nossa. que merda

Capítulo 63

Vanessa pegou um susto ao sentir aquelas duas mãos em seus olhos. Mas bastou reconhecer aquele cheiro forte para saber que era Pepa

- O que ce ta fazendo aqui? - Vanessa perguntou surpresa e um tanto decepcionada ao ver Pepa ali, ela tinha planos de conversar com Clara

- Eu que pergunto - Pepa disse rindo - Vim com uns amigos - Ela explicou

- Ah sim - Vanessa sorriu sem graça

- Oi, Thais - Pepa cumprimentou a baixinha com dois beijos em cada bochecha

- Oi, ruiva - Thais disse simpática, prendendo a risada ao ver a careta que Vanessa fez por Pepa estar ali. Sabe quando você foge de uma pessoa como o diabo foge da cruz e a pessoa simplesmente surge na sua frente? Foi assim com Vanessa. Ela estava fugindo a dias de Pepa e a mulher simplesmente apareceu na sua frente, sapatão só de fode, Vanessa pensou.

Enquanto isso, Clara acabara de entrar no escritório com Dani, ela permanecia séria

- O que houve? - Dani perguntou de costas para Clara, servindo-se de uísque e virando-se para a mesma

- Porque você não me disse que Vanessa tinha me ligado naquele dia? - Clara estava de braços cruzados e olhando seriamente para Dani

- Meu amor - Dani suspirou - Eu não queria te ver mais triste - Ela falava parecendo estar chateada

- Mas não devia ter me escondido isso, Dani - Clara continuava com a postura e feição séria

- Me desculpa? - Dani disse parecendo estar arrependida (só parecendo mesmo) e olhava para Clara com sua melhor cara de inocente. A loirinha a fitou por alguns segundos e deu um sorriso derrotado. “Bingo!” foi o que Dani pensou ao ver aquele sorriso, conseguiu derrubar a barreira que Clara tinha imposto ali

- Que isso não se repita mais - Clara falou tentando parecer séria, mas Dani apenas assentiu

- Você sabe que tudo o que eu mais quero é ver você feliz, né? - Dani falou se aproximando de Clara e acariciando o rosto da mesma. Clara ficou tensa com aquilo

- Awn, Dan. Você sabe que é recíproco - Clara falou abraçando a morena, sentiu um arrepio correr por sua espinha ao sentir as mãos de Dani a apertando a cintura e pressionando seu corpo no dela. Clara respirou fundo e se afastou, sorrindo de uma forma cínica para Dani, apertando a cintura da morena da mesma forma que ela fez anteriormente. Dani sentiu seu rosto corar e mudou o clima daquilo. Clara estava correspondendo ao seu flerte? Ela estava bêbada?

- Você precisa tocar - Dani disse olhando as horas no relógio em cima da porta

- Ta me expulsando? - Clara brincou

- Ainda sou sua patroa, mocinha - Dani brincou de volta e Clara riu, ambas saíram do escritório conversando.
Vanessa olhou as horas no seu celular e viu que Clara logo começaria seu set, olhou para Thais como quem diria que queria se livrar de Pepa, a baixinha entendeu

- Cadê seus amigos? - Thais perguntou à Pepa, que deu de ombros levando sua bebida até sua boca

- Me perdi deles - Pepa riu um pouco

- Ce não vai procurar eles? - Thais continuou

- Você não me quer aqui? - Pepa olhou franzindo o cenho para Thais, que antes de responder foi interrompida pela voz do dj que estava tocando, ele apresentava Clara
“Agora com vocês, a dj mais foda, mais gata, mais gostosa de São Paulo” As pessoas já começaram a gritar “Quero ver todo mundo gritar bem alto pra dj Skullblondie!” Ele disse entusiasmado e toda a boate gritava e batia palmas para Clara, que entrava sorridente na cabine. Vanessa estava igualmente sorridente, ela ficava muito feliz ao ver Clara fazer o que gostava. Os olhos de Clara procuraram por Vanessa e a encontrou de frente para a cabine, com Pepa ao seu lado, o sorriso da loira logo morreu e ela começou a tocar

- Entendi - Pepa disse sorrindo para Thais, que revirou os olhos

- Ai vocês duas - Vanessa reclamou - Vou dançar - Ela disse saindo do banco que estava sentada e foi até a pista de dança. Ficou ainda de frente para a cabine em que Clara estava e começou a dançar daquele jeito que ela sabia e do jeito que ela sabia que Clara ficava louca. Conforme as músicas foram passando, Vanessa ficava mais solta e Clara com o olhar mais perdido nas curvas do corpo da loira. “Filha da puta. Olha esse corpo” Clara pensou tendo uma visão privilegiada de Vanessa. Foi quando começou a tocar Dark Horse que as coisas pegaram fogo, Vanessa era louca por essa música, ela simplesmente começou a dançar da forma mais sexy que podia, rebolava de forma provocante e descia até o chão. Jogava seus cabelos para o lado e olhava para onde Clara estava, logo dava um sorriso maldoso. Clara tava para morrer dentro da cabine, sua vontade era descer até a pista de dança e dar uns belos de uns tapas em Vanessa, a mulher tava pegando fogo

