isso me faz lembrar de uma pessoa

sempre vou lembrar de nossas datas com um aperto no coração, lágrimas nos olhos e uma saudade sem tamanho
o plano não era te perder
nos perder
[olha quem fala; a pessoa que nunca foi dona de nada nem de si mesma.]

o plano era dormir com o coração leve a noite
olhar pro céu e ter a lua como amuleto
o mar como refúgio e ponto de encontro, reencontros

o plano era nos fazer bem

em um filme de sessão da tarde ouvi uma moça dizer que “vivemos aquilo que a memória faz questão de lembrar” isso me consola; eu só consigo lembrar de nossas gargalhadas fora de tamanho, dos cupidos inesperados, dos abraços apertados. lembro muito bem da espera ansiosa pelo beijo, dos olhos cheios de desejo. não tem como esquece que não existia outro lugar no mundo em que eu quisesse estar.

acho que cumprimos nosso plano
fizemos de momentos, embora poucos, totalmente memoráveis. do que não esperávamos uma gota, fizemos uma tempestade.

nós fomos um alvoroço bom de sentir.

0048

eu cansei de usar letras maiúsculas. meus sentimentos não se subordinam à gramática. e meu texto corrido faz jus à velocidade dos meus pensamentos. eu nunca fui poeta. eu nunca quis ser poeta. minha pretensão com a escrita é me ler. daqui a uma semana, vou ler isso aqui e vou lembrar exatamente o que eu tava sentindo - em cada uma dessas linhas. talvez eu ria e me ache imbecil. talvez eu sinta um grande alívio… eu escrevo pra me livrar: pra tirar de mim. pra me ver na terceira pessoa. eu lanço pro universo e me desfaço do sufoco: não sou mais eu, apesar de ter sido parte de mim.  

Silas Tosta 

Hoje foi um dia como todos os outros, em nenhum momento eu deixei de pensar em você. Eu te vi em tudo e todos, como o de costume. Agora deitada em minha cama, minutos antes de dormir, nossas lembranças me atormentam. Quão é horrível lembrar daquele dia em que você me fez sentir a pessoa mais feliz e completa do mundo. Quão ensurdecedor é lembrar o som da sua voz dizendo “eu te amo”. E eu não consigo deixar de pensar que enquanto eu estou aqui sofrendo por você não ser mais o meu presente, talvez você esteja planejando seu futuro com outro alguém. Beijando outra boca. Sentindo outro cheiro. Tocando outra pele. Enquanto eu não consigo nem me imaginar com outra pessoa. Na minha cabeça isso ainda seria uma traição, mesmo depois de todo esse tempo. Meu amor por você é tão grande e forte que me faz duvidar que um dia serei capaz de amar outra pessoa, e talvez eu não queira isso. Talvez você nem se lembre mais do quão grande foi o nosso amor, mas algo aqui dentro me diz que ainda não chegamos ao fim.
—  Jô M.
Status: The Vampire Diaries 🍷

• “Eu te amo, Elena. É porque a amo que… Não posso ser egoísta com você. Você não merece isso. Eu não a mereço, mas meu irmão merece.”
- Damon Salvatore

• “Eu já fiquei apaixonado. É doloroso e sem sentido e as pessoas dão uma importância exagerada para isso.”

• “A morte acontece. Nós viemos e vamos. Quanto mais cedo for, melhor"

• “Nunca esquecerei, o que é ser humana. Isso me assusta. A única coisa que me faz continuar.”

• Quando a gente perde alguém ele fica com a gente, pra lembrar sempre como é fácil se magoar.

• O que eu estou fazendo é me esconder da verdade. E a verdade é que eu estou com medo, medo de me deixar ser feliz por um momento, ai o mundo inteiro desabar e… E eu não sei se vou conseguir superar.

• Levantar da cama é perigoso hoje em dia, mas precisamos viver

• Se eu me permitir sentir alguma coisa, tudo que eu sinto é dor

• Quando as pessoas veem bondade, esperam por ela. E eu não quero ter que viver com as expectativas de ninguém.

• Querido diário, eu não poderia estar mais errada, eu achei que conseguiria sorrir e seguir em frente, fingir que esta tudo bem. Mas estava enganada, as coisas ruins ficam com você, elas seguem você. Não da pra escapar, por mais que se queira.

• Agora eu entendo. Desligar tudo que sente é trapaça. Ao fazer um muro e bloquear tudo que te faz ser o que é, você acha que nada mais te afeta, nada importa. Mas na verdade, importam sim. Certas coisas não podem ser desfeitas.

