naocopie

E quantas vezes você não quis uma mordida no lábio, um sussurro no ouvido, um arranhão nas costas ou uma puxada de cintura? Quantas vezes você não quis ouvir um “eu te amo” sincero ou sentir um doce olhar que nem precisaria dessas palavras? Quantas vezes você não quis chamá-lo de “meu”? Quantas vezes você se olhou na parede e pensou “eu sou uma idiota”. Uma idiota, por que? “Por pensar em você. Por ser louca para ter todos esses desejos realizados quando estes provavelmente demorarão a acontecer.” Mas me escute, menina. Você não é uma idiota. É só uma romântica. Que sonha. E sonha sem pensar nas consequências disso. E não pare. Por favor, não pare.
—  B. Ponzio              Uma Romântica (your-deepest-feelings)