jv

Melancolia em Dó.

Quanto mais eu lia
Aqueles versos dormidos
Linhas de pandora
Guardei para esquecer
Meus poemas perdidos
Da mais triste hora
Quando me vi sem você.

E melancólico eu fui
Numa noite de silêncios
Perdi a folia
No carnaval que sufoquei
Dobrei a toada
Fui fatal, morteiro
Com um golpe de esgrima
Na poesia, me matei.

Elisa Bartlett e J. Victor Fernandes

Até quando vou ter que fingi, que superei, que você foi embora?
—  Por que não está dando mais…

ATO I

A certeza que podemos mudar o mundo
É preciso esmiuçar e ir fundo
Criaturas e criadores
Tirar do lixo flores
Reciclar a vida, dar um passo
Rever atos e sentimentos
Adubar o asfalto da mente
Abrir frestas no coração

De cima território vazio e demente
De perto anjos, jardins, imensidão.

ATO II

Universo na casca de noz
Trama da vida e os seus nós
A multidão se debatendo em uma lágrima
Que é chuva que lava o leito dos olhos e abre caminho face adentro
Vida adentro, selva adentro

Porque é no âmago que se vive de verdade.

Elisa Bartlett e J. Victor Fernandes em “Atos Inconscientes”.