lii gifs

Nunca uma viagem de avião me pareceu tão longa. Desde manhã que estava pensando em como seria quando chegasse a casa, minha casa com s/n na verdade.

Assim que meu despertador tocou, fui no banheiro tratar de minhas higienes, agarrei em minhas malas e fui para o aeroporto.

Finalmente ontem tínhamos acabado uma parte da tour e hoje bem pela manha todos íamos para Londres e então para as casas das namoradas ou dos pais, no meu casa ia para minha casa já que a s/n se decidiu mudar para lá após muita insistência minha.

Toda a viagem podia ser bem pacífica se meu corpo não tivesse vida própria, meu maior erro foi ficar sonhando acordado com a recepção que s/n me faria quando chegasse. Esse foi meu maior erro, a partir desse momento minha paz acabou e meu calor aumentou.

Fiquei pensando em como seria bom se chegasse e s/n estivesse me esperando no sofá, comendo pipoca e assistindo filme de short e camisa. Ou se ela estivesse na cozinha, preparando alguma comida boa para mim, com apenas uma camisa branca minha cobrindo seu corpo. Ou se ela pulasse em meu colo sem nem me dar tempo de ver o que ela estava vestindo. Ou se ela tivesse chegado da faculdade e fossemos tomar um banho juntos. Ou se ela me recebesse com um enorme sorriso e um beijo de tirar o fôlego.

Ou se me perdesse com seu cheiro, com seu corpo, com seu gosto.

Minha mente imaginou tudo, ela me recebendo de jeans e camiseta, com o maior sorriso do mundo, aí eu lhe dizia que ela estava linda mais linda que da ultima vez que a vira, a chegava perto de mim agarrando sua cintura com delicadeza e finalmente sentia seus lábios nos meus. Um beijo doce, sentindo a maciez de seus lábios, cheirando seu perfume, aproveitando cada segundo, mas então isso se tornou pouco, o desejo reprimido foi desabrochando e logo gemi em seu ouvido a fazendo rir.

-Senti sua falta – ela disse em meu ouvido

-Não mais que eu – disse a fazendo saltar em meu colo e a levando para nosso quarto

A estendi com a maior delicadeza na cama e a comecei a beijar bem devagar, s/n é algum tipo de deusa que desceu na Terra porque seu corpo me hipnotiza, me prende com sua sensualidade nada forçada. Tirei sua camiseta e seu short, junto com suas meias e teni, a deixando apenas de soutien e calcinha, bem ali na minha frente, pronta para ser amada. Comecei beijando seus pés, pernas, coxas, virilhas, sentindo seu cheiro, depois subi mais um pouco não lhe dando o que ela tanto queria, beijei sua barriga e então pressionei contra o tecido de seu soutien, podia sentir seus mamilos ficando duros prontos para serem chupados, os liberei e massajei fazendo s/n se contorcer. Finalmente tirei aquela peça de roupa e abocanhei seu peito direito, chupando com força, sem dó. Ela gemeu alto enviando uma mensagem bem direta para meu membro que já estava doendo. S/n começou a investir em mim, rebolando e fazendo fricção entre nós, arrancando gemidos do fundo da minha garganta. Tirei minha boxer e sua calcinha e enfiei dois dedos nela, sabia o quão encharcada ela estava então não me preocupei em ser cuidadoso, logo meus dedos estão envolvidos pelo seu suco quente e coloquei mais um dedo e tentei rodar, fazendo com que as digitais ficassem para cima, então os dobrei e retirei logo depois. Sabia que tinha tocado em seu ponto fraco e ver ela exposta, gemendo meu nome estava dando comigo em doido.

-Por favor Harry

-O que? Fala

-Me come – acariciei meu membro pronto para entrar em sua boceta apertada

-Por favor – ela suplicou

-HARRY! ACORDA CARAMBA! – Zayn gritou em meu ouvido me pregando um susto de morte

Minha mão estava sobre meu membro duro, latejando na verdade, meu corpo quente e cada centímetro de minha pele coberta por uma fina camada de suor.

Zayn apenas riu e se foi, me deixando no avião necessitado de s/n. Como eu vou sair daqui com meu membro querendo pular das calças?

Respirei repetidas vezes e me acalmei mas meu corpo estava em chamas, precisava de s/n com urgência, mal podia esperar para chegar a casa.

