mordem

Sobre ela

Ah cara sobre ela, é difícil até dizer, ela é bonita, e ela é ela, chama atenção dos outros sem nem ver e quando chama, as outras se mordem querendo ser ela, ela é tudo de bom e eu sou cara que teve a sorte grande de conhece-la, não nego que quando estou com ela é o verdadeiro paraíso o foda é os outros caras que olha pra ela, e não valoriza as garotas que tem, a cara de ciúmes na hora da para ver, mas porra quando ela me abraça penso : “ ela é minha, ela é a minha grande mulher ” quando ela sorri, a minha marra some, o meu stress se vai, ela é tudo bom, ela é a melhor coisa que tenho, ela me mostra como se vive de verdade, o melhor disso tudo é que para nós só basta a gente, eu não preciso de luxo, eu só preciso unicamente dela, a noite olho pra ela e a vejo dormir, sem acorda-lá a puxo para meu peito e faço dele o aconchego dela . Não ligo para que ela esteja com os cabelos dessarumados, usando um pijama velho e que esteja de meia, essas garota é fenomenal, ela é vitamina, é proteína e sais minerais, ela nunca deixa o meu dia ser normal, a noite vamos ficar em casa como sempre, mas como sempre saimos e ficamos na rua como crianças rindo, brincando eu nunca fui de me abrir para ninguém, nunca fui de sorrir assim do nada, mas quando se trata dela ai é diferente me abro para ela e ela me esculta olhando fixamente para os meus olhos, e isso me fode totalmente olho para aqueles lábios e sempre os beijo, ela nunca tentou me mudar, me aceitou do jeito que eu sou e até hoje está sendo assim, mulher melhor para ser mãe dos nossos filhos é só ela mesmo, quando nossos corpos se tocam é o nosso pequeno paraíso, mesmo que o mundo esteja assim ruim, ainda sim ele continua sendo melhor só por ter ela, Deus me deu o melhor presente que eu poderia ter, não tem um minuto se quer que eu não pense nela, sinto o seu cheiro doce só de pensar nele, ela é a melhor pessoa que eu já conheci, eu vou querer ter só ela nessa vida e nas outras que viram, é ela que eu amo de verdade .

O amor bate na aorta. Cantiga de amor sem eira, nem beira, vira o mundo de cabeça para baixo, suspende a saia das mulheres, tira os óculos dos homens. O amor, seja como for, é o amor. Meu bem, não chores, hoje tem filme de Carlito. O amor bate na porta, o amor bate na aorta, fui abrir e me constipei. Cardíaco e melancólico, o amor ronca na horta, entre pés de laranjeira, entre uvas meio verdes e desejos já maduros. Meu amor, não te atormentes. Certos ácidos adoçam a boca murcha dos velhos e quando os dentes não mordem e quando os braços não prendem, o amor faz uma cócega,  o amor desenha uma curva, propõe uma geometria. Amor é bicho instruído. Olha: o amor pulou o muro, o amor subiu na árvore em tempo de se estrepar. Pronto, o amor se estrepou. Daqui estou vendo o sangue que corre do corpo andrógino. Essa ferida, meu bem, às vezes não sara nunca, às vezes sara amanhã. Daqui estou vendo o amor irritado, desapontado, mas também vejo outras coisas: vejo beijos que se beijam, ouço mãos que se conversam e que viajam sem mapa. Vejo muitas outras coisas que não ouso compreender.
—  Carlos Drummond de Andrade.
Cachorro 🐶❤️

Eles podem destruir meus sapatos, meus móveis, meus jardim. Mas nunca o meu coração. ❤️🐶

Melhor que muita gente. 💞🐶

No filme, todo mundo poder morrer, menos o cachorrinho. 😂😍

Um cão é a única coisa na terra que o ama mais do que ama a si mesmo. 💞
⁃ Josh Billings

O cachorro pode ser ou não de raça, mas vão sempre nos amar, brincar e nunca nos abandonar. ❤️

Não é o tamanho do cachorro na luta, mas o tamanho da luta no cachorro. ❤️
⁃ Archie Griffin

Os cães nunca me mordem. Só os humanos. 🐶💕

Os cães se vão e nunca mais sentiremos o roçar de seu pelo em nossas vidas, mas sempre o sentiremos em nosso coração. 💞

Engana-se quem pensa que o cão é o melhor amigo do homem. O cão é sim o melhor amigo do dono. 🐶💕

É melhor ter um cachorro amigo do que um amigo cachorro. 😏🐶😍

• Se pegar dê like ou reblog.

