mundo-melhor

Talvez cientista nenhum no mundo consiga explicar o poder do abraço. O poder de se sentir preenchido só de caber dentro dos braços que te acolhem. De sentir aquele cheiro que emana de um coração que pulsa apaixonado. Aquele cheiro com gosto de amor. De carinho. De afago no cabelo. Lugar nenhum no mundo é melhor que o paraíso. O paraíso que te envolve, que te acolhe. O paraíso do teu abraço. Dos teus abraços. Amor.
Desisti. E isso é a coisa mais triste que tenho a dizer. A coisa mais triste que já me aconteceu. Eu simplesmente desisti. Não brigo mais com a vida, não quero entender nada. Vou nos lugares, vejo a opinião de todo mundo, coisas que acho deprê, outras que quero somar, mas as deixo lá. Deixo tudo lá. Não mexo em nada. Não quero. Odeio as frases em inglês mas o tempo todo penso “I don’t care”. Me nego a brigar. Pra quê? Passei uma vida sendo a irritadinha, a que queria tudo do seu jeito. Amor só é amor se for assim. Sotaque tem que ser assim. Comer tem que ser assim. Dirigir, trabalhar, dormir, respirar. E eu seguia brigando. Querendo o mundo do meu jeito. Na minha hora. Querendo consertar a fome do mundo e o restaurante brega. Agora, não quero mais nada. De verdade. Não vejo o que é feio e o que é bonito. Não ligo se a faca tirar uma lasca do meu dedo na hora de cortar a maça. Não ligo pra dor. Pro sangue. Pro desfecho da novela. Se o trânsito parou, não buzino. Se o brinco foi pelo ralo, foda-se. Deixa assim. A vida é assim. Não brigo mais. Não quero arrumar, tentar, me vingar, não quero segunda chance, não quero ganhar, não quero vencer, não quero a última palavra, a explicação, a mudança, a luta, o jeito. Eu quero não sentir. Quero ver a vida em volta, sem sentir nada. Quero ter uma emoção paralítica. Só rir de leve e superficialmente. Do que tiver muita graça. E talvez escorrer uma lágrima para o que for insuportável. Nada pessoal. Algo tipo fantoche, alguém que enfie a mão por dentro de mim, vez ou outra, e me cause um movimento qualquer. Quero não sentir mais porra nenhuma. Só não sou uma suicida em potencial porque ser fria me causa alguma curiosidade. O mundo me viu descabelar, agora vai me ver dormir. Eu quis tanto ser feliz. Tanto. Chegava a ser arrogante. Tanta coisa dentro do peito. Tanta vida. Tanta coisa que só afugenta a tudo e a todos. Ninguém dá conta do saco sem fundo de quem devora o mundo e ainda assim não basta. Ninguém dá conta e quer saber? Nem eu. Chega. Não quero mais ser feliz. Nem triste. Nem nada. Eu quis muito mandar na vida. Agora, nem chego a ser mandada por ela. Eu simplesmente me recuso a repassar a história, seja ela qual for, pela milésima vez. Deixa a vida ser como é. Desde que eu continue dormindo. Ser invisível, meu grande pavor, ganhou finalmente uma grande desimportância. Quase um alivio. I don’t care.
—  Tati Bernardi
Oi, meu anjinho! Ficou meloso demais pra você né, tudo bem… Oi, meu amor! Então… mais um dia, mais uma página desse meu livro sobre uma pessoa só. Uma pessoa que tem me feito melhor! Vamos lá… primeira coisa: Me liga! Dessa vez você vai ler comigo. Vamos lá? O que você pensa sobre mim? Sim, é pra você responder… Acabou? Vou falar então o que VOCÊ é pra mim, tudo bem? Você foi quem invadiu minha vida, e sem pedir licença se apossou de um espaço que na verdade sempre esperou por ser ocupado por você. Você é quem tem me ensinado e ajudado em muitas coisas. E que me dá muito trabalho também! Mas acima disso tudo, quem tem me feito feliz nesse ultimo ano. Hoje eu não agi de acordo com o que eu despejo nos textos, näo é verdade? Me desculpa. Mas quer saber de uma coisa? Eu nao consigo esconder nada de você então… É que ta tudo uma bagunça aqui dentro de mim! Ta uma ventania, e eu to com frio… Mas não é de temperatura que eu falo… To com frio e fome de carinho, de cuidado e principalmente segurança. Você foi o unico que conseguiu arrumar as coisas em mim. E sabe… eu detesto! D E T E S T O, saber que outras pessoas ja tiveram o seu coraçao, que era pra ser só meu. E eu detesto também aproximaçao de quem me faz mal, com você que sempre me fez bem. Eu te amo! E eu só queria que você entendesse isso, mas que nao achasse normal. E se você se cansar de mim? Tinha um certo tempo que eu não te perguntava isso… Mas sei lá, vai que… A quer saber? Tem um montão de meninas, que você acha mais bonita que eu ai fora… E se elas te chamarem atençao. Detesto pensar essas coisas. Eu quero muito ser única pra você. Porque todos os meus sonhos eu idealizo ao seu lado. Toda minha felicidade envolve você e o nosso pra sempre. Eu só queria entender porque as pessoas querem que dê errado, algo tão bonito. O nosso amor é lindo. E eu poderi ter ele como um quadro, e te garanto por milhares de anos continuaria sendo a paisagem mais linda do mundo. A qual eu nunca me cansaria de admirar. Como esse seu sorriso! Que faz tudo em mim brilhar. Te amo! Desculpa. Te amo de novo!
—  Joana Lattanzi