lleonardoabreu

Realidades diferentes: erradas ou simplesmente desconhecidas?

É engraçado como nosso cérebro tem uma grande capacidade de nos enganar de forma cega e sem provas de coisas que nós provavelmente mudaríamos de opinião.

Um exemplo disso, é quando vemos uma pessoa nova e fazemos um julgamento rápido, inconsciente e quase sempre maldoso do modo como ela pode ser. Outro exemplo é quando nosso cérebro julga as pessoas ao nosso redor, próximas ou não, pelas atitudes: sexualidade, alimentação, hobby, ocupação, gostos e mais uma infinidade de ações pessoais ou em grupo tomadas pela pessoa julgada.

“Eu? Claro que não. Nunca julguei alguém de nenhuma dessas formas ou qualquer outra!”

Primeiro, não minta pra mim.

Segundo, não minta pra si mesmo (a).

Como eu já disse antes nem sempre é uma vontade nossa, o nosso cérebro julga involuntariamente qualquer pessoa, coisa, ação ou sentimento que nos rodeia como forma de proteção da saúde, integridade e ideais. Ele só quer que você continue sendo a mesma pessoa, pois isso é mais agradável. Mudanças são normalmente encaradas com stress e qualquer pessoa, coisa, ação ou sentimento que possa te influenciar com mudanças é quase que instantâneamente rejeitada.

Bem, eu também julgo e na maioria das vezes não é inconsciente. Me considero uma pessoa malvada e de maus costumes, mas sabe, eu não me orgulho disso. Costumo me desculpar com os outros, tento conhecer melhor o mundo onde vivo, me arrependo do que fiz.

Agora um concelho para você e para mim. Toda forma de julgamento precipitado e preconceito são nada menos que a ignorância dos fatos que escondem uma verdade comum e nada assustadora. O que temos que fazer é ouvir o que as outras pessoas tem a dizer e saber mais sobre os assuntos que você não conhece, só assim teremos um mundo mais agradável e amigável.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Incertezas de um Caminho Obscuro

Assim como nos tempos mais antigos até os dias atuais, sempre existiram pessoas amantes de um lugar chamado zona de conforto. Um lugar bom, conhecido e sempre previsível. Perfeito.

Eu, como bom amante das coisas boas, obviamente, também sou fã de ser morador de um lugar que eu sei que nunca me decepciona e cura feridas que outros lugares conseguiram deixar… Agradável, essa palavra corre da minha língua direto para o ar toda vez que penso em voltar, mas sempre tem algo ruim, algo que me puxa pra longe disso, acontecimentos, pessoas, coisas ou o tempo. Pessoas como eu sofrem com essa queda do paraíso, não apenas pelo conforto ser violado, mas também pela violência que isso costuma acontecer. É como se nós estivessem em feto com apenas cinco meses de vida e de um momento para o outro escorregassem ventre á fora.

Nesse exato momento estou obrigado a sair de toda a paz da confiável monotonia que agrada para ter que enfrentar algo que de fato é inevitável. Estou crescendo a cada dia mais e isso me aproxima das obrigações e responsabilidades de uma pessoa adulta, essa aproximação me assusta e conforta ao mesmo tempo. Só de pensar que em pouco tempo vou ter minha liberdade parcial no mundo já me deixa feliz, mas quando penso sobre o que terei que esperar e passar enquanto isso não chega me desanima, e muito. Correria, falta de tempo, pressão… será que vale esperar e passar por isso pra ter de volta algo que eu já tenho agora? 

Sinceramente eu não sei, mas se eu tivesse uma opinião mais formada sobre isso com certeza seria um “acho que não”. Não sei se estou preparado pra o que esta por vir, ainda mais agora que vi que terei de enfrentar tudo isso sozinho, sem apoio de amigos, porque destes inevitavelmente e infelizmente estou afastando, ou família, já que crescer é algo que só eu posso fazer por mim.

Enfim, agora é esperar e enfrentar. boa sorte para mim é para os que estão ou estarão na mesma.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

A Roseira e as Daninhas

Quando nós percebemos já era tarde demais.

A erva-daninha está matando nosso pé de rosas.

