mais uma vez :

Hoje me vi olhando umas fotos suas, minhas, fotos nossas. E me perguntei Onde foi parar todas aquelas promessas ou onde estariam as altas vezes que te deixei entrar aqui novamente. De repente, vi que uma lágrima rapidamente caía no meu rosto. Eu a enxuguei.
Não queria sentir aquilo tudo de novo, não queria interromper a cicatrização da ferida novamente, não mais uma vez, não outra vez. Eu sabia que se eu sentisse aquilo meu coração não aguentaria tanta pressão, porque aquilo era demais pra mim. Acho que meu coração cansou, não de bater, mas de apanhar de você. Então fechei o álbum de fotos, prendi o cabelo, deitei em posição fetal, respirei bem fundo e comecei a cantar aquela música lentamente. A música passava pela minha cabeça como um filme, sabe? Como aquelas trilhas sonoras intensas… Eu estava inevitavelmente embrulhada no teu sorriso, no teu cheiro, na tua voz. Mas pensei em mim ao me ver naquela situação, pensei em como eu estava naquele chão frio me sentindo vulnerável ás tuas lembranças. Pensei em como eu estava sendo uma idiota por estar vivendo aquilo mais uma vez. Então soltei o cabelo, fiz um chá, abri o álbum de fotos outra vez e pensei no que eu estava fazendo olhando para aquilo como se tivesse sido real… pensei no que vi num filme mais cedo “ a culpa não foi sua, não há com o que se preocupar, só viva. ” Daí eu olhei pra você, estava lindo… olhei e ri, meus olhos brilharam, como aconteceu na primeira vez que te vi, beijei a foto, fechei o álbum, peguei uma caixa e coloquei tudo o que me lembrava você dentro dela. Chorei um pouco, e falei para mim mesma “ é só o fim do meu novo recomeço”.

- Evellyn

Não quero mais saber o que ele come, se sente frio, se reatou com a antiga namorada, se continua lindo de morrer, se acabou comprando aquele tênis que eu disse que combinava com ele. Não quero saber nada disso. Quero virar autista e fingir que ele nunca existiu. Assim sofro menos. Assim vivo mais. Hoje eu reparei que as olheiras diminuíram. E que deixei de chorar. Me achei mais corada. Menos pálida. Mais bonita. Uma beleza melancólica. Tem um pouco de tristeza nos meus olhos. Mas vou me maquiar. Senti vontade de me arrumar. Pra mim. Para meu espelho. Pra me animar. Uma amiga me convidou pra um happy hour. Vou. Uns caras me olharam, me senti mais mulher, me senti bem. Quase não lembrei dele. Estou trabalhando bastante. É bom ocupar a cabeça. Parei um pouco de beber. Arrumei minhas gavetas. Joguei umas coisas fora. Decidi limpar as coisas por aqui. Acendi um incenso. Dancei sozinha na sala. Ri. Fui na padaria. Comprei pão francês e queijo cottage. Decidi dar uma volta no Ibirapuera. O dia está tão lindo. Encontrei uma velha conhecida. Conversamos. Marcamos um sushi para o dia seguinte. Fui jantar com a velha conhecida. Me diverti. Voltei pra casa, assisti um filme bobo, lembrei dele, chorei, sequei as lágrimas e me perguntei: por que estou chorando? Entrei no Facebook e vi uma foto dele com uma mulher peituda. Chorei mais. Dormi chateada e pensei isso-nunca-vai-passar. Comecei a caminhar todos os dias pela manhã. É melhor, vou para o trabalho com mais ânimo. Um cara bem interessante caminha por lá também. Não usa aliança, está sempre sozinho, ouvindo música e com o olhar longe. Parece eu. Me distraí. Esbarrei no cara. Ele se desculpou e sorriu. Nossa, que sorriso bem lindo. Senti uma coisinha no peito. Sorri de volta e segui andando. Na outra volta encontrei ele de novo, que sorriu mais uma vez. Para, que vou morrer aqui. Na outra volta eu já estava cansada, mas ansiosa por aquele sorriso. Ele sorriu. Me derreti. Parecia uma abobada. Voltei pra casa. No outro dia acordei feliz da vida, o cara sorridente ia estar lá de novo. E estava. E sorriu. E sorri. E ficamos nessa por uma semana. Até que ele pediu meu telefone, eu dei e ele me ligou. Quer ir ao teatro comigo? Quero. Enquanto eu me arrumava ele me ligou. Ele, que me deu um pé na bunda. Não atendi. Sorri. E tentei lembrar a última vez que lembrei dele. Não consegui. Talvez eu volte a acreditar no amor de novo. Talvez eu nunca mais sofra. Talvez. A vida é cheia de “talvez”, mas uma coisa é certa: o tempo ajuda. E não adianta você dizer que não e tentar lutar contra isso.
—  Clarissa Corrêa.
Status variados ❣️

