not propor

Olá, gente linda da tag! Estou aqui pra propor uma ideia que quero muito: um nxn histórico; nada muito grande, um 4x4 ou algo um pouco maior caso houver interesse. Eu não tenho nenhuma ideia pronta (ops), só queria muito algo assim pra poder desenvolver relações mais diversas, mas ainda seguir um ritmo mais tranquilo. Sugeriria algo na Idade Média ou Idade Moderna (podendo ser em várias regiões, não só Europa) ou, ainda, algo baseado em puro worldbuilding. Acho que seria bacana algo cheio de court intrigue, podendo envolver personagens de um único reino (Casos de Família™) ou pessoas oriundas de diferentes lugares, mas reunidas num mesmo local por algum motivo. Então, se alguém tiver alguma ideia sólida que queira desenvolver ou só interesse em participar, deixa um like ou chega no chat que a gente faz aquela sessão bacana de brainstorming e arranjamos um plot lindão, que tal?

Espalhem amor, abracem essa causa!

Já que uma data especial está chegando eu gostaria de propor a vocês que espalhem amor, por todo lugar mas especialmente aqui no tumblr, mandem asks para as pessoas com coisas boas, elogios sinceros, palavras bonitas, mensagens que melhorem o dia de alguém, um simples bom dia já conta, mandem logados ou em anônimo, melhorem o dia de alguém, espalhem amor ♥ 

Eu quero te encontrar nem que seja em um retrato na parede, ou com o seu corpo balançando em uma rede, para vir matar a sede do teu abraço, esse teu pedaço que me chega devagarinho, com o teu cheiro cheio de amor e carinho. Eu sei que logo vou abrir a cortina, para receber o brilho da tua retina, que me fascina e me ilumina, quero acordar deixando o sol entrar, para enfeitar o nosso amor, e até me propor a não deixar o tempo passar, pois eu quero estar sempre ao teu lado, enlaçada ao teu costume, e inebriada pelo teu perfume,com intuito de te conduzir, através do caminho da felicidade, para que o nosso Amor se torne em perenide.
—  Meu coração bate junto ao teu.
É normal ser gordo. É o caminho da natureza.
Mas parece que a sociedade não gosta dessa maneira.
É normal que uma menina tenha cabelos.
Mas se ela não se barbear. Então todo mundo olha.
É normal que um cara goste de rosa
Mas isso não é o que a sociedade quer que você pense
A natureza é normal que é como é. Isso é o que a sociedade transformou em merda.
Os papéis de gênero impõem uma ordem uma lei. Propor uma nova maneira de ser orientada é considerada uma falha.
Bi, trans, gay ou hetero.
Importa na raça humana?
Preto, amarelo, branco ou vermelho?
Será que vai importar quando você está cinza e morto
O cabelo em seu rosto não define a personalidade.
O peso na escala não pesa quem você é.
A única coisa que importa é que você é fiel a você.
Não se identifique como gay ou hetero. Bi ou trans.
Tudo o que importa é que você é humano
Sim, é verdade. Você também tem importância. Nenhuma sociedade deve olhar para baixo em você.
Você importa.
E é verdade.
—  Liliz Campelo
8 virtudes de Maria – e como viver cada uma delas.

O caminho concreto para estar cada vez mais perto de Nossa Senhora.

1. Paciência: Nossa Senhora passou por muitos momentos estressantes de provação, de incômodo e de dor, durante toda sua vida, mas suportou tudo com paciência. Sua tolerância era admirável! Nunca se revoltou contra os acontecimentos, nem mesmo quando viu o próprio filho na Cruz! Sabia que tudo era vontade de Deus e meditava tudo isso em seu coração. Maria, nossa mãe, teve sempre paciência, sabendo aguardar em paz aquilo, que ainda não se tenha obtido, acreditando que iria conseguir, pela espera em Deus.

Imitando essa virtude: Ter paciência é não perder a calma, manter a serenidade e o controlo emocional. Além disso é saber suportar, como Maria, os desabores e contrariedades do dia a dia, saber suportar com paciências nossas próprias cruzes. Devemos saber ouvir as pessoas com calma e atenção, sem pressa, exercitando assim a virtude da caridade. Fazer um esforço para nos calarmos frente aquelas situações mais irritantes e estressantes. Quando houver um momento de impaciência pode-se rezar uma oração, como por exemplo, um Pai-nosso, buscando se acalmar para depois tentar resolver o conflito. Devemos nos propor, firmemente não nos queixarmos da saúde, do calor ou do frio, do abafamento no autocarro lotado, do tempo que levamos sem comer nada… Temos que renunciar, frases típicas, que são ditas pelos impacientes: “Você sempre faz isso!”, “De novo, mulher, já é a terceira vez que você…!”, “Outra vez!”, “Já estou cansado”, “Estou farto disso!”. Fugir da ira, se calando ou rezando nesses momentos. A paciência se opõe à ira! “Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança.”(Rom. 5,3-4) “Eu, porém, vos digo que todo aquele que (sem motivo) se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, esta­rá sujeito ao inferno de fogo.”(Mat 5,22).