• Vá em frente ria da moça que ama facilmente(…)

• Querido Diário, eu sobrevivi ao dia. Devo ter dito “Eu estou bem, obrigada” pelo menos 37 vezes, e eu não quis dizer isso uma vez sequer. Mas eu notei, quando alguém diz “Como você está?”, eles realmente não querem uma resposta.

• “E se soubesse que tudo ia ficar bem no final, não me importaria em nada com o que acontece agora. Mas é horrível passar um dia depois do outro sem ter certeza de nada.”

• “ Mas é horrível passar um dia após o outro sem ter certeza de nada. ”

• “Nós escolhemos o nosso próprio caminho. Nossos valores e nossas ações, eles definem quem nós somos.”

• “Já esteve tão envolvida com alguém, que simplesmente teve seu coração arrancado por ele?”

• “O amor é uma droga. Talvez a pior de todas. Ela distorce a nossa visão do mundo.”

• “Quando perguntam “Como você está?” na verdade não querem uma resposta.”

• “Se é realmente amor, então não é para sempre, é pra eternidade.”       

        Se pegar ou gostar dê like/reblog

As pessoas bem-humoradas estão em extinção. É triste, mas é fato. Não, não é exagero. Poderia apostar que concordaria comigo, com qualquer um que dedique seu olhar atento ao mundo à sua volta. O que será que aconteceu? A humanidade está ficando cada dia mais ranzinza. De acordo as ações alheias ao meu redor, concluo: Modismo. E, não apenas isso mas, acomodação. O esnobe passou a ser admirado. Ser crítico ao extremo e rabugento é “In”. Ser compreensivo? “Out”! Fora do conceito aceitável atualmente, onde grande parte das pessoas apenas sentam em suas poltronas, esperam o dia terminar, sem apego algum… Sem contato visual, ou qualquer emoção aberta ao próximo. Dá vontade enorme de dar uma sacudida nessas pessoas e dizer algo do tipo: “ACOOOORDA, VAI APROVEITAR A VIDA!" Me parece que esqueceram dos afetos. Já não sabem do bem que faz o calor humano de um abraço. Ficam acomodados em suas bolhas, sem nem se quer conseguir lembrar como é dar uma boa e velha gargalhada. E isso, meu amigo, é uma pena. É uma pena mesmo.
—  Débora Souza.
Last time.

Tu me bagunça completamente. E não é qualquer tipo de bagunça. Sabe quando aparece alguém que vira o teu mundo de ponta cabeça? E quando você acha que finalmente está se adaptando as mudanças, a pessoa simplesmente faz uma nova reviravolta? Você é essa pessoa. Em um minuto tá me enlouquecendo e no outro acaba me fazendo lembrar alguns dos inúmeros motivos que me fizeram te amar. Não consigo nem disfarçar como você sempre me ganha tão fácil. Isso chega a ser um pouco frustrante, sabia? Por que não importa o quão irritada eu fique, você sempre acaba achando algum jeito de arrancar um sorriso meu. Às vezes acho que só faz isso pra me dar o troco por todas as vezes que te irrito. É algo que não consigo resistir. Tu fica tão adorável tentando manter uma pose mais séria mesmo sendo nítido que não conseguiria esconder o sorriso por muito tempo. E como já te falei antes, eu amo o teu sorriso tanto quanto eu amo você. Então, vale a pena te irritar um pouco se no final você vai dar aquele sorriso. Eu não consigo resistir a você. Na verdade, eu nunca consegui. Meu lado protetor sempre falou mais, desde o início. Não sei explicar. De algum jeito você ganhou o meu carinho logo de cara. Eu devia ter desconfiado né? Alguém que conseguiu conquistar o meu carinho tão rápido em algum momento iria me bagunçar de uma maneira única. E você conseguiu. É um pouco assustador de admitir. Tu me tem na palma da mão e confesso que eu não sei lidar com isso. 