Você disse some e eu somei. Eu disse some e você sumiu. Tudo na vida é só uma questão de interpretação. 💭

Tenho lá minhas fases… 🌙

Você é o meu pequeno infinito. 💙

Ela é aquele vazio cheio de tudo. ✨💕

Não há tortura pior do que ser vítima das suas próprias dúvidas. 💭😕

O amor ficou só que você se foi. 💔

O tempo é rei, a vida é uma lição. 💫

Depois? Depois o café esfria, a prioridade muda. ☕👌

Toda agitação do meu corpo se acalma com o seu toque. ❣️💞

To te deixando pra la, sabe? Também preciso de mim. 👊

Fica. Não suportaria dizer adeus mais uma vez. 😦

Eu quebrei meu coração em pedaços só para remendar o teu. 💭

Ela é assim: sorri pra todo mundo, mas carrega um tormento profundo. 💭

O céu esta lindo a lua também, hoje só deixo entrar aquilo que me faz bem. 🌙  💕

Floresça sua alma e não deixe que ninguém seja capaz de fazer suas flores morrerem.🌸

Com você ou sem você a vida continua. 

Se não for transbordar, não me enche. 🌊

Você sempre é a calmaria no centro do caos. ❤

Éramos conectados como bateria e carregador. É uma pena ter faltado energia 🔱

Meu pior defeito, é criar expectativas demais 😔🍃

Que sorte a minha encontrar você. 💕

Estar em paz é o melhor presente que você pode se dar. 🌸

Por mais difícil que seja, nunca deixe de acreditar em dias melhores. 🌈

Tudo tem seu tempo. E nada é por acaso. ⏳💭 

Para dias ruins: paciência. ⌛

Quem não sabe o que quer, perde o que tem. 💥

Mesmo que eu disfarce. Eu sinto tudo demais. 🌙

Eu tive uma recaída. Pensei em você mais uma vez. Já perdi as contas de quantas vezes isso aconteceu. Pensar em você é esse vício que eu não consigo deixar pra trás.
—  Aluador.
Foi difícil abrir mão. Deixar ir. Não lutar mais para fazer qualquer coisa que fizesse você ficar, que se quer te alcançasse, a ponto de você cogitar a ideia mais uma vez. Foi difícil desligar a luz do visor e cair na cama, me imaginando assim pelos próximos tempos. Foi difícil digitar as palavras que poriam um fim naquele tormento, nas perguntas que nunca teriam respostas. Tolamente cheguei a pensar que seria a coisa mais difícil que eu teria que fazer em minha vida. Que depois dali, tudo seria nada. Tola. Como sou. Como fui. Hoje, fui ousar pensar que estava começando a me adaptar com a ausência do seu rosto desconhecido e a angustia me pegou em cheio. Golpeou as minhas pernas e me fez prostrar anti o desespero de não ter mais a sua presença ilusória.
—  Detalhares . 
Mais Uma Vez
Legião Urbana
Mais Uma Vez

