mafia perry

  Dashor is a country known globally for its culture, music and especially its crime. For almost a century the five families of its capital city, Trille, ran country more effectively government could, although not peacefully. Up until twenty five years ago, there was an intense rivalry between the mafia families. Then when Anthony, don of the Delgaard mafia took charge, he managed to persuade the other dons that their approach was doing more harm than good, and they should each be in charge of their own businesses, instead of fighting over which family could run the same businesses better than other.

  So now each of the families run one major dealing, no more trying to be on top. They’re equal and all do business with each other. The five mafia families each in charge of one of the following: weapons, drugs, prostitution, gambling, loan sharking.

   It was going well and they lived in relative harmony until Anthony was killed. Whilst his underboss’ son, the dons protege took over as don with the aim over continuing his mentor’s legacy, the unloved son, Ricardo, wanted power, wanted revenge. For now he is lying low, scared to move against a united front, but he is plotting, scouring dark alleys and smoke-filled bars for accomplices to destroy the peace and gain more power.

  Still, even without Ricardo’s plotting, the peace might not last.  The envy and suspicions never disappeared between the families and it became clear that one little spark would be enough, to make everything Anthony had worked for go up in flames.

RULES

  • be active. post starters in the verse. send memes to others, just interact.
  • no OOC drama or hate. IC drama is definitely encouraged! 
  • track the following tag: GV.THE WORLD IS YOURS
  • RICARDO DELGAARD will be a NPC, updates will be posted on the gv blog.
  • standard roleplay etiquette is a must here regarding age.
  • all characters are welcome.
  • NO FORCE SHIPPING. Any and all ships are possible.
  • all submissions are to be sent to the group verse blog ( GVTHEWORLDISYOURS )
  • follow the blog once you’re accepted, for regular updates
  • applications can be sent through the ask/submit.
  • characters do not all have to be in or affiliated with the one of the families, we’d also love some outsiders who run small businesses and pay ‘protection fees’.
  • each member can have two permanent characters.
  • all members are entitled to create temporary characters to further plots, these characters can be killed off.
  • HAVE FUN!

APPLICATION

Mun Name & Age:
Timezone and Activity Level (1-10):

Character Name & Age:
FC:
Occupation:
Affiliation (if applicable):
Short Bio:

Keep reading

the jaxter feel good inc collection listen here

clumsy fergie | halo beyonce | feeling good michael buble | pompeii bastille | don’t you worry child swedish house mafia | e.t. katy perry | clarity zedd (ft. foxes) | electric blue the cranberries | safe and sound taylor swift (ft. the civil wars) | david noah gunderson | uneasy hearts weigh the most dance gavin dance | escape muse | demons imagine dragons | off to the races lana del ray | one lonely visitor chevelle | knights of cydonia muse

KATY PERRY - WIDE AWAKE is a promotional single for divulgation of Katy Perry: Part Of Me, movie about life of Katy. They’re inside in the your new album relaunch Teenage Dream: The Complete Confection. This song is amazing, 4th July 2012 is premiere of your movie, go kittens, we all love Katy Perry. :3 (EternalMemorys.tumblr.com)

I’m wide awake

Yeah, I was in the dark
I was falling hard
With an open heart
I’m wide awake
How did I read the stars so wrong?

I’m wide awake
And now it’s clear to me
That everything you see
Ain’t always what it seems
I’m wide awake
Yeah, I was dreaming for so long

I wish I knew then
What I know now
Wouldn’t dive in
Wouldn’t bow down
Gravity hurts
You made it so sweet
Till I woke up on
On the concrete

Falling from cloud 9
Crashing from the high
I’m letting go tonight
Yeah, I’m falling from cloud 9

I’m wide awake
Not losing any sleep
I picked up every piece
And landed on my feet
I’m wide awake
Need nothing to complete myself, no