Dessa vez vou publicar, porque estou, não sei definir. Só posso dizer que eu te amo, te amo muito, muito, muito. Que as vezes tenho vontade de te bater e te encher de carinho ao mesmo tempo. Que eu te amo, amo, amo, e isso é tanto, e isso é tudo. ♥

Tento ser melhor, juro que tento! As vezes é difícil, ou melhor, quase sempre é difícil. Tento esquecer os problemas, juro que tento! Mas um pequeno desacerto, me faz lembrar de todos e faz esse mundo ficar pesado novamente. Será que alguém entende? Pra ser sincero, as vezes nem eu mesmo me entendo. Mas eu sou assim, um dia estou bem, no outro dia estou mal. Bipolar? não, acho que não! Eu estou mais pra um bobo, sentimental até demais! As vezes quero implorar atenção, mas eu mesmo acabo me aconselhando de que ficar sozinho é o melhor pra mim. Acho que todos nós somos “solitários’’, estamos rodeados de pessoas.. pessoas solitárias. Ou talvez isso que eu disse, seja uma grande besteira. Não se importe, é apenas um desabafo, estou cansado disso tudo!
—  Guesso.
Há um tempo atrás eu escrevi um texto falando que não queria te esquecer “Meu filme preferido é: o brilho eterno de uma mente sem lembranças, e Clementine a personagem escolhe apagar o cara que ela gosta, porque ela acha que seja melhor assim, ele já causou muita dor a ela, mas mesmo se eu fosse ela, mesmo se existisse essa opção nunca apagaria você, porque apagar qualquer parte sua de mim, significa apagar quem eu sou e tudo que eu aprendi convivendo com você, porque apagar você significa que você nunca mais vai ser alguém especial pra mim e eu não quero isso, sabe?”. Agora estou escrevendo para dizer que se eu pudesse nem teria te conhecido, você não merece um pouquinho do amor que eu sinto, você não merece minha calma, nem os momentos que eu passo pensando em você. Seu ser é desprezível, de verdade. Você arruína tudo, arruína todos. Você não tem um coração, moço? Você não sente nunca nem um pouquinho do que faz comigo? Ter você era a melhor sensação do mundo, não te ter é a pior delas, mas saber que nunca te tive inteiramente é o que me machuca, eu mergulhei de coração em você, e você mergulhava em qualquer outra coisa, menos em mim. E por que diabos eu não percebi isso? Você causa uma bagunça enorme, você não me deixa seguir. Vira e volta, você volta e eu volto a me sentir mal. Eu te evito, e evito tudo que te remete. Eu me afasto de pessoas que vão perguntar por você, porque eu não consigo lembrar de você e ficar feliz. Hoje você me remete tristeza, e acho que só. Eu não sei se sinto sua falta, ou se me sinto incapaz de seguir, é estranho porque não te quero de volta, só quero voltar a ser quem eu era, e não estou conseguindo, eu não queria você, nem nossa história, eu queria voltar a ser eu. Voltar a ver felicidade em fazer coisas bobas, voltar a ver felicidade em festas, voltar a me ver suficiente. Eu não sei como terminar esse texto, assim como nunca soube terminar com você.
—  Iasmim Silva

Quarto dia sem você

Eu fui dormir as quatro e trinta e sete  da manhã vencido pelo cansaço físico, tendo que acordar as seis, e adivinha amor? É, acordei feito zumbi, uma vez eu li que cafeina e cigarro te fazem não dormir direito, acho que era verdade né, alem disso minha enxaqueca deu para não me largar de mão, e caralho tu sabe como fico chato nesses dias, ainda continuo, a diferença é que não tenho a tua paciência me esperando no fim do dia e isso me faz querer tacar a cabeça na parede, porque a dor nela é a que menos eu sinto.

Hoje quando eu resolvi abrir meu celular dei de cara com uma foto sua naquela ordem que o facebook coloca como ‘’pessoas favoritas’’, e por um segundo eu fiquei te olhando e ate o facebook sabe que tu é a minha pessoa favorita no mundo lembra? lembra como eu costumava te lembrar disso todo o santo dia? Tu ainda continua aqui dentro de mim, e apesar de não parecer, ainda tem muito amor aqui dentro de mim por ti.

As vezes não cumprimos  o que prometemos, e eu, prometi nunca te machucar, e isso fica me remoendo todos os dias, lembra do maço? Foi mais meio hoje, e amor, eu ainda não consegui matar a dor, tu que me falava como fazer tudo, hoje estou perdido.