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem

Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente

Veja a nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem

Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar

Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança…
Quem acredita sempre alcança…
Quem acredita sempre alcança…
Quem acredita sempre alcança…

by Renato Russo e Flávio Venturine

5

Allen & Tim | The cute friendship |
Dedicated to my awesome Pri bby! @allenswalkers ♥ (๑❛ ▿ ◠๑ )

Larga o celular, o mundo hoje tá nos nossos pés, deixa seus Problemas pra depois e vem mais uma vez 🎶👏🍃💨

- VALENTE - Deixa Ela part. (A Banca 021)

Frases: 13 Reasons Why

É uma daquelas coisas que, depois que a gente nota, não deixa mais de reparar.

Afinal, quantas vezes a gente tem uma segunda chance?

Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo o impacto que tem na vida dos outros.

Eu odeio não saber mais no que acreditar. Eu odeio não saber o que é real.

Você abre o seu coração para uma pessoa e todos acabam rindo.

Talvez sejamos mais do que o mundo vê. Ou menos. Talvez nenhum de nós seja o que parece.

Mas até mesmo as palavras mais simples ficam presas na garganta e eu não consigo dizer nada.

Mas todo mundo virou as costas. Ninguém perguntou se havia algum problema comigo.

Não queria agir como se estivesse tudo legal, porque não estava.

Eu precisava tirar uma folga… de mim mesma.

Eu estava ali, por você, e você me mandou ir embora.

As coisas vão melhorar, ou piorar, dependendo do seu ponto de vista.

Não sei o que dizer. Mesmo se as palavras surgissem, minha garganta está tão apertada que não as deixaria escapar

Há várias maneiras de se sentir só.

E, mais uma vez, não tinha ninguém por perto para me ouvir chorar.

Não deixem que mude quem você é, não deixem que coloquem um rótulo na sua vida, não seja um reflexo no espelho, seja o reflexo da sua alma.

O problema é que não ficamos sabendo o que realmente sentem as pessoas com as quais convivemos.

Eu parecia a única pessoa a se importar comigo.

Tudo o que a gente realmente possui é o agora.

Se há uma coisa que ainda tenho, é memória. O que é péssimo. Se eu esquecesse as coisas de vez em quando, todos nós estaríamos um pouco mais felizes.

Ninguém sabe o que realmente acontece na vida de outra pessoa. E você nunca sabe como o que faz vai afetar outra pessoa.

E eu pensei que talvez, só talvez…Tudo ia ficar bem!

Será que a minha vida alguma vez tomará o rumo que eu quero?

É difícil ficar desapontada quando algo que você já estava esperando se torna realidade.

E isso, mais do que qualquer outra coisa, é o que resume toda essa situação. Eu… abandonando… a mim mesma.

Não dá para voltar atrás, para o jeito que as coisas eram. Do mesmo jeito que você pensava que elas eram. Tudo o que a gente realmente possui… é o agora.

Eu fiz o que ela pediu e fui embora. Quando deveria ter ficado.

E vocês repararam nas cicatrizes que deixaram para trás? Não. Provavelmente não. Porque a maioria delas não pode ser vista a olho nu.

Dessa vez, eu ia controlar o modo como as pessoas me enxergavam. Afinal, quantas vezes a gente tem uma segunda chance? 

me liga

e diz pra eu ser tua mais uma vez. uma última vez, como se fosse a primeira.
o amor precisa de mais chances valorizadas e menos desperdiçadas.

e.

Impulso falho sobre lágrimas inesperadas. As palavras foram despejadas, sem controle inicial. Alcançaram as estrelas visando descobrir um pequeno infinito. Preserve a sua essência. Meu peito transborda amor. Partir sem olhar para os lados, se distanciar, alcançar a força recuperada. O profundo destinado a ser julgado. Porte a verdade no olhar, visto a presença da esperança.
—  Celícia Freire. 

