mythings:all

- Mais uma dose! - gritou o homem, segurando o pequeno copo firmemente em suas mãos. Os cabelos estavam molhados de suor e os olhos castanho claro estavam bem avermelhados, poderia até arriscar que ele havia chorado durante todo o percurso de pedir mais uma dose de tequila, pegar a bebida e virá-la na boca tudo de uma vez só.
- Me vê uma também. - disse, me sentando ao lado daquele homem de cabelos negros, no balcão do bar.
Ele me olhou por um segundo, de cima a baixo, focando mais em minhas pernas descobertas por conta da saia branca e curta que eu vestia. - Pelo que eu contei, esse já é o seu quarto copo de tequila.
- Está me espionando? - perguntou ele, olhando em meu rosto, com uma expressão confusa, e, talvez, até irritada.
Cruzei as pernas e esperei até que ele focasse nelas novamente, e quando ele o fez, prossegui.
- Eu só acho estranho alguém tão bonito como você estar em um bar, em pleno réveillon, enchendo a cara em vez de estar comemorando.
Ele me olhou sério e, antes de responder, bebeu o copo que o garçom colocara em sua frente.
- Essa é a minha forma de comemorar.
- Tenho certeza que não está comemorando a chegada de um novo ano, isso parece ser outra coisa…
- O que você quer de mim, hein? - me interrompeu, se virando para que ficássemos frente a frente.
Peguei o copo que estava na minha frente e fiz como ele, posicionei-o na boca e inclinei a cabeça para cima, deixando que o líquido descesse queimando pela garganta.
- Eu? Nada! Só estou pensando comigo mesma.
- E o que você tá fazendo aqui em vez de estar comemorando a “chegada de um novo ano”? - fez aspas com os dedos ao dizer as últimas palavras, podia notar que ele estava debochando. O rosto continuava com a mesma expressão séria. Não parecia estar se divertindo.
- Não sei. Talvez pelo mesmo motivo que você.
Minha resposta o fez fazer uma careta assustada. Bati na mesa e pedi mais uma dose para o garçom. Ele fez o mesmo.
- Por que essa cara de espanto? - perguntei.
- Foi a Marie que te mandou aqui? - perguntou desconfiado.
Olhei para ele com uma expressão confusa.
- Então o nome da bendita é Marie?
- Olha, não adianta vir com esse joguinho porque eu não caio mais nessa. Aquela vaca que vá pro inferno!
Tomei a outra dose que o garçom colocara em minha frente e o homem ficou só me observando, bebendo o dele em seguida.
- Juro que sou inocente. - levantei os braços, na tentativa de fazer aquela maldita brincadeira onde ele vê que eu não estou cruzando os dedos atrás das costas, mas ao perceber que ele estava realmente sério, desisti. - Desculpa.
Sem nem mais uma palavra, me levantei, pronta para ir embora, afinal, nada do que eu fizesse convenceria aquele homem a ir para cama comigo.
- Então não foi a Marie que te mandou? Mesmo? De certeza? Absoluta?
Soltei uma gargalhada e parei em sua frente, apoiando as mãos em seus ombros.
- Garçom, eu quero uma garrafa. - ele se virou para o garçom para pedir a tequila e depois voltou a prestar atenção em mim. - Zayn.
Ele estendeu a mão para me cumprimentar e eu a peguei, apertando com força.
- (S/N). - respondi.

