moradia'

Odeio o morno, não sei ser mansa.
Não tenho vocação pra ser santa.
Sou brasa, sou fogo,
eu pego fogo.
Não me estimula o conveniente,
eu sou uma pessoa apaixonada baby.
Amo ter um ninho, mas odeio me sentir presa.
Sou pássaro, passarinho.
A mesmice me causa tédio, a vida de pernas pro ar me excita.
Minha alegria é escandalosa, assim como meu choro.
Eu sou da intensidade, do avesso, do 220v.
Só fixo moradia no que me desafia,
no que me atreve,
no que me instiga.

Nanda Marques  

Você é a minha estação mais antiga. Eu passei longo tempo esperando para que minha vez chegasse. Foram tantas madrugadas esperando por um sim, por um abraço, por um beijo, por você. Houve horas no qual eu pensei em desistir, em deixar pra lá, em tentar em outro lugar, mas lá estava você, com aquele sorriso, que puta merda, não consegui dar um passo pra longe de você. Admito que somos melhores juntos, que não tem estação que nos separe. Você sabe que só depende do seu sim, que só depende de nós. Então, fica nos meus braços pra nunca mais sair? Faz dele sua moradia. Me tira dessa estação torturante, me deixa ser seu e por consequência seja minha também? Vai, o mundo é grande e somos dois seres tão pequenos com sentimentos tão imensos. Não desiste agora, não seja apenas uma estação, seja conforto, seja presença, seja você, seja eu, pra sermos.. nós.
—  Escriturias em parceria com Compulsou.
Lembro dos seus olhos me devorando com ternura, seu dedo acariciando os meus lábios, o calor do seu corpo me aquecendo naquele dia frio. Lembro de me sentir segura entre os teus braços. Eu era absurdamente feliz ao seu lado. Você era a minha calmaria quando estava perdida nas minhas confusões, e eu definitivamente não tinha palavras para descrever todo aquele sentimento o qual você me fazia sentir. É estranho estar falando sobre isso agora, porque eu me vejo sozinha, no meu quarto, esperando a qualquer momento uma mensagem sua dizendo que vai voltar e ser minha moradia de novo. As noites passaram a ser mais longas e os dias mais curtos. A correria da rotina me faz abster um pouco a sua ausência, mas ao chegar em casa, entrar no quarto e não ver que você está deitado lendo o seu livro favorito, me causa uma dor no peito. Digo, eu lembro até do seu livro favorito, e lembro o quanto você gostava dos meus cafunés quando estava estressado com alguma coisa do trabalho. É… são lembranças que pouco a pouco vão adormecendo e que com o passar do tempo não me machucarão mais.
—  Cuidarias trocou sentimentos com Poeme.
4 meses..

 17 semanas..

 120 dias..

 2.880 horas..

 172.800 minutos..

 Sei que oposto a mim você gosta de números e sabe muito bem usá-los, mas eles parecem ser tão superficiais para mim.. Não acho que nosso relacionamento possa ser descrito por eles, não acho que o tempo signifique algo muito grande para nós porque foi tão de repente que tudo aconteceu.. Eu não esperava por isso, e aposto que você também não, e agora já se fazem quatro meses. Inacreditável, não é? Comecei citando os nossos números, e mesmo não sendo formada em matemática e odiando essa matéria, sei que ainda há uma infinidade de números escondidos nas entrelinhas, nós estamos continuamente criando o nosso pequeno infinito em nossos dias numerados, em meio as nossas rotinas turbulentas e longos afazeres. Eu até poderia continuar a citar nossos números, falando do dia em que você retornou a minha vida, do dia que contou que me amava e fez meu mundo virar de ponta cabeça me mostrando que esse mundo de ponta cabeça era o certo pra mim ou até mesmo o dia que me pediu em namoro, sei que como eu você deve se recordar muito bem desses números, mas você sabe que me entendo melhor com as palavras, então aqui estou eu a procura delas e justo nesse momento elas me fogem. Mais uma vez a menina das palavras se perde em suas próprias linhas.. E mais uma vez você é a razão dessa confusão. Você mexe comigo, de uma maneira que ninguém mais consegue, você dá sentido aos meus dias, você alegra até os mais cinzentos deles e arranca os mais verdadeiros sorrisos, mas você também me trás dores, me faz sentir o arder das lágrimas e me faz ser forte ao passar por cima de dificuldades por nós dois, e talvez isso seja um relacionamento verdadeiro, não aquele perfeito, porque nós somos errantes: o babaca e a complicada. E talvez, não fomos feitos para dar certo, mas sim, para ficar juntos e completar um ao outro.