Lembra-se quando nos conhecemos?

Comprimentos diários, comentários sobre a vida.

Quem diria que de notas musicais nasceríamos eu e você?

Crescemos, amamos, acompanhamos, ajudamos e criticamos.

Vivemos disso, diariamente, por tantos anos que já se tornou um habito olhar ao seu redor para me achar lá.

Mas a erva-daninha está matando nosso pé de rosas.

O pé da semente caída de notas musicais.

A queda não intencional de futuro broto cresceu rápido e forte.

Desabrochou diante do mundo para que todos vissem a beleza do que tínhamos juntos.

Porque? Porque não vimos o inicio da praga?

Será que o verde não chamou nossa atenção o suficiente para que matássemos antes que atingisse?

Não sei.

Eu. Você. Nós.

Os culpados do enfraquecimento e murche das rosas.

Porque você não me avisou? Não me contou?

Porque eu não perguntei? Não insisti?

Ainda não sei.

 Mas a erva-daninha está matando nosso pé de rosas.

Estaríamos, nós, prontos para enfrentar a praga juntos?

Teríamos, nós, que planta-lá de novo? E caso sim, daríamos estrutura para ela crescer novamente sem que algo a matasse?

De fato deveríamos tentar.

Claro. Sempre terão formigas, doenças, seca, calor, Sol…

Afinal, dificuldades é algo que todos enfrentamos.

Quando nós percebemos já era tarde demais.

A erva-daninha está matando nosso pé de rosas.

Do seu Amigo de Sempre.

Leonardo De Abreu.

Os Namorados e as Pizzas de Calabresa

Para manter uma amizade, agente engole a mesma história mil vezes.

Mesmo quando não gosta dela!

É a terceira vez que a Ju me conta a mesma história. Sim, eu sabia aquele detalhe. E aquele outro? Eu sorria: aqueles todos outros também. Amigos e amigas quando gostam de alguém falam. E ilustram.  E querem compartilhar, é natural. E é natural também que queiram compartilhar três vezes  seguidas na mesma conversa, só para ter certeza de que todo mundo entendeu o quanto “marcos é o garoto mais lindinho e queridinho da face da terra” ela já contou de…? Provavelmente, já.

E não tem nada de errado com isso, certo?

ERRADO.

As repetições cansam. São só um monte de detalhezinhos e micromimimis que saem. E quando termina o namoro? A gente ouve as reflexões também. To-das. Os “e se”, os “ eu nem gostava dele”. Tudo, é claro, mais de uma vez (aí que fica um saco).

Porque, sim, se torna um saco.

É um saco que nem quando a sua melhor amiga quer sair com aquele menino, mas ela não vai sozinha. Quem ela vai levar junto? E, no meio do filme, quem vai ficar conversando com a pipoca?

É um saco que nem ter que emprestar o resumo de estudos (que você ficou horas fazendo) e ver casais se beijando em público. Vamos lá, amigas mais fiéis, podem confessar agora. Ter amigos e amigas é legal quando a gente se reúne e como pizza, vê filmes, vai a festas, pronto. É legal quando pagam a entrada do cinema para você, já que, acidentalmente, você esqueceu o dinheiro.

Engraçado como agente nunca pergunta para os nosso amigos se eles acham isso um saco. Esses tempos, eu e uns amigos tínhamos comprado ums pizza e uma das garotas começou a colocar as calabresas no canto do prato. Uma a uma, quieta, calabresa por calabresa. Resolvi, por fim, perguntar o por quê.

“Então, sabe o que é? Eu não gosto muito de calabresa, mas como todo mundo gosta…”

Ninguém tinha falado nada antes. Ninguém perguntou pra ela “pode ser de calabreza? Deve ser um saco quando seus amigos gostam de calabresa e você não.

Fiquei me perguntando quantas "pizzas de calabresa” não deveriam haver nas minhas amizades. Quantas vezes eu já liguei de madrugada antes da prova de alguém… Acho que nem perguntei se eu poderia ligar, ou ao menos se acordei.

Quantas vezes já enviei, reli e reenviei conversas do msn para amigas só pra ter aquela certeza de que “Ele tá mesmo afim de mim?” Será que elas estavam interessadas? Eram essas situações as “pizzas de calabresa” das minhas amigas?

