Pare

Pare de dar tudo de si por pessoas que não são capazes de reconhecer teu amor e afeição. 

—  Anna Paula Varella.

Às vezes sinto uma necessidade de chorar, porém não existem as lágrimas para despejá-las da minha alma. Às vezes me quero de volta, o antigo eu. O eu que acredita em flores e corações, que compartilhava, amava e queria manter as pessoas por perto. Às vezes sinto saudades de mim, uma saudade dilacerante e sei que essa saudade só piora porque nunca me terei de volta, continuarei sendo o mesmo borrão para sempre.
—  Anna Paula Varella.
Na realidade ninguém entende como é estar preso dentro de si mesmo. Você se move, ri, sorri, chora e absorve tudo a sua volta mas ainda assim vive inerte. É como um coma com olhos abertos, pesadelos e ataques de ansiedade. Você se deita para dormir todas as noites e acorda todas as manhãs em oração por um dia melhor, uma vida melhor ou qualquer segundo melhor. Você vê todos a sua volta seguindo com suas vidas, indo em frente e você continua parado no tempo como se ontem fosse janeiro e hoje já é setembro ou ontem fosse 2001 e hoje já é 2019, feliz ano novo, de novo. Dói e você se sente cada vez mais uma massa ocupando um espaço desnecessário, ocupando espaços que não são seus. Mesmo depois de ganhar tantas chances para estar aqui você na realidade não queria estar ou queria mas tendo chance de recomeçar tudo de novo desde o momento que chorou a plenos pulmões chegando nesse mundo que é cruel e doloroso. Um mundo que não aceita problemas e imperfeições. É sufocante, massacrante, uma lava que percorre suas veias e te queima até você virar pó. Você se prende em mundos alheios que não são seus, mundos que você cria em sua mente querendo sair dessa constante inércia que te aperta e te machuca. Você sonha com um dia normal, que seus sorrisos serão finalmente sinceros e verdadeiros e que todos aqueles mundos, pessoas e sonhos que um dia quis para si se tornem realidade. Você quer viver, só viver. Você não tem coragem de desistir da vida que inúmeras vezes foi tirada de você, dos percursos que você poderia ter sido mas não foi, das curvas que foi obrigado a fazer para não cair de um penhasco. Você sonha apenas em respirar, só respirar e sentir a calmaria dentro de si.
—  Anna Paula Varella.