moldey

Moldei o meu jeito pra caber no teu, e depois de tanto tempo notei que esse foi o meu maior erro. Acreditei que você seria paciente como fui, que se moldaria e entenderia o meu jeito feito o seu, errei.
—  Everton.

e você nunca entendia nada
você nem se entendia
você acha que eu te machuquei
quando foi você quem se machucou
[e me machucou]
eu estava ali por você
como ninguém nunca esteve
e você só sabia fugir
ver tudo por um ângulo
e nunca era pelo ponto de vista que me favorecia
e eu sou a egoísta?!
eu escolhi você, em vez de escolher eu mesmo
eu vivi por você
eu te dei cada pedacinho, cada lágrima desde que tudo ficou claro, cada acerto, cada bom momento (mesmo que parecesse errado, que se dane os padrões, eu refiz os padrões por você, eu me moldei, eu moldei o mundo por nós, eu fiz um mundinho só teu, porque tudo era teu)
e pra você valeu? tudo que te resta é confusão
você não entendia nada
você nem se entendia
e cobrava de mim tudo que eu já dava
quando no fundo, era você que se entregava pela metade
sinto muito, meio copo pra mim sempre foi vazio
[sinto muito, por você] 

eu vou embora essa noite
limpei dos móveis os vestígios de nós
devolvi cada coisa no seu devido lugar
fiz a minha mala e estou apagando as luzes pra sempre
não deixo carta e nem me despeço
foi-se a época das explicações, do jogo limpo, olho no olho
da calma e da consideração um para com o outro
estamos no tempo das partidas premeditadas
do conformismo que desgasta nossos ossos
das crateras que a gente vai tapando na esperança das coisas não se findarem
eu vou embora porque nos acostumamos demais com o silêncio das palavras não ditas
porque eu engoli toda as minhas dores a seco por você
eu me importei com o seu coração em pedaços
eu anulei a minha fé na humanidade, pra amar você
eu invalidei os meus próprios limites
e tentei abraçar o mundo com os meus braços curtos
porque eu abri mão dos meus vôos
e me moldei pra que você coubesse
pra que se sentisse em casa, em paz
e em troca você se preocupou com as suas obrigações
você cuidou de cada detalhe da sua vida
mas eu não estava em nada
eu fui ficando por debaixo da poeira dos cômodos
escorri pelo ralo da cozinha quando você não lavou a louça do jantar
e foi embora sem se despedir porque dormiu e se esqueceu de olhar pra mim
eu ainda estava la, desfalcada, com algumas partes faltando
mas eu tava la e você não me olhou
eu me perdi em cada gesto de carinho que você guardou por achar que eu não precisava
por pensar que a minha independência sentimental era o suficiente pra mim
quando eu deixava toda e qualquer coisa pra depois, só pra te esperar chegar
e eu preenchi todos os vazios que você deixou
com doses de solidão que foram logo ocupando o seu lugar
um dia eu te disse que fui feita pra fugir
mas você passou mais tempo tentando entender a metáfora
do que me dando motivos pra ficar
e o amor não é uma teoria
o amor não é um cálculo matemático
o amor é a minha vontade de pousar, mesmo tendo asas
é quando você acolhe um passarinho de palma aberta
e ele fica porque o amor é liberdade
eu quis muito ficar, mas você me segurou de palma fechada
[espero que tenha entendido a metáfora dessa vez]

Sou aquele vinho quente esquecido no interior do carro. Sou aquela criança que foi forçada a crescer. Me moldei de todas as formas só para me encaixar nas pessoas erradas. E o que restou de mim? Nada! Hoje sou peças quebradas daquele brinquedo que a pessoa que eu tanto amava brincava. E olho para o espelho e grito para mim mesmo: Acorda, José! Seja você mesmo! Largue essa arma e enterre apenas esses seus pensamentos de alívio forçado. Acredite, depois destes gritos eu percebi que ainda estava vivo. Precisei me deslocar para me achar.
—  Não aperte o gatilho, José.

entre um verso e outro
me aconchego no teu corpo
que se ‘ajunta’ ao cheiro da tua pele.
moldei cada linha ao passo que meus dedos percorriam o teu corpo, tudo se perdeu quando cheirei o teu cangote e o versinho foi-se esquecido porque o teu perfume morena me tira o raciocínio.