2. Oração contínua: Nossa Senhora era silenciosa, estava sempre num espírito perfeito de oração. Tinha a vida mergulhada em Deus, tudo fazia em Sua presença. Mulher de oração e contemplação, sempre centrada em Deus. Buscava a solidão e o retiro pois é na solidão que Deus fala aos corações. “Eu a levarei à solidão e falarei a seu coração (Os 2, 14)” Em sua vida a oração era contínua e perseverante, meditando a Palavra de Deus em seu coração, louvando a Deus no Magnificat, pedindo em Caná, oferecendo as dores tremendas que sentiu na crucificação de Jesus, etc.

Imitando essa virtude: Buscar uma vida interior na presença de Deus, um “espírito” contínuo de oração. Não se limitar somente as orações ao levar, ao se deitar e nas refeições, estender a oração para a vida, no trabalho, nos caminhos, em fim, em todas as situações, buscando a vontade de Deus em sua vidas. “Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”. (Cl 3,17). e “Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a acção de graças. E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus.”(Fil 6,6-7).

3. Obediência: Maria disse seu “sim” a Deus e ao projeto da salvação, livremente, por obediência a vontade suprema de Deus. Um “sim” amoroso, numa obediência perfeita, sem negar nada, sem reservas, sem impor condições. Durante toda a vida Nossa Mãezinha foi sempre fiel ao amor de Deus e em tudo o obedeceu. Ela também respeitava e obedecia as autoridades, pois sabia que toda a autoridade vem de Deus.

Imitando essa virtude: O Catecismo da Igreja Católica indica que a obediência é a livre submissão à palavra escutada, cuja verdade está garantida por Deus, que é a Verdade em si mesma. Esforcemo-nos para obedecer a requisitos ou a proibições. A subordinação da vontade a uma autoridade, o acatamento de uma instrução, o cumprimento de um pedido ou a abstenção de algo que é proibido, nos faz crescer. Rezar pelos superiores. Obedecer sempre a Deus em primeiro lugar e depois aos superiores. Obedecer a Deus é obedecer seus Mandamentos, ser dócil a Sua vontade. Também é ouvir a palavra e a colocar em prática. “Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.” (Luc 1, 38).

4. Mãe do Supremo Amor: Nossa Mãe cheia de graça ama toda a humanidade com a totalidade do seu coração. Cheia de amor, puro e incondicional de mãe, nos ama com todo o seu coração imaculado, com toda energia de sua alma. Nada recusa, nada reclama, em tudo é a humilde serva do Pai. Viveu o amor a Deus, cumprindo perfeitamente o primeiro mandamento. Fez sempre a Vontade Divina e por amor a Deus aceitou também amar incondicionalmente os filhos que recebeu na cruz. Era cheia da virtude da caridade, amou sempre seu próximo, como quando visitou Isabel, sua prima, para a ajudar, ou nas bodas de Caná, preocupada porque não tinham mais vinho.

Imitando essa virtude: Todos os homens são chamados a crescer no amor até à perfeição e inteira doação de si mesmo, conforme o plano de Deus para sua vida. Devemos buscar o verdadeiro amor em Deus, o amor ágape, que nos une a todos como irmãos. Praticar o amor ao próximo, a bondade, benevolência e compaixão. O amor é doação, assim como Maria doou sua vida e como Jesus se doou no cruz para nos salvar, também devemos nos doar ao próximo, por essa razão o amor é a essência do cristianismo e a marca de todo católico. “Por ora subsistem a fé, a esperança e o amor – estes três. Porém, o maior deles é o amor.” (I Cor. 13,13).

5. Mortificação: Maria, mulher forte que assume a dor e o sofrimento unida a Jesus e ao seu plano de salvação. Sabe sofrer por amor, sabe amar sofrendo e oferecendo dores e sacrifícios. Sabe unir-se ao plano redentor, oferecendo a Vítima e oferecendo-se com Ela. Maria empreendeu, e abraçou uma vida cheia de enormes sofrimentos, e os suportou, não só com paciência, mas com alegria sobrenatural. Nada de revolta, nada de queixas, nada de repreensões ou mau humor. Pelo contrário, dedicou-se à meditação para buscar entender o motivo que leva um Deus perfeito a permitir aqueles acontecimentos. Pela meditação, pela submissão, pela humildade, Ela encontrou a verdade.

Imitando essa virtude: Muitas vezes Deus nos envia provações que não compreendemos, portanto devemos seguir o exemplo de Nossa Senhora e meditar os motivos que levam um Deus perfeito a permitir essas provações, aceitá-las e saber oferecer todas as nossas dores a Jesus em expiação dos nossos pecados, pelos pecados de todos e pelas almas, unindo nossos sofrimentos aos sofrimentos de Jesus na Cruz. Não devemos oferecer somente os grandes sofrimentos, devemos oferecer também o jejum, fugir do excesso de conforto e prazeres e, na medida do possível, oferecer alguns sacrifícios a Deus, seja no comer (renunciar de algum alimento que se tenha preferência ou simplesmente esperar alguns instantes para beber água quando se tem sede), nas diversões (televisão principalmente), nos desconfortos que a vida oferece (calor, trabalho, etc.), sabendo suportar os outros, tendo paciência em tudo. É indispensável sorrir quando se está cansado, terminar uma tarefa no horário previsto, ter presente na cabeça problemas ou necessidades daquelas pessoas que nos são caras e não só os próprios. Oferecer os sofrimentos, desconfortos da vida, jejuns e sacrifícios a Deus pela salvação das almas. “Ó vós todos, que passais pelo caminho: olhai e julgai se existe dor igual à dor que me atormenta.” (Lamentações 1,12).

