lc 19

O nome de Jesus tem poder. Ele mesmo nos deu autoridade sobre toda força maligna. “Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum.” (Lc 10.19). Temos essa autoridade para repreender todo o mau, seja um pensamento, sentimento ou palavra que seja contra a Palavra de Deus nós podemos repreender. Além disso, podemos usar essa autoridade para profetizar vida, alegria, ânimo, paz e amor sobre nós mesmos e sobre a vida de outras pessoas que estejam em qualquer circunstância ou estado físico.

A minha palavra para você que está lendo esse texto é: use a autoridade que Jesus lhe deu e utilize a sua fé em todas as situações. Principalmente aquelas que parecem impossíveis de ser resolvidas. Se estiver desanimado, triste, ansioso, cansado, preocupado e abatido declare com fé para sua alma: “Em nome de Jesus Cristo levanta-te e anda! Levanta, levanta e levanta!” Se é alguém próximo de você que está em uma dessas situações declare a mesma coisa e se a pessoa tiver fé peça para ela dizer essa frase junto com você. Não pare! Não fique paralisado diante dos problemas ou das investidas do inimigo. Faça como Neemias que perante as investidas do inimigo não parou as obras, mas organizou todos para que o trabalho não parasse e conseguissem ir até o fim com a restauração dos muros de Jerusalém. “faziam o trabalho com uma das mãos e com a outra seguravam uma arma.” (Ne 4.17a). Todos os judeus continuavam o seu trabalho, mas estavam sempre vigilantes e prontos para enfrentar qualquer ataque do mau. Não se deixe abater, levante-se e prossiga a caminhada que lhe foi proposta para cumprir os sonho e propósitos de Deus para sua vida.
-
Que está mensagem venha tocar seu coração, compartilhem!
Abençoe alguém hoje!
Jesus te ama…
-
📝Fala Deus @Roy.gregorio

indyaqui  asked:

Oi, você por um acaso tem algum texto falando somente de Maria para me indicar?

Oiii, que a paz de Jesus e o amor de Maria esteja contigo. Então há tantos textos maravilhosos que é difícil dizer só um, mas partilho este que diz muito.


Maria - Um modelo de fé

Por: Juberto Santos

O Evangelho de Lucas é o que mais apresenta a figura de Míriam (em nossa língua: Maria) como participante dos mistérios de Cristo.

O evangelista quer mostrar em Maria um perfeito modelo de vida cristã ou uma preocupação de querer dizer às comunidades nascentes que em Maria, se antecipa a vocação da Igreja e de cada cristão em relação à revelação divina dada em Jesus Cristo.

Maria é sempre apresentada como uma presença discreta, preocupada somente com a compreensão e a realização da vontade do Pai, a partir dos acontecimentos na vida de Jesus, segundo nos permite dizer o evangelista: “Maria, contudo, conservava cuidadosamente todos esses acontecimentos em seu coração”. (Lc 2, 19). Assim, como não se pode falar de Jesus, sem falar de sua mãe, Maria de Nazaré; assim, não se pode falar da verdadeira Igreja de Cristo, sem tomar em consideração o amor e a devoção com que, desde o começo, o povo de Deus invoca Nossa Senhora; assim, não podemos deixar falar do papel de Maria Santíssima em nossa vida de Cristãos.

A VIDA DE MARIA DE NAZARÉ

É bom lembrarmos um pouco a vida de Maria. Na simplicidade dos fatos narrados no Evangelho, é revelada a nós a humanidade e, ao mesmo tempo, toda a grandeza de Nossa Senhora:

  1. O chamado de Deus e o “Sim” de Maria (Lc 1, 26-38);
  2. Maria visita e ajuda sua prima Isabel (Lc 1, 39-56);
  3. Maria e o nascimento de Jesus (Lc 2, 1-20), (Mt 1, 18-25), (Mt 2, 13-23);
  4. Maria, José e o menino Jesus vão ao Templo (Lc 2, 21-51);
  5. Maria e Jesus na festa de Casamento em Cana da Galiléia (Jo 2, 1-12);
  6. Maria aos pés da cruz (Jo 19, 25-27);
  7. Maria no Cenáculo com a Igreja de seu filho (At 1, 12-14);