—  Plutão
Hoje fui estuprada. Subiram em cima de mim, invadiram meu corpo e eu não pude fazer nada. Não precisou apontar uma arma para a minha cabeça. Eu já estava apavorada. Não precisou me esfolar ou esmurrar. A violência me atingiu por dentro. Depois que ele terminou e foi embora, fiquei alguns minutos com a cara no chão, tentando me lembrar do rosto do agressor. Eu não sei o seu nome, não sei o que faz da vida. Mas eu sei quem me estuprou. Quem me estuprou foi a pessoa que disse que quando uma mulher diz “não” na verdade, está querendo dizer “sim”. Não porque esse sujeito, só por dizer isso, seja um estuprador em potencial. Não. Mas porque é esse tipo de pessoa que valida e reforça a ação do cara que abusou do meu corpo. Então, quem me estuprou também foi quem achou que, se eu estava sozinha na rua, na balada ou em qualquer outro lugar do planeta, é porque eu estava a disposição. Quem me estuprou foram aqueles que passaram a acreditar que toda mulher alimenta a fantasia de ser estuprada. Quem me estuprou foi o cara que disse que alguns estupradores merecem um abraço. Foi quem fez graça com as mulheres sendo assediadas no transporte público. Foi todo mundo que riu dessa piada e que defendeu o direito de fazer piadas sobre esse momento de puro horror. Quem me estuprou foram as propagandas que repetidas vezes insinuaram que mulher é mercadoria. Que pode ser consumida e abusada. Que existe somente para fazer o apetite sexual do público. Quem me estuprou foi o padre que disse que, se isso aconteceu, foi porque eu consenti. Foi também o padre que disse que um estuprador até pode ser perdoado, mas uma mulher que aborta não. Quem me estuprou foram aquelas pessoas que, mesmo depois disso insistem que a culpada sou eu. Que eu pedi para isso acontecer. Que eu estava querendo. Que a roupa era curta demais. Que bebi demais. Que sou uma vadia. Percebo que mesmo se esse cara existisse, mesmo se ele nunca tivesse cruzado o meu caminho, eu não estaria a salvo. Porque não foi só aquele cara que me estuprou. Foi uma cultura inteira. Esse texto é fictício. Eu não foi estuprada hoje. Mas certamente outras mulheres foram.

Eu estou procurando você em outros corpos, olhos e bocas e nenhuma delas se compara a você. acho que quando você se foi eu vi que me levou junto e hoje eu não me acho, não me encontro e nem sei o que ando fazendo. Em cada rolê, sexo sem compromisso faz eu me sentir mais vazia, e por não ter você eu me sinto insuficiente pra qualquer um, até porque eu não fui suficiente pra você lembra?, eu chorei tanto, e cada lagrima era como se fosse uma facada ou um soco de verdade. talvez uma unica vez que eu fiquei feliz era uma farsa. olha como estou hoje, jogada ao cigarro e ao álcool que até onde eu sabia só pessoas fodidas apreciavam isso, hoje sou parte deles e olha que engraçado só não vou sair porque me encontrei jogada em uma rua escura e esqueci de lembrar de você.

Bússola

Deitei no sofá, coloquei o fone de ouvido, estava chovendo bastante, chuva caía, ao menos queria que fosse, pra esconder o que de verdade não queria que fosse, … minhas lágrimas.
O peito apertando, respiração ofegante, e eu me perguntando, me perguntando como? Como esse peito ainda apertava assim? Como minhas respirações ainda oscilavam em meio as lágrimas?
Mas eu sabia, eram lembranças, lembraças boas e rua ins, isso que regulava o batimento do meu coração, ou será que seria você?!
É dificil, eu convivo todos os dias com inúmeras pessoas, e ao mesmo tempo, me sinto o último homem da Terra.
Observo casais, me pego pensando no vazio, o céu, coxinha, tudo, tudo me faz lembrar você. Eu não sei como consigo suportar, pois dói, dói cada instante que lembro, e agora mais ainda, pois você não está aqui, pra lembrar comigo.
Se alguém tiver uma formula de esquecer as pessoas, por favor, faz uma fábrica pra mim. Mas eu sei, eu sei que nem mesmo essa fábrica é o bastante.
Eu nem posso falar contigo, eu me evito ao máximo, pois eu me machuco cada vez que troco contatos contigo, e sei que você também(Espero que ainda seja), eu me torturo pensando como está seguindo sua vida. Será que está feliz? Será que prnsa em mim? Será que sente saudade de mim? Mas eu sou um caos, você é um caos, e fiz um caos total.
Eu nem sei por onde andar mais, como andar mais, como lidar com as coisas agora. Nao to brincando, eu estou completamente perdido, nada faz sentido, pois você era meu sentido, você era o pólo magnético da bússola que sou eu, tentando encontrar a direção certa, mas completamente desorientado, esperando o pólo magnético me orientar novamente.
Sonho contigo constantemente, e eu odeio, odeio todos os sonhos, porque mesmo que o sonho seja bom, eu irei acordar, e se for horrivel, eu acordo desesperado.
Eu não te vi mais, e prefiro que de certa forma, permaneça desse jeito, pois você é minha gasolina, você me incendeia de todas as formas, e isso me devora, a cada hora, minuto e segundo.
Não sei se alguém ja morreu de saudades, mas pelo rumo que vai, vou descobrir.