6. Doçura: Nossa Senhora, é a Augusta Rainha dos Anjos, portanto senhora de uma doçura angelical inigualável. Ela é a cheia de graça, pura e imaculada. Ela pode clamar as Legiões Celestes, que estão às ordens, para perseguirem e combaterem os demônios por toda a parte, precipitando-os no abismo. A Mãe de Deus é para todos os homens a doçura. Com Ela e por Ela, não temos temor.

Imitando essa virtude: A doçura é uma coragem sem violência, uma força sem dureza, um amor sem cólera. A doçura é antes de tudo uma paz, a manifestação da paz que vem do Senhor. É o contrário da guerra, da crueldade, da brutalidade, da agressividade, da violência… Mesmo havendo angústia e sofrimento, pode haver doçura. “Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência.” (Col. 3,12).

7. Fé viva: Feliz porque acreditou, aderiu com seu “sim” incondicional aos planos de Deus, sem ver, sem entender, sem perceber. Nossa Senhora gerou para o mundo a salvação porque acreditou nas palavras do anjo, sua fé salvou Adão e toda a sua descendência. Por causa desta fé, proclamou-a Isabel bem-aventurada: “E bem-aventurada tu, que creste, porque se cumprirão as coisas que da parte do Senhor te foram ditas” (Lc 1,45). A inabalável fé de Nossa Senhora sofreu imensas provas: – A prova do invisível: Viu Jesus no estábulo de Belém e acreditou que era o Filho de Deus; – A prova do incompreensível: Viu-O nascer no tempo e acreditou que Ele é eterno; – A prova das aparências contrárias: Viu-O finalmente maltratado e crucificado e creu que Ele realmente tinha todo poder. Senhora da fé, viveu intensamente sua adesão aos planos de Deus com humildade e obediência.

Imitando essa virtude: A fé é um dom de Deus e, ao mesmo tempo, uma virtude, devemos pedir a Jesus como fizeram os apóstolos para aumentar a nossa fé. Porém ter fé não é o bastante, é preciso ser coerente e viver de acordo com o que se crê. “Porque assim como sem o espírito o corpo está morto, morta é a fé, sem as obras” Tg (2,26). Ter fé é acreditar que se recebe uma graça muito antes de a possuir e é, acima de tudo, ter uma confiança inabalável em Deus! “Disse o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar, e ela vos obedecerá.” (Luc 17,6).

8. Pureza Divina: Senhora da castidade, sempre virgem, mãe puríssima, sem apego algum as coisas do mundo, Deus era o primeiro em seu coração, sempre teve o corpo, a alma, os sentidos, o coração, centrados no Senhor. O esplendor da Virgindade da Mãe de Deus, fez dela a criatura mais radiosa que se possa imaginar. O dogma de fé na Virgindade Perpétua na alma e no corpo de Maria Santíssima, envolve a concepção Virginal de Jesus por obra do Espírito Santo, assim como sua maternidade virginal. Para resgatar o mundo, Cristo tomou o corpo isento do pecado original, portanto imaculado, de Maria de Nazaré.

Imitando essa virtude: Esta preciosa virtude leva o homem até o céu, pela semelhança que ela dá com os anjos, e com o próprio Jesus Cristo. Nossa Senhora disse, na aparição de Fátima, que os pecados que mais mandam almas para o inferno, são os pecados contra a pureza. Não que estes sejam os mais graves, e sim os mais frequentes. Praticar a virtude da castidade, buscando a pureza nos pensamentos, palavras e ações! Os olhos são os espelhos da alma. Quem usa seus olhos para explorar o corpo do outro com malícia perde a pureza. Portanto, coloque seus olhos em contemplação, por exemplo na Adoração, e receba a luz que santifica. Quem luta pela castidade deve buscá-la por três meios: o jejum, a fugida das ocasiões de pecado e a oração. “Celebremos, pois, a festa, não com o fermento velho nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os pães não fermentados de pureza e de verdade” (I Cor.5,8).