Como uma viagem pode ser tão longa? Primeiro naquele avião e agora neste carro claustrofóbico? Mandei meu motorista acelerar e os minutos pareciam não passar mas finalmente cheguei em casa, peguei minhas malas, abri a porta pensando mas minhas possibilidades em que encontraria s/n, será que ia ser como eu imaginei mesmo? Seria perfeito demais.

-s/n? – chamei assim que entrei

Não vi ninguém, andei até à cozinha, sala, quarto, procurei por toda a casa e ela não estava em nenhuma parte. Meu celular vibra.

“Não sei que horas você chega mas só chego a casa no finalzinho da tarde, te amo”

Finalzinho da tarde? Já cheguei e ela não está em casa para dar conta do fogo que se apoderou de meu corpo.

Suspirei e subi de novo as escadas para o nosso quarto, me deitei na cama, de barriga para cima tentando descansar. Mas minha mente estava longe, em s/n na verdade, em seu corpo, seu cheiro e seu gosto, caramba como eu quero provar ela neste momento. Não sei o que desejo mais, se é fuder ela duro contra uma parede ou se é ser fudido até ao ponto de não haver nada dentro de mim, ela no controle me deixa louco e eu gozo que nem adolescente, várias vezes enquanto ela nem geme. Ser fudido,definitivamente preciso de ser fudido, de ter ela no controle para apagar todo o fogo que me esta consumindo.

Tenho suor escorrendo pela minha testa e decido tirar minhas roupas, não tinha volta, enquanto s/n não chegasse minhas mãos teriam de servir para alguma coisa. Voltei a deitar na cama, de barriga para cima, acariciando meu membro e imaginando as mãos de s/n em mim, me estimulando, fazendo movimentos de vai e vem e apertando minhas bolas, joguei minha mão livre a elas e as apertei tal como s/n fazia e gemi, gemi alto, não estava aguentando, iria gozar em minha barriga em segundos.

Continuei imaginando s/n em vez de mim, desta vez me estimulando com a boca, ela tinha melhor boca do mundo, ela iria rodear seu polegar em volta de minha glande, espelhando a gota de pré-gozo que lá se formara e depois iria abocanhar tudo de uma vez, me deixando na beira do precipício.

A porta bate me fazendo abrir os olhos e ver s/n me olhando. Meu coração para por um instante, fui pego pela minha própria namorada me masturbando pensando nela.

-E..Eu… s/n escuta!

-Shiu – ela disse mandona, em que merda eu me fui meter? – Você se tocou sem a minha permissão estando em terras britânicas, como você pode e eu não?

Ela disse enquanto ia retirando toda a sua roupa, meus olhos se fixaram no quão suave a sua pele parecia.

-Responda – ela exigiu e aí eu me lembrei do nosso acordo, nenhum de nós se tocava se ambos estivéssemos no mesmo pais, apenas podíamos fazer isso se eu estivesse em tour por muito tempo ou coisa do tipo.

-Não aguentei

-Não aguentou Styles? Resposta errada! – Ela disse engatinhando até mim e colocando a mão de surpresa em meu membro.

Gemi alto e joguei minha cabeça para trás arqueando minhas costas, precisava seu toque mais que tudo nesta vida.

-Agora você vai aguentar até eu dizer que você pode gozar tá bom?

Oh não, eu que fazia isso com ela. Eu que dizia que ela não podia gozar ate eu dizer senão iria ser punida. O feitiço estava se virando contra o feiticeiro e não sei se estou gostando disso, se não aguentasse que punição ela iria me dar? Greve de sexo? Não poder gozar? Não me fuder como eu tanto estava desejando?

-Senão…?

-Sou punido – disse sem fôlego, suas mãos trabalhavam em mim

-Muito bem, agora chega de conversa – ela disse rodeando a gota de pré-gozo que estava em meu membro.

Sabia o que viria a seguir, cerrei os olhos com força me preparando e quando ela me abocanhou precisei de todo o meu controle para não gozar. Porra, minha imaginação não era nem um décimo da realidade, a intensidade com ela é mil vezes superior, mil vezes melhor.

Sua língua percorreu todo o meu membro várias vezes, me chupando, me acariciando, me lambendo, me apertando, sua outra mão estava em minhas bolas fazendo a pressão necessária para querer explodir a cada segundo.

Então ela parou e abri os olhos, ela estava se posicionando em cima de meu membro, a parei por segundos querendo me certificar que ela estava bem molhada, levei meus dedos ao seu centro e pude sentir que ela estava tão pronta quanto eu sem lhe ter nem ao menos estimulado, ela estava assim apenas pela excitação do momento.

