minhas bostas

Os dias vêm sendo os mais bostas da minha vida. O ano mal começou e eu já perdi a peça fundamental pro meu quebra-cabeça da vida. Numa ida ao shopping, a volta é resumida em pensamentos positivos para que o ônibus bata em um carro e faça com que aconteça um acidente. Não precisa todos se machucarem ou morrerem. Só eu. Se houver algum morto, algum acidentado, espero que seja eu. Numa ida à padaria, a vontade de me jogar na frente de um farol onde já aconteceram muitos atropelamentos aumenta a cada minuto. Todos percebem a minha fixação pelo carro que vem em alta velocidade e a minha aceleração em direção à frente do carro. Mas ele para. Ele não quer me machucar. Você querendo ou não, me machucou e machuca, por estar longe e continuar com esta ideia. Sair a noite, ficar parada numa rua onde nunca fui, ver dois caras mal encarados e ficar encarando-os, na esperança de um tirar uma arma e me matar. Eu não posso ficar sem o meu bem mais precioso. Mas estou. A vida não tem mais sentido.
—  Sophia.

Você não tem ideia do quão bom é terminar a faculdade. Quero dizer, é bom se você não for uma idiota como eu que arranjou briga com a classe inteira no último dia de aula. Parece que alguém não vai aparecer na colação de grau… Não que isso importe muito, realmente não estava afim de que toda a minha família se arrastasse para Londres só por causa de um tubo.