Hoje foi estuprada. Subiram em cima de mim, invadiram meu corpo e eu não pude fazer nada. Não precisou apontar uma arma para a minha cabeça. Eu já estava apavorada. Não precisou me esfolar ou esmurrar. A violência me atingiu por dentro. Depois que ele terminou e foi embora, fiquei alguns minutos com a cara no chão, tentando me lembrar do rosto do agressor. Eu não sei o seu nome, não sei o que faz da vida. Mas eu sei quem me estuprou. Quem me estuprou foi a pessoa que disse que quando uma mulher diz "não" na verdade está querendo dizer "sim". Não porque esse sujeito, só por dizer isso, seja um estuprador em potencial. Não. Mas porque é esse tipo de pessoa que valida e reforça a ação do cara que abusou do meu corpo. Então, quem me estuprou também foi quem achou que, se eu estava sozinha na rua, na balada ou em qualquer outro lugar do planeta, é porque eu estava à disposição. Quem me estuprou foram aqueles que passaram a acreditar que toda mulher alimenta a fantasia de ser estuprada. Quem me estuprou foi o cara que disse que alguns estupradores merecem um abraço. Foi quem fez graça com as mulheres sendo assediadas no transporte público. Foi todo mundo que riu dessa piada e que defendeu o direito de fazer piadas sobre esse momento de puro horror. Quem me estuprou foram as propagandas que repetidas vezes insinuaram que mulher é mercadoria. Que pode ser consumida e abusada. Que existe somente para fazer o apetite sexual do público. Quem me estuprou foi o padre que disse que, se isso aconteceu, foi porque eu consenti. Foi também o padre que disse que um estuprador até pode ser perdoado, mas uma mulher que aborta não. Quem me estuprou foram aquelas pessoas que, mesmo depois disso insistem que a culpada sou eu. Que eu pedi para isso acontecer. Que eu estava querendo. Que a roupa era curta demais. Que bebi demais. Que sou uma vadia. Percebo que mesmo se esse cara existisse, mesmo se ele nunca tivesse cruzado o meu caminho, eu não estaria a salvo. Porque não foi só aquele cara que me estuprou. Foi uma cultura inteira. Esse texto é fictício. Eu não fui estuprada hoje. Mas certamente outras mulheres foram.
Hoje fui estuprada. Subiram em cima de mim, invadiram meu corpo e eu não pude fazer nada. Não precisou apontar uma arma para a minha cabeça. Eu já estava apavorada. Não precisou me esfolar ou esmurrar. A violência me atingiu por dentro. Depois que ele terminou e foi embora, fiquei alguns minutos com a cara no chão, tentando me lembrar do rosto do agressor. Eu não sei o seu nome, não sei o que faz da vida. Mas eu sei quem me estuprou. Quem me estuprou foi a pessoa que disse que quando uma mulher diz “não” na verdade, está querendo dizer “sim”. Não porque esse sujeito, só por dizer isso, seja um estuprador em potencial. Não. Mas porque é esse tipo de pessoa que valida e reforça a ação do cara que abusou do meu corpo. Então, quem me estuprou também foi quem achou que, se eu estava sozinha na rua, na balada ou em qualquer outro lugar do planeta, é porque eu estava a disposição. Quem me estuprou foram aqueles que passaram a acreditar que toda mulher alimenta a fantasia de ser estuprada. Quem me estuprou foi o cara que disse que alguns estupradores merecem um abraço. Foi quem fez graça com as mulheres sendo assediadas no transporte público. Foi todo mundo que riu dessa piada e que defendeu o direito de fazer piadas sobre esse momento de puro horror. Quem me estuprou foram as propagandas que repetidas vezes insinuaram que mulher é mercadoria. Que pode ser consumida e abusada. Que existe somente para fazer o apetite sexual do público. Quem me estuprou foi o padre que disse que, se isso