-Chupe – ela mandou e chupei meus próprios dedos

Ao menos consegui prova-la antes de ela me punir seja lá com o que for por gozar sem a sua permissão. Não achava que ia aguentar até ao fim, sinceramente.

Seus grandes lábios rodearam minha glande me fazendo perder os sentidos, fechei os olhos com força e mordi meu lábio até sentir sangue. Não podia gozar quando ela me fizesse ir até ao fundo, momentos depois ela cansou de brincar e desceu rápido e fundo em mim. Gemi alto sentindo cada centímetro de seu sexo me apertar, me envolver com seu suco. Tentei tocá-la mas ela não deixou, empurrando de novo meus braços para a parte de cima de minha cabeça, ambos sabíamos que tinha força para a desobedecer mas nós gostávamos de jogar.

Podia ter passado horas com ela cavalgando sobre mim, meu cérebro apenas registava o prazer e o pensamento de não poder gozar, não sei quanto tempo passou ao certo mas minhas bolas deviam estar azuis e meu membro em sofrimento quando finalmente ela disse as palavras mágicas.

-Goza para mim – o prazer acumulado levou a melhor de mim e agarrei em seus quadris para conseguir estocar bem fundo nela, a fazendo gozar junto comigo, gemendo o nome um do outro para quem quisesse ouvir.

Ela se levantou e rodou pro lado, procurando minha mão de imediato. Nossas respirações ainda muito aceleradas para falar alguma coisa.

-Nunca pensei que me esquecer dum dossier em casa fosse levar a isto Harry – ela disse divertida quando já se preparava para levantar

A puxei contra meu peito, sabia que ela tinha de regressar para a faculdade e que já lhe tinha roubado muito tempo.

-Não vá – pedi beijando seu ombro

-Preciso ir mas espere por mim de noite porque nós ainda mal começamos, não esqueci que VOCÊ se tocou aqui! Bem na nossa cama! – disse exaltada se levantando logo de seguida indo pro banheiro, provavelmente tomar um duche para depois sair.

Afinal sempre serei fudido como queria, por agora vou apenas dormir tendo sonhos eróticos com minha namorada.

Lii

6

Bai Zihua lends his power to Hua Qiangu in The Journey of Flower.

Olhei para todos os dados de novo, tentando confirmar tudo, para não falhar nada. Respirei fundo e cliquei no “confirmar”, procedendo finalmente à compra online do bilhete de avião, passei logo para o email de check in e fiz de imediato, imprimindo por fim tudo o que precisava.

Aterrei no sofá pensando em como era louca, não fazia ideia como faria esta surpresa pro Zayn, seria impossível na verdade. Pensei em ligar para a Lou ou para o Liam mas não tinha o número de celular deles, parece mentira mas não é. Sempre falava com eles pelo celular de Zayn então nunca precisei do número e agora, bem, me fodi. Perguntar pro Zayn o número de um deles iria levantar muita suspeita, sou péssima com mentiras mesmo.

Meu celular começa a tocar e vejo que é ele, melhor contar tudo mesmo.

-Zayn? – perguntei mesmo sabendo que é ele, ri sozinha

-(s/n), como você tá?

-Bem – disse meio rápido demais

-Certeza? – kms de distancia e ele sabia pela minha voz que algo se passava

-Bem Zayn, eu ia preparar uma surpresa para você mas…

-Já não vai? Hm isso é mau

-Eu vou, quer dizer, mais ou menos, ela vai deixar de ser surpresa

-Você tá me deixando confuso

-Tá, eu tenho uns dias de folga próxima semana e acabei de marcar um voo para a cidade onde você vai estar sábado pela manhã

-Sério isso? – ele perguntou super surpreso

-Sério, era para ser surpresa mas aí eu não sei o hotel, nem como chegar ao estádio, pensei ligar pra Lou ou para um dos meninos mas não tenho o número de celular de ninguém

-Ainda bem que você contou, assim eu posso dizer tudo para você e falar com os seguranças, muito melhor assim

-Vou mandar os dados do voo por email e aí você me diz como vai ser no sábado tudo bem?

-Claro

-Vou desligar então, preciso fazer isso…

-Tudo bem, me manda mensagem depois

-Claro

-E (s/n)?

-Sim Zayn?

-Obrigado, estou morrendo para ver você e apesar de tudo, você me surpreendeu

Sorri, sabendo que ele não estaria mais ansioso por me ver do que eu.

-Bye Zayn

Assim que desliguei fui logo mandar os dados do voo para meu namorado.

