nunca me notaria

SE PEGAR REBLOGA

Comecei a escrever pra você enquanto estamos na linha e escutando a sua voz lembro do dia em que te conheci, e que me apaixonei perdidamente. Nunca achei que me notaria, muito menos que me amaria. To lembrando de quando escutei esse teu sotaque lindo pela primeira vez e do quão encantada eu fiquei. A vida realmente é surpreendente, jamais pensei que algo assim fosse acontecer comigo, com nós. Encontrar alguém que te completa e te transborda é tão difícil. Encontrar alguém que te ama tanto quanto você a ama e que está disposta a enfrentar toda negatividade juntas, é raro. É meu amor diante tudo isso, temos definitivamente muita SORTE! E é por isso também que eu agradeço e sempre demonstro o que sinto, porque amar também é cuidar do sentimento pra que ele não perca a força. Pra que ele não caia na rotina. Dizer o que eu sinto não faz com que o ‘eu te amo’ seja banalizado. Ligar nos momentos que estamos longe ajuda nos sentirmos perto, cuidadas, amadas. Eu sei o que eu sinto, é algo que eu nunca senti antes e sei que é raro. Você é o meu tesouro que eu cuido com ciúmes sim, por que eu nunca quis alguém e te quero tanto. O amor que eu sinto por ti não cabe em mim e eu não sei se todo mundo tem a mesma sorte que nós tivemos meu amor. Você é algo tão bom na minha vida que quem me vê sabe, estou sempre transbordando de amor, e eu devo isso a você.
Eu nunca desejei tanto bem a alguém quanto eu desejo a ti meu amor. Desejo que todos teus dias sejam exageradamente felizes, da mesma forma que os meus são desde que você entrou na minha vida. Desejo que você transborde de tanta saúde, porque você se tornou o meu remédio pra tudo. Desejo que nos teus dias mais difíceis as coisas simples tenham o mesmo efeito que o teu sorriso tem em mim e os tornem leves. Desejo que você conquiste toda riqueza que você almejas, porque eu já conquistei a minha quando te conheci. Desejo que quando estiver chorando você encontre motivos para sorrir, da mesma forma que tu és o meu.
Desejo o melhor do melhor pra você meu amor, não somente porque você é a melhor do mundo comigo ou pq foi tu que tornou minha vida melhor, mas sim porque você merece.
E eu sei que você merece o melhor porque jamais conheci alguém como você, tu és única meu amor, e nunca vou deixar que se esqueça disso.
Você não deseja o mal nem pra pior pessoa do mundo, muito pelo contrario, sempre manda positividade. Você é incapaz de enxergar o mal em alguém, mesmo que esteja diante de teus olhos. Você sempre faz de tudo pra ajudar quem precisa, não nega nada a ninguém. Você merece o melhor meu amor, porque tu move montanhas pra fazer as pessoas que te cativam sorrir. Você faz o possível e o impossível pra estar perto das pessoas que ama, e eu sou a prova disso. Você muitas vezes deixa tuas vontades e necessidades em segundo plano e se arrisca pelos outros. Você mais que todos merece o melhor porque transmite amor, da amor, e sabe receber amor. Minha admiração por ti é imensa, e das lições mais lindas e importantes que aprendi na vida foi com você.
Não vou falar aquele clichezinho “o aniversario é teu mas quem ganha presente sou eu”, mas deveria viu porque tu és o melhor presente que a vida podia ter reservado pra mim.
Hoje é seu dia, e eu quero que você saiba que eu amo você mais do que tudo no mundo. Obrigada por ser a razão pela qual eu acredito no amor.
Mas eu não vou mentir, um dia, eu quase joguei tudo para o alto e em menos de 10 minutos eu não aguentei, e te liguei e ai percebi o quanto eu te amo e que eu preciso de você. Eu não posso te perder como eu quase perdi um dia. É insano pensar em como tudo aconteceu, e eu te agradeço muito por você ter me dado a tua coragem pra enfrentar os meus medos e me entregar por completo a ti, como jamais me entreguei antes. Eu nunca amei tanto alguém, nunca meu coração foi tão posto a prova, mas ele é todo seu e eu jamais o quero de volta.
Você é a razão do meu pra sempre existir, você é quem corre do meu lado sempre pra fazer dar certo, você jamais soltou a minha mão e eu te agradeço imensamente por isso. Você é incrível, e eu transbordo de amor por você.
Sabes o quanto eu queria estar ao seu lado, principalmente hoje que é teu dia, poder te esmagar com toda a minha força e sussurrar ao pé do ouvido o quanto eu te amo e que você é a felicidade da minha vida. Dói estar distante, mas hoje não quero pense em algo que possa te deixar triste, quero que lembre que independente da distancia estamos juntas e sempre haverá a nossa lua pra nos deixar perto e nosso amor pra nos dar forças.
Feliz aniversário meu amor. Obrigada por me deixar fazer parte de 22 meses desses teus 20 anos iluminando terra.
Eu te amo infinitamente.