youtube

porque eu te fiz morada, te fiz minha casa, me moldei pra tu caber…

Eu só fico feliz quando todos ao meu redor me aceitam sem pensar o contrário; quando conseguem me entender e não fazer nenhuma chacota; quando não riem de mim e quando riem, é pra fazer uma piada qualquer. Nunca fui de me esconder, mas algumas pessoas esperam tanto de mim que me fazem ser um ator de mim mesmo; o que é péssimo, pois tentando agradar acabamos desagradando a nós mesmos, fazendo tudo ser triste e desmotivante. Mas não interessa muito as outras pessoas quando o assunto é você, eu só tive de aprender a impor quem sou primeiro que o que os outros criam de mim, fazendo com que antes de me moldarem, saiba que ja me moldei e ainda estou tentando se moldar. Eu só fico feliz quando sou eu, todo o resto não me traz isso.
—  Willians Souza
[]

Eu só tento me lembrar, quando eu me desconectei da realidade e moldei essa imagem de você. É surreal como as coisas acontecem as vezes e minha percepção desatina apenas por tentar ver beleza em certas coisas, em certas certezas imbecis, em certas análogias e
idiossincrasias… Existem coisas que são pesadas, que são inexplicáveis de tão exaustivas.

Estou te escrevendo pra contar como eu me senti na quinta-feira. Eu pensei em tudo, pensei em gritar você quando atravessei a rua, pensei em te ligar naquele mesmo instante, pensei em te mandar uma mensagem longa e te falar as piores coisas possíveis. Mas isso seria injusto. Comigo. Naquela quinta-feira, eu acordei. Eu abri os meus olhos e me perguntei “o que é que eu estou fazendo comigo?”. Ninguém – ninguém mesmo – merece passar por esse tipo de coisa. Quero dizer, essas situações em que você nem se reconhece mais, em que você mudou tanto para agradar o outro, mas, quando olha para o lado, cadê o outro? Não está ali. Nunca esteve. Estou te escrevendo, dessa vez, para admitir de vez o nosso fim. Porque simplesmente não dá mais. Por muito tempo eu fui forte, eu aceitei todos os teus defeitos, as tuas mancadas. Aceitei os teus momentos dispersos, tuas confusões, quando você simplesmente não sabia o que queria da vida. Eu esperei por você, eu te dei o tempo que você queria, eu me moldei para me encaixar em você… E aí que isso não adiantou de nada, nadinha. Agora eu vejo isso, nada do que eu fiz foi suficiente, porque eu não era suficiente para você. Nunca fui. Você não via em mim o que dizia ver. Eu sei disso agora e, de verdade, está tudo bem. Naquela quinta-feira eu vi que, uma hora, as coisas têm de terminar. Porque senão se torna algo autodestrutivo, e era isso que você era para mim: uma força que me arrastava para baixo. Mesmo quando eu tentava, ainda, lá no fundo de todo o meu sentimento, encontrar alguma coisa boa em você, algo que me remetesse àquilo que éramos no início, não havia. Mas eu insisti, porque desistir não é fácil, ainda mais desistir de alguém que sempre me fez bem, de alguém que me arrancava tantos sorrisos. O que eu estou fazendo agora é simplesmente a palavra que mais me causa arrepios: arriscar. Estou me arriscando, te apagando da minha vida, dizendo para mim mesma que aqui não tem mais espaço para você. Porque, de verdade, não tem! Intensa como sou, repleta de sentimentos, confusões, pensamentos, uma pessoa rasa como você não se encaixa por aqui. Eu gosto de profundidade! Gosto de quem fala a verdade, de quem escuta o coração, de quem pega na minha mão e diz: “vamos?” e vamos, vamos mesmo, para longe, para sabe-se lá onde! E você não era assim… Eu demorei para perceber, mas agora, eu sei. Eu sinto que a gente não se encaixa mais. E de todas as vezes que você me decepcionou, essa vez foi a maior de todas.
—  Enamorava

unblend  asked:

porque eu te fiz morada, te fiz minha casa, me moldei pra tu caber ❤️

tu é trevo de quatro folhas, é manhã de domingo atoa, conversa rara e boa, pedacinho de sonho que faz meu querer acordar, pra vida ❤