-  Veritatis

Aos 6 anos de idade, Eloá começou a estudar. Estava muito animada pra esse dia e não via a hora de começar a usar seus lápis de cores e canetinhas. Quando chegou o grande dia, ela acordou feliz e queria ir logo… Chegando lá, ela ficou toda encolhida sentada na mesinha segurando a mão da sua mãe, observou algumas crianças chorando e outras sorrindo para suas mães. Quando chegou a hora de sua mãe ir embora, ela se sentiu com medo de ficar lá, mas não disse nada, apenas deu um beijinho na sua mãe e ficou quietinha com os outros colegas na mesinha. Tudo tinha ocorrido muito bem nas primeiras semanas de aula. Eloá sempre gostou de conversar, mas ela tinha um problema, sempre que estava triste não queria falar com ninguém. Acontecia várias coisas em sua vida que fazia com que ela ficasse tristinha, mas isso não vem acaso agora. Como ela ficou dias sem se comunicar na sala de aula, a professora resolveu chamar sua mãe e propor que Eloá começasse a frequentar um psicólogo. E sua mãe concordou, apesar de nem ela saber o que se passava na cabecinha de sua filha. E foi aí que os problemas começaram. […]
—  Em busca da sua estrela.
Se você propor em seu coração renunciar à pornografia, o poder de Deus para cumprir esta resolução virá a você enquanto confia em sua graça futura na promessa: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5.8). É melhor “que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno” (Mateus 5.29). Muito melhor. Maravilhosamente melhor. Plenamente satisfatório e melhor.
—  Devocional diário, 13 de Agosto - John Piper.
1.

Não tenho muito que dizer.
Me sinto cinza diante da vida.
Nada acontece, nada é relevante.
Não me sinto, de fato,
uma pessoa verdadeiramente relevante.

Faço boas coisas, sim.
Tudo que faço, faço com capricho.
Mas o que é o capricho
senão obrigação do bom senso?
Não tenho nenhum ato espetacular.

Escrevo mais ou menos, nada digno de estrelas.
Toco meio mal, só pra diversão no meu quarto.
Canto, canto sim, mas desafino por preguiça.
Cozinho bem, com ajuda dos temperos prontos.
Além disso, nada mais merece menção.

Difícil me propor a escrever algo.
Quando nada é digno de nota,
o que é que a gente anota?

Bom, já que a nossa proposta de formarem grupos não vingou e nós não somos de desistir, viemos propor agora algo individual mesmo!

PARTICIPEM!

O que deve fazer e como funcionará?

  • Primeiramente siga a Niggas
  • Reblog esse post para divulgar! IREMOS CONFERIR!
  • Mande na nossa ask ,SOMENTE ATÉ O DIA 20/10/17,se você REALMENTE for participar : Quero e vou participar da gincana da Niggas!

    (Obs: Lembrando que vamos anotar a url de cada um que pediu para participar e, se por acaso, durante as fases, recebermos asks de urls que NÃO pediram, NÃO iremos responder. Só participará da gincana e concorrerá aos prêmios quem mandar a ask até 18 H do dia 20/10/17.)

A gincana será dividida em três fases(games) + um mega reblog:

1- Dia 22/10/17 Caveiras Premiadas

2- Dia ? GAME SURPRESA

3- Dia 29/10/17 Campo Fantasma

4- Dia 31/10/17 Mega Reblog de Halloween - Essa atividade tanto os que participaram da gincana como os que não, poderão mandar ask!

  • As três fases terão certas pontuações que serão informados no post de cada uma. Assim que terminados, aqueles que forem os TRÊS primeiros colocados em PONTUAÇÃO irão ganhar, TODOS: Uma header, Um banner e Dois icons.
  • O game surpresa, vocês que mandaram a ask dizendo que vão participar, terão que ficar atentos ao seus respectivos chats! Enviaremos o post dele por lá assim que postarmos! ;)

A NS deseja a todos um feliz halloween!

One Shot Liam Payne

  • Pedido por @maytrindex 
  • Desculpe qualquer coisa, sweet ♡


A manhã chegou calma deixando para trás os problemas da noite anterior e (seu nome) já estava a espera do ônibus mexendo na alça de sua mochila distraidamente. Assim que o veículo que a levaria até a escola chegou, ela entrou sem demora se negando a pensar em algo enquanto subia os poucos degraus e assim que ficou visível para os alunos já presente no ônibus quase lotado, ela pôde perceber seus olhares repleto de desgosto em sua direção. Não há nada de mais em vestir roupas que te deixam confortável, ela pensou procurando um lugar para se sentar.

A parte de encontrar um lugar também foi difícil, não havia muitos lugares vagos e os poucos que estavam, as pessoas do banco ao lado faziam questão de colocar suas mochilas para ela não se sentar. (Seu nome) caminhou pelo corredor olhando de um lado a outro e o único a não impedir que se sentasse no banco vago ao seu lado foi um garoto com fones de ouvidos.

Liam estava ouvindo suas músicas favoritas enquanto percorria o mesmo caminho de sempre até a escola, ele gostava de se fechar em sua própria bolha apenas se importando com a sua música em seu canto para evitar alguns problemas que poderiam acabar com sua vida escolar. Algumas pessoas na escola gostava de praticar bullying e Liam presenciava cenas algumas vezes, ele se limitava a caminhar pela escola sozinho e sem encarar muito as pessoas para que ele não vire uma vítima do grupo de idiotas. O que salvava sua pele, também, era que ele havia ficado com a menina mais popular da escola há alguns anos.