Capítulo 10

A noite seguiu muito agradável com Vanessa mimando e brincando com Max, e Clara observando e adorando tudo. May e Thais já se conheciam de vista, já tinham se visto em algumas baladas, May sempre teve vontade de conhecer ela melhor, achava ela linda, delicada, quando ela sorria e dançava fazendo como brincadeira era encantador, mas Thais sempre estava acompanhada de uma morena e só tinha olhos pra ela. Thais estava a algum tempo apaixonada por Liza, mas só rolava quando Liza achava conveniente, brincava totalmente com os sentimentos dela e da última vez que saíram juntas no final da balada a Liza saiu com outra pra casa, deixando ela arrasada, já tinha chorado horrores até Vanessa chegar pra ir pegar ela com Clara e Max, pelo menos por umas horas ela tinha esquecido Liza. May era uma loira tatuada e elegante, tinha um chiado que vinha lá do Rio e encantava quem ouvia, Thais empolgou-se com as olhadas e conversas dela, ficaram as quatros empolgadas, decidiram tomar uma dose de vodka só pra celebrar a noite, e aconteceu de quererem mais uma e mais uma, e assim seguiu. Clara decidiu parar na segunda, pois sabia que ali não iria parar muito cedo e ela tinha o Max, então ficou só acompanhando o clima alcóolico invadir a sala, Max capotou no sofá, Clara levou ele a um quarto próximo de onde elas estavam o colocou na cama sob o olhar de Vanessa que a esperava na porta.

Vanessa: Tô apaixonada.

Clara: Pena que não posso dizer o mesmo. Rs.

Vanessa: Haha. Pena que não é por você peste! É por aquele pequeno ali.

Clara olhou apaixonada pra Vanessa, e viu o quanto era verdade aquelas palavras. Puxou Vanessa para um beijo terno e calmo, onde as línguas já se conheciam e estavam embriagadas pelo gosto da vodka. Voltaram pra sala com um grude, sentaram no sofá enquanto as meninas estavam sentadas em cima do tapete e escoradas na parede. Ficaram lá abraçadinhas rindo e conversando coisas fúteis, vez ou outra trocavam carícias, aproveitando um momento só delas.

Thais retribuía cada sorriso e cada olhar de May, sabia que aquilo era um flerte silencioso, e não tinha como evitar aceitar, May era a primeira mulher depois de meses que ela se interessou depois de se envolver sentimentalmente sério com Liza.

May: Você que tava naquela confusão na inferno, né? Que seguraram a menina, ela tava transtornada, se ela se solta e pega você, teria sido tenso.

Thais: Foi sim, nem me lembre, não fiz nada, aquilo era uma louca!

May: É eu vi. Quase eu me metia pra te ajudar, odeio injustiças!

Thais: Haha. Você tava tão perto assim? Não notei…

May: É, você nunca me notou.

Thais corou, realmente aquilo era verdade, era como se ela soubesse quem era May, mas nunca tivesse se importado em olhar além. Mas não se intimidou.

Thais: É, pode ser. Mas eu também nunca pensei que você me notaria.

May: Porque? Linda desse jeito, não tem como não ser notada.

Thais: Hahaha. Que linda o quê! Caô, meow!

Elas gargalharam e Thais riu muito da risada de May, que disse que era uma risada francesa.

May: É assim, ó: HOUIHOUIHOUI

Thais gargalhava mais ainda, definitivamente elas estavam bêbadas, rindo até com o vento. Já passava das 3h quando May convenceu todas de dormirem lá, Clara colocou o carro de Vanessa na garagem, já que Vanessa tava no sofá mais pra lá do que pra cá.

May: Clarinha, no quarto que vocês vão dormir, tem lençol, toalhas, até umas blusas do meu irmão, tudo naquele armário, pode ficar a vontade.

Clara: Tá certo, May. Vem, Vamos Van…

Clara puxou Vanessa pelo braço que fazia palhaçadas ao abraçar ela.

Vanessa: Eu não me esqueci senhorita Clara Aguilar! Já limpar os pezinhos!

Clara: ôÔ Mulheeer, nem bêbada esquece o toc.

Vanessa: Vem, me da banho!

Clara: Vamo mulheeer!

Vanessa: ôô mulheeer, vem me esfregar mulheeer!

Ambas riam e nem notavam que a qualquer momento poderiam acordar Max que dormia na cama.

Thais esperou pra ver onde May ajeitaria pra ela dormir.

May: Thata, se incomoda de dormir comigo?

Thais: Não, você é que deveria se incomodar, eu durmo aqui no sofá mesmo, sem problemas, sério.