Entramos apressadamente em seu apartamento, rindo feito dois idiotas. No caminho ele havia me contado que estava noivo e pegou a mulher na cama com outro. Estava tão bêbado que não se importava em contar sua história de traição para uma estranha. E pelo que me parecia, ele estava em uma abstinência sexual cruel demais, e eu estava louca para ajudá-lo a acabar com esse sofrimento.
- Você ainda não me contou como foi parar lá no bar. - insistiu ele, querendo saber a minha história triste por trás de todo o meu desinteresse amoroso.
- E isso importa? - perguntei despreocupada. Não queria reviver todas aquelas histórias, só queria me divertir.
Me joguei de bruços na cama espaçosa à minha frente e agarrei um dos travesseiros. Só me virei de lado quando ouvi ele suspirar alto. Me apoiei sobre o cotovelo e fiquei analisando aquele homem tentador. Ele ainda estava com a garrafa de tequila nas mãos.
- Quer brincar? - Zayn perguntou. Um sorriso sacana se formou no rosto dele e eu sorri, confirmando com a cabeça logo em seguida. - Tira a roupa.
Por um instante perguntei o que ele estava planejando, mas logo percebi quando ele foi até a cozinha e voltou de lá com um limão fatiado em várias partes e um pouco de sal.
- Esse é o nosso réveillon. A nossa comemoração. E você é gostosa demais pra eu não tocar em você.
Soltei uma gargalhada e joguei a cabeça para trás. Aquele rostinho angelical não passava de uma fachada.
- Você tá bêbado. Aposto que amanhã não vai lembrar nem meu nome.
- E isso importa?
Me virei de barriga para cima, já havia tirado a roupa e estava somente de calcinha e sutiã.
- Eu pedi pra você tirar a roupa.
Neguei com a cabeça e fiz sinal pra que ele deitasse sobre mim.
- É mais divertido se você tirar. - o interrompi antes que ele se deitasse. - Antes tira a sua.
Fiquei o observando enquanto ele tirava a própria roupa, cambaleando pelos cantos para conseguir ficar em pé.
- Pega uma camisinha ali na gaveta. - ele apontou para o meu lado, para o criado-mudo e eu fiz o que ele pediu, abri a gaveta e peguei uma das várias camisinhas que ele tinha jogadas lá dentro.
Zayn fez o mesmo que eu, tirou toda a roupa, com exceção da cueca, que deixaria eu mesma tirar.
Chamei ele para a cama, mas ele se virou para o lado contrário, pegou a garrafa de tequila, metade de uma fatia de limão, e um pouco de sal, e então parou em minha frente.
- Entendi o seu joguinho.
Zayn abriu um sorriso sem vergonha.
- Mas só vou aceitar se você me chupar depois que passar pela etapa do limão.
Ele continuou com o mesmo sorriso, então se aproximou e colocou um pouco de sal em minha pele, acima do umbigo, depois derramou um pouco de tequila em meu umbigo e colocou o limão em minha boca. Segurei o limão com os dentes, esperando que ele chegasse até minha boca.
- Isso vai ser divertido. - sussurrou e em seguida começou.
Sua língua passou pela minha barriga, escorregando pelo pouco de sal que estava espalhado em minha pele, depois bebeu a tequila em meu umbigo e subiu para pegar o limão de minha boca, chupando-o.
Abri um sorriso, esperando ele continuar e assenti quando o mesmo olhou para mim.
- Me chupa. - sussurrei.
Zayn largou o que tinha em mãos e se ajoelhou na cama, tirando meu sutiã e minha calcinha em seguida.
Abri as pernas e deixei que ele se metesse no meio delas.
Seus dedos percorreram minha coxa, subiram para a cintura e depois seguiram diretamente até meu clitóris. Zayn mordeu o lábio inferior e tocou minha entrada com o dedo indicador. Encostei a cabeça na cama e fechei os olhos, esperando que ele me fodesse com os dedos antes de enfiar a língua em mim.
E foi isso que ele fez. Escorregou os dedos para dentro e começou a me masturbar rapidamente, com pressa e ansiedade. Gemi baixinho ao sentir os dedos dele me pressionando com força e agarrei os lençóis da cama para me conter.
- Ah, Zayn, que dedos maravilhosos… enfia eles em mim bem assim, bem gostoso.
- Você é gostosa pra caralho, e tão molhada. Porra!
- Ah, Zayn… que delícia!
No mesmo tempo em que ele movia os dedos dentro de mim, aproximou os lábios e começou a me lamber. Sua língua rodeava em meu clitóris e depois descia para os pequenos lábios, os chupando e mordiscando de leve.
- Isso, me chupa… ahh. - soltei o lençol claro da cama em que meus dedos estavam cravados e os levei até seus cabelos, puxando-os e pressionando a cabeça dele contra minha boceta para que ele chupasse mais rápido e me fizesse gozar.
- Continua assim, Zayn, eu vou gozar… - soltei um gemido alto. Estava quase gritando de prazer. - ah, que boca gostosa…
Zayn continuou me chupando, rapidamente. Sua língua passava por minha entrada e ele a enfiava um pouco, depois voltava para meu clitóris e para os pequenos lábios.
- Porra, meu Deus!
E dessa forma, com a língua dele me esfregando, eu gozei, soltando um grito enquanto sentia meu corpo inteiro tremer.
Zayn subiu o corpo para que ficasse junto ao meu, olhou para meus seios, lambeu os lábios e os abocanhou. Com uma das mãos começou a acariciar um dos meus mamilos, enquanto o outro ele chupava.
- Vai me fazer gozar de novo? - perguntei animada. Queria sentir seu pau fundo em mim. Queria que ele me fodesse sem parar.
Ajudei-o a tirar a boxer preta que ele vestia. Sem responder, ele inverteu as posições, me deixando por cima dele. Tateei pela cama e peguei a camisinha antes de encaixar minhas pernas em volta de seus quadris, abri o envelope e agarrei seu pau, masturbando-o antes de colocar a camisinha.
- Eu até poderia te chupar, mas estou ansiosa demais pra ser fodida por isso - disse, ainda segurando seu pau firmemente. - que é melhor deixar o boquete pra próxima.
Coloquei a camisinha nele e me posicionei em seu colo, o colocando para dentro sem pensar duas vezes.
Zayn jogou a cabeça para trás e agarrou minha cintura, ajudando-me a começar os movimentos. A princípio comecei lentamente, subindo e descendo, enterrando seu pau em mim cada vez mais fundo. Joguei a cabeça para trás e deixei que ele me guiasse. Quando dei por mim, já estava cavalgando em seu colo. Uma de suas mãos largou minha cintura e repousou em meu seio, apertando meu mamilo já enrijecido. Espalmei as mãos em seu peito e dei mais velocidade aos movimentos, enfiando-o por completo em minha boceta e depois o tirando para repetir os movimentos.
- Você é tão gostosa, caralho! Essa boceta apertadinha em volta do meu pau, me apertando desse jeito… porra!
- Ah, Zayn… como isso é bom.
Eu já estava gemendo alto, implorando por ele.
- Isso, sua gostosa. Implora por mim, geme meu nome.
- Ah, meu Deus.
- Tá gostoso? Gosta do meu pau nessa sua bocetinha molhadinha? Te fodendo assim?
- SIM! Pelo amor de Deus, Zayn, que gostoso.
Continuei cavalgando em seu colo cada vez mais rápido, sentindo cada centímetro dele me possuindo. E não demorou muito para que eu gozasse.
Zayn me segurou, para que eu não saísse de seu colo. Agarrou minha bunda e começou a mover os quadris de encontro ao meu, entrando e saindo com seu pau, me fodendo daquele jeito gostoso.
Quando ele jogou a cabeça para trás e soltou um gemido alto, parou de se mover e largou as mãos na cama. Zayn havia gozado.
Saí de cima dele e deitei ao seu lado na cama, respirando rapidamente.
Ele ficou olhando para o teto, seu peito subia e descia rapidamente devido a respiração descompassada. Respirei fundo para controlar o cansaço e olhei para o teto também.
- No que tá pensando? - perguntou ele.
Assim que desviou o olhar para mim ele sorriu, mostrando os dentes brancos.
- No quanto a Marie é vaca. - respondi, arrancando uma gargalhada dele. - Mas ela salvou meu meu réveillon.