(Seu nome) se sentou ao lado do rapaz sem dizer nada, ela não tinha intimidade com ninguém daquela escola porque não fazia muito tempo que ela havia chegado e porque a maioria prefere rir dos comentários estúpidos sobre sua forma de vestir que não é todo frufru como da maioria. Ela achava que parte da perseguição era a sua culpa, ela era alta demais e gorda, tudo bem que suas roupas eram diferentes da maioria das menininhas daquela escola, mas o seu físico ajudava a causar repulsa.

Claramente ela estava errada sobre seu físico, sua baixa autoestima a faz enxergar coisas onde não têm.

Liam escutando suas músicas estava e escutando suas músicas ficou, a menina sentou ao seu lado e ele não se deu o trabalho de olhá-la. Ele pensou em fazer como as outras pessoas e impedir que ela se sentasse, mas ele ficou com pena da garota. Ela mal tinha chegado e já era alvo de algumas pessoas que pareciam não ter nada para fazer além de infernizar a vida escolar dos outros.

[…]

No dia seguinte foi a mesma coisa, impediram que (seu nome) se sentasse nos bancos vagos, mas o garoto dos fones parecia não se importar que ela se sentasse ao seu lado, então nos dias que se seguiram, (seu nome) se sentou no mesmo lugar.

Liam a maioria das vezes gostava de ouvir música enquanto lia suas histórias em quadrinhos, esse era um bom passatempo no caminho da escola. Não demorou muito para que ele percebesse que a garota também lia seus quadrinhos tendo a visão deles pelo canto dos olhos. Depois disso ele passou a ler mais devagar para que ela pudesse acompanhar e nos dias que se seguiram, ele levou mais de seus gibis saindo do ônibus os deixando para trás para que a garota pudesse ler depois. (Seu nome) levava os gibis para casa, lia todos durante a noite e devolvia novamente e tudo isso sem se falarem até então.

— Eu não sei se concorda… — Liam começou deixando (seu nome) surpresa ao puxar conversa — O Batman é o mais interessante de todos os personagens… Ele faz parecer que tudo pode ser alcançado se nós realmente querer.

— É o meu personagem favorito. — (seu nome) disse depois de alguns segundos em silêncio.

[…]

Os minutos no ônibus se tornaram mais agradáveis depois que passaram a conversar sobre o que liam, às vezes falavam sobre música ou sobre as matérias que estavam estudando. Não muito depois eles já tinham um laço de amizade, eles foram construindo aos poucos uma parceria.

O pequeno gramado atrás da escola havia virado o refúgio dos dois dentro daqueles muros, quando dava a hora do intervalo os dois se encontravam ali e conversavam até a hora de voltar, mas às vezes eles apenas passavam a manhã toda naquele lugar na companhia um do outro.

— Eu não entendo ela… — (seu nome) falou enquanto tinha os cabelos acariciados por Liam — Ele é um bêbado nojento e ela continua fazendo as vontades dele. É revoltante.

— Talvez ela tenha medo…

— Não… Ela só gosta dele mais que gosta dos próprios filhos. — ela suspira — É triste dizer, mas é a verdade.

— Eu sei que ela é a sua mãe, mas não ligue para isso. Não ligue para as pessoas que fazem comentários idiotas sobre você e não ligue para as pessoas que te olham feio. — Liam disse a fazendo se sentar para olhá-lo nos olhos — Não importa quem te faz mal ou quem não gosta de você… O importante é quem aprecia sua companhia, é quem gosta de estar perto e de você por inteira. — ele sorriu se inclinando para selar seus lábios.

A cumpliciadade dos dois só cresceu com o passar do tempo, eles juntos criaram uma intimidade bem maior que no começo e decidiram tentar ter alguma coisas, eles se gostavam bastante e queriam tentar.

— Você é a melhor pessoa que conheci desde que me mudei para cá. — (seu nome) acaricia o rosto do amigo.

— Não tem como não gostar de você depois que te conhece… E é por isso que eu quero propor algo. — Liam se concentrou nos olhos da garota — Nós nos tornamos amigos e decidimos tentar algo depois que prometemos continuar amigos caso não dê certo. Então eu pensei que quando tudo isso acabar, podemos nos mudar juntos. Eu irei para a faculdade em outro estado e quero que você vá comigo e abandone todos os problemas da sua família porque eles só te fazem mal.

(Seu nome) sorriu largo pulando sobre Liam o derrubando no chão enquanto riam juntos. Essa era a melhor proposta de futuro que ela tinha, ele queria continuar com ela próxima a ele e isso a fazia feliz, pelo menos uma pessoa gostava de sua presença. Ela não precisou responder se aceitava ou não, os beijos que distribuiu pelo rosto de Liam falaram por si só deixando tudo claro como água.  

Os dois só precisavam sobreviver o colegial para dizer oi a uma nova vida.



Espero que tenham gostado… ❤

Desculpem os dias sem postar… Eu precisava de um tempinho para mim e acabei relaxando de vez. :/

- Tay

Ouça o que vou propor
Que seja recíproco o nosso amor
Que o tempo seja usado a nosso favor
E que as palavras não percam seu valor.
—  Banhar se de poesia, Vitor A.
BTS Reaction : Ao vocês terem gostos musicais diferentes.

pedido:  Oi bb você pode fazer um reaction do bts caso eles entrem em discórdia com a namorada por terem gostos musicais diferentes.