Conheço a dor da vida. Sei que às vezes os dias ficam cinzentos e os dias se tornam sem sentindo. A rotina te destrói, a cada minuto você se cansa de estar aqui; se cansa de viver em uma vida monótona onde tudo a sua volta é desprezo e dor. As horas passam lentamente, é como se você estivesse preso em um buraco aonde não existe luz ou vida. Você tenta se libertar da morte que é viver, e em cada esquina deixa um pouco de você. Seu quebra-cabeça está incompleto e a peça que falta é aquele teu sorriso, o qual perdeu por aí, depois de uma noitada, onde você ansiava por algo que te preenchesse, ou, depois daquela décima tentativa na qual você teve um timbre de esperança que iria dar certo, mas bem, era você e deu errado. E mais uma vez a vida marca um ponto a mais no placar. (Vida 11x0 você.) Sua ficha caí, você acorda e sua dor continua lá, e ela por muito tempo é sua única companheira. Cada hora que passa respirar torna-se mais difícil. Tudo o que você queria era que alguém te abraçasse e fizesse com que você se sentisse seguro, mas não vem ninguém, e você começa a se questionar se faria diferença estar ali ou não. Então você olha a sua volta e se encontra sozinho, e finalmente acha a resposta para sua questão. E isso só faz os dias piorarem e quando o céu chora, você se pega pensando se é por você, mas algo te diz que ninguém se importa , não é mesmo? Seus amigos não te conhecem de verdade, sua família não sabe o que se passa dentro de você. Mais uma vez você se questiona se eles sentiriam a sua falta, e você olha no fundo dos olhos deles e pensa que estes estariam melhores sem você. O mundo estaria melhor sem você. Você não é ninguém, você não é nada! Burro! feio! idiota! trouxa! monstro: É o que você olha no espelho e enxerga. É no que se tornou. E então mais um dia começa e você deseja apenas duas coisas. Primeiro: Que o dia acabe logo. Segundo: Que você não seja você. Tem sido difícil viver dentro do seu corpo, tem sido difícil viver sua vida. Então nessa dura caminhada você encontra mais dois acompanhantes: O medo e a angústia. E mais uma vez você está sem saída, e a cada dia que passa sua autoestima diminui e parece que sua alma fica mais pesada, nada do que você faça pode liberta-lo disso. Um grito de dor fica preso em sua garganta, lágrimas doem ao saírem de você, porque é somente isso o que você tem a oferecer: Dor. Você não quer isso, nunca quis. Então para pra pensar onde se perdeu e para qual caminho deve voltar, mas não existe, você está longe de casa. Está longe de ser aquela pessoa feliz de meses atrás. Sorrir dói, viver dói. Sentir dói, não sentir o deixa mais confuso ainda. Seus pensamentos te destroem e torturam a cada noite, sua mente é sua maior prisão. A guerra infindável contra seus demônios o deixam sem forças, e não existe mais luz dentro de você, não existe mais saída ou solução, mas eu quero te dizer que existe. Eu estou aqui depois de passar por tudo isso, aprendi que o sol morre todos os dias mas ele nunca deixa de brilhar, mesmo depois de dias chuvosos, o sol sempre nasce outra vez. Você pode voltar a brilhar! Você pode vencer todas as suas lutas! Existe sim, saída. Eu acredito em você todos os dias! Você é amado, você é lindo, você consegue! Não é fácil e jamais será, mas quando você aceita e passa a acreditar, as coisas mudam. A vida a cada dia te dá uma nova chance, use a seu favor. Acredite! Viva um dia de cada vez, e eu sei, tudo vai melhorar. Chute a pedrinha que se acomodou no seu sapato para bem longe ou calce um novo e corra atrás da sua vida, pegue-a de volta e você encontrará seu caminho de volta para casa. Você não está sozinho! Os caminhos são tortuosos mas nada te impede de enfeita-los. Queira e creia que tudo irá ficar bem. Dias melhores virão e você vai ver que no meio dessas lutas muitas coisas vieram para te fortalecer. Hey, não desiste não. A vida é dura mas vale a pena ser vivida. Eu acredito em você.

