lisinha

Com os pés descalço, sentindo aquele perfeito frio passando das cerâmicas para meus pés ouço a campainha do apartamento tocar, lavo as mãos, pois preparava uma breve refeição a base de morangos… Vou em direção à porta para ver quem é, passo pela sala e pego uma camisa que eu havia jogado lá depois que saí do banho. Quando olho pelo buraquinho da porta, vejo aqueles olhos castanhos escuros com uma dose de lápis de olho bem passado, e um sorriso encantador. Respiro fundo, desperto um sorriso e abro a porta.
— Boa noite meu amor, como que você está ?
Em um piscar de olhos e sem menos esperar, ela pula em meus braços, me abraçando e beijando meus lábios e pescoço… Então ela sussurra em meu ouvido esquerdo, dizendo: “Agora em seus braços estou bem melhor meu amor”.
Com ela em meus braços e me beijando, a levo para dentro do meu apartamento. Empurro a porta com um dos pés, jogo-a no sofá, ela solta um grito em estilo de sorriso de prazer e satisfação pelo o que viria pela frente. Ela com aquele estilo de bandida, pega a mão direita e a coloca sobre as pernas e começa a levantar seu vestido. O vestido chega até a lingerie, não resisto e respiro bem profundamente e vou em direção à ela. Ela faz biquinho e em gestos feitos com a cabeça, diz que não. Recuo então, observo as mãos dela indo em direção dos lábios, ela coloca o dedo indicador dentro da boca, e vai o tirando bem lentamente enquanto faz caras de prazer, faço cara de safado e com minha mão direita seguro meu pau por cima da bermuda. Ela deitada no sofá com a cabeça sobre uma almofada abre as pernas até onde o vestido deixa, termina de tirar o dedo da boca, e me chama apenas com o dedo indicador, mas agora é minha vez de fazer marra, vou em direção a ela fazendo caras e bocas. Começo então a desabotoar minha camisa bem lentamente enquanto faço jogo de ombro meio que dançando sensualmente, ela não resiste a tentação, levanta do sofá e puxa minha camisa com tanta força que arranca os dois últimos botões que faltavam desabotoar, então, ela já dominada em meus braços novamente, e me beijando de forma bem calma e delicada, vou acariciando suas costas, desabotoo seu sutiã, ele cai entre nossos pés, mordo os lábios dela, e falo sussurrando em seu ouvido “Let’s go, babe! Vamos nos divertir!”. Beijo seu pescoço e o mordo bem lentamente, ela se ajoelha, desabotoa minha bermuda jeans desbotada e a retira, então a única peça que cobria certa parte do meu corpo ainda era minha cueca box, ela a desce um pouco, pega meu pau com as mãos, vai batendo em seu rosto e começa a sorrir. Ela beija a cabeça do meu pau, ele que já estava todo duro. Ela começa a chupa-lo. Enquanto ela vai chupando, vou puxando seus cabelos e arranhando suas costas, o prazer nos puxões de cabelos e arranhões eram tão grandes, que ela ia mamando intensamente, até que chegou o momento em que não aguentei mais segurar e gozei em sua boca. Após sugar toda a minha porra, ela então ergue um pouco e morde minha barriga, logo em seguida, ela deita sobre o carpete e me puxa para cima dela. Coloco minha cabeça dentro do vestido dela, e vou mordendo sua coxa esquerda até chegar à sua buceta, passo a língua sobre ela, ela que estava toda depilada, bem lisinha e cheirosa. Continuo subindo e vou beijando sua barriga, ela sorri. Ainda continuo subindo em direção aos seus seios, deixando um rastro de beijo molhado pelo seu corpo, mas o tecido do vestido, impede com