mortado

estranho sujeito

adormeci na zona morta
do seu peito onde a noite
flutua sem pressa de acordar
o respirar lento do universo
um sono profundo de paz 
e imersa nessa noturnidade
um verso de luz me escapou
e por uma brecha do tempo
vi seu coração espreguiçar
todos os sonhos do mundo.

Elisa Bartlett