”. eu sinto falta, tanto que todos os dias lá pelas nove da manhã eu espero uma mensagem dele chegar dizendo que me ama, dizendo que sente falta, dizendo que eu sou a pessoa mais maravilhosa que apareceu na vida dele, como ele fazia todos os dias enquanto estávamos juntos. existem momentos como esse de agora em que eu não consigo pensar em nada que não seja ele, ou no jeito dele, ou em como ele sabia me acalmar nas minhas crises e nas noites de tempestade. eu me sentia única quanto estava junto dele, me sentia completa, era algo que eu não entendia e ainda não entendo. a presença dele me fazia tão bem. eu não queria ter estragado tudo, não queria ter tido inseguranças, não queria ter tomado atitudes infantis, não queria que tudo tivesse desmoronado por conta da rotina. eu não queria ter sufocado ele, definitivamente, eu não queria, mas eu gostava tanto dele, da presença, do carinho, da atenção, que acabei cobrando demais. eu ainda amo muito ele e acho difícil que esse sentimento passe rápido, ou que muito menos seja recíproco. quando falam do nosso término, eu só consigo lembrar de uma frase que vi no Facebook que dizia assim “Mesmo sabendo que cada um supera as perdas de formas diferentes, nunca vou aceitar você ter demorado tão pouco tempo pra me esquecer, enquanto eu ainda sinto a sua falta” e me dói tanto ler ela, pois é uma das maiores verdades, enquanto meu coração dói tanto ao ver ele sorrindo pra outra pessoa, o dele não sente nada ao me ver beijando várias bocas por aí. sempre associei ele com a cor vermelha e meu passado com a cor azul, e foi bom sentir que esse vermelho de agora me aparenta ser mais quente que aquele azul de antes, esse vermelho que hoje me corrói, que hoje me destrói, é, definitivamente, bem mais quente que aquele azul de antes, que, se eu pensar bem, não passa de um simples arranhão em que eu fiz um drama enorme. esse vermelho que agora me corrói como um ácido, que me atrai como uma abelha na direção da luz, que é tão mais atraente que aquele azul de antes, é algo inexplicável.

- Obrigado por entrar na minha vida e mostrar que vale a pena lutar quando se ama.. obrigado pela sorte de ter você ao meu lado.. obrigado por tornar meus momentos melhores.. obrigado por estar ao meu lado quando ninguém mais estava.. obrigado por ter me amado com todos os meus defeitos e principalmente por nunca desistir do nosso amor. (apenas-voceeu)

Me desculpe por ser tão fraca a ponto de te querer tanto, de fazer tudo por você, de ir atrás mesmo sabendo que não tem mais volta, de esperar mesmo sabendo que no final é um “não” saindo da sua irresistível boca que eu desejo tanto. Me desculpe por ser tão burra a ponto de sentir tanta a falta da tua companhia, a falta do nós, dos laços que tínhamos, do teu jeito, do seu cheiro, da sua voz, do seu “eu te amo”, do seu olhar marcante e hipnotizante que me deixa louca. Me desculpe se sou otária a ponto de me destruir a cada dia que se passa e por chorar todas as vezes que olhos as nossas fotos, essas que nunca vou ter coragem de apagar, e quando ouço aquela música que nós ouvíamos e cantávamos juntos. Me desculpe por ser tão inteligente pra saber seu número de có, saber a maioria daquelas formulas matemáticas que quebram a cabeça de qualquer um, ser tão boa em Português, mas só colocar vírgulas onde deveria ter um ponto final. Desculpa por não ser forte como você sempre foi, por não saber te esquecer, não saber acabar com isso. Me desculpe por amar você.
—  Something in my died after you’re gone.
E aí você volta com a mão cheia de caquinhos, segurando os pedaços que sobraram depois que o mundo te destruiu por inteiro. Você volta com a certeza de que eu ainda estou, exatamente no mesmo lugar aonde você olhou pela ultima vez, e eu me pergunto porque ainda não fui embora. E mais uma vez eu toco os cortes do seu peito com as extremidades dos meus dedos e tenho vontade de abrir ainda mais as suas feridas, para te mostrar que amor, amor mesmo você só vai ter comigo. Que o resto é perca de tempo, e que o mundo não mudou só porque o dia acordou azul. Então é melhor você perder seu tempo comigo, porque o mundo não muda nunca. E aí você me diz que nunca é uma palavra muito vazia para ser usada no meio de uma terça-feira, enquanto eu me procuro dentro dos seus olhos e enxergo o oco, mais uma vez. Nunca é algo que combina contigo, você acha que eu nunca vou ter coragem de ir embora, enquanto eu tiro a água escura do seu peito para te proteger do medo, e descubro que não existe nada hoje, capaz de me fazer ficar.
—  Ciceero M.
Dúvidas cotidianas

Será que vai durar
O arroz até o fim do dia
O feijão ao fim da semana
Se eu colocar água pra render?

Será que vai durar
Esse amor de uma semana
Sem ferir meu melodrama
Ou precisar me defender?

Será que vai durar
O salário até o fim do mês
Sem eu ter de imaginar
Algo que nunca vou ter?

Será que vai durar
A seca e a fome da gente
Escrava de corpo e mente
Que espera a sorte pra morrer?

Será que vai durar
Sucessão de presidente
Que não se importa realmente
Com o povo a perecer?

Será que algo há de durar?
Não agora e não pra sempre
Mas de fato e tão somente
O quanto a gente há de durar.