notemation

Vem na minha ask e:

1- Qual lugar você gostaria de conhecer?

2- qual foi o último presente que você ganhou?

3- Cinema ou praia?

4- qual sua banda favorita?

5- um defeito e uma qualidade sua.

6- solteiro (a), casado (a), enrolado (a), namorando ou ficando?

7-onde acha que vai estar daqui a 10 anos?

8- quente ou frio?

9-você é uma pessoa ousada?

10- o que te irrita mais?

11- qual sua cor favorita?

12- quantos anos você tem?

13- gostaria de ser alguma celebridade?

14- uma música?

15- o que mais gosta de comer?

16- qual e a cor dos teus olhos?

17- que programa de TV mais te enche o saco?

18- qual é o seu maior medo ou preocupação?

19-você é uma pessoa feliz?

20- você é uma pessoa curiosa?

21- já bateu em alguém?

22- Usa lentes, óculos ou não usa nada?

23- o que você acha de pessoas que falam com você pela primeira vez e já te chamam de amor?

24- qual seu desenho favorito?

25- que música não sai da sua cabeça nesse momento?

26- o que você faz no banho?

27- qual a cor que define o amor?

28-já seguiu alguma modinha?

29- prefere que notem a sua presença ou que sitam a sua ausência?

30-qual sonho mais esquisito que já teve?

31- você se acha uma pessoa desastrada?

32- prefere comer ou cozinhar?

33- já estudou em quantas escolas?

34- qual é o seu número da sorte?

35- você acredita em “amor a primeira vista”?

36- você acredita em ETs?

37-100 colegas, 10 amigos ou 1 amor?

38- qual foi a última que você chorou? Por qual motivo?

39- você tem algum animal de estimação?

40- Afinal, cupcakes são feitos pra tirar foto ou comer?

41- tem alguma amizade de infância que dura até hoje?

42- qual é seu signo?

43- se você descobrisse uma ilha, que nome daria a ela?

44- qual seu feriado favorito?

45- dia ou noite?

46- o que é mais importante: cérebro ou beleza?

47- sente falta de alguém?

48- o que machuca mais: sorriso falso ou olhar frio?

49- você tem alguma fobia estranha?

50- café, chá ou toddynho?

51-você tem medo ou curiosidade sobre o futuro?

52-qual é o seu nome?

53- você tem um melhor amigo (a) aqui no tumblr?

54- se você fosse um prato de comida, seria gostoso de comer?

55-você tem vergonha de mostrar seus sentimentos?

56- o que é mais bagunçado: seu quarto ou sua vida?

57-segurança ou aventura?

58-qual assunto você mais gosta de conversar com seus amigos?

59-está apaixonado (a) por alguém?

60-qual seu mês favorito?

61-prefere ficar sozinho ou acompanhado?

62- a que horas geralmente você vai dormir?

63- qual a primeira coisa você faz ao abrir os olhos?

64-qual sua série favorita?

65- já pensou no nome que dará aos seus filhos?

66- tem alguma foto com alguém famoso?

67- a amizade dura para sempre?

68-ficar ou namorar?

69- você se acha popular?

70-o que você mais gosta de fazer em dias de chuva?

71-como é se apaixonar?

72- me conta uma piada?

73- sorvete ou açaí?

74- o que pretende fazer no final de semana?

75- passa o whatsapp?

76- Vamos ser amigos?

77-há algo que eu deveria saber?

Recentemente alguém não muito próximo de mim, me perguntou como estava minha vida, não lembro a desculpa esfarrapada que dei na hora. A questão é que, nunca fui boa em expor meus problemas, minha dor, minha felicidade pouco duradoura, minhas coisas. Há uma coisa que não conto, mas, não sinto muito. Embora, as pessoas que convivam comigo, notem isso. Não espero nada de ninguém e ninguém cria expectativa em mim, gosto disso. Me perdi inúmeras vezes na tentativa de me achar em pessoas ocas. Agora, quero poder gostar das pessoas certas. Não imaginar, sofrer por antecipação ou idealizar medos futuros. Silenciei a minha dor e continuo escrevendo entre parágrafos alucinados. Não sei como as pessoas demonstram sua frustração. Choram? Quebram objetos em casa? Fazem dramas querendo chamar atenção de amigos? Gritam? Xingam? Eu apenas escrevo. Escrevo na tentativa de encontrar uma saída. Sim, eu me permitir estar triste e estou triste mais uma vez por saber que o mundo está cheio de pessoas sentindo o mesmo.
—  Máh Soares.

mom: I got a free trial on netflix and thinking about watchin this movie but iunno it might be scary

me: what movie?

mom: death note

me:

