jessica durante

O acaso que mudou o destino de nós dois

Capítulo 92 :

 Com a mesma rapidez que fora até lá, seguiu para sua empresa e onde também constatou que ela não aparecera e muito menos telefonara.

– Há alguma coisa errada. Não tem nenhuma razão para que Jessica ficasse com Theodoro durante todo esse tempo.  – Lua comentou com Ângela.

– Eles vão aparecer.– disse Ângela. - Jessica deve ter ido em algum lugar, comprar alguma coisa, sei lá…

– Espero que sim… - disse Lua com a voz trêmula.

– Porque isso não faz sentido. Ela sabe que estou amamentando. Neste momento, ele deve estar faminto. Encharcado. E gritando. Por que ela não o trouxe de volta?

– Tenho certeza que é um mal-entendido. – respondeu Ângela.

Tão logo Arthur chegou na empresa de paisagismo, Lua correu para abraçá-lo.

Tentando conter seu desespero, achando que aquilo não passava de um desencontro, ele quis saber como tudo se iniciou. Após um rápido resumo do que acontecera, estarrecido, Arthur revelou:

– Essa Veronica Newman é Amélia. E esta “visita” dela foi intencional.

– Arthur, meu celular sumiu depois que essa mulher esteve aqui. Ela o roubou, tenho certeza.

– Lua começava deduzir. - Ela me atraiu para o hotel onde estava hospedada, só para me tirar daqui e depois enviou uma mensagem para Jessica do meu aparelho.

– Mas por que ela faria isso?– perguntou Ângela. - Além do mais, Jessica não saiu sozinha. Está com o namorado, você esqueceu?

– Espere um pouco.– interrompeu Arthur, já prevendo o pior. - Vocês sabem como é este namorado de Jessica? Qual é o carro, a placa?

– Não sei como ele é, mas sei que o carro é uma BMW preta e com vidros escuros… – respondeu Lua.

– Ah, e que o nome dele é Mark. – acrescentou Ângela.

– MARK! – exclamou Arthur num tom de voz mais alto. - Isto não pode estar acontecendo. – ele murmurou.

– Você o conhece?– Lua disse com os olhos arregalados.

– O namorado de Jessica não se chama Mark. Ele é o maldito do Mike Newton. E está envolvido com Amélia. Descobri isso hoje pela manhã.

Lua e Arthur se entreolharam em silêncio e perceberam que poderia se tratar de um sequestro.

No momento em que seu filho deveria estar sugando seu seio, satisfeito, Lua andava de um lado para outro, em pânico.

Arthur dava alguns telefonemas. Ligou para a polícia, ligou para Jenks…

– E se houve um acidente?– Lua perguntou.

– A polícia rodoviária já está avisada e está verificando essa possibilidade. – respondeu Arthur.

Lua soltou um suspiro angustiado. Não queria ficar sem o seu filho por mais um minuto que fosse. À beira das lágrimas, ela disse:

– Onde eles estão?

Arthur se aproximou e pegou o rosto dela entre as mãos, carinhosamente. E respondeu:

– Ele vai ficar bem.

– Quero nosso filho…

– Nós vamos tê-lo de volta. – Arthur a envolveu num abraço.

Ele exibia uma expressão sombria e preocupada. Lua gostaria que ele pudesse assumir um rosto confiante para que ela se tranquilizasse, mas o fato de não fazê-lo agora dizia que Arthur estava com medo também.

Ela agora já sentia seus seios enormes e doloridos. Se afastou e passou a mão pelos cabelos. Tornou a andar de um lado ao outro vasculhando sua mente, tentando lembrar de algum fato significativo naquela manhã que indicasse uma pista.

(…)

No túnel subterrâneo…

Jessica embalava o bebê no colo. Ele começava a dar sinais de irritação. Mike estava sentado no chão com as pernas encolhidas e a cabeça apoiada sobre os joelhos. Ele esperava a chegada de Amélia.