isabel kelly

Tá certo, saia por aquela porta. Vai, saia! Procure alguém melhor, encontre essa tal pessoa com tantas qualidades, tão opostas aos meus defeitos. Com maturidade, com presença marcante, com humor, com experiências, sem problemas, sem complicações, sem medos, com determinação, com pé no chão. Procura alguém que descomplique a tua vida, já que você diz que eu complico tudo, que não acerto nada. Procura alguém que não tenha crises de choro, que não seja sensível ao extremo, que não sofra de TPM, que não grite, que não faça manha. Vai, meu filho, tenta encontrar uma mulher assim com os padrões que você diz que eu não tenho. Vá em busca do seu amor de plástico e quando encontrá-la e perceber que ela jamais irá te tocar como eu e nem te beijar com tanta paixão como eu te beijei em todas as vezes, não venha me procurar. Porque se eu não sou mulher o suficiente para te ter por perto, melhor então ficar sozinha. Você não entende que mesmo com esse meu temperamento explosivo e irregular, eu faria qualquer coisa por ti. Mesmo com as minhas crises existências e semana de TPM, é você quem eu quero do meu lado. Não foi a toa que eu dediquei meu tempo a você, e quanto tempo, mais de um ano de dedicação, pra quê? Pra ver você virar pra mim e dizer que eu não boa o suficiente pra você? Não era assim que deveria terminar, você mais do que qualquer pessoa sabe disso. Ainda tive que ouvir você dizer que a culpa era minha, que eu estava escolhendo seguir minha vida sem você, mas na verdade, quem apontou meus defeito na minha cara foi você. Algum dia você vai crescer, vai olhar pra trás e perceber a burrada que você fez, e aí meu amor, será tarde demais. Por que eu posso não ser o suficiente para você, mas para muitos, eu sou. Se você acha que eu não te dou o devido valor, eu sinto muito, muito mesmo, por que eu nunca dei tanto amor a alguém como lhe dei. Mesmo assim, não fui recompensada, e ainda sai como culpada, vê se pode?! Dediquei tanto tempo da minha vida a alguém que não mereceu, mas que infelizmente, convenhamos, se eu tivesse mais uma chance ao teu lado, dedicaria até meu último suspiro para te fazer feliz. O que chega até a ser cômico, pois mesmo com raiva de ter sido deixada de lado por você, sair como a culpada da história, e saber que para você não sou o suficiente, eu ainda daria tudo para poder te ter aninhado em meus braços novamente.
—  Escrito por Paula, Kelly, Isabelle e Ana Laura em Julieta-s.
São dias vazios. Meu coração se encontra mais frio do que a brisa que está lá fora. Meu coração está apertado, parece despedaçado. Sigo uma rotina chata, mas pareço um robô fazendo tudo no automático. No aconchego do meu quarto sempre acabo pensando em você e em tudo o que vivemos. Foi tão lindo no começo, como toda história triste. Eu deveria ter enxergado que tudo daria errado, como sempre deu. É a minha vida, as coisas sempre desandam. O que eu tinha na cabeça de ter confiado tanto em você. Ainda lembro do dia em que tudo começou e lembro ainda mais de quando terminou. Não reconhecia aquela pessoa que terminou tudo comigo, não parecia você, com seu sorriso lindo de antes, dizendo que ia cuidar de mim. Me deixei levar por esse sorriso e por suas palavras, e veja só o que me tornei hoje. Não sei mais sorrir com vontade, sigo a vida normalmente sem ti, mas me falta um pedaço, me dói muito por dentro. Por que entrou na minha vida se iria embora em tão pouco tempo? Por que me fez acreditar em cada mentira que saia da sua boca se você nunca teve realmente a intenção de transformá-las em verdade? Eu confiei em você, me entreguei a ti para no final receber apenas lembranças de algo que foi totalmente mentira. Mas não da minha parte, eu nunca menti. Todas as declarações, promessas e sentimentos foram reais. Dessa nossa relação ficou apenas cicatrizes que o tempo não vai apagar, e sim, eu posso ter outros amores mas nenhum deles irão me fazer esquecer o tamanho do sofrimento que você me causou. Você me destruiu apenas