Reaction: Jantando com seus pais

OBS: Olaa bolinhos!! Bem vindos ao meu tumblr!! Esse é o 1° reaction do tumblr e espero que vocês curtam bastante para que tenha cada vez mais conteúdo aqui! Pedidos? Podem pedir na ask! 

Kissus~~

• Rap Monster •

Você e seus pais estavam a caminho do restaurante em que iam encontrar com Namjoon para o jantar de apresentação. Você estava meio nervosa pq não sabia muito bem o que poderia acontecer, mas sabia que Namjoon ia se esforçar bastante pra não destruir nada naquela noite. Quando vocês chegaram ele já estava lá. Quando ele os viu chegar se levantou tão rápido que quase derrubou tudo que estava em cima da mesa.

- Desculpe… - ele falou baixinho enquanto ajeitava tudo apressadamente. Ele cumprimenta seus pais e você, puxando a cadeira para que você se sentasse e também para sua mãe.

- Que rapaz mais educado! - sua mãe o elogia fazendo o dar um sorriso nervoso.

- Você está bem? - você pergunta quando ele se senta ao seu lá.

- Acho que nunca estive tão nervoso quanto estou agora… - ele sussurra de volta.

Keep reading

Pedido: Tá vc pode fazer um em q ela e o Liam namoram mas ela é muito tímida. tipo muito mesmo - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Liam Payne:

-S/n…
Chamei minha namorada distribuindo beijos por seu pescoço e a mesma se encolheu em resposta.

-Liam… estamos no shopping…
Estávamos na praça de alimentação do shopping, eu havia a convidado para almoçar e ela aceitou.

-E daí? Não posso mais beijar minha namorada?
Perguntei me aproximando novamente e ela se afastou.

-Pode mas…sabe que tenho vergonha.
Falou e eu levantei meu olhar reparando suas bochechas rubras. Era adorável quando ela ficava com vergonha, mas sua timidez estava passando um pouco dos limites.

-Então iremos trabalhar juntos para que não tenha mais vergonha. Tudo bem?
A olhei terno e ela assentiu ainda vermelha.

Nos levantamos e eu entrelacei nossos dedos caminhando com ela pelo shopping, enquanto estávamos andando, reparei que um grupinho de garotas estava se aproximando, e notei serem fãs quando as mesmas nos pararam pedindo fotos.

-Vocês querem que eu tire a foto?
S/n perguntou para as meninas que a olharam confusa.

-Claro que não! Você vai sair na foto também, queremos uma foto com o casal mais fofo do fandom.
Uma delas falou fazendo S/n sorrir mas me olhar em pânico.

Eu assumi nosso namoro publicamente a mais ou menos três meses, e durante esse tempo só tiveram comentários fofos quanto ao nosso relacionamento, eu fiquei tão feliz que elas se deram bem com S/n. Mas S/n ainda não se acostumou muito com todas as garotas pedindo fotos ou falando de como ela é sortuda e o quanto eu pareço feliz ao seu lado.

-Vem amor, é só uma foto. Elas não mordem…talvez eu sim.
Brinquei e elas riram fazendo S/n rir também e se aproximar de mim.

Todas se jutanram e uma delas segurou a câmera tirando uma selfie.

-Vocês deveriam tirar mais fotos juntos! Preciso de uma tela de bloqueio nova.
Uma delas falou me fazendo rir e olhar para S/n.

-Se uma certa mocinha deixasse eu tirar as fotos vocês teriam milhares de telas de bloqueio.
Falei deixando um selinho nos lábios de minha namorada.

-Eu tenho meus motivos! Liam só quer tirar fotos em momentos inapropriados como quando acabamos de acordar e estamos com a cara toda amassada.
S/n se defendeu me surpreendendo por ter falado sem vergonha.

-Ai Liam você também não ajuda né?
A garota falou me fazendo arregalar os olhos.

-Então é assim? Vocês vão se juntar e acabar comigo?
Perguntei fazendo biquinho e recebendo um coral de “own” das meninas a nossa frente.

-Desculpe baby, sabe que eu te amo mas elas estão certas, você não facilita.
S/n falou mordendo meu biquinho.

