melhor aeroporto

Em Seus Olhos - Cap 25

Acordei de madrugada, estava chovendo forte, a luz estava apagada. Me virei e não vi Vanessa. Fui até a sala, e lá estava ela, eu acho que já imaginava, ela estava deitada no sofá, uma das pernas estava para o alto apoiada no encosto, ela estava abalançando o pé, quando cheguei mais perto, vi que ela estava de fone. Eu não queria assustá-la, então acendi a luz do abajur próximo a mim, ela virou sua cabeça para trás e sorriu.

- Eu não queria te assustar, por isso acendi a luz.

- E eu não queria te acordar, por isso o fone, mas pelo visto não adiantou.

- O que você esta fazendo aqui? – olhei para o celular dela, era 4h11 da manhã.

- Eu fiquei com vontade de ouvir musica. – eu não acreditei muito, ela estava com cara de pensativa, mas eu sabia que ela não ia dizer muita coisa.

- Você já arrumou suas coisas para amanha? – ela fez que sim com a cabeça.

- E você? – ela perguntou sentando no sofá.

- Ainda não, mas amanha eu arrumo -  eu bocejei.

- Você vai para a empresa amanha?

-Vou, tenho que resolver umas coisas.

- Então acho melhor irmos deitar -  ela deu pause na musica, enrolou o fone e deixou o celular no sofá, ela jogou o corpo para frente e colocou as pernas em volta na minha cintura, e os braços em volta do meu pescoço, me beijou suavemente, e em seguida me abraçou um pouco mais forte, senti uma ponta de preocupação.

- Vamos para a cama.

Acordei o céu estava escuro devido a chuva, olhei no relógio, eram 8h48 da manha.

Vanessa estava dormindo ainda, sai da cama e fui para o banheiro, quando voltei. Vanessa não estava mais, senti um cheiro bom invadir o quarto.

- Fazendo o seu café da manha – ela disse me mostrando uma frigideira com o que pareciam ser ovos mexidos, voltei para o quarto, aproveitei e coloquei o colar que comprei para ela dentro da minha bolsa, e ui para o closet para me trocar.

- Assim aquelas recepcionistas não vão conseguir resistir a você senhorita autoritária. - ela disse sentada na cadeira, com um dos pés para cima, de uma forma que ela pudesse segurar seu joelho, eu olhei para mim atreves do reflexo do espelho que tinha entre a sala de jantar e a de estar, eu estava como todos os dias, passei minha mão sobre os cabelos e o joguei para o lado, e ela se abanou, eu dei risada.

- Assim que eu voltar, eu arrumo minha mala, eu não vou levar muito tempo.

- Tudo bem, você quer comer alguma coisa antes de irmos?

- Acho que não, não daria muito tempo, e nos podemos comer alguma coisa no avião, só para enganar, vou deixa avisado em casa, assim teremos o que comer quando chegarmos.

- Deixar avisado?

- Sim, com Ana, ela é minha governanta e cozinheira.

- Hummm

- Obrigada pelo café da manhã – ela me beijou, antes que eu fosse para o escritório.

                                                               ***

- Aqui está Amanda, encaminhe isso para cada do Junior e eu vou ligar para ele agora avisando. Assim que você voltar, explique para Ana que vou para casa hoje com Vanessa, diga que vamos jantar em casa sim?

Eu iria enviar os colares para casa de meu irmão, queria fazer uma surpresa para ela lá.

- Claro senhorita Aguilar – Amanda sorriu para mim, ela estava feliz por eu estar levando Vanessa em casa.

Fui para minha sala, e liguei meu computador, peguei meu celular e disquei o numero do meu irmão.

- Junior? ..sim.. eu vou, quer dizer nós vamos.. eu conto para você quando chegarmos ai.. minha namorada (risos) sim, pode se dizer que sim.. eu liguei para pedir um favor.. chegará um embrulho para você essa semana, assim que chegar você me informa, eu quero pegar ele sem que Vanessa veja, é uma surpresa pra ela.. sim, o nome dela é Vanessa.. pode ser.. no meu antigo quarto.. isso.. Obrigado.. nos veremos essa semana.. Sim Junior, eu te conto.. ate mais.

Logo em seguida meu celular tocou.