Sexta passou num ápice e logo eu estava num avião que voaria toda a noite ao longo do atlantico para de manha chegar a Los Angeles e então apanhar outro avião para a cidade onde eles estavam hoje.

Logo recebi uma mensagem com todas as indicações e tentei dormir.

Horas depois, aterro e logo apanho outro avião, pouco tempo depois finalmente chego e um dos seguranças de Zayn vem ter comigo, pedindo para o acompanhar.

Esta era a primeira vez que estava visitando Zayn estando ele em tour, namoramos à pouco mais de 6 meses e por um bom tempo ele esteve em Londres, só nos últimos dois meses que ele tem estado em tour pela américa, quando estava por Inglaterra ou fazendo promoção era bem mais fácil.

Mal minha porta foi aberta vejo Zayn e dou um meio grito de felicidade, pulando para junto do seu corpo, o abraçando bem forte. Sentir seu cheiro de novo é a melhor sensação do mundo, isso junto com sua pele, suas tatuagens, seu olhos, seu calor, senti falta de tudo isso e pela força com que ele estava me abraçando assumo que ele também sentiu minha falta.

Liberei minha cabeça de seu pescoço e finalmente olhei para seu rosto, um lindo sorriso estava presente e logo um maior estava em meu rosto também. Seu nariz bateu duas vezes no meu antes de sentir seus lábios nos meus, um beijo de saudade, calmo e rápido ao mesmo tempo, queria matar toda a saudade com aquele beijo mas era impossível. Minhas mãos largaram a pele por baixo de sua camiseta e subiram para se enroscarem em volta de seu pescoço, o beijo ficou acelerado, muito acelerado e tenho certeza que se alguém ali estivesse olharia para outro lugar, porque estava quente ali, constrangedoramente quente. Senti minhas costas serem empurradas contra o carro e Zayn apertou minha anca com força antes de parar o beijo e colocar sua cabeça no meu pescoço. Estavamos ofegantes.

-Senti sua falta – ele disse contra meus pelos eriçados

-Somos dois então – respondi depositando um beijo na curva de seu pescoço e o afastando

Peguei minha mochila e peguei na mão dele para entrarmos naquele grande estádio, isto era enorme, quem olha para um estádio pensa que quase toda a estrutura está lá, mas aquilo tem tanto espaço dos lados e em baixo que até assusta, eu me perderia legal se não tivesse junto com Zayn.

-Quantos dias você pode ficar comigo?

-Até sábado, tenho toda a semana livre!– disse super feliz

-Podemos voltar para casa juntos se você esperar mais um dia, domingo é meu último show nos Estados Unidos

-Adorava Zayn, mas segunda você sabe que tenho de trabalhar, se sair aqui domingo de noite, só chegamos segunda depois da hora de almoço, ir a casa, tomar um banho e tudo mais, só ia trabalhar na terça, não posso

Logo Zayn fechou a cara e eu nos parei no meio daqueles corredores enormes

-Não fica assim, você sabe que é uma sorte ter esta semana livre e conseguir vir aqui

-Sei – ele disse dando um pequeno sorriso e me deu um beijo para logo me ir puxando de novo e abrindo a próxima porta à direita.

-Esta é a sala onde ficamos antes de ir pro show – assim que ele diz isso uma menina que não era Lux entra correndo em direção a Zayn que a apanha no ar

-Você tem uma filha e não disse nada para mim? – perguntei debochando

-Ela é minha afilhada (s/n), filha da nossa estilista

Ups, isto que dá não saber nada sobre a vida de famoso de seu namorado

O celular de Zayn toca e nada mais é dito, ele entrega a menina para mim e vai atender a chamada fora da sala.

O que estará ele escondendo?

Olho para a menina em meu colo

-Sei que você é a afilhada de Zayn, mas e você? Sabe quem eu sou? – perguntei e ela sorriu

-Você é a namorada dele, Zaza avisou todo mundo que você vinha ver ele hoje

-Sério isso? E ele falou mais alguma coisa de mim?

-Falou sim, e de mim, ele fala?

-Fala sim, ele tá todo tempo falando de você

-Bem?

