loliveira

Vai, deixa-me dizer que sinto a sua falta. Deixa-me chorar sentada com a cabeça apoiada em cima dos joelhos. Deixa-me aproveitar esse momento em que as minhas fraquezas vieram à tona. Tá difícil, eu empurro a dor, o amor, todos os sentimentos, mas está difícil escondê-los, principalmente quando ouço aquelas músicas que me lembram de ti. Sempre querendo me fazer ver o que sentia por mim através da musica, oferecia o fone de ouvido para mim e dizia que era para eu escutar e prestar atenção “na letra que era linda”. Olhava-me nos olhos com um meio sorriso, com medo de eu perceber o que você queria me falar, mas a coragem não deixava você dizer, e como sempre eu não entendia. Até o momento de tu transformares o indireto no direto, dizendo que me amava e não aguentava mais guardar dentro de ti. Deixa? Deixa-me lembrar daqueles nossos momentos, da sua voz ao me dizer que me amava. Deixa-me ser fraca e lembrar de ti mais uma vez. Como é difícil essa vida de um a pessoa sempre forte. Como qualquer viciado tem a sua recaída, essa carta está sendo a minha, você foi a minha droga favorita, não serás tão fácil de sair do meu sangue assim. Mas amanhã estarei fazendo o mais amargo dos cafés e me arrependendo por ter escrito tais coisas. Vou tirar a poeira da minha roupa, apoiar na mesa e levantar, confirmando que não preciso mais de ti. Tomarei o café, deixarei uma lágrima cair, e sorrirei por perceber que estou batalhando arduamente para tirar você de mim. (Be Hopeless)