mt pelee

3

In May 1902, Museum geologist Edmund Otis Hovey traveled to the Caribbean to investigate volcanic eruptions that had killed nearly 30,000 people in less than 24 hours.

On May 7, Mt. Soufrière had erupted on the island of St. Vincent, killing 1,565 people. The next day and again on May 20, Mt. Pelée exploded on Martinique in a cloud of ash, gas, and rock that blew down the mountain at 300 miles an hour, killing 27,000 people within two minutes and leveling the port city of Saint-Pierre, then known as the “Paris of the Caribbean.”  The once-bustling hub of trade in rum, sugar, cocoa, and coffee became a smoldering ruin, with barely a brick left standing.

“The devastation wrought by the eruption cannot be appreciated from a verbal description,” wrote Hovey in The American Museum Journal of 1902, “and even photographs do not convey an adequate idea of what has happened.”

Read more on the Museum blog.

Leitura diária: Arrependam-se!

“Arrependei-vos, pois está próximo o Reino dos céus.” (Mateus 3:2).

A Mensagem que João Batista pregava era a de arrependimento, vemos isso muito nítido nos Evangelhos (Mt 3: 1-12), (Lc 3:1-9) e (Mc 1:1-9). Por que será que era isso o que ele tanto exclamava? Por que será que ele colocava tanto ênfase na palavra “Arrependimento”?

João veio preparar o Caminho que o nosso Mestre, Jesus, iria trilhar. João batizava as pessoas nas águas, para remissão e arrependimento dos pecados. Mas estava vindo Alguém maior que ele, o qual ele não era digno nem de levar as Suas sandálias, sequer: O Homem que iria batizar com o Espírito Santo. 

Então, a missão de João era preparar o caminho do Senhor e tornar suas veredas retas. Ele deveria tornar esse caminho plano e reto! (Mt 3:3) Porém, João percebeu que estavam vindo muitos fariseus e saduceus ao seu batismo, então ele lhes disse: “Raça de serpentes! O que vocês pretendem, rastejando até o rio? Acham que um pouco de água nessa pele de cobra vai fazer alguma diferença? É a vida de vocês que precisa mudar, não a pele!” (Mt 3:7-8).

Nesse momento ele deixou claro, que é necessário produzir frutos de arrependimento! Não apenas mudar o externo, mas sim o interno. A vida cristã não consiste em aparência, mas em mudança real e genuína. Os fariseus se preocupavam demais em causar boas impressões, em viver de aparências, em passar uma espiritualidade inexistente apenas para se gabarem. Eles sentiam orgulho de si mesmos! E não era isso que o batismo pedia, o batismo que João pregava era para mudança da vida pecaminosa, de deixar o “eu” de lado e focar no Reino. “Arrependimento não é quando você chora. Arrependimento é quando você muda.” (Leonard Ravenhill).

Portanto, nós devemos nos arrepender dos nossos pecados e mudarmos. Quando mudamos, o arrependimento foi real! Não devemos deixar que o arrependimento seja apenas uma emoção passageira, mas que de fato, se torne em mudança de vida. É hora de focar no Reino, pois Ele está próximo! Os nossos pecados penduraram o nosso Jesus no madeiro, e os mesmos podem nos impedir de viver a eternidade com Ele.

“E o machado já está posto à raiz das árvores, e toda árvore que não produzir bom fruto, será cortada e lançada no fogo.” (Mt 3:10)

Que hoje, possamos refletir acerca de nossa vida cristã. Será que estamos nos arrependendo, de fato, de nossos pecados? Ou tem sido uma emoção? Será que estamos mudando de verdade? Ou, é apenas externamente? Que nos aproximemos do nosso Mestre e nos arrependamos genuinamente pois Ele é rico em misericórdia! 

“Eu vim aqui me arrepender, vim deitar minha glória no pó. Eu vi a dor que Te causei, quantas vezes Te crucifiquei. Os meus ossos se secaram, eu calei a minha voz. Minha alma se tornou em sequidão. Confessei-Te meu pecado, minha maldade não encobri e deixei fluir a cura e o perdão. Me arrepender eu venho, me arrepender eu quero, me arrepender de tudo que pequei contra Ti, Senhor.” (Marquinhos Gomes).