meus * *

olhar pro céu noturno
e sentir
a necessidade de ser sugado
para o infinito
despejado na imensidão
quebrando as amarras
da criatura limitada que sou
a carne sufoca
o corpo é uma prisão
onde pagamos a pena
pelo crime de existir
me liberta
disso tudo
das amarras
das angústias
das lealdades a causas vazias
desse jeito de amar
do novo milênio
transforma a minha alma em pó
e me espalha
ou me transforma em estrela
ou num cometa
que vem e passa
ou em corpo celeste
que brilhe fraco
quase nunca sendo visto
quase sempre esquecido
mas que ainda assim
esteja lá

wish you were here

não tenho muito a oferecer
e talvez eu nem seja
uma companhia muito boa
mas pink floyd tá tocando
e o vento tá balançando as folhas
e as nuvens decidiram
não cobrir as estrelas
e elas contam histórias
que eu queria que você ouvisse
eu queria que você estivesse aqui
tem um maço de cigarro no banquinho aqui do lado
e cerveja na geladeira
talvez eu pudesse
sentir o teu toque
o teu gosto
o teu beijo de nicotina e cevada
eu transcenderia
a barreira do físico
mas eu te faria bem
assim?
(same old fears
wish you were here)

foi aí que entendi que não era verdade aquilo que me diziam sobre a saudade, porque parecia que quanto mais o tempo passava, mais eu sentia falta dele, foi aí que eu entendi que não fazia sentido aquela história de superar, aquela velha história de seguir em frente. adiantaria eu bater de frente com o meu próprio coração? foi aí que eu entendi que ele estaria sempre ali nos livros, nas canções, no café fresquinho pela manhã ou em um fim de tarde ao admirar o por do sol. o tempo pode passar, mas faz questão de não deixar algumas coisas irem embora com ele.

ceudejupiter e eclesiais: sobre café, amor e saudade

Só queria saber o que se passa em sua cabeça. Queria ter o poder de ler sua mente, ou pelo menos tentar compreender o que você quer da vida. Às vezes me pergunto porque você tem que ser tão confuso, não saber o que quer, ou ter medo de querer algo. Não dá pra entender o que você tem de errado. Sempre ouvi que as pessoas gostam de coisas recíprocas, e você tem isso, mas não dá o mínimo valor. Você parece que tem medo que alguém te ame ou cuide de você. Medo de se entregar para um amor e no final sair machucado por ele. É complicado, mas todos temos nossos fardos de relacionamentos frustrados, e é a partir deles que temos que nos fortalecer, reinventar e partir pra outra. E olha, não dá para viver com esse medo de amar, de querer algo sério, porque isso é o mesmo que sucumbir. Eu sei que não é fácil se recuperar de uma desilusão amorosa, principalmente daquelas que lhe deixam cicatrizes tão profundas. Mas eu estou aqui, com marcas pela pele, traumas e tristezas no coração, mas continuo aqui. Pois eu encontrei forças para abraçar este amor por nós dois. Só não sei por quanto tempo conseguirei segurar essa barra sozinha, já que a cada dia que passa este fardo vem ficando maior. Sei que em breve não vou mais me sentir satisfeita só por amar, vou desejar ser amada também, receber um pouco do amor que venho depositando em ti. Se está sendo difícil para você, imagine para mim, esperar cansa, eu tô amando por dois, estou carregando tudo isto o máximo que posso, por favor não deixe eu desistir. Por favor, olhe dentro dos meus olhos, deixe eu te resgatar, deixa o amor trabalhar? Estou pedindo com todo meu coração, olhe para mim! Me diz o que está acontecendo, me diz de uma vez, deixa eu cuidar de você.
—  Escrito por Andreza, Nicácia, Fran e Aline em Julietário.
Vocês o amam, mesmo sem o terem visto, e creem nele, mesmo que não o estejam vendo agora. Assim vocês se alegram com uma alegria tão grande e gloriosa, que as palavras não podem descrever.
—  1 Pedro 1:8