Imagine Hot w/ Zayn Malik

- Você é um pervertido, Malik – disse, rindo da cara do meu namorado.

Zayn morava com sua mãe e irmãs em uma rua um pouco próxima a minha, o que era um alivio pra mim. Quer dizer, é ótimo um namorado que mora perto de você, não é? Estávamos em seu quarto, mais precisamente abraçados, em sua cama. Zayn falava umas besteiras no meu ouvido, enquanto eu apenas ria dele.

- Qual é, ela nem vai perceber. É só trancar a porta – disse, sorrindo abertamente, como se fosse a coisa mais normal e segura do mundo. Ri de sua cara mais uma vez.

- Já disse que não, pare de insistir nisso.

Zayn abriu a boca para argumentar, mas sua mãe apareceu, o fazendo ficar calado.

- Crianças, eu vou ao supermercado com a Waliyha, volto dentro de uma hora. Comportem-se.

Fez sinal com os dedos e apontou pra nós dois, saindo do quarto. Eu me levantei sobre o olhar de Zayn e fui em direção a cozinha.

- Bem, agora qual vai ser a desculpa que você vai dar? – Zayn estava encostado no batente.

- Hum… – coloquei o dedo no queixo, fingindo estar pensativa – Não estou a fim?

- Ah, c’mon. Não se faça de difícil, eu sei que você quer tanto quanto eu. Você me provocou a manhã inteira, sua safada.

- Eu? Você só pode estar imaginando coisas. Deve ser porque é tão pervertido que acha que a todo o momento eu estou me insinuando pra você. Tome um banho frio, sweetheart – me fiz de inocente e o mandei um beijo no ar.

Passei reto por ele e me joguei no sofá, com as pernas para o alto. Zayn me seguiu e as suspendeu, se sentando. Deixei minhas pernas sobre ele, com uma delas em seu ombro. Era divertido provocá-lo e fazê-lo implorar. Fingi estar entretida na TV e com o pé que deixei sobre suas pernas, esfreguei seu membro. Zayn o segurou pelo tornozelo e olhou pra mim, negando com a cabeça. Apenas fechei os olhos e continuei assistindo.