- Sim Luis? .. desde quando? ..pode contratar, quero ele sem nenhuma informação, seja sobre minha empresa ou a de qualquer um, ele mexeu com a pessoa errada… Sim Luis, e quero provas conclusivas que incriminem ele.. eu sei, eu já agradeci varias vezes por você ser meu amigo.. faça isso.. vou hoje.. a reunião será segunda-feira.. ligo confirmando. Até mais Luis.

Porra, então esse Richard conseguiu informações internas, e já estava investindo em mais uma fraude contra a minha empresa? Vi Amanda voltando, fiz sinal para que ela entrasse.

- Tudo feito senhorita Aguiar, o pacote chegara a Londres na segunda-feira, no endereço do senhor Junior.

- Obrigada Amanda – eu ainda estava nervosa com essa historia do Richard, mas eu sabia que podia confiar cegamente no Luis, e ele conseguiria as informações necessárias para acabar com Richard.

Olhei para ora, a janela que eu a tinha visto pela primeira vez e hoje quase quatro meses depois, aqui estou, namorando com a garota da chuva, prestes a levá-la para a minha casa, lugar onde eu só tinha levado a Nicole, na época da faculdade.

Vi a hora em meu celular, peguei minhas coisas e sai, como de costume Amanda estava muito próxima a tela do computador.

- Amanda, vá a um oculista sim? – ela se afastou rapidamente da tela e ficou vermelha, mas acenou com a cabeça. – Já estou indo, me mantenha informada de tudo.

- Sim senhorita, faça uma boa viagem. – Obrigada, Amanda, nos vemos na próxima semana.

Quando sai do elevador me deparei com uma das recepcionistas, me olhando muito sem jeito, vi que ela ruborizou, eu sorri, e ela ficou ainda mais vermelha, lembrei do que Vanessa tinha dito hoje de manhã.

Abri a porta, e lá estava ela, linda, ali para mim, olhando para fora, os fones estavam em seus ouvidos, ela estava em pé com as mãos no bolso traseiro da calça, andei até ela e a abracei por trás, ela tirou o fone e passou a mão pelos meus braços.

-  Como foi o dia no escritório?

- Chato sem você por perto. -  ela deu risada e se virou.

- Bom aqui também não é muito bom sem você por perto – ela beijou meus lábios.

- Que bom saber que também faço falta – ela revirou os olhos e sorriu me beijando de novo.

- Acho melhor você ir arrumar suas coisas.

- É verdade. -  eu dei um beijo nela, e a soltei.

Dei uma checada em tudo para ver se não estava esquecendo nada, e fechei a mala, Vanessa estava na porta do quarto com um copo de água na mão, me observando.

- Tudo pronto, acho melhor irmos para o aeroporto. Peter já estava a nossa espera.

                                                                   ***

A Viagem seria um pouco cansativa, calculei umas seis horas dentro do avião, quando a comissária de bordo veio, ela viu que estávamos de mãos dadas, deu para acompanhar seu olhar, então formalmente ela nos deu um pequeno cardápio. Pedimos uma salada, seria o suficiente ate chegarmos a Londres.

-Vai ter um jantar só para a família?

- Bom, eu acho que sim, mas meu irmão exagera as vezes um pouco, ele não me disse por telefone.

- É seria bom, eu gostaria de saber se preciso comprar uma roupa antes de irmos.

- Não se preocupe, assim que pousarmos vejo com Junior.

Quando chegamos ao aeroporto, o dia estava brilhando, estava bem claro, e devido ao fuso horário ganhamos algumas horas.

Fomos direto pegar um taxi, eu amava Miami, e é por isso que estava construindo a empresa e uma residência lá, mas de repente Londres ficou mais ou tão interessante quanto Miami. Era Vanessa eu sabia, e agora onde ela estivesse para mim estaria bom.

Fui mostrando o caminho para ela, era sua primeira vez aqui, assim que nos aproximamos da primeira avenida, mostrei a ela o topo do prédio onde ficava minha casa.

- Você realmente gosta de ter uma boa vista.

- Muito, eu sempre gostei, acho que você vai gostar de lá, a maioria das paredes são de vidro.

O taxi parou na frente do prédio, um dos funcionários veio ajudar, levando para dentro nossa bagagem enquanto fomos para o elevador.

Eu passei minha mão pelas costas dela, eu fui descendo, ela cruzou uma das pernas na parte de trás das minhas e me beijou.

Chegamos ao andar e tivemos que nos recompor, o funcionário estava lá com nossas bagagens, eu peguei minha chave e abri a porta. Fechei agradecendo assim que ele deixou nossa bagagem na sala, Vanessa estava olhando para fora, para a vista.