-Bom…nós temos que ir, parabéns ao casal, vocês são super fofos! E aliás, S/n beije muito essa boca, por nós.
Ela falou me fazendo rir alto pelo comentário.

-Pode deixar.
S/n piscou o olho e as meninas se despediram indo embora.

(…)

-Gostei de você assim.
Falei quando estávamos no estacionamento perto do meu carro.

-Assim como?
Perguntou franzindo as sobrancelhas.

-Sabe…sem ser tímida. Não que eu não goste do seu jeito tímido, mas agora que conheci seu lado sem vergonha perto das pessoas, eu me apaixonei ainda mais.
Falei e entramos no carro.

-Lado sem vergonha? Acha que fui muito íntima com elas?
S/n perguntou ficando preocupada e o rubor de suas bochechas já estavam voltando.

-Não! Eu quis dizer que…gostei do jeito que as tratou, nunca tinha visto você falar com alguém sem ser eu ou sua família desse jeito sabe, tão…extrovertida e sem medo.
Comentei vendo-a sorri.

-Eu só…queria retribuir tudo o que elas fizeram por nós, afinal, elas sabiam do meu problema com essa coisa de você ser famoso e ter fãs apaixonadas por você, e ainda tem o meu problema da timidez que elas sempre respeitam, queria agradecer de alguma forma.
Falou e pude ver um brilho em seus olhos.

-Eu sei, e achei muito bonito da sua parte fazer isso.
Falei apoiando minha mão em sua coxa.

-Ok, agora vamos pra casa porque eu quero seguir um conselho que elas me deram.
Falou me fazendo ligar o carro e a olhar confuso.

-Que conselho?
Perguntei já saindo do estacionamento e indo em direção a nossa casa.

-Beijar muito essa boca!
Falou deixando um selinho rápido em meus lábios.

Não poderia ter escolhido uma namorada melhor. Mesmo com seus defeitos, para mim, ela é perfeita.

***

Espero que tenha gostado.😘

É que de tanto se fazer de fraca a pessoa acaba acreditando que é mesmo. Mas é só uma ilusão. A força está lá. É só puxar para fora que ela vem. É por isso que eu não gosto de gente que se faz de fraca. É tudo mentira, só para você fazer as coisas que elas querem. Quando você não entra na ilusão delas, ficam contra você. Aí, tome cuidado: mesmo com toda a fraqueza, elas mordem para valer.
—  Ninguém é de Ninguém, Zibia Gasparetto

O Amor Bate Na Aorta

Cantiga de amor sem eira
nem beira,
vira o mundo de cabeça
para baixo,
suspende a saia das mulheres,
tira os óculos dos homens,
o amor, seja como for,
é o amor.

Meu bem, não chores,
hoje tem filme de Carlito.

O amor bate na porta
o amor bate na aorta,
fui abrir e me constipei.
Cardíaco e melancólico,
o amor ronca na horta
entre pés de laranjeira
entre uvas meio verdes
e desejos já maduros.

Entre uvas meio verdes,
meu amor, não te atormentes.
Certos ácidos adoçam
a boca murcha dos velhos
e quando os dentes não mordem
e quando os braços não prendem
o amor faz uma cócega
o amor desenha uma curva
propõe uma geometria.

Amor é bicho instruído.

Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que corre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem,
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.

Daqui estou vendo o amor
irritado, desapontado,
mas também vejo outras coisas:
vejo beijos que se beijam
ouço mãos que se conversam
e que viajam sem mapa.
Vejo muitas outras coisas
que não ouso compreender…

—  Carlos Drummond de Andrade
5

Kiss prompts I took on twitter that turned more into “sensually standing close together” prompts.

Top left: @holyfreakingonion‘s Najwa with my Palmier
Next right: @dirt-salad‘s Siaracht with my Malchior
Bottom middle: @krizzakrizza‘s Mordem Spomin with my Mordrem Jochen
Far Right: @misterstevens‘ Tiffwny with my Jacquerabbit
Spacefiller: my little sylvari dude Diqcues

Hoje, sentado na varanda da minha casa me lembrei de uma ex namorada minha. Ou de todas. Pensativo, cultivei em mim todas as saudades que elas ainda me cedem e resolvi sorrir com isso. Como sempre faço quando lembro de como é gostar de alguém.