Gosto de notar detalhes nos outros, mas não gosto que me notem. Gosto de decifrar as pessoas, mas não gosto de ser decifrada, pois prefiro que minha mente permaneça um monumento em reforma para aqueles que estão só de passagem.
—  Ana Luiza.
É setembro
Somos os filhos da sociedade superficial
E ainda assim sentimos a profundidade das emoções
Somos aqueles que recebem julgamentos ao invés de apoio
E ainda assim erguemos o olhar e nos apoiamos no que quer que seja
Somos os chamados de fracos, covardes, sem fé, frágeis
E ainda assim sabemos que nossa luta exige mais força que qualquer outra
Somos os chamadores de atenção, os criadores de drama, os desesperados
E ainda assim nos equilibramos em uma fina linha de esperança
É setembro
Nos vejam
Nos notem
Nos ouçam
Nos aceitem
Porque nesse mês amarelo é tudo o que queremos
Chances, motivos, vida, esperança
E que nesse setembro
Nossas vidas signifiquem um pouquinho mais
Sigam um pouquinho mais
E que a cor da esperança
Seja o amarelo
—  “Setembro Amarelo de 2016”, Verônica Nunes de Holanda, a-menina-girassol
É um menino!
Vai ter nome de anjo
Nome de rei
Nome de macho
Vai ser a cara do pai
Aposto!
Vai ser jogador
Médico
Advogado.
Que garoto lindo!
Sabe jogar bola? Tem que aprender
Larga essa boneca!
Te dei milhares de carrinhos
O que ta fazendo? Tira essa roupa de bicha!
Vira HOMEM!
Onde já se viu filho meu furar orelha?
Já tá um rapaz hein?
E as namoradas?
Já transou?
Ele é o que? GAY?
Não pode!
Gente, um homem tão lindo!
Seu sujo! Porco!
Tem que morrer essas pragas!
Bicha IMUNDA!
Mamãe, eu sou gay
Eu ainda sou seu filho
Eu te amo muito
E nada vai mudar isso
Me aceite
Me ame
Continue me acolhendo
Veja mamãe, não estou com febre
Estou bem!
Estou tão bem
Encontrei alguém
Alguém que me ama também
Assim como você me amou todos esses anos
Não chore mamãe!
Eu não vou morrer!
Não tenho HIV
Sou homem responsável
Trabalho, estudo
Tenho minha vida
E me cuido.
Eu ainda sou o seu anjo
Afeto não se escolhe
Desejo não se escolhe
Amor não se nega
Eu sou gay
Sim eu sou gay
E isso não muda nada
Ainda sou seu melhor amigo
Ainda sou seu parceiro de festas
Ainda sou seu professor engraçado
Ainda sou o melhor funcionário
Ainda sou cristão
Ainda sou ateu
Ainda sou eu
Ainda sou seu filho.
Eu existo
Existem milhares
De meninos
Rapazes
E homens
Homossexuais!
Eu escohi ser assim?
Eu rezei para ser assim?
Mas assim como?
Isso é doença?
Isso é pecado?
Isso é o que afinal?
Eu gosto de homens
Eu tenho afeto
Sinto amor por eles
E eu sou homem também.
Cabelo comprido
Barba grande
Tenho o céu refletido nos olhos
Ando devagar, assustado talvez
Medo que me notem
Que me batam
Me espanquem
Me matem!
—  Helena Ferreira
As pessoas tendem a seguir padrões, e acabam sendo todos iguais, porém numa singularidade subjetiva, em seu interior, são todas diferentes. Todos buscam serem notados a todo momento, mas acham que ser diferente é a única fórmula de tornar isso efetivo. Fazem academia, tatuagem, compram o carrão, roupa de marca, viajei pra tal lugar, postei! Me vejam! Me notem!. As pessoas tendem a isso, fazem tudo igual aos outros, mas só resultam a elas serem diferentes quando a intimidade é consigo mesma. Fala-se de que somos todos uma exteriorização do que esta em nosso interior, eu penso que as pessoas exteriorizam sim o seu interior, mas por um crivo representativo, ou seja, expõem um personagem criado a partir de um emocional problemático, digamos distorcido, pois não possuem capacidade aperfeiçoada (maturidade psíquica) de externalizarem a legitimidade de si mesmas, por isso tanto teatro, tantas máscaras, tanto medo. Quase tudo é artificial, quase tudo é superficial, vivemos na superfície, e nos ancoramos em aparências para dar crédito a nossa identidade real, identidade tão ainda buscada e meio que implorada ao outro a partir de acessórios, brilho, espiritualidade grosseira e forçada, áudio, visual. Não temos uma essência e estamos considerando que sermos frívolos no contexto social nos torna o máximo, num mundo onde a maioria é composta por idiotas. Desculpe mas você é um idiota, e eu também sou. O filme da vida em cartaz tem sido “Debi & Lóide”, em que as tolices superam os dramas que nos fazem chorar e as comédias que nos fazem rir. Pelo menos assistindo um filme verdadeiro nos fazem expor sentimentos mais legítimos do que o teatro podre que tem sido nossas vidas, que tem gerado em nós mais frustrações do que êxitos morais e emocionais. Sim, tente usar menos máscaras e o preço sera altíssimo: isolamento, fobias sociais de qualquer tipo, traços ou estruturas de depressão, pânico, simplesmente porque a maioria das personalidades desse paradigma contemporâneo não tem uma identidade singular, uma identidade própria, preferem ser iguais, ao invés de únicas.
—  Ronaldo Antunes