Novamente o provoquei, esfregando agora os meus dedos, fazendo uma espécie de massagem por cima do tecido de sua bermuda. Em um movimento rápido, Zayn puxou minhas pernas e se meteu entre elas, segurando meus pulsos.

- Pare de me provocar. Eu estou ficando louco!

Não tive tempo de responder nada já que no instante seguinte Zayn chocou sua boca contra a minha, num beijo urgente. Entrelacei meus dedos em seu cabelo, puxando alguns fios. O nosso beijo era selvagem, Zayn me apertava contra ele e roçava seu quadril no meu. Ele desceu os beijos para o meu pescoço, mordendo e dando chupões.

Arrastei minhas unhas por suas costas nuas e Zayn meteu suas mãos dentro de minha blusa, indo direto aos meus seios. Levantou o sutiã, sem se preocupar em tirá-lo e os massageou, me fazendo fechar os olhos e deliciar aquele momento. Zayn deu uma atenção especial ao meu busto, rodeando meu mamilo e dando leves sugadas.

Com as mãos em sua nuca, empurrei sua cabeça até chegar em minha barriga, onde ele rodeou meu umbigo com a língua. Zayn me jogou um olhar malicioso e me deu uma mordida na barriga, desabotoando meu short e o retirando apressado. Zayn beijou a minha intimidade, por cima da calcinha. Zayn roçou seu nariz e seu queixo, me provocando.

- Tira logo!

- Tá apressada, amor? Pois pode se controlar, porque eu estou com toda a calma do mundo.

Desgraçado. Zayn tirou minha calcinha lentamente, apenas por provocação. Levei minhas mãos até lá e tirei eu mesma, com pressa. Zayn riu e voltou a ficar entre minhas pernas. Distribuiu beijos por toda minha intimidade, me fazendo suspirar. Finalmente, ele me tocou com sua língua, passeando por toda a minha extensão, indo e voltando, penetrando-a depois. Enquanto fazia leves sucções com a boca em minha intimidade, Zayn estimulava meu ponto de prazer com o dedão.

Tinha minhas mãos em seus cabelos, os puxando, incentivando-o a continuar. Quando estava próxima do orgasmo, Zayn parou o que fazia e subiu com beijos até chegar em meu pescoço, onde deu uma mordida deliciosa antes de me beijar novamente. Sem querer esperar mais, desabotoei sua bermuda e a empurrei pra baixo junto com a boxer que ele usava, libertando seu membro pulsante.

Perdia-me na intensidade e veracidade do beijo que trocava, enquanto o masturbava. Ele se afastou por um breve momento e voltou a se deitar por cima de mim com um pacotinho laminado na boca. Quis rir do fato dele sempre ter uma camisinha no bolso não importa a situação. Depois de ter se protegido devidamente, Zayn abriu minhas pernas com um pouco de brutalidade e me penetrou sem cerimônia.

Zayn começou se movimentando rapidamente, e eu agarrava seu pescoço, gemendo em seu ouvido. Não sei se estava entorpecida demais com o momento ou se realmente tinha ouvido um barulho de chave, mas resolvi ignorar. Zayn matinha sua cabeça em meu pescoço, e eu tinha os olhos fechados e a testa franzida. Ele se movia freneticamente, e se continuasse assim eu logo chegaria no meu ápice. Mas um barulho fez com que Zayn parasse e desse um pulo saindo de cima de mim.

Olhei pra a porta aberta e Trisha com duas sacolas na mão e a Waliyha com mais duas. Ela nos encarava com os olhos arregalados, sua expressão era algo entre surpresa e indignação.

- Mas o que pensam que estão fazendo? Digo, que falta de respeito é essa na minha casa? – Trisha falava evitando olhar pra Zayn, que cobria suas partes com uma almofada e eu me encolhia com minha blusa.

- Mãe, você disse que só voltaria em uma hora – Zayn tentou explicar. Belo argumento, palhaço!

- Eu voltei mais cedo do que esperava porque não tinha filas enormes. Eu vou até a cozinha e quero ver os dois devidamente vestidos.

Ela passou com a irmã de Zayn, com a mão na lateral do rosto pra que não nos olhasse. Bufei e comecei a me vestir rapidamente, enquanto Zayn terminava de abotoar sua calça.

- Eu nunca mais vou deixar vocês dois sozinhos – Disse Trisha, passando por nós dois e jogando um pano de prato na cara de Zayn – Depois de toda essa cena, vão se ocupar lavando e guardando a louça.

- Por favor, lembre-se de só me convidar pra sua casa qaundo sua mãe estiver trabalhando.

Tomei o pano de suas mãos e me encarreguei de enxugar os pratos que ele iria lavar.

/Carol

Bom, finalmente postado, perdão pela demora.