lavapiés

  • Isabelle: How long have you been in love with Magnus?
  • Alec: That's disgusting. And wrong. I don't even get- why would- I've never loved anyone. Anywhere. It’s none of your- you have- the nerve, the audacity, Magnus is my enemy, technically. And he is terrible, face-wise. And how- how- do I know, frankly, that you’re not in love with him? Maybe you are. Maybe you’re trying to throw me off? Hmm check and mate
instagram

😂😂😂

I´ve been chatting with @claricechiarasorcha and we talked some more about the infamous cadet Hux pin up photos.

I was wondering if after a propaganda speech on a first order planet, Hux will be solely approached by people because they want him to sign his pin up pictures. Clarice added that Kylo in a poor disguise be probably the first in line to get the coveted signature himself.

I laughed to much about the idea that I scribbled this into my storyboard work file. It´s so dumb, I thought I share haha


A bad chegou pra mim. Resolveu aparecer, sem mais nem menos, simplesmente pra me enfraquecer. A bad chegou pra mim, e está aqui, junto de mim, querendo destruir o que resta do meu coração. Você se pega imaginando toda a sua trajetória, até chegar aqui. Lembra dos relacionamentos passados. E chora. Chora porque acha que aquele ex amor do ensino médio podia ter dado certo, se você tivesse se empenhado mais. Mas a culpa não é sua. A verdade é que: não era pra ser. Mas a bad coloca sempre a culpa em você. O nível de frustração chegou ao máximo, se eu contar a música que ouço agora, talvez você ria de mim, talvez queira ouvir e chorar também. Mas a música diz: “Tô precisando de alguém pra conversar, que saiba me escutar; que pare pra me ouvir e possa me entender. Tô precisando de alguém pra eu chorar. Falar da minha dor. Dizer que meu amor, só me fez sofrer.” É Raça Negra. Olha só o ponto que cheguei. A bad está acabando comigo, pisando no meu coração. Preciso fugir dos nocautes que ela me dá. Mas está difícil, muito difícil de escapar. Pois ela é mais forte que eu, sabe como me destruir, meu passado não é nada maravilhoso, então eu tenho porquê sofrer, tenho sentimentos inacabados aqui dentro, e é nessa hora que eles vem, pra destruir os pedacinhos do coração que ainda me resta, e com eles as lágrimas e arrependimentos, eu mereço? Deveria ter um aviso um dia antes de ela resolver bater e massacrar, pois podíamos nos preparar para ir a balada mais próxima. Ela deveria não machucar tanto, mas o nosso psicológico ajuda a bad a nos machucar. A bad, vida e psicológico deveriam formar uma banda, e se chamar “destruidora”. Afinal, é só isso que elas fazem, nos destroem.
—  Escrito por Anelise, Letícia B. e Beatriz em Julietário.

anonymous asked:

*Kakyoin, after seeing a swirled icecream cone melting off the side of a concrete step* Man I want my hair to look like that

HFKHSJKDHJ THIS ASK REMINDED ME THAT ONE TIME AT 3AM I FUSED KAKYOIN AND POLNAREFF’S HELL HAIRS AND CALLED HIM ICECREAM MAN

Eu me lembro de cada decepção, e de como me esforcei para continuar com a minha essência após cada uma delas. Me lembro de todas as coisas ruins que já me disseram, e só de lembrar é como se estivesse ouvindo novamente. Me lembro que achava o fim do mundo as “briguinhas” com os meus melhores amigos, sem saber que haveria coisa pior pela frente. Eu me lembro de todos os momentos em que tentaram me colocar para baixo, dizendo o quão eu era incapaz ou que não iria alcançar tal objetivo. E doía muito, pois muitas vezes era de pessoas próximas à mim. Cada dia era uma pancada diferente, que só me fazia sentir vontade de ficar deitada, lá quietinha, só eu e meu fone de ouvido, pois com ele sim eu ouvia melodias e falas boas. Eu me lembro quando comecei a perceber que ninguém valia a pena, ao ponto de eu perder a minha paz. Me lembro de quando tudo que eu tinha era eu e meu espelho, porque nele refletia exatamente como eu me enxergava. Eu me lembro de tudo. E ao reviver esses pequenos flashbacks, acho até que eu tenho medo do mundo. Ou, talvez, das pessoas? Eu tenho medo de me entregar, me decepcionar, de confiar, de vacilar. Uma insegurança toma conta de cada centímetro do meu corpo, e por mais bobo que seja, aos poucos se vai meus sonhos.
—  Escrito por Fran, Beatriz, Grazi e Amanda N. em Julietário.
3

I thought knowing both songs would make it easier to learn on guitar. It doesn’t.