-Você é uma boa menina, claro que ele fala bem de você – podia não saber quem era a menina mas ele sempre me fala da afilhada, eu que nunca tinha visto ela

-Zaza fala muito de você também – ela se remexeu em meu colo e resolvi sentar, vendo Zayn entrar, fiz sinal para ele ficar no lugar que estava – ele fica com olhos brilhantes, diz que tem saudades de você, que quer ir ver você a Londres, então ele suspira – ela rir e depois suspira imitando Zayn me fazendo rir – então ele diz que ama você como papai ama mamãe

-Sua mãe tá chamando, salte do colo de (s/n) – zayn diz brincando

Meus olhos estão marejados, as palavras “eu te amo” nunca saíram da boca de nenhum de nós, agora sei que ele as disse várias vezes, apenas não diretamente para mim.

-Desculpe, não era assim que era suposto você saber – ele disse sentando no braço no sofá olhando pro chão

Dou um sorriso e me levanto, me colocando entre suas pernas e o obrigando a olhar para mim. Nossas mãos nas costas do outro.

-Demasiado comum se fosse da forma normal Malik, já tínhamos chegado à conclusão que nós não temos nada de normal certo?

Zayn apenas acenou com a cabeça, ele estava com medo que o sentimento não fosse mútuo, o que me fez rir, sério, acho que não há pessoa que o ame mais que eu e ele está duvidando disso

-Você não preciso de

-Shiu! Eu amo você – disse olhando diretamente em seus olhos, acabando com as suas estupidas inseguranças

-Eu amo mais – ele disse antes de me beijar

Meu coração estava muito acelerado, demasiado acelerado na verdade e podia sentir o dele tão acelerado quanto, minha mão sobre seu peito o comprovava.

-Precisamos ir – dito isto ele se levanta e me arrasta para fora do estádio, entramos no carro e ele diz qualquer coisa para o motorista.

Minutos depois e vários “amo você” depois estávamos em algum cinema, que estava quase lotado, Zayn me encaminhou para nossos lugares e a curiosidade estava me corroendo.

-O que nós vamos ver?

-Um filme – ele responde recebendo uma tapa no braço logo depois

Ele estava me zoando.

-Apenas soube que você queria muito ver “A culpa é das estrelas”

Meus olhos se arregalaram e eu não podia acreditar, eu amava o livro, chorei lendo, estava ansiosa para ver ele mas a estreia era amanha e não podia ir ver porque estaria com Zayn.

-Bem-vinda à ante estreia e desculpe se queria passar por toda a festa e tapete com paparazzi mas

-O concerto – completei sua frase – Está perfeito, obrigada

Estava sem palavras, eu o amo por todas estas pequenas coisas.

Já o filme ia a mais de meio quando Zayn sussurrou no meu ouvido

-Você pode chorar na minha frente (s/n)

-Não consigo – disse sorrindo – não hoje, estou demasiado feliz

Aquele “amo mais” aqueceu o meu coração duma maneira que não esperava, nem mesmo aquela cena em que eles encenam o funeral dele me faria chorar hoje.

Capitulo 1

Me sentei e encarei o pc pensando no que escrever, sabia que com o que ia escrever iria criar uma grande tempestade mas tinha a esperança que depois disso a calmaria iria finalmente chegar.

Flashback on

Sai de casa e me deparei com alguns paparazzis, passou quase dois meses e eles ainda não desistiram de mim. Me sentia cansada de tudo isto, as coisas acabaram entre nós e mesmo assim minha vida continua virada de pernas para o ar.
Dois meses sem contacto com ele, dois meses em que não ouvi a sua voz, não senti seu toque, nem vi a sua figura frente a frente, e mesmo assim estas pessoas não querem perder uma foto minha, uma declaração, uma viagem ao supermercado, ao meu trabalho ou até à casa da minha família. Não percebo a insistência.
-Harry está vindo?
-Não sei – respondi quase bufando -Você deveria saber, ele não é seu namorado?
-Nós não somos nada. - desabafei
O jornalista olhou-me como se tivesse a sua grande fuga, a grande notícia da sua vida e continuou a fazer perguntas que decidi não responder. Era isto que ele queria, a noticia da sua carreira, aquela que iria fazer com que fosse promovido, que ganhasse mais alguns milhares de dólares, que se tornasse um jornalista conhecido por ter sacado aquela preciosas informação, aquela que todos queriam e ninguém conseguia adquirir.
Agora ele tinha a noticia.
Eu tinha mais umas capas de revista com a minha cara na capa.

