laurabonvini

A música era antiga. O lugar não era grande o suficiente para o tanto de pessoas que estavam ali. Eram 2:00 da manhã e eu não sabia o que estava fazendo. Se bem que depois de duas garrafas de vodka e uma tragada no cigarro que passavam de mão em mão, percebi que me identificava com aquilo, com o cheiro de problema que transbordava dali e com o som de corações destruídos que ainda tinham forças para bater. É, eu podia ficar ali a vida inteira, mas não, aquilo não era pra mim. Ia ficar só por hoje. Só por uma noite.

Eu cuidei de você como nenhma outra pessoa. Eu te amei mais do que qualquer um poderia. Sinto muito se não consegui demonstrar tudo isso, porque doía, e até hoje dói me lembrar de quando você me deixou, foi aos poucos, e eu nem percebi que estava te perdendo.

(Laurabonvini)

Em seus sonhos ele era de novo seu, estava em seus braços e dizia que a amava. Em seus sonhos eles eram tudo o que não haviam sido, tudo o que teriam sido e tudo o que queriam ser. Mas quando voltou a si as lágrimas estavam lá, e ela nem percebeu como haviam chegado “ Ele se foi ” era o que elas diziam, “ Ele se foi e nunca vai voltar, e isso tudo é culpa sua. Acabou. O vazio que ele deixou é insubstituível, eu sei” As limpou e prometeu a si mesma que não voltariam. forçou um sorriso e decidiu seguir em frente, esquecer tudo. Não queria viver de lembranças, não daquelas lembranças.

Ela queria comprar um caixa. Daquelas bem bonitas e enfeitadas, para guardar seus sentimentos. Ela não os queria mais sabe ? Toda aquela angústia, frustração, ódio, rancor e principalmente o amor, Ah, o amor, que a decepcionou tantas vezes, era o que ela mais queria guardar, não guardar, se livrar seria mais apropriado. Mas, pensando bem, tem como a gente comprar outro coração?
—  Laurabonvini

Estava sentada à sobra de uma árvore, com um livro na mão e o sol se pondo atrás de mim.Dali, a vista do horizonte era perfeita. o laranja, o amarelo e o azul se misturavam e formavam minha obra de arte preferida. O cheiro que exalava das flores era inexplicável, e a brisa que soprava em meus cabelos levava meus pensamentos com ela. Nós sempre vínhamos aqui,  você deitava em meu colo e eu te contava a mais bela das histórias, no final estávamos os dois chorando, e caíamos na gargalhada. Foram momentos bons, eu admito. Mas eles se foram e só a resta a lembrança. Uma lembrança boa, me faz sorrir. Você pode ter ido embora, mas seu riso ainda ecoa em minha mente, como se você estivesse comigo admirando tudo isso. E as lágrimas vêm. Não consigo segurá-las.

Traiçoeira, silenciosa, inesperada. Três palavras que descreviam tudo aquilo que precisava ser descrito. Vários arsenais, repleto de almas vazias que, brigam entre si para disputar um mínimo espaço restante. A cada guerra, demasiados corpos necessitam ser guardados e ao mesmo tempo esquecidos, enquanto famílias são destruídas chegando a um final não planejado. Mas ninguém se dá conta do trabalho que existe por traz de tudo isso, um sofrimento que nem sempre se suporta, uma dor que nem sempre é escondida ao levar pessoas inocentes para lugares onde elas não deveriam estar. É como libertar a pessoa de um corpo o qual ela não tinha de permanecer.
“Liberdade”, era como definiria seu trabalho, melhor que muitos outros adjetivos que são escutados por onde se passa. Poder dar asas, incentivar o sentimento de querer correr atrás de tudo o que queria ter feito, mas que não era possível enquanto vivia a vida que lhe foi concedida. Ter que extinguir bons momentos e lembranças inesquecíveis, por elas simplesmente não poderem entrar neste mundo de solidão.

A vida não é apenas viver . Tem que aproveitar, se jogar, fazer tudo que você sonhou fazer, se divertir independentemente das consequencias, amar muito, e se você nao for amado de volta, foda-se , é um sinal de que você merece coisa melhor, que um simples garotinho imaturo que nao sabe reconhecer seus sentimentos, e parta para a próxima, porque ainda há muito o que viver, nao lamente,nao chore por quem nao merece, e o mais importante de tudo, nunca se arrependa de nada.

(laurabonvini)

Deitada sozinha em meio à escuridão , apenas com a luz da lua sob meu campo de visão , olhando o céu estrelado, te desenho em minha mente, lembro de quando você disse que nunca ia me abandonar, que me amaria pra sempre, e eu acreditei naquelas doces palavras que soavam em meus ouvidos. Te desenho como queria que tivesse sido tudo entre a gente, dessa vez eu nao posso te culpar, dessa vez eu errei.

(Laurabonvini)

As nuvens mudaram de forma. O sol se pôs para deixar a lua surgir . Os passaros foram embora.O unico som que restava era o silencio. E ela continuava imóvel , sentada em sua cadeira em frente à janela, com um livro no colo , ela lera menos de dez palavras. O corpo em si estava lá, parado, mas a mente , a mente ia longe. Estava em festas, em bares onde ficava até a madrugada , em bibliotecas que era onde ela passava a maior parte de seu tempo depois que desistius de tudo. Uma paixão de adolescencia ainda assombrava sua mente , nao era uma paixao , era mais que isso. Ela estragou tantos relacionamentos que era impossivel dizer quantos . Tantas promessas de  "para sempre" foram perdidas e esquecidas. Nao havia mais jeito , desde sempre ela esteve presa somente a uma pessoa , e seria assim , até a eternidade. Ele nao estava ao seu lado , mas em seus pensamentos era onde permanecia a maior parte do tempo.