mas me perdoa

Senhor, sei que não tenho andado corretamente nos teus caminhos. Reconheço todos os meus deploráveis erros e ainda assim, seu amor inigualável me alcança. Compreendo que, não estar fazendo Tua vontade, não é o melhor pra mim. Mas é que.. Estou cansada, Senhor. Durante todo esse ano, precisei tanto ser abraçada, implorei tanto por um carinho de Pai. Me carrega no colo? Eu estou cansada de chorar e lamentar. Sei que, murmurar não é a melhor opção, mas por diversas noites procurei por você e ainda perguntei onde estava, fui tão incompreensiva. O Senhor está o tempo todo junto de mim e ainda assim, reclamo do meu existir. Reclamo de não ter o que quero e o que sonhei, mas sei, que não é o teu tempo pra mim, e que eu devo orar incessantemente. Eu tenho o privilégio de ser sua filha. Mas sou falha. Me perdoa, meu Deus. Como aquela música:“E essa não é mais uma canção de amor.. Eu grito pra Ti Deus, vem me socorrer.. Olhando pra mim, posso saber, que nada poso fazer.”
—  Carta para o criador da minha existência.

mas me perdoa se eu sair assim. de novo.
se os meus pés de fuga começarem a almejar o sol. de novo.
se a temperatura subir e o vazio se esvair. de novo.
se outros mil me chamarem atenção. de novo.
se eu não souber lidar com tudo que isso pode ser. de novo
mas me perdoa se eu sair assim
com uma vontade inquietante de poder ficar
e não conseguir
de novo.

memories come to you very fast and leave you very early

@hjxahn

     Andar a noite não é para ser uma coisa assustadora, não é? Mas e quando se é uma mocinha jovem e bonita - muito bonita - que jura ter entrado na rua certa, mesmo que agora já não reconheça o caminho a sua frente, e que tenha uma pessoa da qual ela não consegue enxergar o rosto a seguindo? Aí sim.

     Tudo começou com uma ligação que recebera depois do almoço, falando que precisava passar no banco afim de resolver algumas questões a respeito da renovação de um contrato. E lá foi ela, quase dando duas horas da tarde. O que não contava era que fosse ficar esperando bastante por conta da quantidade de pessoas que também esperava atendimento. Dá próxima vez chegaria mais cedo. E quando finalmente estava livre e com alguns documentos em mãos já era fim de tarde. E ainda tinha que comprar alguns materiais já que agora as aulas estavam voltando.

     O fato é que realmente acreditou que havia entrado na rua certa. Até parou no ponto de ônibus mais depois de trinta minutos parada ali e sem ninguém e nenhum ônibus aparecer, decidiu seguir em frente e ver no que dava. E foi seguindo com essa ideia que se deu conta da pessoa que vinha atrás. Pensou em correr sim, mas e se ele fosse só um pedestre qualquer? Saphira seria a maluca. Pensou em ligar para alguém, mas para quem? Não conseguia pensar em como alguém podia ajudar ela naquela situação.

     A pasta com os documentos foi abraçada frente ao peito, porém nem os passos mais apressados impediram o sujeito de chegar perto o suficiente de puxá-la pelo braço. E lhe causar um susto enorme. Bateu, empurrou, pediu para ele a soltar mas nada disso estava adiantando. E o desespero aumentava, enquanto aquele sujeito parecia querer arrastá-la para qualquer lugar, Saphira se debatia, pedia por ajuda e o xingava em um coreano meio russo. “Pra onde está me levando? Me solta!” Ela ordenava e ele parecia não escutar. A essa altura a sacola da loja que havia passado já estava no chão e ela se segurava ao máximo para não chorar. “Por favor, me deixa ir.”

