lastro

Bem, por motivos óbvios ele é um homem que morrerá solitário e, por enquanto, tudo bem; qualquer um de nós, rico ou não, bonito ou não, popular e bem-relacionado ou não, morrerá louco e na solidão, sem lembrar do que almoçou. O que importa é que condição o trouxe até aqui, o iminente fim da sua vida patética e miserável e cheia de autopiedade. Ou a) como um poeta, entregou-se para uma bela garota dos anos 40, e a vadia o abandonou, o trocou por um outro cuja feição assemelhava-se mais ao Clark Gable, talvez; ou b) ele não deu chance ao amor, era um cara durão, e assim viveu toda sua vida, desprezando qualquer lastro com uma mulher, e teve uma existência promíscua, ambiciosa e selvagem, e cheia de fogos de artifício e chupadas de orgulhar os deuses gregos do vinho e do prazer. E então, qual a melhor opção de caminho até desembocar na amargura, na loucura e na solidão?
—  Gabito Nunes.
Necrológio dos desiludidos do amor

Os desiludidos do amor
estão desfechando tiros no peito.
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh quanta matéria para os jornais.

Desiludidos mas fotografados,
escreveram cartas explicativas,
tomaram todas as providências
para o remorso das amadas.
Pum pum pum adeus, enjoada.
Eu vou, tu ficas, mas nos veremos
seja no claro céu ou turvo inferno.

Os médicos estão fazendo a autópsia
dos desiludidos que se mataram.
Que grandes corações eles possuíam.
Vísceras imensas, tripas sentimentais
e um estômago cheio de poesia.

Agora vamos para o cemitério
levar os corpos dos desiludidos
encaixotados competentemente
(paixões de primeira e de segunda classe).

Os desiludidos seguem iludidos,
sem coração, sem tripas, sem amor.
Única fortuna, os seus dentes de ouro
não servirão de lastro financeiro
e cobertos de terra perderão o brilho
enquanto as amadas dançarão um samba
bravo, violento, sobre a tumba deles.

Carlos Drummond de Andrade

que faria eu sem este mundo sem rosto sem perguntas
onde o ser só dura um instante e onde cada instante
transborda para o vazio o esquecimento de ter existido
sem esta onda onde por fim
corpo e sombra juntos se anulam
que faria eu sem este silêncio poço fundo de murmúrios
curvando-se a pedir socorro pedir amor
sem este céu posto de pé
sobre o pó do seu lastro


que faria eu como ontem e como hoje
olhando para a minha janela vendo se não estou sozinho
a errar e a mudar distante de toda a vida preso num espaço incontrolável
sem voz no meio das vozes
que se fecham comigo
—  Samuel Beckett, “INSTANTE”

Por teus olhos negros…

que me trazem o desespero em náuseas e romances pulsantes, meus suspiros hão de cravar-se em insônias claras, pra que nas sépias linhas da folha errante, eu me escravize às nuvens da tua boca rubra, da tua pele pálida, da tua sede, das tuas curvas, das tuas desatinas loucuras, dos teus venustos traumas…

Por tantas luas que açoitaram-me as noites,
derramei-me em aquários; ermo, eu,
apanhando flores nos oásis traidores da tua boca,
e me esmigalhando em poeira e poemas,
morrendo até que o cimo de minhas gamas trema,
ao pé da sombra dum obelisco mirro
nos desertos em que meus pés tão crespos
deixaram rastros com os pesadumes meus!

Faço colheitas de universos, enterro uma pirâmide no caos…
Até que o inferno me sopre os fôlegos, perdurarei!

Posto a chuva num olhar devastador, me curvo
ao suicídio da forca! no lastro dos teus beijos umbrais
que embevecem-me. Não te caminhes os pés por invernas dunas,
tampouco em geleiras emperradas na despedida do cais;
a tua vivência é rasamente moribunda! E me afogaria os dias, ver-te,
sem vertente, nas águas profundas de meus espinhos abissais.

Por hora e vida, mesmo o sangue me sepulta às cinzas da areia;
ser soterrado no tédio dói menos que a tortura da tua ausência…

Galoparei minhas auroras rés pelas praias que o céu me curva,
como uma partitura ou réquiem, entoada ao pé do teu ouvido.
E serão de crisântemos e petúnias os meus horizontes,
e pincelarei, em todo cirro, com esmero e versos casmurros,
o tormento que é amar-te sem que me ames ao mesmo tempo.

—  Annd Yawk
eu deixo a casa vazia

rego a noite de auroras 
meu corpo sem endereço
do avesso, puros astros
chuva que deságua no mar 
carrego a tua saudade
como lastro do olho que me habita.

