kemily

I'll Stand By You || Kemily

Depois de Kyle ter lido a noticia, a unica coisa que conseguiu pensar foi em apanhar o primeiro voo para Inglaterra. Parou numa agência de viagens antes de ir a acasa e comprou um bilhete apenas de ida não se preocupando com a volta. Correu até casa o mais rápido que conseguia acabando por ficar quase sem ar ao chegar á porta. Olhou em volta vendo tudo cheio de brinquedos de crianças e se lembrando imeditamente de Finn e Luna, ele não os podia levar agora, talvez quando Emily melhorasse pedia a sua mãe para vir com eles. Foi até ao quarto e jogou toda a roupa quente que tinha para dentro da mala sem se preocupar em deixar as coisas decentemente arrumadas, tudo o que ele queria era entrar naquele avião e ver Emily o mais rápido possivel. Ligou rápidamente para sua mãe lhe avisando para ir buscar os pequenos e que iria estar fora uns dias. Pegou as chaves do carro, as de casa e a carteira e saiu de casa batendo a porta, entrou no carro e arrancou em direção ao aeroporto. Ele não conseguia pensar direito era como se a unica coisa que conseguisse imaginar era Emily numa cama de hospital, ele só queria saber como ela estava, talvez nem estivesse acordada para o ver ali, talvez ela nem o quisesse ali. 

Estacionou o carro, faltava apenas uma hora e meia para o vo, entrou no aeroporto e foi imediatamente fazer o check in, ficando depois algum tempo esperando sentado num dos bancos. Estava nervoso e sua perna não parava de abanar até já lhe estava irritando a ele próprio, aquela hora e meia o estava deixando louco. Passado algum tempo ouviu a chamada para embarcar e se levantou rápidamente indo para a fila. Ao entrar no avião procurou seu lugar e arrumou a pequena mala. Se sentou e colocou o cinto, o avião ia quase vazio o que era de estranhar. Ao descolar sentiu a pequena trobulência que lhe deixou nervoso e pensando no acidente. A viagem ia ser bem longa por isso decidiu dormir um pouco, colocou os fones de ouvido e adormecer ouvindo “I’ll stand by you.” Enquanto dormia ia tendo sonhos, estranhos, imaginando que o avião dele também iria cair, ele sonhava imenso com isso ultimamente. Acordou ressaltado e olhou em volta vendo que estava tudo bem. “Senhor, vai querer comer algo?” Falou a aeromoça com o carrinho da comida. “Ah, não, obrigado…” Voltou a colocar os fones de ouvido mas fez um esforço para não adormecer.

Ao aterrar Kyle agradeceu a Deus por ter corrido tudo bem. Olhou em volta, tudo o que via eram taxis e taxis, por todo o lado e todo mundo correndo para um. Andou até um taxi e entrou, ali era bem mais fácil que NY. “Boa noite, eu queria ir para o  Hospital Municipal de Southampton.” O homem assentiu e arrancou, Kyle ia olhando pelas janelas, nunca tinha estado em Inglaterra e tudo era diferente de NY. As casas, as pessoas, as ruas… Demoraram menos de 20 minutos a chegar ao local. Olhou para o edificio e engoliu em seco, por um lado só queria sair daquele taxi e entrar no hospital, por outro não queria sair e ficar ali pensando no que fazer. Pagou ao taxista e saiu ficando a olhar para o hospital e tentando ganhar coragem. Por fim entrou e foi até à recepcionista. “Eu queria visitar a Emily Corpse.” Falou nervoso. “E o senhor é… ?” A mulher olhou para ele com cara de poucos amigos. “Ah, marido, dela… Sim.” A mulher assentiu e indicou o quarto. Tudo isto lhe fazia lembrar do acidente de lambreta quando descobriram que ela estava grávida, mas desta vez ele tinha a certeza que não iria sair de lá feliz. Encarou a porta do quarto e entrou, não se limitou a bater à porta pois já tinha mentalizado que ninguém iria responder. Olhou para a cama à sua frente e viu Emily com monte sde fio coloridos ligados ao seu corpo. Ele não era médico mas tinha a certeza que aquilo não era bom.

Colocou a mala à porta e se sentou na cadeira em frente da cama. “Oi Emily… Eu não sei se você está ouvindo mas… Eu vim.” Tentou sorrir.