mant!

8

Mysterious thing, time. Powerful. And when meddled with, dangerous. Sirius Black is in the topmost cell of the Dark Tower. You know the laws, miss Granger. You must not be seen. And you would do well, I feel, to return before this last chime. If not, the consequences are too ghastly to discuss. If you succeed tonight, more than one innocent life may be spared. Three turns should do it, I think. Oh! By the way, when in doubt, I find retracing my steps to be a wise place to begin. Good luck.

  • Person:Omg Beatles fans get pissed off too easily, calm down.
  • Person:LMAO JOHN LENNON DESERVED TO DIE
  • Beatles fan:I-
  • Person:OMG Calm tf down. Lol.....I would have murdered him myself.
  • Beatles fan:You-
  • Person:STFU ITS MY OPINION OKAY.
  • Person:*Gives 1 hr rant about how much they hate The Beatles while giving 100% inaccurate information on their person lives*
  • Beatles fans:But-
  • Person:They were all terrible people and if youre a fan of them you're a fucking idiot.
  • Beales fans:Ok bu-
  • Person:Holy shit, Its amazing how easily their fans get offended lol.
Vou explicar apenas uma vez Chuck: o coração da gente é sensível como um vidro e quando conhecemos alguém especial, queremos compartilhar o melhor que temos, no caso, nossos corações. Quando as pessoas não possuem os cuidados necessários para mante-los seguros, eles deixam cair no chão. O que acontece com um vidro quando cai no chão? Isto mesmo, se quebra. Até podemos conserta-los, mas eles nunca serão como eram antes da queda. E isto é um eterno ciclo: consertamos e novamente eles irão cair e se partir em novos pedaços em alguma fase de nossas vidas. Entendeu o porquê de algumas pessoas agirem assim? É automático bloquear seus sentimentos depois de terem o que se é mais precioso quebrado e conviver com a certeza de que não há como substituir por outro. Até voltam a amar, mas nunca será igual, nunca será com a mesma intensidade do primeiro amor, por isso, só aceite cuidar do coração de alguém se não for machuca-lo.
—  Os porquês de Amélia Roswell.
8

“ […] Chaves não é sobre personagens infantis, é sobre relacionamento humano e isso ultrapassa barreiras. É sobre como as pessoas comuns convivem, se detestam, se amam, sentem inveja uma da outra, depois cooperam uma com a outra… Você vê ali todo mundo em volta de miséria e pobreza, e eu não digo pobreza financeira, o pessoal da vila do Chaves são pobres de espírito. Os personagens, assim como todas pessoas, tem uma pobreza de espirito muito grande e o que o Chaves traz é um alívio gigantesco pra essa condição miserável que o ser humano tem dentro de si. Eu acho que é por isso que Chaves foi tão longe, ele é fundamentado em coisas muito verdadeiras, que falam com o indivíduo. São valores que eu tenho e que você tem, que nenhuma correção política tirou da gente e por isso a nossa identificação é tão forte com a obra. […]”

Danilo Gentili, 2014 [x]

É uma daquelas coisas que as pessoas dizem. “Você não vai seguir em frente se não parar de fazer visitas ao passado.” Deixar ir é a parte mais fácil, o movimento de seguir adiante é que é o doloroso. Então, às vezes nós lutamos contra a ordem das coisas, tentando mante-las do mesmo jeito, mesmo sabendo que é impossível deixá-las da maneira que sempre foram. Em algum momento elas terão que ir. Seguir em frente. Porque não importa o quão doloroso seja, é a única maneira de crescer. E isso vale pra qualquer pessoa na terra. Todos nós já fizemos coisas que não são motivo de orgulho. Eu entendo isso. Eu sei que ninguém é perfeito. Mas como é que você vive com isso? Como você se levanta todas as manhãs e enfrenta o mundo lá fora sabendo que você poderia ter feito melhor? Que você deveria ter feito melhor? É possível estar arrependido o suficiente? Pode um pedido de desculpas realmente curar nossas feridas, aliviar a nossa dor? Pode desfazer o dano que causamos? Pode mesmo? Porque eu sou assim, sou a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das rotinas, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser mau e tira as correntes da cobrança do próprio peito. Que acha todo mundo meio feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio besta, meio bomba. E espera impaciente ser salvo por uma metade meio interessante que tire finalmente essa sensação de pés calejados quando ando sozinho por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser bom, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim? Dá?
—  Ciceero M.