O que você está olhando? Até parece que nunca viu um covarde respirando antes. O que pesa, a grande diferença, é que você é daquelas pessoas que precisam de segurança, de lastro, de sentido, precisam de qualquer maneira ser feliz. Eu não. Sim, isso existe, é possível. Não sei lidar direito com as emoções. É só olhar diretamente para a luz calorosa do sol e meu corpo já responde com um espirro. Não vou entrar em detalhes ou dar satisfações. É uma longa história. Minha alma não tem a idade que aparenta.
—  Gabito Nunes.

A luz laranja invadindo a varanda
reflexos azuis do frio entre nós
é só um palpite das flores do outono
seu cheiro doce, sua maestria, sua voz.

Borboletas nos olhos, halito bom de menta
o caminhar dos seus dedos na minha barriga
sem idas, sem partes iguais, sem partidas
um encaixe perfeito da vida, de nós.

Então deixa eu sumir feito ar, feito vento
sou seu lastro, sua lembrança, seu alento
apenas por hoje sou sua pra sempre
seu infinito, seu íntimo, suas asas, seu caos.

—  Elisa Bartlett

Poesia e pornografia… Silêncio e ruído… Entre o tudo e o nada que restou… Vasto o rastro do lastro de seu inteiro que não cabe, que arde em meu peito…Quero-te! invade-me? Não parte… Sou esta miscelânea esquizofrênica que não sustenta o sentir solitário, vago esperando seu sim, mas docemente cruel, não diz…finge um calar que seu corpo revela em olhares longos, gestos sutis, na respiração ofegante, no peito acelerado, sorriso disfarçado… Gozo abafado… Entra e deita ao meu lado e deixa eu te conduzir…

Cacau

Como pastor, não creio que seja minha função entretê-los durante os últimos dias. Não fui chamado para ajudá-lo a ter sentimentos otimistas enquanto toda a criação geme. Minha função é colocar um tipo de lastro em seu barco de modo que quando estas ondas baterem contra a sua vida, você não irá sucumbir, mas chegar ao porto celestial – abatido e ferido, mas cheio de fé e alegria.
—  John Piper
lastro de serenidade

olhando pela janela do ônibus eu descobri que o saber é lindo.
o conhecimento é o único bem que se leva dessa vida. ele nos faz esquecer da ferida que insiste em latejar.

ontem, olhando o pôr do sol, pude sentir na pele a quentura do teu sorriso, que me aconchegava mesmo a quilômetros.

hoje, o amor me abandonou na esquina da rua 39.
agora, o vento me despedaça aos poucos,
nada mais me comove.

⌔ I lost my ti –– m i n d ⌔

    | river-lastro |

    Somehow… He made it. Standing in front of the door, the doctor liberated a sigh, looking around the place for the fourth time already. Glancing at his watch, he pondered the idea of returning to the office and allocate more time to that issue the next day; but Akari was a man of word and worth of trust. It was late, indeed, but he hoped - intrinsically - that his host would still be waiting his visit. 

The whole magnificent story began a couple of days before when the doctor was almost begged for a favour; a favour which he, anyhow, needed to honour due to some past events and some help received from the friend in cause. The problem was simple; his friend who had a friend whose friend sought help from a doctor. 

A writer; a writer who wanted his help. Nothing simplier; give some details for his book; respond some questions. Only that the nature of Akari’s conscience was not one to allow wasted time. Wasted. Time. Another sigh; then he softly knockned on the door, expression calm and eyes tired. 

Necrológio dos Desiludidos do Amor

Os desiludidos do amor
estão desfechando tiros no peito.
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh quanta matéria para os jornais.

Desiludidos mas fotografados,
escreveram cartas explicativas,
tomaram todas as providências
para o remorso das amadas.

Pum pum pum adeus, enjoada.
Eu vou, tu ficas, mas nos veremos
seja no claro céu ou turvo inferno.

Os médicos estão fazendo a autópsia
dos desiludidos que se mataram.
Que grandes corações eles possuíam.
Vísceras imensas, tripas sentimentais
e um estômago cheio de poesia…

Agora vamos para o cemitério
levar os corpos dos desiludidos
encaixotados competentemente
(paixões de primeira e de segunda classe).

Os desiludidos seguem iludidos,
sem coração, sem tripas, sem amor.
Única fortuna, os seus dentes de ouro
não servirão de lastro financeiro
e cobertos de terra perderão o brilho
enquanto as amadas dançarão um samba
bravo, violento, sobre a tumba deles.