 “Uma vez me falaram que amar é se jogar de um precipício sem saber se lá em baixo vai ter alguém para segurar a gente, e essa foi a melhor definição do amor que eu já ouvi.” O amor é algo complicado, e ao mesmo tempo é tão frágil. É fácil ficar com várias pessoas, uma a cada noite mas é difícil escolher alguém para ficar ao seu lado para o resto da vida. É fácil pensar apenas em nós mesmo mas é difícil conviver com as outras pessoas e aceitá-las. É fácil amar as qualidades de alguém mas é difícil amar os defeitos. É fácil estar com alguém nos momentos felizes mas é difícil se manter presentes nos momentos tristes. É fácil se apaixonar mas é difícil amar mesmo alguém e ser amado na mesma intensidade.. Mas olhe para nós, mesmo com a facilidade nós escolhemos a dificuldade e mesmo em meio a ela nós estamos aqui, estamos de mãos dadas enfrentando tudo. Sei que temos dias complicados, dias onde seria mais fácil jogar tudo para o alto, mas nós não o fazemos, porque em algum lugar no fundo de nós mesmos, sabemos que uma hora dará tudo certo se estivermos lado a lado.

 Eu sei o quão complicada sou, com os meus enormes defeitos e pequenas qualidades, sei que sou a dona da verdade e que muitas vezes espero muito de você, mas eu te agradeço imensamente por me aceitar assim e principalmente por me amar. Aos poucos você está fazendo com que as qualidades se intensifiquem e com que os defeitos não se passem de meros detalhes. E nesse momento eu posso dizer que eu te amo, com cada fibra do meu corpo, cada milímetro da minha pele anseia pela sua, meus braços querem desesperadamente poder entrelaçar na sua cintura e eu preciso estar fazendo moradia no seu abraço o mais rápido possível, mas temos esses continentes a nos separar.. E como é típico da distância, ela pode impedir pequenos toques, mas nunca impede os sentimentos.. E é por isso que eu estou aqui, eu te amo e quero construir uma família ao seu lado, eu vou te esperar o tempo que for e vou continuar mantendo a fé em nós, não importa quanto tempo irá se passar..

 Feliz 4 meses para nós, e que venham muitos e muitos mais.

 Eu te amo..

Ela tem dois caminhos que se confundem quase sempre. De um lado, sonha em chegar lá – mesmo que não saiba exatamente onde é esse lugar. Acredita que mais importante que o caminho são as pessoas que encontra no meio dele. Para o barco, dá carona, gosta de companhia. Seu jeito é meio à luz de velas quando o sol desaparece no horizonte. Ama como se houvesse amanhã, como se fosse durar uma vida inteira porque ela tem esperança. Pra ela não acaba, não se finda, não vai sumir num piscar de olhos. Pensa que o mundo inteiro se resolve num abraço, muito mais que num beijo. E envolve, se envolve, é sempre num cruzar de braços. Mal dá pra ver que ela é cheia de abismos, que por dentro ainda existe alguma coisa que não a deixa sossegar. Continua nadando. Se alguma coisa a machuca, prepara-se pra mudar de rumo. Já te contei que existem dois caminhos pra ela, e que eles se confundem. Nada pra baixo com toda a força do mundo quando tem que nadar. Mergulha com tudo, ela é intensidade pura. Vai no fundo do oceano e não prende o ar, não precisa disso. Se mistura com as ondas e vem de forma violenta. Te acerta ainda na praia e toda a tranquilidade de antes se transforma num turbilhão. Mas foi você quem provocou isso, foi você que pediu pra ver. Ela escapa como se tivesse guelras. Ela se recusa a largar sua moradia. Seu corpo, sua casa. Quem tenta violar suas regras encontra placas de aviso na surdina, na calada da noite, em toda janela que deixa aberta. Algumas setas, alguns alvos. Ela não quer que você chegue perto, não quer que você entre. Melhor se afastar, melhor deixar pra lá. Ela parece frágil feito líquido, transparente feito água, mas você já conseguiu enxergar as profundezas de qualquer mar? Não, nem vai enxergar as dela. Ela não deixa. Sonha com um mundo que ainda não existe, sonha com alguém que ainda não existe, sonha com tudo. Seria capaz de viver nos sonhos e construir sua vida neles. E constrói, na verdade. Tudo em volta dela é sonho, tudo em volta dela é algo que você não consegue ver. Ela vê. Ela enxerga coisas que ninguém enxerga o tempo todo. Talvez porque essas coisas estejam dentro dela, dentro dos tesouros perdidos num naufrágio submerso, e não nas coisas que você jura que vê na superfície.
—  Daniel Bovolento.

Porque amor, aqui dentro a saudade dói, e eu me recordo do teu tom verde brilhante me olhando no escuro da noite.

Amor, eu sinto seu abraço, e tu não estás aqui, nunca está aqui ao amanhecer, mas mesmo assim eu sinto o beijo que tu deixaste na minha têmpora direita antes de sair da cama.

E querido, tu habitas dentro de mim, me fizeste de moradia, ainda me faz… Você saiu e fechou a porta, mas amor, tu deixou apenas no trinco, não trancou e eu consigo entrar quando quero. 

O problema é não conseguir sair… nunca.

Amor, eu não consigo partir sem você

suportamor - a porta entre-aberta 

Mulher

Ela é poesia de Vinicius misturado com Bocage.
Ela é rock e pop, alternativa e vintage.
Ela é lírio branco, é bailarina.
Ela é de casa, do jardim, da esquina.