Rap Monster

O Único raps que você poderia passar horas ouvindo eram os de seu namorado. Quanto a outros você não tinha nada contra, mas quando Namjoon ficava o dia todo ouvindo você não conseguia sua cara de ‘’ tomara que esse cd acabe logo’’ e ele percebia isso facilmente.

- As músicas que você gosta são bem piores e eu não fico com essa cara emburrada, você tem que gostar de música de verdade !

Isso geraria algumas / varias discussões entre vocês e algumas ofensas, mas no fim tudo acabaria, quando ele se cansasse e saísse dizendo. “ Ah, fale o que quiser, rap é maravilhoso. ”

Suga

Você nunca tinha deixado de ouvir músicas brasileiras, pagode, sertanejo e outras.

Isso irritava Yoongi, ainda mais quando ele queria dormir e você ficava cantando ou ouvindo a música em volume alto.

Ele achava reclamando o tempo todo, falando que as músicas eram chatas e coisas assim, e isso só fazia você ouvir ainda mais alto para provocá-lo.

Taehyung/V

Vocês dois pareciam duas crianças brigando por causa de música, principalmente quando iam escolher que musicaria tocaria no carro ou nas festas.

Quando era o gênero favorito dele, você ficava cara feia e vice e versa.

Jungkook

Seu gosto musical era um tanto diferente, você ouvia exatamente de tudo, literalmente qualquer música, de qualquer ritmo e em qualquer idioma. Sempre queria descobrir músicas novas.

No começo Jungkook não tinha uma opinião formada sobre seu gosto musical, nem opinava. Mas cada vez você procurava novas músicas, e ele era uma pessoa que gostava de músicas básicas e que todos conheciam, não gostava muito de “inovar”

“ Suas músicas são estranhas, ninguém conhece, porque você não ouve algo mais comum?”

J-Hope

Você gostava de ouvir músicas “Tristes” Indie e coisas do tipo. Se sentia calma ao ouvir essas músicas, já Hoseok preferia as músicas mais animadas, assim como ele.

“Suas músicas dão sono, escuta essa aqui, é bem mais divertida! ”

Vocês não brigariam sobre isso, mas você se irritaria bastante quando ele não parasse de fazer você tentar mudar seu estilo musical.

Jin

Assim como você, ele gostava de músicas antigas, músicas de época ( estilo anos 80/90) e de música clássica, mas ele não podia ouvir por muito tempo sem ficar entediado.

Pra ele esse tipo de música era bom para ouvir para relaxar, não todo o tempo, e que existem muitas músicas atuais mais divertidas.

“Eu não vou discutir com você sobre isso né, mas é entediante ouvir músicas antigas o tempo inteiro”

Jimin

Você não desgostava do gênero musical favorito dele, pelo contrário, você não era nada seletiva em questão a músicas, tudo que fosse música você ouvia e até cantava, e ele admirava isso em você.

Mas é claro que você tinha um cantor favorito, ele podia até sentir um pouco de “ ciúmes ” de todos os seus CDs e pôsteres, e ficar fazendo joguinhos do tipo “ Eu canto muito melhor que ele”.

Mas ao fim de contas ele odiava brigar nem que se fosse por brincadeira, então assim ele iria propor para que você apresentasse mais do trabalho desse seu cantor favorito, mas em troca, você teria que ouvir todas as músicas do grupo favorito dele, o que não era uma tarefa difícil.


~Bela |Pedidos abertos |

Ele queria discorrer sobre política, criticar o governo federal e propor medidas socioeducativas para acabar com o problema da criminalidade do seu país. Mas, quando sua caneta tocava o papel e as palavras começavam a dançar na folha, ele não conseguia falar sobre coisas importantes e maduras. Ele elogiava os cabelos da garota de olhos ardentes e descrevia o sonho que teve com ela na quarta-feira. Incansavelmente, tudo o que ele tinha para dizer era sobre ela, mesmo que muita coisa mais importante estivesse acontecendo no mundo.
—  She was his person. || Azarão

Como um passarinho.

