juro solenemente

eu juro amar solenemente até as tuas frações mais ásperas e secas.
porque mesmo nas tuas versões mais feias você continua incrivelmente lindo.

Já podemos contar os dias certo?
Adivinha quem não consegue esperar a adaptação e está cheia de teorias mirabolantes?
Vamos combinar que é inevitável não pensar na citação sobre Alvo Dumbledore, nas referências e a música!
A introdução nesse livro foi meu ponto alto da leitura, pois trouxe respostas a questionamentos que eu mesma não sabia que ainda tinha.
Não se esqueçam da nossa oração! “Eu juro solenemente não fazer nada de bom. Com a pedra eu te conheci, com a câmara me aventurei, com o prisioneiro eu fugi, com o cálice me apaixonei, com a ordem eu lutei, com o enigma eu chorei, com as relíquias eu ainda sofro, porque não vou mais ter aquela agonia de esperar por um lançamento. Harry Potter só acabará quando o último coração Potteriano parar de bater. Meu Alohomora é quando eu esqueço a chave e toco a campainha, meu diffindo é quebrar algo sem querer, meu expelliarmus é quando um amigo pega algo meu sem pedir e eu pego de volta, meu estupefaça é resumido em palavras, meu expecto patronum é ligar a televisão quando está escuro, meu aresto mometum é quando alguém fala algo muito estupido e eu paro oque estou fazendo p/ escutar, meu fogomaldito é exagerar na chama do fogão.”
Uma coisa podemos ter certeza, Vai ser inesquecível!
Potterheads preparem as suas varinhas, vamos embarcar novamente no universo dos bruxos? Encontro vocês na plataforma 9 ¾!

Vou vender poemas na Central do Brasil

Vou vender poemas na Central do Brasil,
Ando numa “pindura” que nunca se viu,
A vaca gorda se afogando e eu fiquei sem uma teta,
A evolução do jeitinho brasileiro, é muita “treta”,
Tem malandro mamando e com bigodinho de leite,
Querem me vender mentiras e esperam que eu aceite.

Essa porra envenena a alma e deixa o cara surdo e cego,
Tem gente dizendo que o céu é vermelho,
Empapuçados de desdém e ocupados com um novo ego,
Vendendo o futuro do país e fazendo selfie no espelho.

A lógica virou piada, só aumenta o peso da cruz,
Um jogo de xadrez onde só vejo movimentos do mal,
A ferida supurada por uma esmola no sinal,
A verdade esperando na fila do SUS,
Porque em terra de cego quem tem um olho é alvo,
Então juro solenemente que a terra é plana, minto pra ser salvo.

- Transtorno Poético -

Eu solenemente juro que irei te proteger e zelar preciosamente do fundo do meu coração por nossa união e por você", ele sussurra, sua voz rouca.
“Eu prometo te amar fielmente, renunciando quem quer que seja, em tempos bons e nos maus, na doença ou na saúde, independentemente de onde a vida nos levar. Vou protegê-la, confiar em você, e respeitá-la. Vou compartilhar suas alegrias e tristezas e consolá-la em momentos de dificuldade. Prometo te amar e apoiar seus desejos e sonhos e mantê-la à salvo ao meu lado. Tudo o que é meu agora é seu. Eu te dou minha mão, meu coração e meu amor a partir deste momento, enquanto vivermos.”
—  50 tons de liberdade.
É difícil ficar longe de tudo aquilo que amamos. Não é só um livro. Não é só uma história. Não é só uma autora. Não são só personagens. É parte de mim. O fim de uma era? Acho que não, me parece mais o começo de uma eternidade. 3 anos que oficializou-se o fim de Harry Potter, aquela história que começou encantando crianças e terminou emocionando adolescentes e adultos. Um apego que vai continuar pra sempre no coração de quem já leu, pois não é qualquer livro que te faz viajar para outra dimensão, onde além de um fluxo de ruivos, tem uma nerd bonitona e uma lunática que não precisa de baseados para ver coisas. Parecendo ou não clichê, a verdade é que sim, com mais de 40 anos, pegarei o primeiro livro e vou reler toda a história, vou apresentar para os meus netos e se eles não gostarem, não tem problema, é pra isso que servem os feitiços de hipnose. Apesar da cicatriz não estar mais doendo, Harry vai continuar famoso, vai continuar conquistando milhões a cada dia, com cada fala do filme sendo repetida pelos fãs de forma abobada sempre que são ditas. A cada vez que um livro for reaberto. A cada vez que um filme for revisto. A cada dia lágrima. De saudade. De amor. De orgulho. Orgulho de ser potterhead, e de fazer parte dessa legião de fãs, que a cada dia só aumenta. Já dizia Sirius Black, aqueles que os amam nunca os deixam de verdade, e eu juro solenemente, nunca deixarei Harry Potter.
Boa parte das pessoas tem o hábito doloroso de dizer coisas desejando serem correspondidas. É normal, é do ser humano, eu também já fui assim. Não entendeu o que eu quis dizer? Vou exemplificar da melhor maneira que eu pensei; um dia eu disse para uma garota “eu gosto de você”. Foi a minha última cartada para tentar mantê-la comigo. Ela fez que não escutou. Eu disse outra vez. Novamente ela fingiu (ou vai ver não escutou mesmo, sei lá) não escutar. Ok, eu me mantive na minha e ela na dela. Pronto acabou. É claro, eu queria que ela disse que gostava de mim também, mas não foi o que aconteceu. Bom, agora o caso invertido. Desta vez outra garota disse para mim: “eu te amo”. E eu não a amava. Finge que não escutei. Ela disse outra vez. Tentei fugir. Juro solenemente a todos vocês, eu tentei ao máximo evitar tudo isto, mas ela não me deu escolhas. Ela me prendeu contra a parede e disse que me amava, com todas as letras e me olhando nos olhos. Ok, eu sei que muita gente vai odiar isto. Eu me odeio por isto. Me odiei por ser fraco e covarde, mas coloquem-se no meu lugar por um instante e reflitam bem o que vocês fariam. Eu disse que a amava. Disse para não fazê-la sofrer. Para não magoa-la. Eu menti. Mas, não acho que a culpa toda seja minha. Ela perguntou querendo saber da resposta, ela perguntou querendo ser correspondida. Eu dei isto a ela, mesmo sendo uma mentira. Eu sei que fiz mal, mas o que eu podia fazer? Enfim, até perdi o fio da meada, mas tentando voltar ao meu raciocínio, eu gostaria de dizer que acho que as pessoas deveriam sim falar o que sentem. falar com sinceridade. Mas, não falem esperando reciprocidade. Isto é perigoso. Muito perigoso. Seja cauteloso com as suas palavras. As vezes a resposta que você vai ter, não é a que você deseja. E você ainda vai ficar se culpando, sabe por quê? Porque você procurou por isto.
— 

Nicolas Brendtner

E se por acaso,
Você me perguntar
Como estou indo,

Eu juro solenemente
Que vou mentir,

Vou dizer que estou bem
E não estou nem aí,

Bancar o durão,
Quem sabe
Fingir não ter um coração?

Mas não se engane não
Bela moça,

Não se iluda
Pelas palavras
Que saem da minha boca,

Dessa vez
E só dessa vez,
Ouça meus olhos,

E deixe que a saudade
Que neles escorrem
Fale por mim.

—  Stanley Menezes