- Olha essa bunda, meu Deus - Clara falou para si mesma, se abanando levemente com uma das mãos.
De repente uma morena surgiu próxima a Vanessa, era Dani. O que parecia ser uma simples dança se tornou praticamente uma disputa. As duas começaram a dançar sensualmente e qualquer um que estivesse naquela boate, com certeza, parou para olhar aquilo. Clara deu algumas boas risadas vendo as duas dançarem incansavelmente e vez ou outra olhando para a cabine, como se quisessem ter certeza que ela estava olhando. O set tinha chegado ao fim e Clara continuava rindo da cena da pista de dança, ela saiu da cabine e deu de cara com Dani a esperando, ela estava visivelmente bêbada e com uma cara de safada que nem Jesus teria coragem de olhar

- Nossa, ce já ta bêbada? - Clara perguntou rindo ao notar o estado de Dani

- Não - Dani mentiu. Clara desviou seu olhar para procurar Vanessa e a viu conversando com Thais, sem Pepa dessa vez

- Eu já vou pra casa, Dan - Clara disse com um sorriso cansado e fingindo

- Deixa só eu conversar uma coisa com você? - Dani fez cara de cachorro pidão e Clara assentiu. Dani foi pelo caminho do seu escritório, mas parou no meio do corredor ao ver que ali não tinha ninguém

- Nossa, sua bêbada. Vai me agarrar no meio do corredor? - Clara falou rindo ao sentir Dani puxá-la e a encostar na parede

- Clara, eu sou apaixonada por você. Será que não vê isso? - Dani a olhava nos olhos, falando embolado e um tanto desesperada

- Dani, você ta bêbada - Clara disse com os olhos arregalados, surpresa com aquilo

- Porque você não me da uma chance? Eu posso te fazer esquecer a Vanessa - Dani parecia que ia chorar e Clara não queria ver aquilo

- Dani, vamo fazer assim… - Clara suspirou - Amanhã você passa no meu apartamento de tarde e nós conversamos, ok? - Ela sorriu e Dani assentiu, mas antes que deixasse Clara ir, a segurou mais forte e pressionou seus lábios nos da loirinha. Diferente do primeiro beijo, esse teve sintonia. Clara segurava o rosto de Dani com uma mão e a outra ficou em seu ombro. O beijo era urgente, Dani explorava toda a boca de Clara com a língua, que retribuía o beijo na mesma intensidade, sugando a língua da morena sempre que podia. Os ânimos foram se acalmando e elas encerraram o beijo com Dani sugando e mordendo o lábio inferior de Clara, que ficou sem saber como agir e deu um sorriso envergonhado, em seguida deu um abraço na morena e saiu quase que correndo dali.
Quando enfim chegou até Thais e Vanessa, a loira brigava com a baixinha

- Nossa, que merda! Como você vai pra casa desse jeito, Thais? - Vanessa falava repreendendo a amiga

- Que que ta pegando? - Clara disse abraçando Thais

- Olha Clara, nem vem que eu não to pra gracinha - Vanessa disse de mau humor

- Eita, calma. Vamos levar a Thais pro meu apartamento, ela dorme no quarto da May e você dorme com ela - Clara sugeriu. “Eu vou dormir é com você” Vanessa pensou

- Vamos - Ela disse com um sorriso que Clara não soube identificar qual era. Vanessa foi no carro dela com Thais e Clara foi atrás no seu, seguindo Vanessa. Quando chegaram ao apartamento, Vanessa colocou logo Thais no quarto de Mayra, a menina apagou, Vanessa só teve tempo de tirar os sapatos e a calça mais do que colada que ela usava

- Cadê o cara de bolacha? - Vanessa perguntou sentada no balcão com Clara

- Ele viajou com o Fabien - Clara suspirou triste

- Saudades dele - Vanessa deu um sorriso igualmente triste, mas não teve resposta alguma de Clara - Faz um miojo pra mim, Clarinha - Ela disse com uma voz de criança e Clara revirou os olhos

- Faz você - Clara disse se levantando do balcão e passando por Vanessa, nesse instante ela segurou Clara pelo braço e a puxou, fazendo-a sentar em seu colo

- Eu quero meu miojo - Vanessa disse olhando-a fixamente nos olhos. Clara sentiu seu corpo todo se arrepiar com aquele olhar, ela tinha esquecido como era se perder naqueles olhos de Vanessa

- Já disse pra você fazer - Clara falou tentando manter a voz firme

- Vou fazer outra coisa - Vanessa deu um sorriso malicioso, passando sua outra mão pela cintura de Clara e a apertando, trazendo-a mais para si, colando seus corpos - Vou te fazer minha - Ela sussurrou no ouvido de Clara e ali deu um forte chupão, fazendo a loirinha se arrepiar inteira.

(Continua no capítulo 64)

#fic #fanfic #clanessa #clara #vanessa

Juntou os cacos, os trapos, as decepções. Jogou tudo em uma mala e partiu por ai, vida afora. Levou algumas desculpas, algumas mentiras. Criou para si uma nova identidade. Um jeans surrado, um cigarro nos lábios, um sorriso marcado. Era ela. Apenas ela. E a estrada, os trocados, as passagens, mas só de ida. Sem rumo e nem direção, sem medo. Porque o medo faz escolhas onde o risco é menor e ela, que adora adrenalina, só pensava em correr risco o tempo todo.
—  Diário na Estrada. Clarisse Anderson, 1992.