Flashback off

Flashback on

Frank estava dançando comigo e de repente uma música bem sensual começa a ser ouvida, demos uma grande risada e começamos a dançar sensualmente um para o outro, como se nos estivéssemos a provocar, para nós nada seria mais normal, nossa amizade era além destas coisas bobas.
Harry chega e nos afasta de forma super bruta e me olha como se me quisesse explodir apenas com um olhar. Nossos olhos se encontram por breves instantes mas não consigo decifrar o porque da sua ira. Rapidamente percebi que Harry estava empurrando Frank e ele estava se defendendo, no minuto seguinte Harry perde a paciência e esmurra Frank no nariz o fazendo cair no chão e sangrar.
-NÃO! – gritei tentando fazer com que Harry saísse de cima dele e o parasse de esmurrar.
Rapidamente desisti impotente esperando que algum segurança os viesse separar.
-Ela é minha, só minha
-Como você pode?
-Você está abusando da minha paciência cara!
Harry ia falando pro ar, porque na real Frank nem estava ouvindo suas baboseiras e eu preferi ignorar todas as suas palavras.
Felizmente um segurança chega e tira Harry de cima de Frank. Este está com a cara numa lástima, suspiro não querendo acreditar nesta parvoíce de meu namorado.
-Estou calmo, me larguem – Harry pede e me olha – Vamos (s/n)
-Não – digo simplesmente, não iria com ele para lugar nenhum
-Você não vai ficar aqui com ele, você vai? – ele pergunta indignado
-(s/n) vá, eu fico bem – Frank é demasiado boa pessoa para mim
-Não, eu vou ficar aqui com você – digo e me viro para Harry – Você pode ir, não vou sair daqui com você
-Você está fazendo sua escolha – ele disse furioso e saiu da boate sem mais uma palavra
-Ele é seu namorado, vá atrás dele, você sabe que isto foi tudo ciúme e eu fico bem
-Ciume desnecessário, você é meu melhor amigo – fiz uma pausa – venha, vamos tratar de sua cara
O peguei pelo pulso e o arrastei até ao banheiro, não sem antes olhar para a porta e perceber que tinha realmente feito a minha escolha.

Flashback off

Desde aquela noite que não sei nada dele, pelo menos não por ele. Dia seguinte Harry foi em tour e eu voltei à casa dele para pegar algumas (poucas) coisas que me pertenciam, deixei a chave no porteiro dizendo que era para ele devolver para Harry e nunca mais voltei.
Felizmente que nunca aceitei seus pedidos de ir viver com ele, se tivesse feito isso quando nos separamos estaria muito mais dependente dele, teria sofrido muito mais.
Jogo as mãos à cabeça e as esfrego em meu cabelo. Preciso escrever isso logo antes que perca a coragem.

“Quero deixar claro que meu relacionamento com Harry é inexistente de momento. Não somos namorados, amigos, conhecidos, nada. Não somos nada”

Pressionei a tecla “tweetar”
Desci a tela do laptop e respirei fundo, sabia que rapidamente as fans dele iriam comentar este tweet, iriam criar um hashtag que ficaria nos trends por horas e que eventualmente Harry viria.
Decidi ir fazer algo de produtivo como tratar de roupas, louças, arrumar quarto e tomar banho mas minha mente estava naquele tweet, em Harry, nas noticias, nos paparazzis à minha porta, em Frank, naquele noite. Como ele teve coragem de achar que estava certo fazer uma cena esmurrando meu melhor amigo por ciúmes? Ciumes sem razão? Como ele teve coragem de não me pedir desculpas depois disso e simplesmente desaparecer? Ainda não entendi como seu ego cresceu e sua razão diminuiu tanto numa noite só.
Não resisti e fui checar meu twitter pelo telemóvel, nesse mesmo momento ele vibra indicando que Harry tinha tweetado. Sim, ainda tinha as notificações ligadas, aprendam comigo como ser trouxa.

“Nada? WOW pensei que fossemos namorados” ele tweetou sem me mencionar

“WOW? Pensei que namorados se falassem” – tweetei também sem o mencionar

Vi as hashtags e logo vi “#ShipNameBreakUp” nos trends, não tive tempo de ver nada porque logo Harry tinha tweetado.

“Estamos falando”

“Não sei você mas eu estou escrevendo”

Comentário estúpido com comentário estúpido.

“Sorry”

“WOW dois meses depois, sem chance”

Ele estava mesmo esperando que o fosse perdoar com um simples tweet? Dois meses depois? Depois de ele ter desaparecido do mapa e nunca mais me dizer nada? Ele só podia estar brincando.

“O que você quer que eu faça?”

“Não sei, mas me pedir desculpas via twitter não vai levar você a lugar nenhum”

Tenho certeza que ele não ia nem mesmo se esforçar.