por diversão. E o pior de tudo é que eu continuo aqui pensando em você, gastando meu tempo e minha inspiração escrevendo sobre você como se isso fosse diminuir o buraco gigante que você deixou aqui dentro. Mas pode ter certeza que tudo o que vai, volta. E todo esse sofrimento que você me fez passar, você vai passar também, e nesse momento eu quero que você lembre de mim. Lembre de como era bom nossas mãos entrelaçadas, nossos lábios se tocando, nossos corpos se esquentando. Lembre de tudo e perceba que você perdeu a melhor coisa que você poderia ter. Não sou de procurar vingança mas não nego que adoraria te ver sentir tudo que você me fez sentir e mesmo que isso me faça uma pessoa rancorosa, eu não ligo. Ta bom que eu sempre fui a mais sentimental, a mais grudenta, a que mais sentia, e agora vejo que o excesso de você sempre me fez mal, eu só não conseguia enxergar isso. É como se agora eu finalmente tirasse o mundo do mudo e começasse a encará-lo, e posso garantir que não é fácil. Era tão mais fácil me perder naquele sonho que era nós dois, mas agora que acabou, me recuso a continuar estagnada mais uma vez. Por que diabos a inercia exerce um poder tão forte em mim? Por que diabos eu não consigo sair do lugar? Acho que me acomodei com o macio dos seus braços, com o brilho de seus olhos e agora, não sei mais andar com as minhas próprias pernas, e isso é ruim pra caramba. Terei que aprender a engatinhar mais uma vez, terei que recomeçar do zero, pois você não se contentou em apenas sair da minha vida, você teve que levar tudo que eu entendia do mundo, junto. E mesmo que você continue martelando aqui, bem dentro de mim, juro que farei de tudo para acabar com todos os restos de você. Juro que farei de tudo para você não passar de uma inspiração ruim, para textos como esse, e nada mais. Juro que te deletarei da minha vida, e sei que dessa vez, isso não é um excesso.
—  Escrito por Andreza, Kelly, Isabelle e Beatriz R. em Julieta-s
Eu nunca me importei com os seus amigos ou com as pessoas que te acompanhavam. Nunca me importei com a quantidade de cigarros de maconha que você colocava na boca por dia. Eu juro que nunca senti saudade de ti, nunca quis você por perto porque eu sei que você também não queria minha companhia. Eu não fazia questão se você me chamaria pra sair ou não. Sempre te deixei livre e desejei que voltasse pros meus braços só quando sentisse falta, mas você nunca fazia isso, só lembrava de mim quando o mundo todo se esquecia de você. Mas assim como eu juro que nunca senti saudade sua, eu juro que até uma ligação tua bêbado as três da manhã cairia bem. Nem que fosse pra você me falar de qualquer outra garota pela qual você acha que está se apaixonando. Eu aguentaria te ouvir falar do quanto ela é legal só pra poder ouvir tua voz. Eu suportaria te ver se interessando, se apaixonando por alguém que não fosse eu, mas se tem duas coisas que eu não suportaria, é te ver sofrer e te ver longe de mim, isso sim me mataria aos poucos e me traria muito sofrimento, porque pra ficar perto de você, eu aceito tudo, até te ver amando outra, mas te ver sofrer, vai me fazer sofrer e te ver partir, iria me partir. Talvez eu esteja me destruindo com esse comportamento, te mantendo por perto mesmo quando me fazendo mal, mas a verdade é que prefiro você me fazendo mal perto do que não provocando mal algum, pois estaria muito longe para que possa ter a minha presença. Prefiro te ter mentindo olhando nos meus olhos do que nunca mais poder ouvir sua voz. Eu te cuido mesmo quando não quero, confesso que estou ligada a ti de um jeito masoquista; de um modo destruidor. E mesmo sabendo disso eu continuo por perto, aplaudindo a cada vez que me faz chorar, porque tu é o motivo da minha doença mas ao mesmo tempo é a cura e eu amo isso. Amo o jeito que me deixa em pedaços e em seguida volta para me montar novamente. Eu juro, de pés juntos, que nunca senti saudades de ti, mas se você me dissesse que iria embora eu te pediria para ficar.