Eu sei que hoje é o seu aniversário, eu sei que você provavelmente esperava algo mais que um simples parabéns em qualquer rede social, mas é que hoje não é um dia bom, me desculpa, não tenho palavras lindas, não tenho coisas que irão fazer você chorar, bom, hoje eu não tenho nada, só tenho dor. Me perdoa, mas hoje eu não consigo, amanhã quem sabe…
—  O Diário de Lila.
Me perdoa por ser assim. Eu queria ser melhor, mas não sou, me perdoa por ser desse jeito que te machuca, eu não queria ser assim. Queria ser uma pessoa melhor. Eu tenho esse jeito, mas o que não falta em mim é amor. Eu posso as vezes ser ignorante , mas no fundo eu só quero gritar ”eu te amo” até perder as forças, mas eu sou estupido demais, não sou capaz de ser a pessoa perfeita que você tanto merece, por estar cheio de coisa na cabeça acabo te magoando.,queria que você soubesse de tudo, de cada lagrima que eu derramei por ser assim.. de cada sorriso que eu dei, só por te ver sorrindo. Me perdoa mais uma vez, por não ser a pessoa que você sempre sonhou. Eu me desteto por ser assim; eu machuco as pessoas. Parece que tenho espinhos, quando alguém se aproxima eu espanto. Quando alguém tenta me tocar, eu a machuco. Odeio isso em mim, mas eu te quero perto, mais perto possível de mim. Me perdoa se algum dia eu te machuquei, não foi minha intenção, não faço por mal. Me perdoa se eu errei com você, eu só estava tentando acertar. Não sei se você vai se adaptar a isso pois eu estou sempre errando, mas eu só quero que você me aceite assim..
É que…
Eu sei, eu sou doce além da conta, carinhoso desnivelado, e esse deve ser meu defeito fatal.
Mas deixa eu te explicar? Sabe quando você está em queda livre de um precipício? Toda e qualquer coisa que aparecer no seu trajeto até o chão você tenta agarrar desesperadamente, última chance, façam suas apostas.
Foi assim que me encontrou, caindo sem chão e no vácuo de minha própria solidão. Quando te vi, meu coração tomou o controle dos impulsos e te vi como unica oportunidade.
Agarrei a minha vida à tua, e às vezes penso que te incomoda, posso estar pesando muito para você?
Me perdoa, mas a verdade é que meu coração só consegue te chamar, ele esquece das próprias mágoas, das próprias cinzas e começa a queimar novamente. Só que dessa vez mais intenso, mais verdadeiro.
Tenho medo de meu apego resultar em um “precisamos conversar”, lágrimas, balões subindo sem alcance e mais um grande período para se auto reconstruir.
Seu abraço é único, nem melhor, nem pior, ele é único assim como seu beijo, seu cheiro e seu mundo.
Te amo.
—  Arritmia poética
Eu te escolhi não por opção, mas por necessidade. Eu via que em mim havia a necessidade de algo, e eu sabia que era Você. Eu te escolhi porque eu não tinha em meu coração a paz que eu tenho hoje. Eu te escolhi, sinceramente, porque eu me sentia a pessoa mais rejeitada desse mundo! É um gesto egoísta meu ter te escolhido pra que eu ficasse bem? Se sim, me perdoa, mas também saiba que foi por isso. Te escolhi pra não sentir mais aquelas dores que eu tinha, Te escolhi pra poder voltar a sorrir, a viver e a ter vida! Eu te escolhi porque eu sabia que nada mais na minha vida faria sentido se não fosse com Você, te escolhi pelo amor, te escolhi pelo carinho, te escolhi por saber que teria sempre pra onde correr quando precisasse! Eu te escolhi porque eu estava perdida e via em Você direção, via em Você o caminho certo, aquilo que devia ser feito. Talvez seja arrogância, dizer que te escolhi porque eu queria o melhor, mas que seja, é a verdade. Eu te escolhi porque soube um dia que era a única forma de vida, alegria real e surreal. Te escolhi porque ouvi dizer que onde fosse, Você irira, que a paz que eu queria e tanto procurava estava em você! Te escolhi por não querer mais errar! Te escolhi porque Você me escolheu primeiro, Senhor!
—  Edilene Lima

