jogos de guerra

Eu nunca soube explicar nós dois,
você não gostava de poesia
nem de palavras bonitas
ou de músicas que falavam de amor.
Você gostava de jogos,
de filmes de guerra
e sempre torcia para o vilão.
Eu chorava sem razão,
nunca fui boa em jogar. 
Não entendia as regras,
não via graça em maldades.
Mas eu gostava de deitar
nos seus braços
e de ficar agarrada até tarde.
Eu queria muito mais 
do que você me dava.
E assim acabei só,
só com a saudade.

Já eram 02:00hrs da manhã, estava chovendo forte com muitos ventos quando de repente o celular de Matheus começa a tocar…
- Alô!
- Ei Mat..
- Amor? Você não ia dormir?
- Não consegui, minha janela está fazendo muito barulho, amor.
- hum…
- Está ocupado? Hm.
- Desculpa, estou jogando Call Of Duty no x-box…
- Ok, Tchau Matheus!
- Ei, Giovanna não!
- Eu estou com medo Matheus, mas cê você está ocupado não quero atrapalhar!
- Eu já estou desligando amor, para ficar só com você…
- Hum…
- Como é birrenta, meu Deus.
- E você é um idiota, sempre me trocando pelos seus joguinhos de vídeo game e futebol!
- Mentira, pois acabei de desligar o melhor jogo de guerra que existe só para ficar ouvindo o barulho da chuva enquanto cuido de você.
- A é? - Ela sorri pela primeira vez em seu dia.
- Uhum, pois não a nada que me faça mais feliz do que cuidar de você.
- Nem a Megan Fox?
- A amor, ai você já pega pesado né! - Ele tenta rir discretamente.
Ela ri muito alto! - Como consegue ser tão idiota, amor? Sei que tu me ama mais do que qualquer pessoa…
- Eu amo mesmo, não trocaria você nem pela oportunidade de ter uma Megan Fox e jogando ao lado do Neymar no Barcelona!
- Ai mentira? Mas que declaração Matheus! Isso sim é amor, nossa, me sinto a garota mais sortuda do mundo agora. - Ela ri, mesmo realmente se sentindo especial.
Ele ri, sabendo que fazer ela rir era o um sonho que ele realizava todos os dias muito maior do que jogar no Barcelona.
- Amor não consigo dormir, o barulho da chuva caindo no telhado me assusta!
- Lembra-se do nosso último beijo?
- Claro, foi na segunda quando me deixou em casa, você me beijou e ao se despedir apertou minhas mãos e entregou o IPOD com nossas playlist…
- Então pegue ele, e ligue no aleatório, vamos ver o que virá amor…
Ela pega o IPOD e liga em um álbum criado por eles mesmos, músicas que os declaram, que os uniram e fazem parte de sua história juntos, desde o primeiro “oi”.
- Pronto amor, e agora?
- Dê play bebê…
- Começou “Never Gonna Be Alone” nossa música de primeiro mês de namoro, tu me apresentou ela enquanto colocava a aliança em meu dedo. - Ela sorri, se aconchegando em sua cama.
- Isso amor. - Ele sorri, se aconchegando em sua cama embaixo das cobertas. – Lembra-se do significado Dela? Never Gonna be Alone…
- “Nunca mais vou estar sozinha…”
Mat continua cantando a tradução para Gi… - “De agora em diante, mesmo que você pense em desistir, eu não vou deixá-la cair, você nunca vai estar sozinha, irei te abraçar até a dor passar…” Amor? É, dorme bem pequena, fique com Deus, até daqui a pouco, eu amo você.
E ele ouvia sua respiração, seu ultimo suspiro, o fim do seu medo, e sentia a tranquilidade de poder dormir sabendo que sua maior responsabilidade estava ali, dormindo bem.
—  Matheus & Giovanna. - Never Gonna Be Alone, 29 de março de 2014. 
Cansa, cansa muito, eu juro que dei o melhor de mim. O fim foi inevitável, era eu contra todo mundo, num jogo tipo cabo de guerra. Por ela eu teria ido até o fim, cheguei bem perto, só parei quando descobri que ela não tava nem ai.
—  Gael Oliveira.