jogos de guerra

Eu nunca soube explicar nós dois,
você não gostava de poesia
nem de palavras bonitas
ou de músicas que falavam de amor.
Você gostava de jogos,
de filmes de guerra
e sempre torcia para o vilão.
Eu chorava sem razão,
nunca fui boa em jogar. 
Não entendia as regras,
não via graça em maldades.
Mas eu gostava de deitar
nos seus braços
e de ficar agarrada até tarde.
Eu queria muito mais 
do que você me dava.
E assim acabei só,
só com a saudade.