I’m Wide Awake

Bottle Rocket

O administrador adentrou a pequena colmeia.
- Senhor Brand… - Ele começou - A suíte oposta ja havia sido reservada para a senhorita Katy Perry, seria um problema se ela ocupasse aquele quarto?
Obviamente não. Aquilo a colocaria diretamente na esfera de minha influência. Geografia é o destino, como já dizia Napoleão, se ela está no quarto oposto ao meu, eu vou ser capaz de persuadir seus miolos. Ela era a ovelha indo para o abate!
- Pode trazê-la, Jeeves! - Eu gritei para o administrador, que naquele momento partiu.
Nik tinha ouvido a a pergunta e minha resposta arrogante.
- Hey, tenha cuidado cara. Eles a chamaram para fazer a sua introdução, a última coisa que precisamos é de você criando confusão uma noite antes da premiação.
- Meu querido.. - O contrariei - Meu esperma é um elixir, se eu o oferecer a ela uma noite antes da premiação, ela fará a performance da vida dela!
- Ei cara, ela está no quarto ao lado. E se você a magoá-la? Você sai com ela e logo após ela pode eventualmente te ver com a camareira, alguma groupie, a assistente dela, ou o maquiador, ou qualquer outro…
- Ok, ok… - Eu concordei. - Você tem a minha palavra de cidadão britânico, eu não irei seduzir a senhorita Perry até depois da premiação.
Eu estava secretamente emocionado com o fato de Nik achar que eu facilmente a encantaria, já que eu mantinha uma grande curiosidade sobre ela desde o nosso beijo no ano anterior.


(…)


