mangual

Grandes invenções...

Mangual
(c. 3000 a.C.)

“A palha era removida e os grãos, com as glumas, eram varridos e colocados em um cesto.”

Os egípcios separam o trigo das glumas com uma nova invenção.
O mangual é uma das ferramentas agrícolas mais antigas que se conhecem, usado há mais de 5 mil anos. Já foi símbolo de poder e até serviu como arma. Apesar da introdução de colheitadeiras motorizadas no século XIX, ainda hoje o mangual é usado em algumas partes do mundo. Sua principal função é debulhar, ou separar os grãos do resto da planta.
Não se sabe ao certo onde o mangual surgiu, mas com certeza era usado no Egito antigo. Ele consiste essencialmente de um cabo, ou mango, com uma extremidade atada por uma fita de couro à extremidade de outro cabo, mais curto. O mango é segurado pela ponta livre, rodando-se o segundo bastão lateralmente e para baixo. Ao atingir uma pilha de trigo ou outros grãos colhidos, em geral espalhada no chão, ele arranca as cascas. Então, os grãos são selecionados e guardados.
No Egito, o mangual passou a simbolizar o poder das dinastias reais. Ilustrado com frequência ao lado de um cajado de pastor, os dois instrumentos combinados simbolizavam a capacidade de o faraó zelar por seu povo assim como um pastor por seu rebanho. O cajado e o mangual também eram símbolos de Osíris, o deus do Além, e no ataúde de Tutancâmon, que originalmente continhas as vísceras do faraó morto, este segura as ferramentas cruzadas sobre o peito.
Debulhar grãos usando o mangual é muito trabalhoso.  Hoje, foram substituídos quase integralmente por maquinários modernos. A colheitadeira agrícola, como o nome indica, automatiza a colheita ao mesmo tempo que separa os grãos.

sr