meu noivo

Amor, eu sei que já te disse milhares de coisas bonitas, principalmente no começo, mas agora que conheço os seus costumes, seus defeitos, seus trejeitos, suas qualidades, eu posso dizer todas aquelas coisas com mais certeza ainda!! É impossível lembrar de você e não sorrir, é impossível não pensar em você e não me sentir completa! Seu sorriso me encanta, seu olhar me apaixona, seu abraço me acolhe, seus beijos me envolvem, sua paciência e atenção me fazem sentir amada e importante! Não pensei que poderia amar tanto alguém como amo você! Me surpreendo com o tamanho desse amor a cada dia, em cada briga, em cada instante ao seu lado, em cada eternidade longe de você (porque pra mim, um minuto longe de você é como 100 anos!)! Obrigada por ser tão paciente comigo, tão amoroso e compreensivo!
Obrigada por me permitir comemorar mais um ano da sua vida ao seu lado! Peço a Deus que essa data se repita milhares e milhares de vezes e que em todas elas eu possa, junto a você, comemorar todas as bênçãos que Deus tem derramado em sua vida. Peço que Ele lhe dê sabedoria para enfrentar as situações dessa vida, sabedoria pra saber guiar nossa futura família e ser mais planejador, que Ele lhe dê mais paciência e sustento! Obrigada por ser quem você é, mesmo, às vezes, você não me entendendo, mesmo pelas nossas falhas, mesmo com sua chatice, mesmo com criações totalmente diferentes, mesmo você não gostando de programar as coisas, mesmo você sendo bravo e raivoso. Talvez, toda essas nossas diferenças sejam pra criarmos uma família diferente do padrão que existe nesse mundo, uma família feliz, unida e sábia! O meu desejo é que Deus continue lhe guiando, lhe protegendo! Que Ele seja o centro de tudo tanto na minha, quanto na sua vida!
Me perdoe a chatice, o chororô, a raiva, por ser sistemática e não gostar que as coisas saiam da programação.
Mas, obrigada por aturar essas coisas em mim que você não gosta! Sou grata a Deus por Ele ter colocado você em minha vida! É esse dia é realmente de celebrações pois Ele criou a obra mais linda, e nesse dia Ele deu início à nossa história, a nossa família!
—  CMA
E eu continuei amando você, independentemente dos seus erros ou acertos, eu te amei cada vez mais. Somos errados juntos, mas longe.. Parece que algo esta faltando, somos tão bons juntos. Mesmo depois de todos os vacilos meu coração dispara quando ouço sua voz antes mesmo de te ver. Você foi embora e me deixou aqui, segurando as pontas, não é triste, tantos sorrisos pra depois me evitar assim? E foi você que pisou na bola, eu só te amei, esse foi meu erro, te amar com todo meu coração. Sinto aqui dentro que mesmo que seguimos nossas vidas, eu sempre vou amar você, mesmo me esquecendo ou não merecendo. Talvez um dia esteja em meu casamento, mas não como meu noivo, como um convidado.. E algum momento vou te olhar e nesse momento vai entender que eu sempre estarei te amando, mesmo que ame outra pessoa. Por que sintonia como a nossa é difícil de entender, assim como é difícil pra tantas pessoas entender que, eu amo você.
—  O outono daquele 7 de junho.
Que eu consiga sempre te arrancar os melhores sorrisos assim como você faz comigo, porque é sempre esse sorriso estampado no meu rosto desde que você chegou. Porque tua felicidade é o meu melhor presente! Que a imensidão de tudo isso que a gente ja viveu seja sempre inspiração para novos momentos ao teu lado, que a minha certeza sempre me dê forças pra lutar pelo que somos um para o outro, que a nossa história nos faça acreditar que o futuro só nos reservou coisas maravilhosas, como temos nos encontrado.
—  Thiago Jepherson
Imagine Harry Styles

Pedido: “Faz um do Harry que ela é virgem e quer esperar o casamento mas ele não quer esperar e fala que vai largar ela aí ela se entrega e acaba engravidando e ele fala que não é dele e tals e os pais dela viraram a cara pra ela e aí a “sogra” descobre toda a história e acolhe ela … O Hazz reconquista ela e eles se casam depois de um tempo.. final feliz amor … Amor amo o Tumblr e você também 😘😘😘😘”. -  srabiebert

******


Eu sempre quis me guardar até meu casamento. Queria casar virgem, assim como quase todas as mulheres da minha família.

