molho barbecue

A fome sem sombra de dúvidas é algo horrível que assola grande parte da população. Atualmente, vivemos em um mundo onde é natural saciar-se através de fast-food, pelo simples fato de sermos um bando de “bicho-preguiça”, segundo minha mãe. Tenho certeza que você já se deliciou de algo que é redondo, com pouca espessura e com um sabor até razoável, não venha pensar besteira, pois não estou falando do “cu”, estou me referindo a outra coisa redonda com pouca espessura, me refiro a algo místico, chamado Hambúrguer, algo típico dos preguiçosos devido a sua rápida preparação, mas, você já parou para pensar que o Hambúrguer que você come misturado a vários molhos pode ser derivado das minhocas? Sim, o incrível é que pode ser sim, estudos apontam que o ketchup devido as inúmeras químicas utilizadas em sua fórmula, é capaz de inibir o mau gosto de carnes exóticas. Não é apenas o ketchup que tem tal poder milagroso, mas também o famoso molho barbecue, que pronunciando fica: barbie kill. Como a própria pronúncia diz, kill, que traduzido do inglês significa matar, que vem logo após a palavra barbie, que faz referencia a boneca da empresa Estrela, tal boneca no passado foi acusada por ser consagrada ao diabo. Enfim, você deve estar se perguntando o que isto tudo tem haver com o Hambúrguer, não é mesmo? Sei que sim, pode até mesmo ter sorrido, ou não. Acontece que o Hambúrguer é uma abreviação de Homens Adultos Moralmente Bicha Utilizaram Razer Gamer Ultra Exótico Rosadinho, ou seja, fudeo, porque tal frase contêm 69 letras. Acredito que você novamente está pensando besteira, não estou me referindo ao 69 onde ambos fazem oral, mas sim no signo câncer. Você deve estar pensando que sou louco, acredito que nem deve estar lendo tudo, mas o signo câncer faz relação de que o Hambúrguer é super prejudicial a saúde, e que tal alimento, causa câncer devido a enorme química utilizada em sua fabricação.
—  Delírios do Pedricovick - Mensagem subliminar do Hambúrguer.
E se o tempo for te levar... Eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar

Você vai estar a 1.442,09 quilômetros de distância de mim. Quase nem sei pronunciar esse número e quase nem entendo a profundidade que ele tem. Você me ajudou de todas as maneiras que pôde, me ensinou coisas novas e me acompanhou até nos piores momentos. Como retribuir à altura? Acredite, ninguém nunca se importou tanto em cuidar de mim e das minhas dores. Você adulou minha mente, abriu meus sorrisos, mudou minha vida e tudo isso sem usar falsas verdades. Vivemos tantas cenas diferentes que perco as palavras no meio do caso. Lembra dos dias ensolarados no parque? Era nosso costume levar aquela cesta de piquenique com um lençol e um monte de sanduíche, mas eu sempre colocava a bendita da cebola no patê e você detestava com toda sua alma. Ah e nossas noites de pizza? Foram as melhores de todos os tempos. A gente pedia de margherita ou quatro queijos e esquecia que o mundo era, na verdade, uma emocionante perda de tempo. Será? Falando em comida, a primeira vez que provei o molho barbecue foi contigo, naquele dia sujei a pontinha do meu nariz de cheddar e você só sabia rir de mim. Na verdade, me lembro que você costumava dizer que iria ficar com marcas no rosto de tanto que eu te fazia sorrir. Cara, você participou dos meus sonhos. Na primeira noite que entrei no teatro, você estava presente me encorajando. Quando anotei meus primeiros escritos, você fez eu me sentir inteligente com todos aqueles seus comentários motivadores. Agora você vai embora e me deixar. Quem vai me dar apoio moral? Quem vai me dar abraços de dez minutos? Quem vai respeitar o meu silêncio? Quem vai me levar pra fazer uma tatuagem de unicórnio enquanto eu estiver bêbada? Sei que tem que seguir em frente e acredite, apoio todas as suas escolhas, desde que te façam bem. Mesmo assim, estou sentindo uma pontinha de dor na barriga e um medo irracional do futuro… Rafael, espero que tenha aprendido alguma coisa comigo e que guarde minha imagem na sua cabeça, porque eu, amante de cebola no patê, guardarei amor por você até o dia de nosso arrebatamento.