“É, mais uma vez a estória se repete!
Foram longos os dias, por diversos pensamentos, desde os mais frígidos até os mais abrasadores.
Pensamentos sobre situações, ideias que envolvem momentos de ternura e de revolta, mas algo que simplesmente não deixou ser simplório e que da sua maneira teve o seu marco. Infelizmente, na minha mais humilde concepção…um marco de dor.
Eu novamente me vejo aqui, em frente a tela de um computador, provocado e tentando expressar os mais diversos pensamentos na minha mente, e sem dúvidas não poderia me abster de palavras que o expressem.
Nessa longa jornada dos sentimentos, as vezes nós desacreditamos de fato sobre um "real” sentimento, um sentimento por outrem.
Em pleno século vinte e um, o mal do século é dominado por instintos, desejos e por relações descartáveis. Pois bem, eu tive o desgosto de ter mais uma em minha vida.
Realmente é curioso como as pessoas são vazias e tentam suprir suas lacunas interiores com diversos tipos de relações interpessoais ou até mesmo para os mais fechados, a única relação intrapessoal.
Até quando nós vamos errar, cair, levantar e acreditar no outro, sem pensar nas marcas do passado? Até quando seremos fortes para nos curar e acreditar que tudo é questão de se entregar e fazer dar certo? Até quando eu não sei, mas sei que todos temos limitações, e eu com as minhas, não consigo deixar de pensar que certamente me entregarei à essa vida vazia até que eu me lembre que eu preciso apenas de eu mesmo para poder ter a felicidade através da auto suficiência, e que alguém, é apenas um detalhe para sobrepor ou transbordar todo o meu ser! Sei que um novo “amor” nunca tem culpa dos seus “amores” passados (e sim, as determinadas expressões entre aspas, significa o real sentimento de acreditar que esse sentimento não exista, ou que talvez seja somente uma falácia. Afinal, não pregam que amor é um só e é “eterno”?) mas ainda assim coloco em pauta, até quando vamos ignorar as cicatrizes em nossos corpos? Como se traumas não existissem e que tudo é tão fácil de acontecer e se entregar!
É realmente árduo acreditar que o sentimento de amor não exista, ou que ele é apenas uma jogada de marketing para o mercado capitalista do século e que provavelmente o único amor que exista de fato, seriam as relações consanguíneas e somente aquelas que pode-se pautar como família e não parentes…
Mas se o amor não for um sentimento somente de família, somente de relações familiares, alguém pode me ensinar o que é amar? O que é o amor? E o que eu digo é longe das relações consanguíneas…
Eu sinceramente comecei a acreditar que talvez esse sentimento não exista ou até mesmo como cita o poeta “Talvez eu não mereça amar. Mas todos merecem. Dizem por aí. Então talvez eu não saiba amar. Mas todos já nascem sabendo. Dizem por lá. Já sei, então talvez eu não saiba descobrir o amor entre as paixões que me passam sorrindo. É isso. Sorrisos lindos já me deram bom dia, mas, nem sempre dei oportunidade deles me darem boa noite”. O fato de almejar ser alguém sempre melhor, sempre me propor à valorizar e priorizar um relacionamento, me fez parecer um tolo na atual sociedade. Então começo a acreditar que a melhor opção é eu ser somente eu, auto suficiente e que o resto é apenas detalhe, e que um dia, alguém terá essa tal oportunidade de me dar os meus melhores “bom dia” e meus melhores “boa noite”.
As vezes, criar máscaras ou até mesmo um heterônimo em sua vida, não o torna mais feliz, muito pelo contrário! Quando se encosta em sua cabeceira, no seu travesseiro, sabe-se o real sentimento que se tem, o verdadeiro ser aparece e torna-se quase impossível não derramar as lágrimas pelo canto do olho. Talvez não de fraqueza, mas sim de tanta força e coragem de conseguir viver mais um dia, sem cair na esparrela de desistir de tudo ou até mesmo misturar as coisas com quem não merece.
É evidente que pessoas que vivem de máscaras não são felizes, afinal, são apenas máscaras! Mas será que somente quem vive na “solidão” que vive com as máscaras? Quantos relacionamentos conhecemos que são apenas ficção e que ambos preferem a distância do que a presença, e que não terminam pelo simples fato de estarem acostumados com a presença? Ou por outros fatores externos como a insuficiência de auto estima para tentar algo que realmente o faça bem, que o faça querer estar com uma pessoa?
Na história antiga, o que se era mais prezado era a vida, por isso suas penas eram com a morte, na nossa atual sociedade o que mais se preza é a liberdade e por isso as penas de cárcere privado, onde o indivíduo aprende a zelar pela sua liberdade. Mas por um momento de reflexão, quantas vezes nos prendemos há coisas que nos fazem mal e nos tiram essa liberdade que tanto prezamos? Quase como estar livre e não liberto! E por que insistir em algo que sabemos que dói no nosso consciente? Essas indagações tornam-se tão pejorativas e pesadas na mente, por quê?
Já observaram um passarinho na gaiola? Ele canta, talvez não por felicidade, mas canta…mas já observaram o quão lindo pode ser o canto de um grupo de aves soltas, livres para voar? Como torna ainda mais belo o passarinho quando ele bate suas asas passando em frente o sol?
Pois bem, hoje eu quero a minha liberdade de volta, quero vestir a máscara de que tudo está bem e que você não vai fazer a menor falta (mesmo sabendo que vai, e que não vai ser tão tranquilizante ver determinadas atitudes de você querendo se mostrar bem, mesmo não estando, somente para mostrar pra mim que seguiu), mas que sei que vai passar e que eu também vou seguir, então novamente eu serei como esse passarinho que paira sobre os ares, com o sol no horizonte, acreditando que ele só precisa de suas asas pra voar e prezando essa liberdade que torna seu canto ainda mais bonito. Quero ter o sorriso de futuro, e se preciso, saber lidar com o seu sorriso de passado. Eu sorrindo de felicidade, e você de saudade.“ - CIRQUEIRA, Guilherme.