que tal ato aconteça. Com as mãos vou subindo o vestido da mesma velocidade que vou subindo beijando seu corpo, chego até os seios, mordo os mamilos, ela se arrepia toda, e os mamilos parecem que vão saltar, de tão durinhos que ficaram. Termino de retirar o vestido dela passando pela cabeça, mordo seus lábios e desço minha cabeça até sua buceta, começo fazer um oral nela, a buceta já estava toda molhadinha de tesão, enquanto vou a chupando e apertando sua cintura com minhas mãos com força ela ia me arranhando, quanto mais chegava próximo do orgasmo ela arranhava mais forte. Parei com o oral e retirei uma das mãos de sua cintura, com a mão direita coloquei a pontinha do dedo do meio em sua buceta, encurvei a ponta do dedo e ia o empurrando, não muito, apenas na profundidade certa, em seguida ia o retirando bem lentamente, mas na medida que o tempo ia passando o movimento do vai e vem ficou bem rápido, enquanto eu fazia isso com o dedo, ia apertando seus seios com a outra mão, ela gemia cada vez mais, a cada segundo a intensidade do seu gemido aumentava, sem a interrupção do que fazia com o dedo, voltei a fazer o oral. Não demorou muito e ela me arranhou com muita força, meu rosto se molhou por completo, ela me puxou pra cima dela, mordeu meu peito direito com muita força, e subiu sobre mim, olhando para meus olhos. Com a sua mão esquerda sobre o meu peitoral ela guiava com a direita meu pau para dentro de sua buceta, ela ia mordendo seus lábios e sentando lentamente (estava tão gostoso sentindo aquela buceta toda molhadinha) ela termina de sentar e coloca ambas as mãos sobre meu peitoral, enquanto vou apertando sua bunda com bastante força, ela vai galopando e gemendo, dou tapas em sua bunda, ela para de galopar e começa a rebolar, coloco uma das mãos em sua cintura, e com a outra aperto seus seios, puxo ela para baixo, encostando peitos com peitos e começo a foder com mais intensidade, ela solta um gemido bem alta e breve, se contorce toda e goza novamente em cima do meu pau, não paro com a transa. Ela agora bem mais eufórica começa a galopar novamente, e dessa vez mais rápido, vou me inclinando e ela para de galopar, e começa a rebolar, quando estou praticamente quase sentado levanto com ela no meu colo, vou com ela até a parede e à pressiono com força, beijo seus lábios, pescoço, mordo a orelha, continuamos nossa foda ali mesmo, em pé, não se passa muito tempo e minhas pernas vão querendo tremer, era o orgasmo que já estava perto de vir, vou até o sofá e a coloco sobre o braço dele, ela com as costas apoiadas no sofá, abro suas pernas, e pego a sua perna direita e vou a erguendo, deixado um rastro de beijos nela, mordo seu pé, coloco meu pé direito em cima do sofá e segurando sua perna direita com minha mão esquerda, penetro meu pênis em sua vagina, mas dessa vez, de um estilo mais caliente. Vou sentindo que o orgasmo está próximo de vir, vou aumentando a velocidade da foda, não aguento segurar mais e gozo. Ela me prende entre suas pernas, e me puxa pra cima dela, juntos caímos no chão, nos beijamos. Lembro dos morangos que eu estava picando, e falei “espera aqui um pouquinho amor”, fui até a cozinha, peguei a vasilha de morangos picados e uma vasilha com leite condensado, voltei para os braços dela, e juntos largados no chão nos deliciamos com aqueles morangos e leite condensado, ali pegamos no sono.
—  Contos do Pedricovick - Parte I.
Encontro dos Adm’s do PP