MARIA É A MÃE DA IGREJA

“Eis aí tua Mãe.”: a Igreja sempre acreditou que estas palavras-testamento de Jesus do alto da cruz ao apóstolo e evangelista João, são para todos os discípulos de Jesus, de todos os tempos. Assim, desde o começo, os cristãos amam, veneram e a invocam como Mãe. A mãe de Jesus, verdadeiramente, é mãe do povo de Deus, Mãe da Igreja! A concepção virginal de Maria é um sinal de caráter gratuito da redenção. Esta se deve não à vontade da carne, nem à vontade do homem, mas a gratuita e livre iniciativa de Deus. O que a Igreja Católica Apostólica Romana crê acerca de Maria funda-se no que ela acredita a respeito de Cristo, o que a fé ensina sobre Maria é iluminada por sua fé em Cristo. E não há dúvida: o povo de Deus ama Nossa Senhora! Foi o amor e a devoção a ela, que, durante séculos, sustentou a fé de nosso povo, também onde não existia quase nenhuma presença Pastoral. Ela foi preservada de toda a mancha do pecado original no primeiro instante de sua conceição (Imaculada Conceição). Ela permaneceu sempre virgem (Virgindade Perpétua) durante o nascimento de Jesus e durante toda a sua vida terrena. “A Imaculada Mãe de Deus, sempre virgem Maria, terminado o curso de sua vida terrena, foi elevada à glória celeste em corpo e alma…” (Assunção ao Céu).

Ela não teve outros filhos, pois qual seria o significado de Jesus entregá-la à João, o discípulo mais amado, aos pés da cruz? Jesus estava indo para a casa do Pai e José já havia morrido, logo, Maria ficaria sozinha. Se tivesse outros filhos, Jesus não poderia fazer isso.

Foi o carinho para com a Mãe de Deus, que fez com que o povo inventasse para ela uma porção de nomes e imagens correspondentes. Cada nome é uma prova da certeza do povo de que Maria está presente em todos os momentos de sua vida; ou é uma lembrança dos lugares de maior devoção Mariana: N.sra. de Lourdes, de Fátima, de Guadalupe, etc. No Brasil, o povo escolheu como forma predileta de venerá-la, o nome de N.sra. Aparecida. A profecia da moça de Nazaré (“todas as gerações hão de me chamar de bem-aventurada”) tornou-se realidade! Como os apóstolos que nos dias, que antecederam ao dia de Pentecostes, reuniram-se com Maria.  Queremos que Maria esteja junto da gente. Precisamos dela: como mãe e companheira de Caminhada.

Salve Maria! 😘

Gemini 3: The launch of Molly Brown

50 years ago, on March 23, 1965, the first crewed mission of the Gemini program launched from LC-19 in Cape Canaveral, just five short days after the Russian cosmonaut Alexei Leonov completed the first space walk.

The Gemini program was intended to be a bridge between the completed Mercury and future Apollo programs. The ten Gemini missions (1965-1966) wouldflight test equipment and mission procedures (EVA, rendezvous, docking and long duration) in Earth orbit for the upcoming Apollo lunar missions.

The Gemini spacecraft launched on a two-stage Titan II rocket, originally designed as an intercontinental ballistic missile (ICBM). The Titan II would place the Gemini spacecraft into Earth-orbit in five minutes and 54 seconds, very quickly compared to the eight and a half minutes it took for the Space Shuttle. Gemini was the first spacecraft to have an onboard computer.

Alan Shepard was slated to fly as part of the first two-person crew, but was sidelined due to an inner ear disorder. Instead, Gus Grissom was selected to fly along with John Young. As such Grissom became the first person to fly in space twice.

Gemini 3 was the only Gemini mission to be named, Grissom called it Molly Brown in a playful reference to his Mercury Liberty Bell 7 capsule, which sank in the Atlantic Ocean when the hatch inadvertently blew open after splashdown. Molly Brown was the title character of a popular Broadway musical – The Unsinkable Molly Brown.

Gemini 3 was the first crewed US launch since the completion of Project Mercury on May 16, 1963. The mission’s primary objective was to test the maneuverability of the new spacecraft. Grissom and Young fired thrusters to change the shape of their orbit, shift the orbital plane, and drop to a lower altitude; all of these maneuvers were critical firsts in the race to the Moon with the Soviets. The mission successfully ended after 3 Earth orbits and lasted 4 hour and 52 minutes.

About two hours into the flight, Young surprised Grissom by pulling a corned beef sandwich out of the pocket of his spacesuit. Although it was meant as a joke, not every one at NASA found it amusing. Grissom soon discovered that the sandwich crumbled in the zero gravity environment and understood the reason why gelatin was added to the astronaut food they were testing during the mission. The gelatin prevented food from crumbling and interfering with instrument panels while in space.

Gemini 3 was the last manned flight controlled from Cape Canaveral, Florida. All subsequent missions would be controlled from the new Manned Spacecraft Center in Houston, Texas. The following year, NASA announced that Grissom had been assigned as commander for the first Apollo Earth-orbit mission, with Ed White as Senior Pilot and Roger Chaffee as Pilot. Ten months later the trio would tragically perish when a fire broke out in the Apollo 1 command module during a pre-launch pad test.

Today the Molly Brown is on display at the Grissom Memorial of Spring Mill State Park, two miles east of Grissom’s hometown of Mitchell, Indiana.