‘ce dormiu?
quero falar contigo. é importante. eu tô morando no rio agora, virei gente grande em cidade grande. mas a coisa tá meio salgada e pintou oportunidade de morar mais barato em petrópolis, fazer faculdade de graça. acho que vou. me diz que tudo bem eu ficar no lugar onde sempre quis estar e realizar meus sonhos? me diz que não tem culpa ser quem sou. me diz que finalmente eu tô conseguindo me caber dentro dum vagão de metrô sem soltar pânico pelos dedos. me diz que isso não tem preço e vale cada centavo que gasto tanto. me diz que tudo bem ser exatamente quem eu sou. porque se vier de você eu acredito.
mas não é isso, igor, é sobre você. não dorme ainda, por favor, é sério.
eu não tenho que pedir desculpa por nada, mas me perdoa por fazer tudo errado na hora errada. eu não sabia! que você sentia. e se soubesse, eu te confessava que sinto também. pra caraca. e te quero bem. fica bem? se cuida? toma tino quando vier pra capital, ok?
me conta do show.
eu preciso que você me perdoe por não estar aí agora. ou ontem quando você tocou. ou nunca mais. eu não vou estar aí nunca mais. eu não sabia que você sentia e se eu soubesse, eu não tinha ficado. mas tinha te trazido comigo na capa do violão. meus dois melhores amigos. meus dois ombros favoritos. os amores que não curo por nada. eu te encontrava quando desse tempo entre uma aula e outra e te beijava com toques leves e cálidos e sinceros.
escuta, me diz a verdade, por favor. se me sente como te sinto, dum jeito honesto e forte e infinito, a gente queima junto esse cigarro que é o amor. mas se não, então me abraça forte e diz que deu a hora. eu já sei e eu já vou.

É que eu só sei falar de amor

Por vezes te invejo, tens olhar crítico sobre os prédios, sobre o céu, sobre aquela pedra que você diz parecer da Lua, que achou no caminho de casa. Fez da minha vida uma viagem rumo ao mistério. Como é viver sem falar tanto de amor? Porque eu sou disco arranhado, aquele espaço vago do lado da minha escova de dentes, sou aquele lado gelado da cama, e você nem repara, você nem quer falar. Baby, me perdoa, mas eu preciso escrever mais um pouquinho sobre um “nós dois” que não existe, sobre uma ida na praia que nem aconteceu, sobre os abraços que ninguém me deu. Teus olhos sorriem tanto pra mim, que seguro demais aquela vontade de relatar pro mundo o quão lindo isso é. Mas você não, você insiste em falar que os ursos polares sofrem com o aquecimento global. Eu sou tão romântica e você é tão pé no chão. Eu saio correndo atrás do amor, e você dá sorte de esbarrar em um sem querer. Eu seria capaz de serenatas no meio da praça, e você fala “eu te amo” no pé do ouvido, só pra ela ouvir. Me ensina  só um pouquinho a não ser essa louca apaixonada sabe-se Deus por quem, porque uma hora cansa de só falar e não ter. 

Gabriela Giacomini.

E mais um dia se foi, e você não veio. Eu me sinto vazio, com frio, um rio. Eu tenho tanto pra te falar, tantos assuntos a dialogar. Eu queria um riso, um chamego, um abraço, um aperto, um olhar. O que eu fiz? Eu sei que não é fácil permanecer ao meu lado, eu sempre sou o inverso, quantas vezes deixei de ser  mais pra ser menos, quantas vezes fui 8 e não 80, quantas vezes me tranquei, me privei, desisti. Mas é que você me fazia tão bem, tudo bem, eu não soube zelar, cuidar, aproveitar, mas me perdoa, eu sou isso, uma frase sem sentido, um poema sem rima, uma canção sem letra. Eu queria que por um instante o tempo voltasse e que eu pudesse olhar dentro dos seus olhos fundos e castanhos e dizer que amar é isso, é querer o bem do outro, é suportar todas as dores, os odores, os rancores, é tentar lidar com outro, é tentar mudar, é nunca desistir, é amar, é rir, é viver.  É você.
—  Desopilar