kelven ng

Um domingo de lentes

“Nada mais que uma câmera eu trago, aos teus olhares eu me agarro. Ando devagar, imagino as cenas, ventania. Tarde de domingo, tarde de pesca livre, era família e amigos. Mas dela eu não desgrudava. Talvez fotografar seja isso, estar do lado sem parar.

Eu quero ser bem honesto, mas o que faço é simples e misto. Quando o sol começa a surgir ou quando ele se esconde trazendo o charme da lua novamente. Mas aquele domingo, eu apostava nos cabelos soltos ao vento e nos olhares misteriosos. Alguns cliques faziam meu coração bater mais rápido, paixão intensa, trabalho árduo. Queria poder descrever melhor de uma maneira menos engraçada, mas as poses me traziam orgulho.

Fim da pesca e as lentes estavam na mochila. O caminho de volta era longo, usaria as mais simples, nunca se sabe direito o que é a tal simplicidade e o que ela faz com você. E pra ser bem sincero, eu tenho amigos assim, que preferem a arte de clicar e que decidem através dela apenas amar." 

— Matheus Carneiro

[foto: Kelven Ng