Ela é boca cheia de ousadia,
Ela é praia, ela é âncora, é moradia.
Ela é o feminino escondido,
O amor contido,
É o universo escrito.

Ela é Vênus, Saturno
Ela é o que quiser.
Ela é o céu escuro, noturno.
Ela é mulher.

Muito das vezes esperamos tanto de uma pessoa é a pessoa não faz nem 5% do tanto que você esperou, então sempre tem sido assim, mas eu sempre venho pensando eu jamais vou me entregar totalmente, jamais vou mergulhar de cabeça nas pessoas, realmente eu tenho melhorado bastante em relação, mas com auto proteção eu tenho me sentido vazia, eu disfarço tudo muito bem, mas tem horas, tem dias que tudo esgota. Eu tenho me sentido esgotada, querendo sumir, estou me privando muito, estou ficando totalmente sem chão, eu sempre falo que é tão ruim a pessoa faz moradia no coração de alguém, um dia quando você acorda ela juntou todas as coisas e foi embora, simplesmente foi, não avisou, não disse pra onde ia, ali onde ela armou a barraca fica vazio, dói. Sei que depois passa, mas demora, no meio nesse caos vem outras pessoas uns entram é outros saem, vai ser assim sempre.
—  Admiradora-desorrisos.
Você precisa de sorrisos, os choros já não querem mais fazer moradia no seu peito. Então faça disso a sua referência, coloque isso na tua cabeça e acredite que você consegue ser portador da sua própria felicidade.
—  1 dia pra felicidade.
Bateram na porta, pensei ser mais um vendedor ambulante e logo ignorei. O barulho de batida se repetiu por dias e dias, e tornei a ignorar cada toque, até que se cansaram, logo pensei. As batidas retornaram um tempo depois, olhei pela janela e não enxerguei nada, então acendi a luz. Não eram os vendedores ou só mais um desconhecido, como havia pensado. Era alguém bem antigo, que partiu de repente sem que eu pudesse notar, e voltou da mesma forma, de repente. Eram as palavras retornando ao seu lar, e junto com elas, trouxeram um ar de recomeço, de esperança. Não sei por quanto tempo elas pretendem ficar, se estão fazendo somente uma visita ou moradia, então, todos os dias deixo a luz acesa.
—  Camila Cardoso.
Se no final nada der certo, eu vou poder sorrir e dizer que nunca desisti, assim de você. Só quero ter a certeza de que, onde quer que esteja, a alegria se instale a faça moradia nos teus dias. Mas se for pra falar algo bom, eu sempre vou lembrar de você. Seu sorriso faz com que o mundo pare e tire todas as coisas ruins. Ouvir a tua voz me faz esquecer que estamos tão longe um do outro!
Depressão a flor da pele

Sinto um cansaço em minha existência, os dias se passam em slowmotion (câmera lenta), as manhãs calorosas e claras estão cada vez mais frias e cinzas do meu ponto de vista, minha percepção esta cada vez mais deplorável. Sinto uma insignificância cósmica, sinto um pequeno monstro usando meu ser de moradia, sinto ele crescendo em mim, ele é faminto, percorre pelas minhas veias e rasga psicologicamente minhas artérias, sugando meu elixir existencial que ha em meu sangue e alma. Ao acordar sinto ele sobre meu peito, fixando suas garras sobre meu peitoral, garras perfurando cada camada de pele até o pulmão me causando uma asfixia ao pensar no esforço que tenho pra levantar e viver mais um dia. Faz com que eu tenha pesadelos, faz com que todos os dias seja uma batalha para levantar, respirar, caminhar. Ele cresce e se torna mais forte, meus ossos sentem um frio como se ele tivesse trazido um inverno extremo em minha estrutura óssea, sua partida é provável que nunca se realize. Seria mais possível eu partir, ou me tornar cada vez mais esse monstro sendo ambos um só, uma pessoa terrível e que só faz outros terem desgosto de conviver. Como fugir de algo que veste sua pele e a toma como sua ? Como fugir desse parasita psicológico que necessita de seu consciente como um hospedeiro ? Sinto que chegará um dia que me olharei no espelho e só enxergarei marcas de lembranças vívidas que se tornaram apenas dor ao serem tocadas, em meu reflexo verei um garoto que foi desintegrado por isso. Serei dissolvido pela solidão ácida e me afogarei na escuridão que esse ser carrega como seu fiel escudeiro.

Quando perceber
que eu nunca permaneci
e nem pertenci
a lugar nenhum
não se culpe
por ter se feito moradia
e desejado minha estadia.

Quando descobrir
que eu sempre estive
a ponto de partir
não se odeie
sempre que você pedia
eu dava um jeito e vinha
não se esqueça
eu te dei tudo que tinha
e a gente durou o quanto podia.

Lembre-se que houve amor
antes de toda essa dor.

Todo fim é assim.

—  M. Castro