Eu não costumo escrever coisas no meu Tumblr, principalmente se for algo relacionado a outro fandom, mas eu realmente não estou me segurando. Cada vez que eu leio alguma coisa, mais inconformada eu fico com a hipocrisia das pessoas. 

Eu jogo um jogo online estilo data-games. Chama-se Eldarya. Ele é fornecido por uma empresa de jogos chamada Beemoov e não sei se alguém que me segue joga e se por ventura vai concordar comigo ou não, mas isso é só um mero desabafo das coisas que está acontecendo agora.  

Na semana passada uma jogadora descobriu um bug nos códigos do jogo e fez um vídeo ensinando outras jogadoras a se aproveitar disso. O jogo tem um leilão que permite com que as jogadoras revendam alguns itens que possuem, como roupas, comidas de mascotes, mascotes, iscas, etc. Assim como tem objetos que podem ser leiloados, há outros que não podem, e o que essa jogadora descobriu na falha do código era uma forma de tornar esses itens, que originalmente não permitem a venda, leiloáveis. 

Na terça feira passada muitas jogadoras se aproveitaram disso e lucraram em moedas virtuais do jogo com a venda no leilão desses objetos, mesmo que tenha uma regra explicita nos termos de uso do jogo que esse tipo de atitude é punível. 

Demorou uma semana, mas a punição veio. Todas que se aproveitaram desse bug para vender objetos tiveram as contas resetadas e banidas até 2018. Ou seja, ela não podem mais jogar os episódios que são lançados a cada mês, não poderão jogar os eventos que tem como entretenimento entre os episódios, não podem acessar o fórum e mandar mensagens privadas. 

Vi no grupo do Facebook muita gente indignada, principalmente quem sofreu a sanção, pois muitas delas gastaram dinheiro de verdade para comprar algumas moedas que o jogo usa para outros benefícios e perderam tudo. A revolta foi tão grande, que tem gente cogitando abrir um processo contra a empresa da Beemoov, utilizando artigos do Código de Defesa do Consumidor. 

E honestamente é isso que me deixa muito indignada. Falam tanto de direitos, mas ninguém pensa em deveres e nas consequências. Primeiro de tudo, a empresa da Beemoov é francesa. Quando se cadastra no jogo você concorda com os termos de uso e serviço, que diz expressamente que qualquer forma de litigio a jurisdição para propor a ação é na França. Esse é o ponto número 1. 

Ponto número 2, é que mesmo que o dinheiro gasto tenha sido o real, por empresas que atuam aqui no Brasil, é um mercado e-commerce. O Código de Defesa do Consumidor é omisso quanto a esse mercado, mas os tribunais brasileiros aplicam as regras por analogia em virtude de proteger o consumidor, porém, a coisa pega quando a empresa em si é estrangeira, pois daí depende da legislação desse país e mais ainda do contrato de adesão que você concordou quando aderiu o serviço, tanto que o PROCON se preocupa em avisar o consumidor para olhar a jurisdição do site que está comprando. 

Meu terceiro ponto, apesar de eu concordar que a punição foi severa, não foi de forma alguma indevida, pois esse tipo de conduta foi avisada com antecedência que seria punível, embora tenha gente que alegou que a culpa foi da Beemoov por deixar a brecha no código e que utilizaram o bug sem culpa e que estão inconformadas de que houve punição. 

Vamos colocar dessa forma. Você está saindo de casa e por algum motivo, desatenção, por exemplo, você fechou o portão, mas que não trancou. Alguém viu que o portão não  estava fechado com chave e se aproveitou para invadir. A culpa é sua por deixar o portão destrancado? Sem dúvida. Mas torna a pessoa que invadiu certa? Meu ponto é que dois erros não formam um acerto. 

Se alguém que entende de informática e códigos olhar todo o sistema de dados, talvez ele encontre muito mais falhas, porque a Beemoov não é uma empresa onipotente. Quem fez os códigos podia sim ter cometido um erro, mas não dá o direito de se aproveitarem disso. 

Não estou discutindo aqui, vantagens e desvantagens de tornar todos os itens leiloáveis, estou discutido o que é dever e direito. 

Acho muita hipocrisia estarem falando de seus direitos de terem as contas banidas indevidamente, quando se aproveitaram de um erro da empresa fornecedora do jogos para lucrar, mesmo que seja dinheiro fictício. 

Alegam que não são crianças e querem processar tudo, e como bem vi, comentarem que vão “no advogado do governo” para entrarem com a ação sem ver o quão ridículo isso é. 

A Defensoria Pública aqui no Brasil serve para pessoas em situações financeiras tão precárias que não tem o acesso a justiça constitucionalmente estabelecido. Você atrapalhar o serviço de um defensor público, querendo cobrir um gasto de, sei lá, 15 reais gastos em um JOGO online, que tem a opção de jogar gratuitamente, é o cúmulo da hipocrisia e do contraditório.

Estou deixando de fora ainda, outras questões formais, pois duvido que algum processo vá realmente pra frente. Enfim….

Reitero, foi apenas um desabafo, não espero que ninguém concorde ou discorde de mim, mas que essas pessoas me chatearam mais do que a punição rígida que a empresa aplicou as jogadoras.