As relações humanas são complexas e muitas vezes sem sentido. Você conhece uma pessoa que te faz um bem sem igual e conversam o dia todo, toda hora. Os Papos variam sobre tudo: filmes, comidas, animais, dia a dia, etc.. Os encontros são perfeitos, exalam uma mistura de tesão, química e romance. Você tem certeza que é isso que quer pra sempre, que achou a pessoa da sua vida.  Os dias passam, tudo continua igual e o pensamento de ter encontrado a pessoa certa só cresce na sua cabeça. Passam-se os meses e tudo começa a ficar mais morno: o toque, a sensação e até mesmo o sentimento não é mais o mesmo. Mas ok, tudo entra em uma rotina. Certo? Errado! Mas continuamos, afinal, hipoteticamente, fomos feitos um para o outro. Até mesmo na cama não é mais a mesma coisa, virou rotina. Deixou de ser tesão, passou a ser um mero prazer. Os anos começam a passar e a relação está praticamente acabada. Bom, pelo menos isso está subentendido, mas lutamos para que não seja assim, afinal, não podemos viver sem essa pessoa. Certo? Errado mais uma vez! Passamos um tempo, por mais longo que seja, com uma pessoa e então esquecemos como podemos ser ainda melhores sozinhos. O que no começo era gostoso, primordial e essencial, agora passou a ser obrigatório. Uma necessidade sem fundamento. Um medo de ficar sozinho, sendo que antes disso você sempre se deu muito bem só, mas se esqueceu como é. Não podemos nos sentir obrigados a estar com alguém, só porque deu certo em curto período. Foi ótimo? Foi. Fez-te crescer? Demais! Arrepende-se de algo? Jamais. Mas não se prenda ao que não lhe engrandece mais. Não crie falsas correntes, elas acabarão te machucando cedo ou tarde. Você sempre foi bom sozinho, isso não muda agora.
—  Pedro Peixoto.
02 de Maio de 2017.
Estou escrevendo, para te agradecer. Sim, agradecer. Por ter me deixado. Agradecer pelo seu descaso com a minha tristeza, quando terminamos. É que.. Sabe o que é? Alguém me encontrou no meio do meu caos, e, está curando todos os resquícios de frustração, que você deixou. Ele tem sido meu alento, e meu acaso favorito. Se você não estivesse saído da minha vida, eu não conheceria o quão forte sou. E muito menos, até onde poderia suportar. Fui obrigada a matar um leão por dia, desde sua ida, e eu me achava incapaz de enfrenta-los. Pois bem, sou capaz, e estou aqui para te agradecer. Não estou sendo irônica e nem estou fazendo isso para lhe magoar, estou aqui para te dizer que não haverá mais ligações desesperadas no meio da noite, encontros que eu sempre fazia questão de fingir que eram inesperados quando na verdade eu sabia onde você estava e o mais importante, não irei mais lhe mendigar afeto. O seu descaso me fez mal, mas agora eu percebo que o mal me fez bem e por isso eu só queria te agradecer. Obrigada por me destruir, eu nunca teria descoberto que meus pedaços poderiam construir outras formas e continuar sendo meus. Teu desamor me fez me amar mais. É, pois bem, mais uma vez eu lhe agradeço. Eu achava que não sabia lidar com términos, partidas e despedidas, mas você me mostrou o quanto eu sou forte e o quanto eu posso ser o que eu quiser ser. Sabe aquele medo que eu tinha, que além de você, eu não conseguiria mais ninguém e ficaria sozinha para o resto da minha vida? Então, passou foi embora junto com você, e meu coração partido em pedaços me transformou em uma nova mulher, me mostrou o melhor que posso ser. Então obrigada, por me deixar no fundo do poço e mesmo assim me fazer reerguer, ainda mais forte.
—  Escrito por Anelise, Kelly e Jasmyne em Julietário.