May: Não, não. Você dorme comigo, vem.

Thais queria tomar um banho, May lhe entregou toalhas e emprestou uma blusa bem larga pra ela dormir, logo em seguida May também tomou seu banho se juntando a Thais na cama. Desejaram boa noite e deitaram de costas uma pra outra, mas ficaram alguns minutos olhando pro nada e desejando que a situação ali estivesse diferente, mas ambas estavam preocupadas com o que a outra iria pensar, a vodka logo fez o pior efeito, o sono, e logo elas adormeceram.

Clara recriminava Vanessa que fazia brincadeiras a todo tempo dentro do banheiro, cuspia água em Clara, passava a cara dela debaixo do seu braço, dava uns tapas na bunda. Até que Clara se zangou, já tava louca pra dormir, ainda teve que tomar banho e tava com medo do Max acordar, saiu do banheiro com a cara fechada, foi ao armário e pegou duas blusas do irmão de May lá, vestiu e deixou outra pra Van. Ela apareceu na porta nua.

Vanessa: Uma toalha…

Clara: Taí em cima da cadeira.

Vanessa: Você fica mais linda com essa carinha fechada.

Clara: Sua bêbada chata!

Vanessa: Deixa de ser peste, ô menina peste!

Clara: Separei uma blusa aí pra você.

Vanessa vestiu e demorou mais alguns minutos para juntar-se a Clara. E já ia se deitar do outro lado quando Clara afastou Max com cuidado pra lá. E agora começaram a sussurrar depois de meia hora de berros.

Clara: Vamos dormir juntinhas.

Vanessa: Não Clara, não suporto isso.

Clara: Deixa de ser bruta mulher, vem logo!

Vanessa: Vou dormir do seu lado, mas nada de agarrado.

Clara: Ave maria! ôÔ mulher chata.

Clara ficou de frente pro Max e Vanessa de costas pra ela.

Clara: É sério Van? Deixa de besteira, vem, me abraça.

Vanessa, bufou, e se virou ficando bem próxima de Clara, ela puxou a mão da Van e entrelaçou os dedos, ficaram ali por alguns minutos sorrindo e aproveitando aquele momento até pegarem no sono.

O relógio já marcava 9 horas quando Thais acordou e estava com os pés e os braços em cima de May, arregalou os olhos e ficou mais envergonhada quando percebeu May acordada olhando pra ela. Ela ficou visivelmente nervosa.

Thais: Desculpa May, tenho costume de dormir sozinha.

May: Você acha que eu vou brigar com você por isso? Rs

Ficaram relembrando as coisas engraçadas da noite anterior e levantaram para fazer um café da manhã. Lancharam e deixaram algumas coisas pras meninas.

Thais: Já vou, May, foi ótimo tudo.

May: Você tem mesmo que ir?

Thais: Me olhando desse jeito, fico até sem jeito de dizer que sim.

May: Queria te mostrar umas coisas.

Thais: Só vou ter umas coisas pra resolver no final da tarde. Acho que da pra eu ficar.

May: Oba! Vem!

Puxou Thais pelo braço e levou ela até um quarto de estudos, tinha alguns livros, pegou 2 na mão e entregou a ela.

May: São pra você!

Thais: Você que escreveu?

May: Sim!

Thais: Que louco, mano. Seu jeito não é de escritora.

May: Leia e tire suas conclusões.

May: Agora deixa eu te mostrar mais coisas. Gosta de livros?

Thais: Amo! Sou fissurada.

May começou a mostrar todo seu acervo, manuscritos, tudo para Thais que olhava e se admirava com tudo.

Max começou a falar coisas que só ele entendia e dar gritinhos eufóricos, acabou acordando Vanessa e Clara.

Clara: Bom dia, meus amores.

Vanessa: Mano, minha cabeça. Vai explodir.

Clara: E aí Van, mudou de ideia sobre dormir agarradinha?

Vanessa: Tô toda quebrada mano, teria dormido melhor se não tivéssemos ficado com essa frescura.

Clara sorriu satisfeita, Vanessa se desvencilhou dela e se levantou rápido, foi ao banheiro, Clara ria e falava com Max. Vanessa, tomou um banho, vestiu a roupa e depois foi a vez de Clara fazer o mesmo, saíram do quarto pensando que May e Thais estariam dormindo ainda, foram a cozinha e viram o café exposto, Vanessa procurou por May, queria um remédio pra aquela bendita dor. Se encontraram no corredor, May arranjou o remédio e foram até a cozinha, May e Thais que já haviam comido, ficaram só observando os três. Conversaram mais um pouco, e Vanessa disse que teria que ir, tinha que ir na clínica já que não tinha ido por uma boa parte da manhã, se despediram e seguiram. Vanessa deixou Clara e Max e depois Thais, seguiu pra clínica com um bom humor que não cabia no sorriso.