meustxs

Você ainda lembra, não é? Sim, lembra. Você ainda sente seu coração disparar ao ver a pessoa que “você não ama mais”, não é? Eu sei que sim. Você ainda sorri quando pensa “sem querer”, “por acaso” nela, não é? Sim, claro que sim. Eu sei que você não esqueceu. Eu sei que você tenta, mas é impossivel, não é mesmo? A verdade é que quando a gente gosta de verdade de uma pessoa, nunca esquece, simplesmente adormece o sentimento. E, ele tem a mania de voltar, forte, devastador, derrubando tudo: o tempo que você passou tentando esquecer “essa droga de amor”, os sorrisos que - por muitos custo - você soltou tentando estar bem, o controle que você adquiriu - depois de muitos rios chorados - sobre suas lágrimas. Vem como um furacão e você não sabe o que fazer… Ou melhor: Você não tem o que fazer, a não ser sentir

(girlofthesmile)

Legal, acabo de assumir pra mim mesmo que gosto de você. Satisfeito? Ta feliz? Ótimo, porque eu não estou

Sério, parabéns por ser tão idiota, sabendo que é de idiotas que eu gosto.

Parabéns por ser tão “na sua”, sabendo que eu gosto de mistério.

Parabéns por ser tão bom em fazer papel de “durão”, sabendo que eu gosto de caras maus.

Parabéns por ser tão obcecado por toques físicos, sabendo que eu não resisto ao calor de seu corpo

Parabéns por falar de outras garotas, sabendo que eu adoro ter ataques sutís de ciúme.

Parabéns por ser tão engraçado, sabendo que eu adoro soltar gargalhadas escandalosas.

Parabéns por ter um sorriso tão fofo, sabendo que eu adoro apertar bochechas.

Parabéns por fazer piadas sujas, sabendo que eu sou super maliciosa.

Parabéns por não cortar o cabelo, sabendo que eu adoro bagunçá-lo e puxá-lo.

Parabéns por ser tão pavio curto, sabendo que eu adoro te irritar.

Parabéns por ser tão fechado, sabendo que eu adoro desafios.

Parabéns por ser tão inalcançável, sabendo que o impossível me atrai.

Parabéns mesmo. Parabéns por ser você, sabendo que meu coração te escolheu…  

(girlofhesmile)

Hoje eu me peguei pensando em ti. Sorri.

Escrevi seu nome em meu pulso de bobeira, sem eira nem beira, só pra ver como ficava. Foi nessa brincadeira, que descobri que era de ti que eu gostava.

Fiquei surpresa, atormentada, quando depois de pensar em tudo, em nada, descobri – de um jeito esquisito – que aquilo era amor, que eu te amava.

E agora eu não sei o que fazer, estou aqui pensando em você, fitando o relógio, contando as horas pra te vê, pensando em que talvez eu deva tomar coragem e te dizer que eu descobri que te amava, que amo você.

E perguntas martelam em minha cabeça:  Será que um dia eu serei alguém que te mereça? Será que eu vou conseguir fazer com que nosso amor amadureça, que o sorriso em seus lábios pra sempre permaneça e um dia que de todos que te fizeram mal você esqueça?

E esse frio na barriga, essa ansiedade, essa taquicardia? Logo quando eu achava que logo me livraria dessa coisa chata de amor, dessa porcaria, que apesar de tudo me faz flutuar em harmonia lembrando seu sorriso, seus olhos e sua simpatia.

É, meu menino…  Já era. Sou tua. Não há nada que você possa fazer, porque mesmo sem querer , sem perceber acabei me entregando inevitavelmente à você. O que te resta é me aceitar, sem desdenhar, sem reclamar, ao menos que você queira me magoar, o que eu acho difícil já que entre tantas coisas sua gentileza foi quem me fez apaixonar.

E agora só me resta esperar, pra saber se você vai me corresponder, me amar, deixar meu amor crescer, prosperar.

Pra um dia, eu poder te morder, te beijar, te abraçar, sem ter que disfarçar falando de amizade ou - por descuido - me embolar.

Pra eu poder ver seu sorriso: meu acalento, seus olhos: meu abrigo, pra eu poder te chamar de meu amor e não só meu amigo.Pra eu ficar em sua memória, pra nós termos uma linda história. Pra eu poder viver com você, meu amado. Pra sempre. Pra sempre ao seu lado

(girlofthesmile)

E às vezes eu me pego precisando daquele beijo. Daquele teu beijo. Daquele beijo que eu nunca provei. Isso é normal? Ou eu estou enlouquecendo? Me faço essa pergunta todos os dias. Preciso tanto desse beijo, que chega a doer, chega a tirar-me o ar. Por que me torturas assim? Eu sei que você também sente o mesmo, sei que também o precisa. Então porque nos torturar assim? Acabemos com isso, por favor. Chega dessa agonia. Vem pra onde eu sei que você quer ficar. Vem pra perto de mim. Vem acabar com esse desespero. Vem matar a maldita distância. Vem me amar. Mas por favor, venha pra ficar. Não aguentaria ficar novamente longe de você… E do seu beijo.

(girlofthesmile)

Eu não amo mais. Eu não amo mais. Eu não amo mais.” Vivo me repetindo. EU NÃO AMO MAIS. Ponto. Ponto nada ! Essa frase se desfaz… se refaz. Tiro-lhe um “i”, um ponto e lhe dou uma vírgula e reticências:  “Eu não amo, mas…

É engraçado e enlouquecedor. Tantas continuaçãos para esse “Mas…” que perde até o sentido a frase do primeiro periodo.

Eu não amo, mas é com ele que sonho todas as noites.

Eu não amo, mas sinto falta de tê-lo pertinho.