Sera que é erro meu?
  • A tempo que você e Luan estavam se estranhando, ele sempre carinhoso tentando fazer a relação relaxar, ficar de boa com você mas você era turrona não queria fingir que estava tudo prestes a acabar, você achava que não amava mais Luan, que tudo tinha acabado, mas terminar 5 anos de casamento não é tão fácil assim.
  • Luan: Hoje tem jantar na casa dos meus pais.
  • Você: Em comemoração de que?
  • Você estava no sofá foleando uma revista.
  • Luan: Boudas de prata deles.
  • Você: Atá...
  • Luan: Seus pais vão estar la, convidaram muita gente.
  • Você: Ah sim, vou tomar banho e me arrumar.
  • Você se levanta e sobe pro quarto, e Luan fica sentado na sala pensando. Assim que você entra no quarto se encosta na parede e inspira fundo. Logo você vai pro banho, depois de algum tempo assim que você sai do banheiro Luan entra. Você se arruma e logo depois Luan.
  • Luan: Ta pronta?
  • Ele vestia uma calça branca, uma blusa rosa escura e um blazer preto e calçava um coturno preto. E você um vestido prata com um decote em coração de tuli, calçava um scarpan preto sem detalhes.
  • Você: sim..
  • Luan: Você cortou o cabelo?
  • Você: cortei, porque?
  • Luan: Ficou linda!
  • Você: Obrigada ~seca~ vamos!
  • Vocês então vão para a casa dos pais de Luan, chegando na mesma vocês se separam, você vai conversar com as mulheres e Luan com os homens.
  • Bruna: Uau.... que linda!
  • Você: Obrigada ~sorri~
  • Camila: Ta tudo bem seu apelido?
  • Você: ta sim... só estou um pouco cansada.
  • Camila: Ah ta...
  • - do outro lado -
  • Max: E ai Luan!!!!!
  • Luan: Falaaaa.. ~sorri e aperta a mão dele~
  • Max: Ta tudo bem? cadê a seu nome?
  • Luan: To indo... ta la com as muié.
  • Max: ~risos~ sempre quando tem festa, elas se juntam!
  • Luan: Pois é... por as fofoca em dia! ~risos~
  • Max: Tem certeza que ta bem?
  • Luan: Tenho boizera ~sorri~ só to cansado.
  • Max: A noite foi boa ~risos~ brincadeira.
  • Luan: Antes fosse ~risos~ mas né não.. é vou ali cumprimentar meus pais....
  • Enfim chega a hora do jantar, você se senta do lado do Luan.
  • Luan: depois daqui quer ir pra algum lugar?
  • Você: Não...
  • Luan: tem certeza?
  • Você: Tenho Luan, eu quero ir pra casa, tudo bem?
  • Luan: Ta seu nome, ta, vamos pra casa!
  • Na hora do jantar todos fazem os brindes comemoram e se divertem, você nem olhava direito para Luan.
  • No finalzinho da noite Bruna chama Luan no quarto dela.
  • Luan: Oi..
  • Bruna: pode contando!
  • Luan: contando oque piroca?
  • Bruna: oque ta acontecendo com você e com a seu nome, que clima mais chato de vocês dois na hora do jantar!
  • Luan: é...
  • Bruna: Fala logo!
  • Luan: Não ta dando mais certo piroca, ela não me ama mais
  • Nisso o Luan começa a chorar..
  • Luan: Eu não sei mais oque fazer, eu sempre faço de tudo pra ficarmos de boa, mas ela sempre ta na defensiva, nunca abre espaço pra gente... não demonstra mais carinho, ~chora~ acho que é o fim.
  • Bruna o abraça e ele chora.
  • Bruna: calma pi, conversa com ela hoje quando chegarem em casa, eu tenho certeza que ... ela te ama, alias tenho certeza absoluta, confia em mim tudo vai se resolver.
  • Luan: de hoje não vai passar... ~beija o rosto dela~vem vamos descer.
  • Luan limpa o rosto e eles descem.
  • Você estava procurando por Luan, pois ele havia sumido, e por coincidência uma amiga da Bruna que dava em cima de Luan também, você ja estava se mordendo de ciumes. Assim que Luan chega na sala você vai até ele.
  • Você: Onde você tava?
  • Luan: tava la em cima!
  • Você: com quem Luan Rafael?
  • Quando Luan ia dizer você vê a garota descendo as escadas com um primo do Luan, abraçadinha, Luan olha pra trás e você a garota te olha de volta e sorri.
  • Luan: Com a Bruna.... porque ciumes? ~sorri~
  • Você: Vê lá e se eu vou ta com ciumes... só te chamei porque quero ir embora.