Por isso eu agora quando vejo aquela menina de novo eu sorria. Eu sorria porque é só o que resta para fazer em situações como esta.

(LUÍSA GEISLER - Texto retirado da revista CAPRICHO, edição novembro/2011)

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

HeartBreaker II : Beleza... Será uma boa?

LINK “HeartBreaker I : Galã… Por que não eu?”

Algo que é obvio, é o fato de muitas pessoas estarem apenas mal-arrumadas. Tem também aquelas pessoas que a maioria não acha bonita, mas não que ela não seja, ás vezes apenas não repararam nela ou se não as pessoas não sabem reconhecer uma beleza diferente dos padrões, algo exótico. Mas hoje em dia tem muitos estilistas buscando pessoas que a maioria das pessoas jamais diriam que poderiam ser modelos. Tudo isso graças a uma certa abertura nos horizontes que esta sendo feita com mais freqüência nos dias atuais.

Não. Como eu tinha dito antes, não estou dizendo que todos são bonitos, tem aquelas pessoas que não estão apenas fora dos padrões ou com uma beleza diferente, tem pessoas que são desconcertadas fisicamente, aquelas pessoas que não tem como dizer que ela é bela pelo simples fato de ela realmente não ser, talvez por dentro até que ela seja, mas por fora você já pode constatar que não.

Nem todos que são belos por fora são por dentro, Nem todos os que são feios por fora são feios por dentro. Assim como tem aqueles que são lindos por dentro e por fora, tem aqueles que são um horror ambulante dentro e fora. Tudo é muito relativo, sabe?

Mas obviamente a beleza que esta dentro vale mas do que a de fora, porque a beleza física um dia, não importa o quanto demore, irá passar; e os valores e sentimentos são algo gravado em pedra, só se desfaz se for quebrado. Por isso se estiver procurando alguém para amar, uma pessoa pra você dedicar o seu tempo, o seu carinho e o seu zelo, não procure por beleza, nesse caso tanto faz se há a beleza física ou não, o que vale é o coração dizendo que aquela pessoa é a certa. Agora se você apenas estiver procurando alguém para algo casual, bem, daí já uma coisa sem sentimento, algo apenas para satisfazer sua sede física, procure alguém que seja ao menos bonito. O “ficar” de hoje em dia já é algo feio, se você “ficar com uma pessoa feia daí piora não é?

Tudo o que estou dizendo aqui é algo bem clichê, eu sei. Mas tem pessoas que ainda não estão satisfeitas com o que tem… E sabe? Eu também não estou feliz com tudo em mim. Eu mudaria pelo menos quatro coisas no só no meu rosto. Daí você pensa: “Se nem esse menino pensa do jeito que ele escreve, por que é que ele está me dizendo que vale mais a beleza interna?”

Pois não porque eu peguei gripe que você tem que pegar também, sem contar que todo dia eu digo pra mim mesmo: “ Eu posso até não ser o mais belo da minha escola, nem o da minha família, mas pelo menos eu tenho um coração que bate e uma alma que sente. Eu sou um “divo” e até que me provem o contrário eu vou continuar sendo.”

Pense nisso.

Obrigado por ter lido até o fim o meu texto, é por pessoas como você que esta ai do outro lado do teclado, que eu calejo meus dedos sempre que me inspiro a escrever.

Do seu amigo de sempre,

Leonardo De Abreu.

No Amor E Na Guerra

Desde quando eu era menor, eu sempre ouvi “Vale tudo no amor e na guerra”, com base nisso tentei criar pra mim um outro eu, uma pessoa determinada que tomasse essa frase como filosofia pessoal… A tática era simples e aparentemente a prova de erros, eu deveria me tornar uma pessoa mais determinada e independente, alguém que não recuasse em dificuldades. “Quase perfeito”, eram as palavras que definiriam um novo eu, que me ajudaria a alcançar os meus objetivos de vida.

Todos esses procedimentos para as minhas mudanças não valeram muito, pois na vida real não bastam planos. É como se quando você fosse a praia você construísse um castelo de areia e quando você terminasse, viesse alguém e metesse o pé. Você pode planejar tudo, só não conte que isso dê certo.