Hoje talvez exista outro cara dividindo a cama contigo, contando as mesmas piadas que eu te contava e mordendo sua orelha. Na verdade, eu sei que existe, mas só quis criar uma hipótese para parecer mais descolado. De qualquer forma, só espero que ele saiba o quão você gosta de café, e assim, apreciar o charme que é você segurando a xícara com aqueles olhos pequenos. Espero também que ele tenha noção de como você não gosta quando te mordem muito forte. E, claro, que ele saiba como você gosta de fazer sexo em lugares inusitados. Quer dizer, acho que essa parte ele nem precisa saber.

Talvez, se hoje eu te conhecesse de novo, ficaria contigo mesmo se você tivesse acabado de sair da cadeia por homicídio. Não porque eras linda e me chupava com aquele olhar de “te devoro”, mas porque depois de viver um pouco enalteci as qualidades que você tinha. Coisas da vida. Que, como sabes, não me arrependo. Eu tinha que viver, viajar e me despertar à vida. Você sabe que era o melhor pra mim e, esse respeito que você teve pelo meu momento é, com certeza, um dos meus maiores motivos de orgulho de ter sido teu namorado.

Por mais que eu não tenha pintado a bunda de vermelho e declamado nosso amor em rede nacional, saiba que, no auge das minhas poucas palavras você pintou de mão colada comigo um pouco da minha história. Espero que lembres de mim como lembro de ti, dos detalhes, das viagens e, claro, das roupas e sapatos que eu tanto reclamava. Lembra como eu era pentelho? Eu mudei um pouco, mas admito, continuo achando pés algo de seres de outro planeta. E sim, também continuo achando que uma minissaia perde seu charme quando o intuito é convencer alguém, somente com aquilo, que ali existe um mulherão.

E, acredite se quiser, ainda guardo todas as nossas fotos. Não por algum motivo especial, ou por devaneio louco, mas porque acho gostoso lembrar das nossas histórias e pontuá-las como fases necessárias em uma vida de momentos tão felizes. Espero que guardes também. Mas, se não o fizer, pelo menos não as jogue fora, revelei todas com tanto carinho…

Então, hoje no auge do meu pouco afeto, te digo: nunca vou te esquecer. Até porque não tenho problema de memória. Você me ensinou tanta coisa, a ser um homem mais sorridente e feliz por curtir os pequenos prazeres da vida. Queria ter curtido mais você, confesso, ter lhe dado mais atenção e me preocupado menos com o trabalho. Mas talvez, esse texto seja um pouco do que eu tanto quis pra mim. Espero que estejas com orgulho de mim.

Saiba que meu beijo continua doce, meu sorriso espraiado e meu puxão de cabelo com a mesma firmeza de sempre – dizem. E como sei que você gostaria de saber: sim, ainda durmo rente a parede e ocupo metade da cama. Ainda gosto do frio e ligo o ar no mais gelado só para camuflar-me por baixo das cobertas. Ainda falo gesticulando com as mãos e gosto de brincar de lutinha todos os domingos de manhã. E, claro, ainda pareço uma criança quando fico doente.

Eu que sempre fui poeta da minha própria vida, espero sempre guarda-te na estante dos meus melhores feitos. E, que ao final desse texto, você sorria. Sem medo de eu estar te vendo. Só sorria com simples objetivo de saber que os nossos momentos serão sempre nossos. A gente foi um sonho que passou, mas seremos sempre uma lembrança-sorriso dentro dos nossos, um dia juntos, corações.

—  Frederico Elboni.
Os casais mais bonitos são aqueles que acima de namorados, são amigos. Brincam, brigam, tiram sarro um do outro, se mordem, beliscam, mas se amam de um jeito que nenhuma pessoa do mundo consegue duvidar. Amor não é só beijos e amassos. Amor é cuidado, amor é carinho, amor também é amizade.
—  Amanda Venâncio
Pact Meeting

Coughs and low conversation filled the space underneath the tent, spilling out into the sun scorched sands and stone of Camp Resolve. Battle weary Pact soldiers mingled with curious onlookers who had never once been to the Silverwastes, all brought together for the sake of yet another meeting.

“What was that?” One Vigil soldier asked, a Norn who had only recently arrived at the camp. While his armor shone bright in the bright sunlight which spilled into the shade, other soldiers who had seen seasons in the Wastes had armor that was tarnished, gouges and dents from encounters with the vicious Mordrem.