aconteceu, foi porque eu consenti. Foi também o padre que disse que um estuprador até pode ser perdoado, mas uma mulher que aborta não. Quem me estuprou foram aquelas pessoas que, mesmo depois disso insistem que a culpada sou eu. Que eu pedi para isso acontecer. Que eu estava querendo. Que a roupa era curta demais. Que bebi demais. Que sou uma vadia. Percebo que mesmo se esse cara existisse, mesmo se ele nunca tivesse cruzado o meu caminho, eu não estaria a salvo. Porque não foi só aquele cara que me estuprou. Foi uma cultura inteira. Esse texto é fictício. Eu não foi estuprada hoje. Mas certamente outras mulheres foram.
HOJE FUI ESTUPRADA. Subiram em cima de mim, invadiram meu corpo e eu não pude fazer nada. Não precisou apontar uma arma para a minha cabeça. Eu já estava apavorada. Não precisou me esfolar ou esmurrar. A violência me atingiu por dentro. Depois que ele terminou e foi embora, fiquei alguns minutos com a cara no chão, tentando me lembrar do rosto do agressor. Eu não sei o seu nome, não sei o que faz da vida. Mas eu sei quem me estuprou. Quem me estuprou foi a pessoa que disse que quando uma mulher diz “não” na verdade, está querendo dizer “sim”. Não porque esse sujeito, só por dizer isso, seja um estuprador em potencial. Não. Mas porque é esse tipo de pessoa que valida e reforça a ação do cara que abusou do meu corpo. Então, quem me estuprou também foi quem achou que, se eu estava sozinha na rua, na balada ou em qualquer outro lugar do planeta, é porque eu estava a disposição. Quem me estuprou foram aqueles que passaram a acreditar que toda mulher alimenta a fantasia de ser estuprada. Quem me estuprou foi o cara que disse que alguns estupradores merecem um abraço. Foi quem fez graça com as mulheres sendo assediadas no transporte público. Foi todo mundo que riu dessa piada e que defendeu o direito de fazer piadas sobre esse momento de puro horror. Quem me estuprou foram as propagandas que repetidas vezes insinuaram que mulher é mercadoria. Que pode ser consumida e abusada. Que existe somente para fazer o apetite sexual do público. Quem me estuprou foi o padre que disse que, se isso aconteceu, foi porque eu consenti. Foi também o padre que disse que um estuprador até pode ser perdoado, mas uma mulher que aborta não. Quem me estuprou foram aquelas pessoas que, mesmo depois disso insistem que a culpada sou eu. Que eu pedi para isso acontecer. Que eu estava querendo. Que a roupa era curta demais. Que bebi demais. Que sou uma vadia. Percebo que mesmo se esse cara existisse, mesmo se ele nunca tivesse cruzado o meu caminho, eu não estaria a salvo. Porque não foi só aquele cara que me estuprou. Foi uma cultura inteira. Esse texto é fictício. Eu não fui estuprada hoje. Mas certamente outras mulheres foram.
—  Colombian-a
Promete de dedinho que nunca ira desistir de nós. Promete que serei seu primeiro pensamento ao acordar e o ultimo ao dormir, que ao longo do seu dia irá pensar em mim, em nós… Que ao ver um casal de idosos ira pensar no nosso futuro juntos, e ira lembrar dos nossos planos. Promete que não ira me fazer chorar. E que sempre estará ao meu lado. Promete que apos uma briga voltara pra conversar. Promete que serei o seu “Eu nunca senti isso por alguém”. Amo você como eu nunca imaginei amar alguém, ao poucos você transformou meu mundo. Agora você faz parte do meu presente, futuro e o passado já não importa mais. Tu es tudo de mais precioso que tenho, esse sentimento fez de mim uma pessoa melhor. Como é bom amar e ser amado, obrigado por me ensinar amar alguém mesmo com diferenças, mesmo com imperfeições e defeitos. Obrigado por ser o meu amor, meu único amor…
— 