Segui os meus planos até onde consegui, tudo parecia seguir muito bem até eu perceber que eu faço as minhas escolhas, mas não escolho as minhas opções de escolha. Confuso não é? Eu também achava, até viver o que estou vivendo, e você também só irá entender quando seus planos e caprichos pessoais forem substituídos pelas vontades de alguém maior, ou até que tudo seja alagado pelos seus sentimentos.

Só espero que você não se frustre assim como eu, ou desista de lutar pelo o que você quer assim que a primeira pedra aparecer no seu caminho.

Eu voltei ao que era, estou lutando para conquistar o que eu almejo, só que dessa vez tento conquistar com o que tenho agora, o que tenho pro momento, não faço mais planos. Entrego tudo nas mãos de algo maior para que me ajude, mas também não espero que tudo caia na minha mão pronto, apenas para eu por o meu nome.

Bem, o texto pode até parecer inútil a primeira vista… Talvez a segunda também. (risos) Só espero que entendam a mensagem.

Do seu amigo de sempre,

Leonardo De Abreu.

Rumos

É engraçado a forma como as coisas mudam em nossa vida.

Um dia você pode estar tão feliz com tudo o que acontece na sua vida, mas no seguinte você talvez já sinta saudades de quando sua vida era diferente, talvez “mais legal”.

Aquelas pessoas que hoje te fazem sorrir, amanhã podem ser o motivo da sua lagrima.

Aquilo que antes te deixava confuso, hoje pode ser a razão na qual você procura a sua paz.

Mas, apesar de tudo isso, nunca se tem a certeza da felicidade, a única coisa que se sabe é que a vida muda, e você muda junto com ela, com todas essas mudanças seus gostos são afetados e seus sentimentos também. Sentimentos e conexões com antigas pessoas tem prazo de válidade qualquer, agora vale, mas nesse momento já não importa mais. Não se agarre as coisas de seu mundo, pois quando elas cairem ou não significarem mais, você sentira o vazio tomando conta de você, um buraco com camadas cada vez mais doidas, que apenas dores futuras te farão esquecer.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Obrigado Mother Monster

Essa semana tem sido bem diferente de tudo o que ja vivenciei.

Terça-Feira. Na escola, sem eu nem mesmo saber o porque as pessoas começaram a me tratar diferente, como se a minha presença fosse algo dispensável… Comecei a pensar mais sobre isso e percebi que na verdade as pessoas não tinham começado a me tratar estranho naquele momento, aquilo já vinha de muito tempo atrás, desde que eu comecei uma vida social. Mas naquele dia senti que tudo poderia mudar.

Apesar de me sentir revoltado e rejeitado, fiquei na minha até a hora da saida e cheguei em casa chorando, enxuguei as lagrimas para que ninguem as visse e logo depois corri para o banheiro para chorar mais um pouco. Na verdade eu não via um motivo para chorar por algo que vinha de tanto tempo atrás mas isso mesmo assim me fazia triste.

Almocei e vim para o computador. Entrei um pouco no Twitter para ver atualizações sobre o mundo e acabei vendo a seguinte frase:

“Você corre atrás das pessoas por medo de perde-las, mas quem corre atrás de você?”

- Lady GaGa

Percebi que além da solidão que agora me rondava, não havia outros motivos para eu chorar.

Eu sempre me dediquei 110% para ser o melhor amigo de todos, aquele que você pode pedir concelhos, conversar… Enfim, melhor amigo. Porem, apesar de todos esses esforços eu ainda sim era muitas vezes ignorado e vezes até indiretamente magoado por aqueles que eu tanto considero. Qual o motivo pra eu ter que aguentar isso deles sendo que nem consideração por mim eles tem? Nenhum. Não existe nenhum motivo pra isso.

Graças a Lady GaGa, estou “inaugurando” uma nova fase em minha vida, uma fase aonde finalmente eu vou amar a mim e não as outras pessoas que não meressem meu amor, carinho e atenção.