  • Luan: Sei ~sorri~ ta bom vamos.
  • Vocês se despedem e vão embora, no caminho ambos não dão se quer uma palavra. Chegando em casa você vai entrando nem espera Luan e sobe pro quarto. Luan decidido a esclarecer tudo sobe atrás de você.
  • Luan: Eu já larguei de lado todo o meu orgulho, passei por cima de tudo pra te agradar.
  • Você: Do que cê ta falando?
  • Luan: Seu nome, eu me moldei pensando no nosso futuro, mas no presente você não quer me aceitar.
  • Você: Para de ser tosco Luan!
  • Luan: Ta vendo? porque sera, que você só encher os meus defeitos? porque sera que eu ainda não tenho seu respeito?
  • Você: Ja parou?
  • Luan: ESCUTA! ~solta um grito que você se assusta~ SERA QUE É ERRO MEU DIZER QUE EU TE AMO O ANO INTEIRO? TE ELOGIAR QUANDO CORTA O CABELO? FAZER DE TUDO POR VOCÊ E EU SERA QUE ESSE É O ERRO MEU? SERA QUE É ERRO MEU DIZER QUE QUANDO ACORDA ESTA TÃO LINDA, RECONHECER QUE VOCÊ SEU NOME É A MULHER DA MINHA VIDA, ACREDITAR QUE O NOSSO AMOR NÃO FOI EM VÃO E NÃO MORREU? ~suspira~ sera que esse é o erro meu?
  • Você estava chorando e olhando para Luan, ele pega um travesseiro e vai sando.
  • Você: Onde você vai?
  • Luan: Pro quarto de hospedes...
  • Você: Não... fica!
  • Luan: Boa noite.
  • Luan sai e deixa você chorando, a noite inteira você não pegou no sono e não conseguia parar de chorar, Luan no quarto do lado ouvia cada suspiro seu e se segurava para não chorar. Deu oito horas da manha você se levantou tomou um banho, e desceu para fazer o café da manha, você preparou tudo de mais gostoso, enfeitou a mesa e esperou Luan a descer, quando deu nove e meia ele desceu, chegando na cozinha ele te olhou perplexo.
  • Luan: Boa dia.
  • Você: Bom dia ~sorri~ é... fiz pra você. ~o olhou~
  • Luan: Ah.. valeu. Mas eu to sem fome.
  • Se vira e vai saindo. Você corre e puxa o braço dele.
  • Você: Espera.. Luan, não faz isso. A gente precisa conversar.
  • Luan: Precisamos? eu já falei tudo que tinha pra falar ontem seu nome...
  • Ele se vira novamente.
  • Você: TÁ, EU SEI QUE ERREI, E TO TENTANDO REPARAR O QUE EU FIZ, EU ... EU ESTAVA COM PARANOIAS ACHAVA QUE EU NÃO ERA PRA VOCÊ QUE VOCÊ NÃO ERA PRA MIM, QUE O CASAMENTO ESTAVA ESFRIANDO, MAS EU ERREI, COM OQUE VOCÊ ME DISSE EU PERCEBI O MARIDO MARAVILHOSO QUE EU TENHO, E QUE MILHARES DE MULHERES QUERIAM ESTAR NO MEU LUGAR, EU TE AMO LUAN, EU ADMITO QUE EU ERREI E QUERO PODER RECOMEÇAR COM VOCÊ, TE FAZER FELIZ DE NOVO. ~você estava chorando~
  • Luan ainda estava de costas ele sorria, logo ele se virou e te fitou./
  • Você: Você não vai falar nada?
  • Luan: pra que? você já disse tudo.
  • Você: Mas...
  • Luan: Seu não te amasse eu já teria te deixado seu nome, eu não me permitia desistir de nós dois, eu amo você demais pra isso.
  • Você: Então você me perdoa?
  • Luan: Perdoo ~sorri~
  • Você corre até e o beija intensamente.
  • Você: vem vamos tomar café.
  • Luan: Não.
  • Você: Am?
  • Luan: Vamos fazer outra coisa primeiro ~sorri~
  • Ele te pega no colo e vocês vão para o quarto e fazem amor por horas e horas, depois descem e vão tomar café.
  • (FIM)
Eu desenho minha história dia-a-dia sem medo das muralhas ou dos desafios do destino. Me moldei no aço e solidifiquei minha essência. Ninguém vai me derrubar.
—  Vinícius Viana

Eu já larguei de lado todo meu orgulho, passei por cima de tudo pra te agradar. Eu me moldei pensando no nosso futuro, mas no presente você não quer me aceitar. Por que será que você só enxerga os meus defeitos? Por que será que eu ainda não tenho o seu respeito? Será que é erro meu dizer que eu te amo o ano inteiro? Te elogiar quando corta o cabelo? Fazer de tudo por você e eu, será que esse é o erro meu? Será que é erro meu dizer que quando acorda está tão linda, reconhecer que é a mulher da minha vida, acreditar que o nosso amor não foi em vão e não morreu, será que esse é o erro meu?