lonelyness

quando a solidão te aperta, o tempo parece que não passa e tudo a sua volta assemelha-se à loucura. quando a solidão te quebra os ossos, você não tem para onde ir: fica estagnado, enquanto todos ao seu lado viram pó ou, simplesmente, aceleram os passos para longe de ti. quando a solidão te rasga por dentro, você sangra e ninguém vê; acaba por afogar-se na imensidão oca e rubra que se tonara. quando a solidão vai embora - raramente, pois insiste em permanecer -, você já não consegue se recompor. tudo o que sobra é sinônimo do nada. são trevas e você ainda está só.

(k.x.)