“Those are the cannons at the gates,” a few curious gazes turned to regard the Asura Peacemaker who stood leaning against one of the beams supporting the tent. Where her uniform didn’t cover, sunburnt brown skin was a blaring reminder of the harsh climate. “Give it a few weeks, you’ll get used to them.”

“If you’re still alive,” barked a loud voice from the front of the tent. All attention turned to Warmaster Hanjo, a Canthan male in his mid-forties who looked as weary as every other soldier left behind to defend the Pact camp and the man who had called the meeting. “With the Pact Fleet having departed, our forces here are greatly diminished, and we lose more every day fighting to keep our outposts safe from the Mordrem. Add to that the appearance of the Vinewrath in the west and I believe that without reinforcements we won’t be able to hold our outposts past the Season’s end.”

“Then shouldn’t Kryta send more Seraph?” A brown furred Charr said from a small cluster of Whisper agents gathered near the back of the crowd. Multiple murmurs of agreement echoed from the bodies gathered, only stemmed by the bark of a Seraph Sergeant.

“You suggest we send more troops here and leave our homes, our families, our children to the mercy of the Centaurs?” The tension in the air grew as the Sergeant, a man with leathery skin from too many tours in the field, stared down the Charr who loomed only a few bodies from him. “In case you’ve forgotten, Kryta is at war with the Centaurs and we don’t have the luxury of turning our homes into cannon laden fortresses.”

“Perhaps that’s why you Humans are huddled behind the walls of your beloved Divinity’s Reach while our Warbands march proudly throughout Ascalon!”

“That’s enough, both of you.” Both men looked at the woman who spoke up: a tiny, pale Human leaning against another of the large metal poles holding the tent canopy up. “We aren’t here to fight each other; we’re here to figure out how to keep ourselves alive until the fleet sends the Mordrem back to the Mists or wherever they came from.”

Both of the men involved looked as though they wanted to lash out at her, but their eyes settled on the hulking figure behind the small Human. Even with the close quarters of the tent, it was easy to tell that the pair was attending the meeting together, and neither one of them wanted to mess with the Charr who stood glaring at them with one exposed eye.

“That is my point exactly Magister,” Warmaster Hanjo drew the attention back to him, his sharp eyes having picked up the small insignia on the Human’s leather vest indicating her rank. “During the most recent attacks we sustained thirty-seven casualties, fifty-nine critical injuries, and over two hundred soldiers with minor injuries. That means that nearly three hundred troops are unable to fight for at least three days, reducing our current defenses by almost ten percent.”

“Is it not possible to speak with the leaders of the nations?” Though quiet, the voice was loud enough to draw attention. Based on his armor and weapons, the lime colored Sylvari was a Warden. “Did they not after all, agree to support this war? Surely they understand the threat that the Mordrem still pose?”

“If it were that simple, I wouldn’t have called everyone together. With Marshal Trahearne out of communication with the fleet, it is difficult to garner the attention of the world leaders. Several of our Commanders have approached their respective leaders, only to have their requests left in limbo because the Marshal himself had not filed the request.”

“So what you’re saying,” another of the Seraph near the Sergeant spoke up, his voice shaking and his eyes wide. “Is that we’re just supposed to fight back the Mordrem until the last of us is killed?”

“No,” Hanjo adjusted one of the large pauldrons sitting on his shoulder. “I’m saying that we can only rely on ourselves at this point. I will be putting in a formal request to the heads of the Orders, asking them to send any available personnel to the Wastes, along with any Pact Teams not on priority assignments.”

“I wonder if our problems are considered priority?” Alexandria asked of Ruo quietly, glad that the moment of attention given to her had passed.

“Perhaps,” Ruo grunted, her eye darting around the gathered masses, carefully searching for any potential threats. “However, I will not allow Renshu and any with him to roam freely.”

“I get it,” running her gloved fingers through her silvery hair, Alexandria chuckled. “Worst case scenario, we file an official statement about what happened two years ago finally. The Pact won’t be able to ignore the fact that there are those who would attempt to sabotage airships, and I’m pretty sure that would be a priority.”

“Clever mouse, clever.” A brief chuckle broke her low voice.

“Thanks, I try.” Crossing her arms back over her chest, she resumed leaning against the pole and to the rest of the meeting. The only thing she had to worry about for the day was not falling asleep, and escorting Magister Monar back to Divinity’s Reach.