- O que você achou? – Ela se virou para mim.

- Eu preciso mesmo falar?

- Vem, deixa eu te mostrar, nós fomos para fora, para o terraço, dali conseguíamos ver o rio. – A noite fica ainda mais bonito, eu disse abraçando-a pó trás, voltamos para dentro e vi Ana saindo de um dos quartos, ela deu um sorriso ara mim e depois para Vanessa.

- Como vai Clara? – Ela tinha essa intimidade comigo, eu cresci comendo a comida dessa mulher, Ana devia ter seus cinqüentas e cinco anos agora, era a pessoa mais calma que eu conhecia, com seus 1,60cm sua pele clara, e pouco enrugada, sempre co cabelos presos e um rabo de cavalo, seus fios hoje em dia não tão pretos.

- Ana, essa é Vanessa, minha namorada. Ana se aproximou de Vanessa, e lhe deu um abraço, que Vanessa retribuiu.

- Ela é autoritária com a senhora também? – Vanessa perguntou sorrindo e olhou para mim para ver minha reação.

- Eu troquei muitas fraldas dela para que ela seja autoritária comigo.

- Comigo ela tenta. – Vanessa disse piscando para Ana que sorriu para mim.

- Você deve ser muito especial,para ter conquistado o coração dela.

- A sua opinião e da minha mãe não contam. – falei dando um abraço em Ana. -  Ela está na família há mais tempos que eu, tem mais direito a herança que eu, Junior e Taylor.

- Para com isso Clara! – ela disse dando um tapinha em mim.

- Bom, o jantar ficará pronto as sete sim? – fiz que sim com a cabeça.

- Vamos, vou te mostrar o resto, seguimos pela sala de jantar, e fomos para a cozinha, que era ampla e clara, fomos para um pequeno corredor ao lado da cozinha, onde havia uma sala, eu tinha feito um pequeno estúdio ali, um sofá, poucos moveis, havia um banheiro, caso quisesse transformar em um quarto, mais achei desnecessário.

- Aqui tem um quarto. -  seguimos para a próxima porta -  E aqui eu guardo documentos e arquivos da empresa -  chegamos na sala onde coloquei uma mesa de sinuca, e uma d e baralho, havia alguns moveis, um sofá grande em L e cadeiras, havia uma saída pra o outro terraço.

- Aqui. – e eu abri a porta – Esse é o quarto principal, onde você vai ficar comigo. -  eu gostava do meu quarto, alem de familiares e Ana, nunca ninguém tinha estado ali.

- Seu quarto é muito bonito, tudo tão claro.

- Sim, eu gosto muito desse quarto, aqui também tem uma porta para o terraço. – mostrei a ela, abrindo-a.

- Aqui tem o closet, o banheiro, e do outro lado do apartamento tem mais três quartos, um esta mobiliado os outros dois não, estou pensando ainda o que fazer neles, ela parecia ter gostado de tudo, incrível como o fato de ver ela na minha cada me deixava feliz.

- Você quer fazer alguma coisa agora?

- Eu queria muito um banho.

- Posso fazer companhia? – ela me puxou pela gola da camisa, acho que isso foi um sim.

                                                                       ***

Fui para a cozinha, Ana estava colocando a mesa, fui atrás de um vinho.

- Ela é muito bonita Clara.

- Sim ela é, e também muito especial.

- É o que parece, eu e sua mãe não achamos que você iria namorar alguém serio de novo, achávamos ate que um dia você voltaria com a Nicole -  eu bufei com o comentário.

- Eu não tinha o intuito de namora ninguém também, só aconteceu, mas com a Nicole? Não Ana, por favor – ela sorriu para mim. Vanessa surgiu na cozinha, ela estava com uma calça preta, e uma camisa cinza larga, a gola parecia gasta, e pendia para um lado, deixando o ombro a mostra, seus cabelos estavam úmidos e jogados para um lado só, eu agarraria ela agora, mas achei que não deixaria Ana muito a vontade. Eu puxei uma cadeira para que ela se sentasse.

Ana tinha feito salmão com purê de legumes, ela sempre cozinhou muito bem, mas agora que eu tinha comido a comida da Vanessa, eu sabia que a dela era mais saborosa, é lógico que eu não falaria isso para Ana, nunca.