Eu não amo, mas ligo pra ele quase todas as noites (Eu sei: patético)

Eu não amo, mas o procuro em outras pessoas.

Eu não amo, mas meus pés me levam involuntariamente ao caminho de sua casa.

Eu não amo, mas doi ter que deixa-lo ser feliz sem mim.

Então depois disso você pensa : “Então por que não tira o “não”, a vírgula, o “mas”, as “reticencias” e lhe devolve o ponto final?

Não posso, desculpe. Porque entre essas frases tem a que mais doi, dessa usada eu apenas tiro o “não” :  “Eu amo, mas…

Eu amo, mas não acho que essa frase convém à ele também.

Eu amo, mas não sei se ainda o faço feliz.

Eu amo, mas parei de discar seu número a noite.

Eu amo, mas parei de chorar.

Eu amo, mas não aguento mais sofrer.

Eu amo, mas não sei mais se quero que ele saiba

Complicado né? Complicado e doloroso como uma frase vira três. Três dolorosas frases que são dificeis de serem ditas. Três dolorosas frases que eu tenho dito.

Pontos idiotas, vírgulas idiotas, reticências idiotas! GRAMÁTICA IDIOTA!

Pois é : “Não adianta, “agente” junto tá errado. A gramática e a vida só gosta de ver a gente separado.“

(girlofthesmile)

Já faz um tempo que eu não escrevo sobre saudade. Arrisco-me a dizer que esse vai ser o texto mais intenso sobre esse assunto, porque a dor que sinto agora é maior que todas as outras.

Não te vejo há apenas alguns dias, vai ver nem uma semana faz, mas sinto a dor de anos, de décadas. Talvez eu esteja exagerando. Exagerar é uma coisa que eu costumo fazer muito bem, isso você já deve saber. Eu exagero demais no que faço e sinto.

Era apenas pra eu te amar um pouquinho, sabe? Te amar aos pouquinhos, até ter certeza que a gente era pra ser. Mas como uma boa exagerada que sou, passei do limite, me deixei te amar com todas as forças que tenho. Como você também não me ajudou, não fez nada pra impedir, hoje te amo até mais que a mim mesma. Não sei se isso é certo, só sei que é isso que eu sinto. Só sei que você se tornou um dos motivos pelo qual não desisti. Por você eu me mantenho bem, me mantenho inteira.

Por você eu me cuido, eu fico bem, não faço bobagens (Você sabe bem doque estou falando). Você ta me ajudando a viver bem. O problema é que sem você eu perco o foco, sem você eu me perco. Como agora. Estou perdida, desnorteada, com saudades. Não é aquela saudadezinha gostosa, aquela que espera um encontro próximo. É daquelas doídas, agonizantes, insuportáveis. A essa altura você deve me achar uma chata que vive pegando no seu pé. Sei que você – assim como eu – preza a liberdade e não gosta de gente grudenta demais. Peço desculpa novamente por ser assim. Por mais que a culpa não seja minha, por mais que na verdade seja o seu jeito de ser que me faça ficar assim, deixo aqui meus sinceros pedidos de desculpas:

Meu amor, me desculpa por te amar demais.

Me desculpa por ser só sua e querer somente a ti.

Me desculpa por não resistir aos seus olhos tão bonitos e intensos que parecem ver além de mim.

Me desculpa por todas as mensagens e ligações fora de hora.

Me desculpa por tomar seu tempo o tempo inteiro.

Me desculpa por esses textos fúteis que eu insisto em escrever.

Me desculpa por ser assim tão carente e dramática.

Me desculpa por te lembrar a cada 5 minutos o quanto eu te amo.

Me desculpa por toda essa saudade que sinto.

Me desculpa por ser tão errada, me desculpa por ser tão eu.

E por favor, por favor mesmo: Apesar de todos esses defeitos, não desiste de mim não, ta?

(girlofthesmile)

E novamente eu estou aqui, deitada sozinha pensando em você, pesando em como seria estar ai contigo, pensando em como seria nossas tardes juntos, falando besteira, comendo porcarias, assistindo filmes… Mas não é assim, cada um está em seu canto, você talvez tenha desistido, eu não, mas esse medo de nada der certo me persegue. Eu sei que sou idiota por pensar assim, que se não der certo, pelo menos eu tentei, mas o medo de me machucar novamente é inevitável, sim, eu quero muito acreditar que dará certo, não perca as esperanças, por favor. Gabriela 

Eu sabia que o pra sempre um dia iria acabar, eu só não pensava que seria tão rápido.

O que aconteceu? Cadê todo aquele amor?  E aquelas coisas que você me dizia? “Nunca vou te esquecer.”, “Eu quero só você.”, “Eu te amo mais.”. A idiota aqui acreditou, viu? Isso não se faz, isso machuca. Qual o seu problema? Qual foi a finalidade disso? É engraçado? Te faz rir me enganar desse jeito? (…) E o pior é que não consigo ter raiva de ti. Meu coração ainda bate forte toda vez que lembro das nossas conversas, das nossas carícias, de nós.

Eu te quero aqui, te quero abraçar, te quero beijar, quero dizer que te amo. Seu sorriso me faz falta. Mas, pelos boatos, você já deve estar usando-o com outra garota. Sortuda ela.  Sortuda por te ter nas mãos, por ter teu coração, assim como um dia eu achava que tinha, como você me enganou dizendo que eu o tinha.

Eu sinto falta disso. De você rindo do meu ciúme exagerado dizendo que tu era apenas meu. “Vai lá com ela…” “Não quero ela, quero você. Só você.

É, eu acreditava. E ficava toda boba por ter você somente pra mim. Ou achar que tinha. Sinto falta de você me enganando. Sinto sua falta.

Vem me enganar Por favor.

(girlofthesmile)