—  Escrito por Victória C., Isabelle, Michele e Kelly em Julieta-s
Hoje tirei o dia para você, ou melhor, para lembrar de você… Lembrei de todos os momentos em que vivemos juntos, das risadas e troca de carinhos. Fiz questão de esquecer as partes ruins e me concentrar só nos dias em que você foi a razão do meu sorriso estampado de orelha a orelha. Eu senti tanto a sua falta. Senti falta de como seu abraço se moldava ao meu corpo, dos seus olhos verdes me fitando como se pudesse enxergar atrás de mim, da sua fala mansa e de como era bom estar ao seu lado depois de uma semana ruim. Mas, diferente de um tempo atrás eu não corri para te ligar e dizer “Ei, será que dá pra tentarmos mais uma vez?“. Muito menos vasculhei a sua vida para saber como estava indo sua vida de solteiro. Eu te deixei ir, pela primeira vez. E não me arrependi. Nesse tempo, aprendi que quando você ama alguém você tem que deixá-lo ir, e foi o que eu fiz. Eu desisti, e pode ter certeza que isso dói muito mais em mim. Não estou preparada para te ver abraçado com outro alguém, mas algum dia a gente pode se esbarrar em uma esquina qualquer, e quando isso acontecer eu espero já ter te superado. Eu espero ansiosamente o dia que eu vou poder te ver e não sentir dor. O dia em que essas lembranças não vão abrir uma cicatriz imensa toda vez que lembradas. Eu espero mesmo que esse dia chegue logo, que só seu sorriso baste pra que eu fique alegre, mesmo que o motivo dele seja um novo alguém. A sua ausência me causou um estrago total, você me fez assim, vulnerável. Mas eu consegui. Consegui te deixar ir embora, você quis ir embora, você não tentou aquilo que eu sempre tentei fazer: ficar. E se pra você não é importante, eu tenho que persistir. Porque se for pra ser, será. E se não for, que seu caminho seja iluminado, pois a única certeza que eu tenho é que o que senti por você foi real. Tão real e intenso que vale a pena relembrar, mesmo que eu me sinta mal por isso, mesmo que fique com uma dor no peito toda vez que lembro de nós dois. Espero que você um dia volte pra mim, espero que um dia possamos levar a nossa história até o fim, porque pra mim isso não é um fim, é apenas um capitulo que acabou. Nossa história ainda terá um final feliz, tudo depende de você.
—  Escrito por Kelly, Isabelle, Isadora e Bianca em Julieta-s.

99.Isabel Kelly played by Julia Roberts. Movie: Stepmom 

Quote: “You know every story, every wound, every memory. Their whole life’s happiness is wrapped up in you… every single second. Don’t you get it? Look down the road to her wedding. I’m in a room alone with her, fixing her veil, fluffing her dress, telling her no woman has ever looked so beautiful. And my fear is she’ll be thinking, "I wish my mom was here." 