Harry, meu noivo, parecia entender e respeitar essa minha vontade e decisão. Mas, de uns tempos pra cá, ele passou a me cobrar isso. Dizendo que ele tem as necessidades dele, suas vontades e desejos; e que eu, como sua namorada e noiva, deveria supri-los.

Ele chegou a insinuar que iria me deixar se não o fizesse. Eu sempre tive medo. Medo dele não gostar e me largar antes do casamento. Eu o amo muito,  não suportaria ficar sem ele.

Me deixe te fazer minha.” foram as palavras dele. E eu acabei cedendo. “Me faça sua, Harry.”. Nós transamos naquela, foi bom, claro; mas me sentia mal. Me sentia suja, imoral. Isso seria uma vergonha para toda minha família. Meu pai iria ficar uma fera quando descobrisse.

O que com certeza não demoraria muito. Pois, naquele dia, esquecemos a camisinha e eu acabei engravidando. O pavor me consumia de uma tal forma, que eu não conseguia pensar sensatamente no que fazer.

Optei por contar a Harry primeiro, talvez poderíamos antecipar o casamento para não aparecer minha barriga ou sei lá, pensar e arrumar um jeito juntos.

Pensei errado. Ele surtou, ficou louco. Negou. Disse que o filho não era dele.

- Esse filho não é meu. Não pode ser. – dizia desesperado.

- Como não, Harry? De quem mais seria? – eu já começava a chorar. – Nós não usamos camisinha naquele dia, e eu engravidei. – expliquei, mas em vão. – Era justamente isso que eu temia. Era disso que eu tinha medo. Mas você não soube respeitar meu tempo e aceitar a minha decisão .

- Eu tinha minhas vontades, S/N. E se você não as suprisse, quem mais o faria?

- Tá, ok. E você conseguiu o que queria. E agora eu preciso de você.

- Eu não quero nem saber. Esse filho não é meu, aguente isso sozinha.

E saiu batendo a porta.

Quando meus pais souberam, surtaram. Meu pai ficou furioso. Me xingou de todos os nomes possíveis e disseram que eu não era mais filha deles. Que tinha sujado toda a reputação da família de anos.

Eu me apavorei. Me vi sozinha com essa “bomba” nas mãos. Eu não sabia o que fazer e nem como. Só sabia que teria que arrumar um jeito para cuidar de mim e do meu filho.

***

Anos depois.

***

Depois daquele dia, algumas semanas depois, Anne me procurou. Foi a maior surpresa. Afinal, o que a mãe do meu ex queria comigo?

E, para minha surpresa ainda maior, ela veio me prestar socorro e seu apoio. Disse que descobriu tudo que aconteceu e ficou completamente desapontada com seu filho. O qual eu não quero nem  lembrar o nome.

Ela me ajudou a arranjar um lugar na mesma cidade que ela morava. Consegui um emprego logo e na minha área de formação e comecei a seguir com a minha vida.

Eu a Anne nos tornamos boas amigas; ela é como uma mãe pra mim. Fazemos tudo juntas e ela acompanhou minha gestação inteira.

- Eu não vejo a hora de ver o rostinho dessa coisinha mais linda que está aqui dentro! – disse alisando minha barriga enorme de 8 meses. Sorri.

- Eu também, Anne! Não vejo a hora de tê-la nos meus braços. Falta pouco! – ela sorriu. – Eu tenho tanto pra te agradecer… – segurei sua mão.

- Você não tem nada que agradecer. – ela sorriu.

- Claro que tenho! Você foi a única que me deu apoio e que me acolheu. Foi a única que se mostrou dispostas a me ajudar e a estar do meu lado no meio daquele terremoto que passou pela minha vida. Eu não sei o que seria de mim sem você! – ela sorriu e me abraçou.