Todas aquelas vezes em que eu ia atrás de todo mundo para cumprimentar, puxar assunto e até pedir desculpas por algo que não fiz, não existirão mais. Se alguém quiser me dizer algo, que venha até mim. Receber um oi, que venha até mim e desculpas só se eu matei a sua mãe. Porque do resto pesssoas, eu tenho crédito com todo mundo.

Um brinde a minha nova Era aonde ninguém é melhor que eu, eu mesmo e “mim”!

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

HeartBreaker I : Galã... por que não eu?

LINK “HeartBreaker II : Beleza… Será uma boa?”

Eu fico imaginando como poderia ser a minha vida se caso eu fosse um daqueles rapazes dos filmes ou novelas que são conquistadores por natureza e sensuais por dom divino… Seria muito bom. Eu conseguiria ter mais amigos, mas pra isso eu teria que me esquecer dos meus amigos de verdade, porque os que viriam, seria por razão de uma possível popularidade devido a minha beleza. Ah, claro. Eu também não posso me esquecer que o meu nível de relacionamentos ia subir muito, eu conseguiria me relacionar fisicamente com muito mais pessoas, mas eu também teria que me esquecer dos sentimentos, pois a maioria das pessoas que viriam atrás de mim seria mais uma vez por interesse.

Eu poderia ser modelo também…

Mas será, que compensa mesmo eu perder uma vida real e com pessoas que me dão valor, apenas para ter uma vida mais fácil? Até porque, eu ouvi dizer que quanto mais fácil se tem, mais fácil se perde. Será, que ser popular e ter uma vida mais fácil é tão difícil que eu não possa fazer melhor?

Claro, que todos os problemas que eu disse não estão predestinados a acontecer com todos que estiverem encaixados nos padrões de beleza, mas isso também não quer dizer que não vá acontecer.

Pense apenas um pouco, sabe aquilo que dizem, que todas as pessoas são belas? Bem isso é realmente uma grande mentira. Todos nós sabemos que isso não é verdadeiro, dizem isso apenas para enrolar alguns idiotas que acreditam nisso… Acreditam. Na verdade nem elas mesmas acreditam porque o efeito “todos são belos de alguma forma” passa depois de alguns minutos, no mundo de hoje quase ninguém deve conseguir manter essa mentira na cabeça.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Agradando

Seria incrível se todos nós pudéssemos dizer que não precisamos um dos outros. Seria incrível se todos nós pudéssemos dizer que nos sentimos queridos e acolhidos sem que os outros tivessem que agir para isso. Melhor ainda. Imagine se todos nós nos apaixonássemos apenas por nós mesmos, pois só então nos daríamos o valor justo e necessário que merecemos… Um ponto de vista egoísta? Talvez. Uma grande vontade? Com certeza. Mas se tem algo em que estou certo, é que todos nós um dia já tivemos vontade dessa realidade egoísta. E isso não se trata sobre amor e suas desilusões, e sim sobre o quanto nos dobramos diariamente para agradar ou fazer a diferença para um outro alguém que não seja nós mesmos. Se a despreocupação com alheio fosse maior talvez agente teria uma vida mais fácil. Pelo menos até a hora que se precise de ajuda com algo que não esteja ligado a sentimentos, mas isso já em outro texto.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Minha vida não é algo que possa se chamar de longa ou de extrema experiência, mas isso não quer dizer que eu não tenha vivido o sulficiente para dar concelhos sobre a vida ou simplesmente julgar o momento que estou vivendo sem que alguém tenha que dizer:

“Nossa, mas você é muito novo pra estar assim tão revoltado. Agradeça que você ainda é jovem, porque um dia você poderá chorar de saudades disso que você chama de grandes problemas…”

Sabe, eu concordo com o que os mais velhos dizem. Agora se eles estão totalmente certos é outra coisa bem diferente. Eu posso sair na rua daqui á alguns minutos e morrer, dai aquilo que eu tinha amaldiçoado realmente teria sido a pior coisa que me aconteceu, além é claro da minha morte.

