live:abh

youtube

ABH - Don’t mess with the SAS

Very fitting as the SAS have just ironed out 30 more taliban scum during operations in Afghan.

What people fail to realize is that live albums are only as good as the recording equipment. I’ll admit, when I first heard the Anywhere But Home cd, it really threw me off. But I accepted the difference in sound after a while. And when I went to a concert last year, they sounded so much better than that album. Including Amy. So how about you actually go to a concert and experience their live performance firsthand instead of judging a recording of one? They are two very different things.

Anywhere But Here

“Ella!” Exclaimed her tiny niece as she had grown irritated with her constant pattern of picking up her phone to check a text from Nolan. “Right, sorry. Cheers.” She said as she clinked her tiny pink plastic cup against her niece’s. Manuela’s mom stood by the door frame of their living room with her lips puckered at the girl. “What?” Manuela asked as she set the cup back on the table. “You really shouldn’t be giving him attention while you’re here, Manuela.” Her mother chastised. The girl rolled her eyes as she picked up her phone once more earning an eye roll from the seven year old sitting next to her. It had been a while since Nolan had replied and her paranoia was beginning to set in. What if he had taken her teasing about the club seriously? Manuela bit at her lip before pulling herself from the chair that settled underneath her weight. “Can we continue this at another time?” She asked the small child before not waiting for her response as she made her way passed her mom and locked herself in the bathroom. Manuela scrolled through her contacts frantically before finding Nolan and pressing send. One ring. Ok, no one answers on the first one. Two rings. Breath, Manuela. Three rings. Is he blowing me off? By the sixth ring Manuela simply hung up. Manuela was all kinds of stressed as she looked in the mirror and tried to reassure herself things were fine. 

Já não importa mais, mas queria te dizer que já não dói mais. Que só às vezes dá um arrepio quando lembro de você, que só às vezes eu dou alguns sorrisos e sinto aquela sensação gostosa que é um misto de saudade e alegria por lembrar de algum momento nosso. Mas não dói. Não penso mais em você como antes. Não sinto mais a sua falta, nem sinto saudades. Não me importo mais de ter algum sinal de vida seu. Simplesmente não me importo. Não quero mais. Não sinto mais você, de qualquer maneira que seja. A indiferença tomou conta do amor que eu tinha por você no meu coração e agora está bem melhor assim. Quero desmentir tudo o que eu disse antes pra você: que o que eu sentiria por você seria eterno. É mentira! Não é eterno. Me caiu a ficha naquela manhã em que acordei e te vi ao meu lado e não senti absolutamente nada. Foi onde eu pensei: “Acabou mesmo”. Não sobrou um fiapo daquele sentimento grande e lindo que eu tinha por você. Eu percebi naquele instante que a gente acabou mesmo. Foi engraçado ver que a gente acabou no mesmo lugar em que a gente começou. E por mais que pareça horrível isso, não foi. Não doeu. Não chorei, não senti aquele vazio, nada. Simplesmente foi como se nunca tivesse importado realmente. Sério! Engraçado, saber isso de mim não é? Logo eu, a que amava mais entre a gente. Mas eu finalmente percebi: que não era pra ser. Que eu demorei pra acordar porque estava cega de amores. Então, quero te dizer: obrigada. Obrigada por ter feito isso comigo. Obrigada por ter me feito sofrer pra perceber que não era certo e muito menos verdadeiro. Você me disse antes que seria melhor assim, e eu não acreditei. Achei que seria o fim do mundo. Mas hoje eu vejo que você tem razão. Que a gente não ia dar certo. Que mais cedo ou mais tarde a gente ia acabar desmoronando; e que bom que foi agora! Então: Obrigada por ter me proporcionado os melhores momentos da minha vida, mas também os piores. Porque é com a dor que a gente aprende, é com a dor que a gente vê o que a gente não via antes quando a felicidade ignorava todas as coisas ruins. E com isso, eu posso te afirmar: eu não quero mais. Eu não sinto mais nada por você além da indiferença. Eu percebi que não foi bom pra mim, e com isso, você me perdeu. Me perdeu pra valer, cara. Você teve uma chance de fazer a coisa certa e depois jogou fora por besteira. Não vai ter outra chance, te garanto. Porque todo sofrimento tem limite e o que eu passei por você chegou a ele. Como eu disse antes, é mágoa demais pra engolir e fingir que nada aconteceu. Isso não é guardar rancor, é amor próprio. É evitar aquilo que te fez mal um dia, que pode muito possivelmente fazer mal novamente. É se cuidar, se amar, se colocar em primeiro lugar! E é isso que eu estou fazendo. Todo sofrimento tem fim, e o meu chegou. E foi assim que eu acordei, e percebi que nunca ia dar certo, nem se a gente tentasse de todo jeito. E foi assim que eu percebi que não existe mais “nós”. E sim só “eu” e “você”. Acabou mesmo, feio. Assim como eu te perdi, você também me perdeu, e pra valer! E te garanto que você não vai me ter de novo. Porque hoje eu posso te afirmar: que eu me amo muito mais do que um dia amei você. Que só eu sei me dar valor, e que sei que ninguém no mundo vai aprender isso. Posso te afirmar que não te quero mais, que não desejo mais a gente, que não sinto mais a sua falta. Posso até no fundo do fundo te amar, e me importar contigo em alguns momentos, e até volta e meia sentir saudade ao me lembrar de alguma coisa que um dia foi nossa, mas não quero ter tudo aquilo que a gente tinha de volta. Não quero mesmo. Quero te dizer que estou ótima de verdade. Que não é encenação. Que não estou atuando ao sorrir toda vez que a gente se encontra por aí. Que eu estou bem mesmo, e dessa vez é pra valer, não só por coisa do momento. Não tem ninguém me fazendo bem pra eu ficar assim, o que é melhor, porque eu aprendi a me fazer bem por conta própria, o que é ainda muito melhor! Ser feliz sem precisar de ninguém. Ser feliz sem depositar a nossa felicidade em alguém que se pode perder; coisa que eu fiz quando te conheci. Coloquei toda a minha felicidade e o meu amor no seu bolso, só pra te ver indo embora oito meses depois, sem querer voltar. Então, colega, pra mim deu. Eu aprendi a me amar. Aprendi a me respeitar, a me valorizar. E foi ai que deu pra você também. Porque a partir do momento em que aprendi isso, percebi que você não me fez bem. E que coisas que não nos fazem bem, a gente descarta. E evita ter de novo.
Quero mesmo que você fique bem de verdade, mas também quero que um dia você tenha uma crise foda de abstinência de mim e perceba o que você fez, quem você perdeu, quem deixou ir embora. E te desejo toda a felicidade do mundo, porque um dia você foi a minha felicidade. Um dia você foi tudo pra mim. Mas hoje não é mais. Tive que sofrer o suficiente, pensar em centenas de coisas tristes e até mesmo tentar me fazer mal pra poder perceber isso. Mas não é o fim do mundo… Nunca é. Você foi o obstáculo que eu tive que passar pra chegar na pessoa certa. Ainda não cheguei. Ainda deve ter alguns outros obstáculos. Mas com você, eu aprendi muito mais do que com os outros e o que eu aprendi, pode ter certeza que vou levar pra vida toda.
Se cuide, porque não vou mais te cuidar. Fica bem e espero mesmo que seja muito, muito feliz. Obrigada por tudo. Até por ter terminado comigo.