- Não fiz mais que minha obrigação, minha querida!

Poucos dias depois, meu bebê nasceu. Forte, saudável; a coisa mais linda da minha vida. A minha pequena Fiorella!

Ela está a cada dia maior, já está com 3 anos. Espoleta que só. Tem o cabelinho encaracoladinho, olhos claros a grandes, boca rosada e carnuda. Perfeitinha. Ela é completamente apega a avó. Vive grudada com ela. Ainda mais que é Anne que cuida dela quando eu vou trabalhar.

Hoje estamos na casa da Anne. Ela prometeu fazer “a torta que a sua neta preferida mais gosta”!

Eu estava com ela na cozinha enquanto Fiorella brincava no jardim, aproveitando o dia bonito que fazia hoje.

- Ela está a cada dia mais linda! – ela disse e olhei pela janela, vendo ela brincar com a Bibi, a cachorra da casa.

- É! Está a cada dia mais parecida com o pai também. – pude ver Anne fechar um pouco sua expressão e parar o que estava fazendo.

- Eu sinto muito. Por tudo. Mas isso já era esperado, certo? – assenti. – Ela te faz lembrar dele, né?

- Muito. Até mais que eu gostaria. – suspirei, admitindo até para mim mesma. – Vamos mudar de assunto?! – respirei fundo e Anne sorriu assentindo.

A campainha tocou e imaginei quem poderia ser. Deveria ser a Gemma.

- Eu atendo! – falei, já que ela estava ocupada.

Fui até a sala e abri a porta. E quase cai para trás. Não, não, não! Não podia ser…

- S/N? – falou surpreso.

- Harry. 

Anne apareceu na sala e parecia estar tão surpresa com a visita quanto eu. Pelo visto ele apareceu sem avisar.

- Harry, querido, você não me avisou que vinha. – ela disse sem graça, enquanto abraçava o filho.

- Eu atrapalhei alguma coisa? – ele disse me encarando e depois olhou para sua mãe.

- Não, apenas me pegou de surpresa. – ela sorriu amarelo e ele continuou me encarando.

Respirei fundo, pedi licença e fui até a cozinha. Peguei um copo de água e bebi, tentando me acalmar.

- S/N, minha querida, me desculpe. Eu não sabia que ele vinha aqui, e muito menos que estava na cidade. Ele não me avisou que viria. – ela suspirou e eu sorri para ela.

- Você não tem culpa, nem se preocupe! – coloquei o copo na pia. – Anne, eu não quero parecer indelicada; mas eu vou embora. Marcamos nosso chá para um outro dia, se você não se importar. Mas eu não me sinto bem perto dele. – ela me olhou compreensiva e segurou minhas mãos.

- Eu realmente não queria que fosse assim. Eu tinha algo em mente pra vocês dois totalmente diferente disso. – ela suspirou. – Mas eu entendo você e é claro que não me importo que você vá embora.

A agradeci por toda ajuda e compreensão e me despedi dela. Peguei Fiorella e sai pelos fundos, para não correr riscos de embarrar com ele de volta. Não queria passar pelo mesmo desprazer.

***

Já passava das 20 horas da noite, e eu estava jogada no sofá com algumas guloseimas ao meu redor. Gemma havia levado minha filha para passear no shopping e depois iria levá-la dormir na casa dela.

Minha campainha tocou e eu sorri, imaginando ser Anne para conversar comigo sobre o ocorrido de mais cedo. Mas, ao abrir a porta, meu sorriso de foi.

- O que você quer? Como você descobriu onde eu moro?

- Eu segui Gemma, queria ter a certeza que você estava sozinha.

- Bom, já descobriu onde eu moro e já teve a certeza que estou sozinha; agora já pode ir embora. – iria fechar a porta, mas ele me impediu.

- Eu acho que nós precisamos conversar, certo? – revirei os olhos.

- Errado! Nós não temos nada para conversar. Adeus, Harry. – ele segurou a porta mais uma vez e entrou na minha casa.

- Eu só saio daqui depois que conversarmos. – cruzou os braços e ficou parado na minha frente. Eu já estava prestes a perder a paciência…


[…]


Continua…