Romancitaram

.

A como eu posso amar tanto uma pessoa assim?

O sorriso me encanta, o abraço me conforta, os beijos me fazem ficar mais apaixonada, meu coração acelera a todo momento, a vontade de te beijar só aumenta a cada dia, mais infelizmente eu não posso fazer isso. Não pelo menos por algum tempo, alguns meses ou até anos. 

Eu amo o jeito que você fala comigo, amo a atenção que me dá,amo quando briga com alguém por mim,amo quando me faz sorrir,amo cada detalhe em você, cada defeito, cada imperfeição, me faz sorrir todos os dias ao lembrar de todas essas coisas.

A gente briga todos os dias,não me pergunte o porque disso,nem você sabe, mais mesmo assim eu continuo amando você cada vez mais.

A todo momento quero poder estar com você, mais isso é impossível, não exatamente como eu sonho todas as noites, não como eu sempre quis. Você me faz sentir algo que eu nunca senti antes, um sentimento extremamente bom, que cada dia que passa me deixa com uma felicidade enorme, algo inexplicável de se explicar.

Eu choro todas as noites, sim eu admito, choro por medo de perder o pouco que eu tenho de você, choro por medo de algum dia a gente brigar e acabarmos deixando o orgulho falar mais alto, choro por não poder te dizer todas as palavras que estão guardadas aqui dentro de mim, por medo de sua reação. Você virou meu vicio, o presente mais precioso que eu pude ganhar em toda minha vida, e pode ter certeza que se algum dia eu não poder ti ver mais, saiba que eu sempre amei você, e não tive coragem de admitir pra você e pra mim mesma, por medo, medo da sua reação, apenas medos de tentar dizer o que não consigo tirar de dentro de mim, saiba que eu te amarei mais do que todos pensam que eu amo.

Imagine Zayn Malik – por Moni

Nova York era incrivelmente linda a noite, principalmente em uma noite quente de verão, claro, se você soubesse como apreciar e o lugar certo para onde ir. Eu e Zayn costumávamos subir até o terraço do prédio em que ele morava para ver as estrelas, colocávamos alguns cobertores e almofadas no chão e ficávamos nos curtindo até altas horas. E hoje não estava sendo diferente. Apoiei o braço esquerdo sobre a almofada e depois a cabeça sobre minha mão, elevando-me um pouco sobre Zayn e podendo apreciar suas feições serenas enquanto ele parecia calmo e relaxado, de olhos fechados, um pequeno sorriso nos lábios e literalmente acima de toda civilização.

-Estou me sentindo observado - Zayn comentou franzindo as sobrancelhas sem abrir os olhos.

-O que? Você deve estar ficando louco - mordi o lábio inferior tentando segurar uma risada.

-E se eu abrir os olhos agora?

-Vai me encontrar apreciando a vista - soltei apaixonada levando uma das mãos até sua bochecha em uma leva carícia.

-Como se houvesse alguma coisa para apreciar - ele estalou os lábios e eu revirei os olhos.

-É claro que há - beijei seus lábios de forma lenta - E mais da metade das garotas do mundo estão aí para comprovar.

Zayn deu uma risada gostosa de se ouvir e eu voltei a me deitar, me aconchegando em seu peito de forma que podia olhar o céu estrelado.

-Você tem que achar uma maneira de vencer essa insegurança - comentei o abraçando pela cintura. Era um pouco difícil de acreditar, meu namorado era Zayn Malik, um dos caras mais famosos do mundo, ícone fashion masculino e objeto de desejo e de sonhos eróticos de inúmeras garotas/mulheres do mundo, e ainda assim era inseguro. Zayn era um cara incrível, mas ele realmente se importava com o que as pessoas falariam sobre ele, era inseguro e ansioso, e isso me fazia ama-lo ainda mais pois mostrava o quão humano ele era.

-Eu sei, meu amor - Ele beijou minha testa e nós ficamos um tempo em silêncio, até que ele levantou a mão apontando para o céu, soltei um risinho ao lembrar das palavras de minha mãe quando eu era pequena “se você apontar o dedo para uma estrela, vão nascer verrugas na sua mão” - Olha, uma estrela cadente - ele disse - faz um pedido.

Fechei os olhos apertados depois de ver o risco brilhante cortando o céu e pedi, com todo o meu coração, ao que quer que fosse a Entidade Superior das Estrelas Cadentes, que nós dois pudéssemos ficar juntos por um bom tempo. Abri os olhos sorrindo e observei Zayn que me olhava.

-Você também pediu? - perguntei.

-Pedi, agora só resta saber o que você vai dizer - franzi a testa em sinal de confusão e ele sorriu se ajeitando em nossa “cama” improvisada envolvendo seus braços em meu corpo e elevando seu rosto sobre o meu - (S/N), você aceitar se casar comigo?

Arregalei os olhos, criando um silêncio duradouro enquanto eu tentava organizar minha cabeça.

-O que você disse? - perguntei baixinho avaliando sua expressão.

-Bom, em outras palavras - ele riu nervoso passando uma das mãos pelo cabelo - Eu pedi se você gostaria de ser minha mulher?! - suas expressões se fecharam de forma assustada me fazendo sorrir. Soltei um gritinho animado me levantando em um rompante fazendo com que Zayn caísse para cima das almofadas.