Nós estávamos no auditório, que um dia antes da premiação se tornava um grande inferno de atividades envolvendo luzes, sets sendo montados, pessoas do crew em constante movimento e várias estrelas presentes para ensaiar,
- A coisa sobre mim é…- Eu anunciei para a assembléia - É que eu sou um feiticeiro com os pássaros, um alquimista. Você coloca uma mulher na minha frente e eu vou hipnotiza-la com a minha magne pura.
Na verdade eu estava planejando dizer magnetismo, eu tinha todo um discurso brilhante para dar sobre a minha capacidade sobrenatural com as mulheres mas tive que parar para observar a garrafa que estava arqueando na direção da minha cabeça do outro lado da sala.
Um baque. Ai.
A garrafa bateu a direita da minha cabeça e embora fosse de plástico estava meio cheia meio vazia e dependendo da sua perspectiva isso machuca.
Todos riram.
O que eu tinha feito para merecer tal insubordinação? Eu examinei a trajetória do míssil em busca de pistas para revelar o culpado - e lá estava ela. Radiante e satisfeita consigo mesma, escondida por um óculos escuro, com um gorro e moletom amarelo que tinha uma girafa como se fosse um fantoche escondendo a mão da manga direita estava Katy Perry invadindo o riso que ela mesma criara.
- Ei Brand. - Ela falou confiante.
“Vamos cérebro, vamos lá”, pensei, mas meu cérebro não estava funcionando corretamente, eu acho que talvez por causa da garrafa.
Meu estômago ficou estranho. Como se eu estivesse doente.
- Pegou na cabeça não é? Um alvo fácil, e grande, ainda mais com esse seu cabelo ridículo.
Os rapazes, os meus rapazes riram. Assim como o pessoal da MTV e alguns da tripulação que pararam pra olhar.
- Sua mira foi impressionante, especialmente porque você está usando óculos escuros em um lugar fechado, você deve ser cega… O que iria de certa forma explicar sua decisão de usar esse moletom ridículo.
Katy não perdeu tempo.
- Sabe, é meio difícil receber conselhos de moda de um cara que parece uma travesti preguiçosa.
- Aham, eu sou bem feminino. - Falei ordenadamente. - Se for comparado a você…
Eu estava me saindo bem considerando a lesão em minha cabeça e a sensação estranha no meu estômago.
Marchei até ela e comandei que ela tirasse os óculos.
- Melhor eu não tirar nada que está em mim perto de você, eu posso pegar herpes.
Esse joguinho não estava funcionando do meu jeito, então eu habilmente a sequestrei da multidão, que eram cerca de 30 pessoas, para saber se eu conseguiria deslumbrá-la melhor sem audiência.
Ela tirou os óculos escuros, e eu achei que isso iria me dar vantagem, mas só senti meu estômago revirar ainda mais. Ela tinha olhos muito bonitos. Grandes e questionadores. Brincalhões e carinhosos.
Longe da multidão, minha sagacidade talvez retornaria pelo caminho certo.
- Seu bracelete… - Comentei - É legal.
- Se você pensa assim… Obrigada.
Era um bracelete de Alexander McQueen, aro simples com dois crânios que se enfrentavam nas extremidades.
Sem dizer nada ela sorriu, tirou o bracelete e colocou em mim gentilmente me algemando.
E então o gerente de palco veio avisar que eu precisava ensaiar a introdução.
Espremido em na minha cabinezinha glamourosa, como se fosse um Roudini relutante, escutei Katy cantando no palco de um jeito sem entusiasmo, o jeito que todos fazem no ensaio, é como se eles não pudessem ser incomodados, cada sílaba era transmitida de um jeito gritado.
“Gonna take on the world some day. You got blood on your face, you big disgrace wavin’ your banner all over the place. We will, we will rock you!”
Encarei o meu nome no telão lá atrás e nervoso desci as escadas. Olhei para ela e a sensação de vertigem ficou pior.
- Senhoras e senhores. - Disse ela - Por favor recebam a maior “rainha” que já conheci, Russell Brand.
Sorri, caminhei e passei por ela, e a minha maior vontade era tocar seus cabelos.
Quando cheguei ao final da passarela para fazer meu monólogo o palco onde Katy estava, tinha sido reduzido para dar espaço para a atração seguinte.
Minha sagacidade retornou, como eu sempre soube que seria.
- Obrigado por essa introdução. - Comecei gesticulando para ela atrás de mim. - E lá vai ela, Katy afunda sem deixar rastros.
Apenas a cabeça dela passou de vista.
Katy e algumas amigas estavam penduradas ao redor do mixer. Eu senti o bracelete no meu pulso. Eu não queria devolver para ela mas não seria cavalheirismo da minha parte ficar com ele.
- Hm… Estou indo então.
- Ok.- Ela disse sorrindo.
- Nós deveriamos manter contato. - Falei, mesmo sabendo que ia vê-la no award que tínhamos acabado de ensaiar.
- Ah sim? - Indagou ela - E como vamos mantê-lo? Por sinal de fumaça?
Agora eu estava com falta de ar e tudo estava quente. Ela estava flertando comigo. Acho que ela estava flertando. Todos meus instintos estavam afetados pela garrafada na cabeça e a sensação estranha no estômago.
- Você poderia pegar o meu número?- Eu disse e ela o pegou.
- Ah eu esqueci de devolver isso. - Falei agora tirando o bracelete do meu braço, mas antes que eu o fizesse ela me interrompeu.
- Tudo bem fique com ele… Pra você se lembrar de mim.
Comecei a entender o que aqueles sintomas representavam. Eu olhava pra ela e os sentia. Encarei os olhos dela e pensei comigo mesmo: Não preciso de nada pra me lembrar de você.
Foi assim que me apaixonei.
No outro dia nós fizemos o show. Eu carreguei o bracelete no meu bolso mesmo sabendo que ela estava lá. Naquela noite fomos ao nosso primeiro encontro, ela foi engraçada e fofa mas o mais importante é que ela emitiu um poder gentil que me fez querer ser alguém bom.
Você pode achar fútil eu achar que ia me casar com ela desde a primeira vez que a encontrei, mas a verdade é que me apaixonei desde o momento em que ela jogou aquela garrafa em minha cabeça.
Como o cupido em um motim.
Desde o primeiro encontro eu mudei, sem mais nenhuma outra mulher. Na verdade milhares de mulheres, acordo com uma diferente todo dia. Todas são ela.
Ela está dormindo do meu lado agora, tranquila e silenciosamente sedutora, é impossível aliá-la com aquela menina incandescente que brilha durante o dia. Sua mão está em seu ombro e eu consigo ver o anel que dei pra ela quando a pedi em casamento no ano novo na Índia, debaixo de uma lua cheia, uma lua azul.
Em uma lua azul ela disse sim. Ela me escolheu, me engarrafou e me algemou. E agora essa é a minha vida, minha menina, essa mulher maravilhosa. Apenas ela e a revolução.

(Trecho retirado do livro Booky Wook 2 - This Time It’s Personal, escrito por Russell Brand)