Já perdi as contas de quantas vezes me decepcionei com você. Mas o meu amor por você é maior que a decepção que você me causa, e por mais que eu não queira eu acabo voltando. Eu volto porque sei que não vou conseguir ninguém melhor, eu volto porque sei que apesar de tudo a gente se merece. Eu volto porque te amo. E por voltar aceito quieta todos os seus milhares de defeitos, esqueço as vezes em que me fez chorar e me deixou sozinha ao invés de me ajudar, esqueço as brigas e suas palavras ofensivas direcionadas a mim quando não as merecia, aceito o pouco de amor que você tem a me oferecer e me entrego novamente para você, sem parar para pensar que daqui a algum tempo tudo acontecerá novamente. Estamos presos em nosso maldito ciclo vicioso, meu amor. Mas tenho que te lembrar que uma hora, num desses nossos vai-e-vem, eu posso não voltar, pelo simples fato de eu me cansar, ou de descobrir que sou nova e tenho o mundo inteiro pela frente. Tenho esperança em nós, tenho esperança na sua mudança, tenho esperança que vai enxergar uma mulher maravilhosa em mim, assim como enxergo o homem maravilhoso que é por de trás dessa casca. Por favor, não deixa esse amor morrer, não deixa eu desistir de ti, me mostra que vale a pena seguir em frente e continuar engolindo muito de seus desaforos, pois eu ainda penso que além de toda essa máscara de durão tem um homem que tem um coração grandioso, que sabe que amor de verdade é só por aquela que te faz sorrir quando a vida te faz chorar. Eu sei que no fundo você sabe que essa mulher sou eu, mas por alguma razão ainda quer ser moleque para brincar de não sentir absolutamente nada por ninguém. Talvez esse seja o maior motivo porque insisto em ter você. Ambos sabemos que por mais que os dois se biquem, os dois não sabem viver um sem o outro, porque a gente vive com o nós dentro do nosso coração apesar de viver o eu e você na realidade. Mas quem sabe um dia você acorde e venha se aconchegar no meu abraço e ficar ali a eternidade? Só esperamos que esse dia não demore, pois o meu coração quer o nós, mas estou cansando de ser apenas o eu sem companhia e sem complemento.
—  Escrito por Isabelle, Kelly, Bárbara e Marcela em Julieta-s.
~disney musicals

get your at-home-musical on with 23 upbeat tracks from disney movies (okay, mostly, like there’s some legally blonde and a few others in there)

1. zero to hero 2. prince ali 3. i want it all 4. under the sea 5. it’s tough to be a god 6. i’ll make a man out of you 7. des gammes et des arpèges (french version of ‘scales and arpeggios’) 8. there! right there! 9. get'cha head in the game 10. be our guest 11. i wanna be like you 12. everybody wants to be a cat 13. fabulous 14. popular 15. bonjour! (french version of 'little town/belle’) 16. i won’t say i’m in love 17. bare necessities 18. bet on it 19. so much better 20. colors of the wind 21. scales and arpeggios 22. jellicle songs for jellicle cats 23. we’re all in this together

Ontem sai com uns amigos pra um bar; contamos piadas, demos gargalhadas. Por um momento achei que pudesse ser feliz de novo. Por um momento, imaginei que tudo tinha passado; eu ouvia aquelas risadas, todos rindo das minhas piadas, me senti amada novamente, e fazia tempo que não me sentia assim. Mas, tava faltando uma pessoa ali. Pois é, tá sendo assim ultimamente, um rápido momento de felicidade e aí puf a felicidade some. É só pensar em você pra tristeza voltar, é só lembrar do teu sorriso, da tua voz cantando pra mim, da tua risada que bate aquela depressão, aquele sentimento de vazio. Quando cheguei em casa, passei a noite revirando minhas gavetas. Juntei todas nossas lembranças com uma vontade imensa de destruir todas elas. Fui até a cozinha e procurei o álcool e uma caixinha de fósforo. Meu coração pedia pra revê-las, mas minha consciência enfurecida queria livrar-se, libertar-se dessa grande agonia. Foi em vão, segui o coração; olhei foto por foto, cada presente, assisti cada vídeo e ouvi todas as gravações que fizera pra mim. E aquela ferida novamente abriu. Meus olhos começaram a derramar pequenas gotas rapidamente, suficientes para encharcar minha camiseta favorita. Eu tento ser a mulher decidida que meus amigos pensam que eu sou. Tento demonstrar o máximo que eu posso que está tudo bem sem você, que durante a noite minhas cobertas são o suficiente para me manter aquecida, que pensar em nossos momentos juntos não faz parte do meu passatempo favorito, mas eu não consigo. Basta uma recaída e eu corro para as coisas que me lembram você, para que pelo menos assim eu possa te ter por perto mesmo que seja tão superficialmente. Eu que afirmo para quem quiser ouvir que nosso relacionamento foi um erro, sou a mesma que quase te liga às três da manhã pedindo pra voltar. Quando me deito na cama e fecho os meus olhos é quase como se eu conseguisse sentir você ali, ao meu lado, me olhando com aquele sorriso bobo no rosto. Mentir sobre nós dois me faz mal. Viver me contradizendo o tempo todo quando o assunto é você também me faz mal. Eu ainda te amo, sinto sua falta, te quero mesmo com esses seus mil defeitos e preciso do seu jeito calmo para acalmar todos os monstros que habitam em mim. Te procurar por todos os lugares ainda é inevitável. Todo mundo me pergunta porque sou tão distraída e finjo não saber quando sei que o motivo é você. Meu pensamento te pertence a todo instante. Não posso te culpar por isso acontecer, mas também não posso me responsabilizar. Você só me fez bem e é por isso que trago esse sentimento dentro de mim. Você me fez conhecer coisas que nunca imaginei existir, você me fez descobrir a verdadeira felicidade. Mesmo que não consiga ser feliz sem você, não posso chorar como se você fosse o culpado por minha tristeza. Não era pra ser. Posso dizer isso aos prantos, mas é a verdade. Agora preciso encontrar uma outra maneira de ser feliz. Até lá, continuarei rindo como se nada acontecesse porque ninguém precisa saber.