Carlos Drummond de Andrade

primeira pessoa do singular

louca. eu nasci pra escrever nas entrelinhas de uma tese de qualquer ser que não existe mais. sobre alguém que o palhaço chileno que faz malabares no sinal disse. só o tempo. aparece aqui amanhã e diz que o mar vai continuar lá. que o vento não vai deixar de soprar. que sempre que chover vai parar. que as aparências desenganam e o mar continua lá, desenganado. me liga amanhã e diz tudo isso novamente. é a necessidade de todo mundo. da terra ser destruída, e implodirem todos os registros, fatos, provas criminais, todos os livros já publicados, todos os manuscritos, as piramides do egito, as fabricas de cerveja, o lastro dos bancos. explodirem a vida. os loucos por existir se tornarão loucos falidos. é como falhar em se cuidar e depender de alguém que chegue e te ensine o trilho certo novamente. como se amar e viver intensamente fosse contraditórios. uma via sem acostamento. um grito sem um eco. kalil disse que a gente não esquece porque não se quer esquecer. e é fato. é meu cérebro que não me obedece ou eu que não o obedeço? – toma uma cerveja, ascende um cigarro – o beijo amigo é a véspera do escarro. abençoado seja augusto dos anjos. ele não atravessaria a cidade de são paulo por você e nem por ninguém. como todas as coisas pidantes. como se idealizar sobre um poema do bukowski. tentando ser melhor pra alguém ou pra mim mesma? eu não tenho esse dom. minha cabeça é fudida demais pra tentar por qualquer coisa que se passa por dentro ou por fora de mim no papel. eu voltei a fumar depois que li que a fumaça parece passear entre o mundo interno e externo. talvez ao passear por mim ela leve com ela tudo o que não consigo escrever. é fim de tarde. o domingo acabou. a festa de josé também. o sol foi embora e com ele as pessoas, a praia ficou vazia. enquanto eu afogo a minha solidão e todos os meus anseios em uma garrafa de vodka pura. e amanhã a minha ressaca vai ser ilusória. o só porque eu gosto é um afronto. o amor próprio cospe na minha cara e grita se ame caralho se ame. aprenda quebrando cara ou não. mas se ame. só o tempo. a necessidade de agora explode entre os meus dedos. como se eu e deus não existíssemos .

mas eu sinto tanto, eu sinto muito

     benxficials 320+ follower: follow forever / 2k14's bias list

hi hello i dont know what the difference between a follow forever and a bias list is so i called it both sue me or something. i just wanna say i love you all because following me and my meme children is not an easy thing to put up with ( honestly tho thanks ). some of you i have known since i first started rping on tumblr and then there are some i hardly know at all but admire but honestly you guys keep me here and im not good at sentimental stuff so im just gonna do this ilysm !!

honorable mentions:

           river-lastro / cajxta : i think youre the one i knew the longest back with kiyo and im so glad i met you because you are such a good friend and uhghg i love you thanks for being there for me all the time , you are totes cash money .

           caelonbrinley : youre the bae, cae is the bae , i love you and your muses ( meltem is my bf sorry ) thanks for talkin to me and rping with me and you make me do the ouo emoji instead of the tuna dog face

           xntler : you followed me on my other blogs and i think we rped a little but thanks for putting up with me so much on your dash & tbh love casper from afar 

            friendos: inanimatum && vxgiilante && multimusis && mochizxu && amiicuus sorry i dont talk to a lot of people r i p in peace me

            i - wanna - be - your - friendos ( in no fave order bc i literally think i put everyone i follow because this is a follow forever bye you are all deserving bc i love something about each of your blogs and its a joy to have you all on my dash ) :  aberrxnce anbu-alexcia andra-sidan angel-kaito ao-no-utsukushi-sa astralveins automailicarus axxihilation baakeneko blackchomansion bondsofeveryonessouls cantuscorvi celupus corvoti countersides defectdyke dxublewhammy dysphxros empxisonne feathersofthesoul flesh-to-bone fracturexangels fullmetalheart-x glassxmenagerie goldencopier gomibakos goukai hagaide heureuxblonde hikxru hypotensiive indifferenthums isuckatmyjob konektiss lentusx lepidxptera littlehinata luctux magicalxgirl masked-strawberry mirage-flames moparulisulis mxleficus mxrcobodtt naifreveur naivetyandsmiles nakurhedo okashi-baka oniichan-lets-rp optimistic-dead-boy otalixidy prxsmhearts razuberiis repugnant–love sadistbeast sagxn txnsei xscissortwine

                        if you arent on here then i still want to say thanks for following me and i might have forgot you bc im not perfect ok . and yh this is the same img i used for my promo w/e