lindos :')

E mais uma vez me encontro em mim, em mim que sou uma bagunça imensa e impossível de arrumar. Em mim que temo o futuro, odeio o presente e me arrependo do passado, em mim, em uma pessoa que não sou eu, uma pessoa que se odeia, sente raiva de si mesma, guarda mágoas e rancores e quer, mais do que nunca, se jogar de um prédio alto, que quer, mais do que nunca se jogar num dos mares revoltos espalhados por aí, em uma pessoa que te mostra facas, remédios, bebidas, e que apenas diz “Isso pode passar, vai”, mas não vai passar, não vai, sou covarde o suficiente pra não pular, sou burra demais para não conseguir os remédios “certos”, e, sou, ainda mais idiota para me afogar nesse mar alcoólico, e não morrer, acordar em um barco em alto mar que me faz mais ainda querer abraçar a morte, mas, que no momento, é a minha única saída. Preciso de uma morte, lenta, rápida, dolorosa ou não, passei a apenas buscar a morte, sem me importar com o que ela pode vir acompanhada. Desde que ela venha, não me importo que traga seus amigos para faze-la companhia, desde que venha, permito-a que faça o que quiser e tire toda essa dor de mim de uma vez por todas.
Sal a caminar cuando estés triste.
Sal a caminar en esos momentos en
los que no puedas más.
Y no importan tus ojos hinchados de
tanto llorar, y no importan tus ojeras,
ni tu nariz colorada, no importa como
estés luciendo, no importa si tu cabello está hecho un desastre, no importa si no llevas puesta la mejor ropa.
Sal a caminar y no pienses a quien
te vas a cruzar en el camino.
Camina,corre, piensa, desenreda ese nudo de tu alma,desata tus miedos, quita ese dolor que tienes en el pecho. Y llora, si tienes que llorar, hazlo. Y grita, y tírate al suelo, haz lo que puedas y quieras pero desahógate.
Libera ese peso de tu mente, ese dolor fuerte que hay dentro de ti.
Hazlo, libérate y sana todo eso, porque no hay nada más doloroso que quedarse ahí, ahogado en tus propias lágrimas sin intentar salir a flote.