“Apanhando um voo amanha pela manhã”

“Nem pense, você tem show”

Suas fãs iriam me matar, cortar aos pedaços e me dar de comer aos porcos se ele fizesse isso.

“Como você sabe? Stalker”

“Social Media, nosso melhor amigo certo?”

Decidi ser sarcástica.

“Vejo você quando estiver de férias” – escrevi tentando acabar com aquela cena ridícula, ele não iria perder shows por minha causa. Por causa de algo que na real nem existe mais.

Harry POV

Idiota, idiota, idiota.
Claro que ela iria achar que estava tudo acabado entre nós, depois de todo este tempo que passou e eu não lhe disse nada. Nenhum sinal, nenhum telefonema, nada.
No principio estava apenas demasiado ocupado, cheguei a casa, tomei um banho, fiz as malas e fui pro aeroporto, dormi a viagem toda até ao outro pais. Soundcheck, jet leg, primeiro show, muito correria mesmo mas então tudo ficou “normal” de novo. Meu normal não é o normal de todo mundo mas já estou acostumado. Me acobardei, a verdade é essa, queria tanto ligar para ela, lhe pedir desculpas, tive para lhe ligar umas 30 vezes por dia nas primeiras semanas mas sempre desistia. Sempre achava que ela não iria me perdoar, que não valia a pena, que teria de dar tempo ao tempo, que não iria poder abraçar ela, que nada se iria resolver por uma conversa no celular ou no Skype, o tempo foi passando e agora na cabeça dela tudo acabou. A compreendo mas na minha cabeça nada acabou. Ela ainda era minha namorada, até 10 minutos atrás que li seu tweet. Agora não posso fazer nada além de aceitar que não somos nada um ao outro. Nada. Essa palavra me assusta, ela é tudo para mim e para ela eu não sou nada. Nem seu namorado, nem seu amigo, nada. É tão assustador pensar que a razão do nosso viver está desistindo de nós. Queria apanhar um avião e bater na porta dela com um ramo de flores, lhe pedindo desculpa de joelhos cara a cara, pegando mico se fosse necessário. Sinto que ela apenas precisa de alguma prova de que ainda me importo, me importo com ela, com nosso relacionamento, com nossa vida a dois, com nossa felicidade. Seja essa prova qual for, nem sei se ela sabe o que quer, provavelmente não, mas sei que ela precisa de algo que a faça acreditar em nós de novo. Infelizmente não posso ir para Londres, não posso deixar tudo, não posso abandonar meus parceiros, não posso deixar de ir aos shows para ir ver a (s/n).
Única coisa boa é que tudo isto vai acabar dentro de 3 semanas, significa isso que tenho 3 semanas para descobrir uma boa maneira de a surpreender e de a ter novamente em meus braços.

S/N POV

Queria dormir, senti Louis se levantar mas meu cérebro estava demasiado dorminhoco para mexer meia dúzia de músculos, nem lhe disse “Bom dia” mas agora estou a ficar irritada, pelo celular de Louis. As notificações duma aplicação qualquer estavam ligadas e aquilo estava apitando que nem louco, alguém deveria querer falar com ele com urgência e ele cabeça no ar como é esquecei o celular em casa.

Me arrastei até ao outro lado da cama e vi o celular caído entre a mesinha e a cama, piscando como o inferno. O peguei e vi que era no whatsapp, abri as mensagens quase de olhos fechados e vejo que é duma “Lauren”, não conhecia nenhuma Lauren amiga dele. Todas as mensagens de baixo eram emojis, provavelmente apenas querendo chamar a atenção, fui rolando para cima e então vi sua mensagem “me manda nosso vídeo de ontem *emoji fogo* *emoji proibido menores 18*”, pisqueis várias vezes, me certificando que tinha lido correto, meus olhos estavam mais fechados que abertos, podia ter lido mal certo? Reli: “me manda nosso vídeo de ontem *emoji fogo* *emoji proibido menores 18*”

Mas que merda, qual vídeo? Não estou gostando desses emojis não.

“Sei que você está ai” ela disse provavelmente vendo que os certos tinham ficado a azul do lado direito, que se foda, pensei. Fui nos vídeos do celular e abri logo o primeiro.