-É claro que eu aceito - falei partindo para cima dele e montando em seu colo enquanto distribuía vários beijos pelo seu rosto - Aceito… Aceito… Aceito - eu repetia entre cada beijinho podendo ouvir ele respirar aliviado antes de começar a rir. Zayn envolveu seus braços em minha cintura nos virando e ficando sobre mim, começando ele uma seção de beijos me fazendo gargalhar.

-Eu amo você - ele disse parando de repente, eu sorri.

-Também amo você - falei baixinho como se contasse um segredo e me aproximei beijando seus lábios.

E ali, diante das estrelas, estava comprovado, Zayn Malik era meu, e eu era completa e totalmente dele.

Eu poderia estar rindo agora da piada idiota que minha melhor amiga sempre conta, assistindo a alguma aula chata e bocejando quando o professor virasse as costas, poderia até mesmo estar indo a sorveteria de canto que eu nunca fui porque sempre tive lugares mais interessantes para ir. Mas sabe o que o destino me guardou? Uma morte qualquer, em uma rua qualquer, em um dia mais qualquer ainda. Estava cansada de ler sobre como toda a sua vida passa pelos olhos quando você se depara com seu último segundo, entretanto tudo isso é mentira. Eu não acordei pensando em como a minha mãe era a melhor do mundo, tampouco dei um beijo de despedida no meu pai. Não consigo nem mesmo lembrar do último abraço antes do meu coração parar de bater. Eu nunca fui do tipo de pessoa que anda sempre com um sorriso e faz tudo como se fosse a última oportunidade de viver, pelo contrário. Eu tinha na minha cabeça que seria jovem para sempre, olha que irônico, tinha medo de envelhecer. Agora aqui estou eu, presa em um último passo, no meio de um batimento cardíaco, em uma interminável volta para casa. E a todos, eu digo pouco: o fim nunca avisa antes de se aproximar, não há uma sirene que vá disparar em seus ouvidos para você sair aproveitando os poucos minutos que você tem de vida. Então, faça diferente de mim, aproveite cada segundo como se fosse o último. Quem garante que o próximo realmente virá?
—  Faça isso por mim e por todos que deixaram planos na vida.
Ela estava sentada na minha frente. Tomando seu café atentamente. Sua mão tremia levemente, isso significava o quanto ela estava nervosa. Tomei um gole do meu também, na esperança que ela falasse alguma coisa. Deveria dizer o tamanho da minha surpresa quando disse que aceitava se encontrar comigo? Ou o tamanho da minha saudade?
- como anda sua vida? – quebrei o terrível silencio.
Pude ver quando engoliu seco assim que colocou a xícara na sua frente e então sorriu.
- Bem, trabalhando muito, mas bem.
Concordei com a cabeça, não queria dizer que mesmo de longe eu observava todo seu trabalho. Ela era uma excelente artista. Estiquei minha mão sobre a mesa, segurando firme sua mão.
- sinto sua falta.
Ela olhou para nossas mãos e fechou os olhos. Como quem sabia que esse assunto chegaria a qualquer momento.
- não faça isso. – ela suplicou.
- você não sente a minha?
Ela me olhava como se talvez não fosse obvio o bastante. Baixei os meus olhos, me perguntando como eu podia ter a deixado ir embora. Como eu poderia ter sido idiota o bastante.
- por que tudo isso? – sua voz estava tremula.
- eu só queria te ver, precisava tentar.
Ela negou com a cabeça, deixando uma lagrima cair no seu rosto. Nessa hora eu pude ver o quanto eu fui idiota o bastante para magoa-la.
- tenho que ir embora. – ela se levantou.
Levantei-me junto, não ela não poderia ir embora agora.
- não, fique um pouco mais.
Mais uma vez ela negou com a cabeça, seus olhos chorosos.
- apenas vim pra te lembrar de que estou com outra pessoa, ela me faz feliz. E isso é tudo.
Lagrimas começaram a cair sobre o meu rosto, ela havia tocado em minha ferida. Mas me surpreendi com seu abraço inesperado.
- eu te amo, sempre irei te amar – ela sussurrou no eu ouvido – mas não posso mais.
Apertei meu braço em sua volta, ciente que talvez nosso amor houvesse ficado pra trás. O medo de ela ter nos esquecido ou superado. Quando na verdade eu estava um caco, cada dia ficava pior. Então ela me soltou, correndo porta a fora do bar, chorava assim como eu. Senti eu peito doer, o ar me faltar enquanto eu pensava que ela sempre seria minha garota do cabelo azul.
—  A garota do cabelo azul.