De repente todos os cinco na mesma cidade. Uau! Não era possível perder aquela oportunidade. Sim, os administradores do tumblr erótico @puro-porno estavam todos em São Paulo. Tudo bem que todos tinham seus compromissos, mas não podiam perder aquela oportunidade. Telefonemas e mensagens durante todo dia até que resolveram: às 22 horas no quarto de hotel em que a Morg estava hospedada. O Boss chegou primeiro, depois Bia e finalmente kaah e Biel.

O tesão estava no ar. Cerveja, whisky, sal-limão-tequila… Mas o que todos mais queriam consumir era um ao outro. Comentavam das postagens, do que mais gostavam de compartilhar no blog, dos momentos de muita excitação na frente do computador.

– Gente, só eu posta no @puro-porno  enquanto me masturbo?

Bia faz todos rirem e Boss logo se manifesta.

– Às vezes é impossível não tocar um punheta, principalmente com as fotos de umas seguidoras.

O Biel diz a mesma coisa e a Kaah, que já esfrega as coxas excitada, revela:

– Muitas vezes tenho que parar de responder as asks de tão melados que meus dedos ficam.

– É uma delícia imaginar vocês digitando com uma mão e se masturbando com a outra – Biel provoca – deviam fazer uma foto desse momento e postar.

– Acho que nem precisa – diz Morg sorrindo – os seguidores do @puro-porno  já imaginam nosso tesão enquanto postamos e respondemos.

– Por falar em tesão – Kaah está que não se aguenta – devo confessar que minha buceta está encharcada de tesão.

Antes que todos falem alguma coisa, a Bia diz – Eu duvido.

Kaah: – Você duvida?

Bia solta a cerveja, se levanta e caminha até em frente a Kaah e repete: – Eu duvido, acho que você não está com a buceta molhada coisa nenhuma.

A Kaah (com um vestidinho azul) se levanta e encara a Bia (com um conjunto de blusa e a saia preta). Morg, Biel e Boss ficam assistindo aquela cena divertida.

– Quer que eu prove é? – A Kaah pergunta tão perto da Bia que as bocas das duas quase se tocam.

– Eu me encarrego disso – responde a Bia que empurra a Kaah sobre o sofá.

A Bia então ergue o vestido da Kaah até a cintura, todos vêem a calcinha de renda branca e pequena que a Kaah está usando. Deitada no sofá, a Kaah só pode deixar a Bia fazer o que quer e ela abre as coxas da Kaah e desliza o dedo na buceta dela por cima da calcinha. Kaah não resiste e geme de prazer, ainda mais quando Bia afasta a calcinha de lado.

– Que buceta linda que você tem Kaah – diz Boss vendo a buceta lisinha e brilhando de tão molhada.

– Que delícia de buceta – Morg também saliva olhando.

– Satisfeita? – Kaah pergunta para Bia fingindo que está com raiva.

– Satisfeita? Eu estou é puta de tesão louca para fazer isso – e Bia se abaixa e começa a chupar a buceta da Kaah que geme alto pegando a amiga pelos cabelos.

Morg, Biel e Boss sorriem tarados de tesão e Morg olha para os dois toda safada:

– É só elas duas que vão se divertir?

(continua)

E aqui estamos nós, nus, você do lado esquerdo e eu te observando desde quando dormiu. Incrivel como hoje em dias nós humanos só queremos pessoas perfeitas, com pele lisinha, corpo farto, barriga retinha e por ai vai… E hoje, na verdade agora, depois de longos minutos te observando percebi, você não é perfeita meu amor, seu rosto é repleto de constelações, segue da testa, desce pelas bochechas e se estende até o queixo e se mantém na parte das costas, muitas e muitas estrelas e você luta diariamente para tentar sumir com elas, mas seu vício por chocolate fala mais alto e sabe não se limite só porque alguém fez um comentário cético sobre suas estrelas, não pare com seus doces eles te fazem tão feliz! Seu corpo não chega nem perto do perfeito, você é tão pequena de estatura que mesmo com longos dois anos de namoro ainda é cômico te ver brava e isso é sensacional.

Amor, você não tem os seios fartos, semana passada estava loucas procurando um lugar para colocar silicone e isso não tem qualquer necessidade, você vive dizendo que é para me agradar, mas porra desde quando opiniões alheias importam, você é linda assim deveria se sentir contentada; sua barriga não é retinha e como você odeia isso, durante os cinco dias da semana você passa uma hora dentro da academia, aquela que fica aqui na esquina, eu não me importo mas você deveria ver o quanto é linda do jeito que está; suas coxas e bundas são repletas de estradas, longos caminho, estreitos e largos, você se queixa todo santo dia sobre eles, porém querida suas estrias são poemas, poemas que apenas eu consigo ler e compreender, e isso não faz de ti alguém menor, pelo contrário isso te faz mais linda.

Amor você não é perfeita, está longe desse quesito isso eu posso te garantir, todavia quer saber uma coisa? Mesmo você sendo tão imperfeita a olhos mortais, querida eu vejo tua alma vasta e profunda, ao tom de azul e cinza, e eu amo isso. Quer saber? Tu é imperfeita demais, porém é a minha garota e eu não preciso de mais nada.