—  Escrito por Isabelle, Bruna, Kelly e Juliana em Julieta-s.
Quem diria que eu teria tanto gosto por você? Me apegar tanto a alguém, logo eu que nunca liguei pra esse tipo de coisa. O “amor”, depois de tantas decepções eu realmente pensei que ele não existisse ou que se existisse, nunca me encontraria. Então, apareceu você, tão repentino como uma folha caindo no Outono, embora eu não goste dessa estação, pois não gosto quando as coisas mais lindas caem e vão embora, ainda assim, eu gosto de você, embora não tenhamos tanta coisa em comum, eu gosto de você, e se você, enxergasse esse meu lado? Acharia tão estranho, penso eu, aliás, ninguém conhece, nem eu mesma conhecia, nem sabia de sua existência, mas a única verdade com a qual me importo é que eu amo até o fundo dos seus olhos, atrás da íris, quase chegando na alma - se é que isso existe. Eu amo a curvatura do seu nariz, amo a ponta do seu sorriso, que quando se abre parece que preenche seu rosto, parece que te completa; eu particularmente, acho que você fica ainda mais bonito sorrindo. Acho que nunca tive coragem de falar em voz alta mas eu amo as suas teorias sobre o 11 de setembro, aliás amo todas as suas teorias. Eu sei que não falo muito essas coisas mas é que, por incrível que pareça, eu tenho vergonha. Eu não consigo me imaginar dizendo palavras doces como essas até porque o que tem dentro de mim não é nada doce, ao contrário do que muito acham. Não nasci pra amar, não sei fazer isso. Não nasci pra me declarar, nem dizer todas as coisas banais e que ninguém percebe que me levam a te amar. Ao invés de dizer que te amo eu vou rir e te olhar de um jeito que ninguém mais te olhou, vou te enxergar de verdade. Se eu virar a cabeça pra um lado e sorrir pode ter certeza que eu vou estar pensando “meu deus, eu amo esse garoto”. Eu amo os seus erros, seus acertos, o som da sua risada, suas caretas, a forma como meche no meu cabelo, a sua manha de criança e a marra de homem. O bem que você me faz é tão grande que quase não cabe em mim, te ter por perto acalma todos os meus monstros interiores, ouvir sua voz me tranquiliza e eu passo a ter cada vez mais certeza de que você é a minha tal “luz no fim do túnel”. Foi você quem me salvou dos tediosos domingos, quem me deu abrigo quando o mundo se virou contra mim, quem soube lidar com o jeito explosivo e quem continuou do meu lado mesmo depois de ter me ouvido dizer que não precisava de você para ficar bem. Então cuide de mim, me dê colo e diga que eu posso chorar na sua frente. Estou entregando a você todo o amor que tenho em mim, mesmo sendo pouco e raso é a coisa mais preciosa que eu possuo. Não me faça chorar, não me dê motivos para ficar triste. Tu tem tudo para me fazer sorrir uma vida inteira.
—  Escrito por Isabelle, Ana Carolina e Kelly em Julieta-s