Meus olhos se arregalaram e me coloquei direita na cama, se sentando e apoiando o celular nos joelhos. Louis se afastava do celular, consegui ver seu corpo totalmente nu andando em direção à tal Lauren que estava nesta mesma cama o esperando, totalmente nua também, minha bile subiu, me estava enojando ver estas imagens. Louis foi então para junto dela e se deitou cobrindo seu corpo e a beijando desde sua mandibula até seu umbigo, fechei meus olhos não querendo ver o resto, respirei fundo e continuei vendo ele a beijando, cada beijo, cada facada em meu coração, não estava aguentando o que estava vendo, algo em mim me dizia que não era Louis mas então as imagens comprovavam que estava errada, aquele era sim Louis. Lauren gemeu e Louis disse “geme gostosa”, como ele pode? Sua boca desceu para sua intimidade fazendo ela gemer mais alto e então ele subiu como se a fosse beijar na boca mas o vídeo acabou.

Não vi o vídeo uma, nem duas, nem três mas muitos e muitas vezes, as suficientes para decorar cada pormenor, cada beijo, cada gemido, cada expressão de prazer deles dois em todos os segundos. Então desabei, chorei me sentindo destroçada, por dentro e por fora, me sentindo traída e usada, como se não valesse nem o ar que respirasse, me perguntando se cada eu te amo trocado era sincero e pior, chegando à conclusão que não.

Quando todas as lagrimas acabaram me vesti rapidamente, fiz uma mala e mandei o vídeo à vadia, na verdade nem a podia culpar, Louis que tinha namorada, ele é o traidor, era direcionada a ele toda minha tristeza e deceção.

Deixei tudo para trás e dirigi até casa de minha prima Ruth, não lhe iria contar nada mas precisava de inventar alguma desculpa para ficar la uns dias, colocando as ideias no lugar e decidindo minha vida, nada seria igual daqui para a frente, nada seria como era dantes.

Felizmente quando cheguei, ela estava saindo com pressa e aceitou de boa, nem fez perguntas… louvado seja qualquer que seja seu compromisso. Fui para o quarto em que ficara antes e me deitei adormecendo depois de mais algumas lágrimas derramadas.

Acordei com a campainha tocando insistentemente, levantei aos trambolhões e abri a porta super ensonada mesmo.

Louis.

Congelei no lugar, minhas ideias ainda não estavam no sitio, não tive tempo de pensar no que lhe dizer.

-Podemos conversar? – ele perguntou a medo, tenho certeza que ele sabe que eu vi, afinal quem poderia ter mandando o vídeo para ela sem ser eu?

-Não tenho nada para dizer a você – respondi serena

-Eu tenho – ele disse desesperado – Por favor s/n

Acenei com a cabeça, o mandando entrar, fechei a porta e me dirigi para o quarto me deitando na cama de barriga para cima, apreciando o teto branco. Não queria ter esta conversa agora. Não estava preparada.

Ele se sentou na beira, me olhando.

-Sei que você viu o vídeo. Esqueci o celular em casa e quando dei por isso e voltei para o pegar você não estava em casa e tinha uma conversa no whatsapp – ele disse o obvio

Respirei cansada, minha tristeza para com sua atitude era maior que minha vontade de o espancar pelo que ele me fez. Me deixei quieta, me preparando para esta conversa.

-S/n.. – ele começou mas o interrompi

-Me vai dizer o quê? Que foi um erro? Que ela não significa nada para você? Que foi só uma vez? Que não vai voltar a acontecer? Me poupe de seu discurso de traidor

-Não, eu ia dizer que apesar de ter errado feio você continua sendo a mulher que amo, quando me apercebi que você tinha descoberto e tinha saído de casa, me bateu um desespero, me apercebi que não dei valor o suficiente para você, que não mereço você mas que a amo, que você sempre será a mulher com quem quero passar o resto de minha vida.

-Foda quando você só dá valor às pessoas quando as perde não é mesmo?

-Não, por favor s/n, não fale assim, eu não posso perder você

-Como eu posso confiar em você depois dessa? Como eu sei que você daqui a um tempo não me trai de novo?

Não poderia viver com um pessoa em quem não confio.

-Não vou, nunca mais, eu aprendi com o erro, juro para você. Por favor, me dê mais uma chance – ele pediu me fazendo o olhar nos olhos. Não sabia o que fazer, lhe dava essa chance?

3 meses se passaram e posso dizer que consigo confiar em Louis de novo, o fiz se esforçar, por mim, pela nossa relação, mas ele me provou que aprendeu mesmo com o que ficou no passado.

-Amo você

-Também amo você – respondi sincera pela primeira vez em 3 meses

Sua cara foi impagável, como de uma criança recebendo presente no Natal, seu sorriso podia iluminar o mundo, meu mundo, nosso mundo.

Lii