Idade não tem nada haver com maturidade ou sabedoria, isso vai da cabeça de cada um. Sem contar, que ninguém veste meus tênis pra saber como eu passo os meus dias…

Tenho saudades do tempo em que minha cabeça conseguia ser mais feliz com pequenas coisas, porque quando isso acontece você sabe que se um dia você perder aquilo pelo menos deu valor enquanto teve.

O que aquela foto ali em cima, do RBD, tem haver com esse texto? Bem eles são uma das coisas, que apesar de passada pra maioria, ainda tem muito valor pra mim, ainda consegue me fazer feliz e também me remete á outros tempos.

Minha infância foi até que comum, mas não muito infantil. Nunca brinquei na rua com as outras pessoas, mas isso também não foi uma coisa que fez muita diferença em minha vida. Eu também tive informações adultas muito cedo introduzidas na minha cabeça, primeiro porque eu sempre fui um garoto muito precoce e depois, mas no fim dela, eu tive a morte do meu pai por câncer, e minha mãe meio que começou a se apoiar psicológicamente em mim, acabei me tornando o homenzinho da casa.

Mas apesar de tudo isso, nunca tive motivos para reclamar. Minha mãe sempre foi e é amorosa, hoje em dia brigamos muito por sermos parecidos, mas o amor que existe é óbvio. Meu pai foi o melhor homem que conheci e tenho certeza que sempre será. Trabalhador, honesto, nunca renegou suas raizes ou se escondeu pelos outros. Um homem muito inteligente, ele sabia fazer tudo, sobre qualquer coisa. Ele me contava as melhores histórias antes de dormir, e mesmo doente ele nunca deixava de sorrir, ele me levava todos os fins de semana na minha escola para que eu saisse um pouco de casa, já que minha familia nunca foi muito favorecida financeiramente. Todos os que conheciam admiravam a sua pessoa, pela sua garra e amor pela vida, só é uma pena que eu tenha percebido tudo isso quando era tarde demais. A última vez que vi meu pai foi uns dois meses ante sde ele morrer, eu não pude falar com ele porque ele estava no quarto de hospital, eu só pude ver ele acenando pela janela, sorrindo como sempre. Ir ao funeral dele foi uma das coisas mas dificeis que eu já fiz. Eu não queria ir lá de jeito nenhum, mas percebi que eu choraria muito depois vendo que não pude ve-lô de perto pela última vez. Ainda sim, eu não quis me despedir do corpo dele e pouco antes do enterro eu sai do local. Desde aquela vez, acho que eu só chorei umas 5 ou 6 vezes, e quase sempre escondido. Agora mesmo estou chorando. Tentei ser forte para minha mãe não sofrer ainda mais por mim, ela já estava muito mal e eu não queria piorar, minha irmã não toca no assunto porque ela sempre chora, ela fica brava se isso acontece. Ela não quis ver o meu pai naquele dia em que também fui, apesar de ele estar na janela no alto do hospital eu vi meu pai sorrir. Eu sei que isso faz mal pra ela, ainda mais porque ela não põe isso pra fora.

Acho que eu desabafei demais, esse texto não era pra ser assim, mas pelo menos eu coloquei tudo isso um pouco mais pra fora.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Como uma Cadente

O que vem rápido e repentino, sempre parte lenta e dolorosamente.
Se você hoje sofre com o que veio do cosmo, como uma cadente, amanhã irá sorrir pela plenitude da harmonia que se dá sempre após uma grande dor ou dificuldade. Porém, se você é quem fez terceiros sentirem desalegres sensações, após a falsa plenitude do que veio com o violento, você, ser sem percepção própria, você irá sofrer com aquilo que hoje te da uma falsa felicidade.

Do seu Amigo de Sempre,

Leonardo De Abreu.

Completamente Injusto

Se tem uma coisa que tem muita raiva é de pessoas bonitas. Em geral são todos egoístas, porque não basta terem beleza eles tem que aparecer de vez em quando e ficar perto de você para subliminarmente te humilhar. Mais um motivo pra eu não gostar de pessoas bonitas é porque além de elas serem bonitas, elas sempre tem que ficar com as outras pessoas bonitas, Enquanto muito são obrigados a sofrer agressões visuais, já que a beleza esta coagulada bem longe de nós. Injusto. U.U

 Leonardo De Abreu Moraes.