internet ruim

10

minha internet ta tao ruim que o desanimo de postar so cresce mas a gente tenta

Reaction ; Bts: Ao você entrar no meio do show para dar os parabéns.

*SeokJin*

Você tinha ajeitado tudo. Já tinha falado com os meninos, estavam todos de acordo em você entrar para cantar os parabéns de SeokJin quando o mesmo terminasse de cantar Awake.

Ele estava meio triste naquele dia. Nenhum dos meninos tinham dado os parabéns a ele, nem mesmo você, a própria namorada.

Quando o mesmo terminou de cantar, colocou a cabeça encostada no microfone, deixando-as levar por uma expressão triste. Mas logo isso foi embora quando escutou sua voz e a dos meninos soar em todas as caixas de som ali. O menino sorriu, e te abraçou, mesmo a música não tento acabado.

- Você quer me matar do susto?? Achei que tinha esquecido!

°°°
*Namjoon*

Você estava um pouco afastada naquele dia por conta de algumas atividades e trabalhos da faculdade. Não estava falando tanto com ele, isso o deixava magoado, lógico, quem não ficaria?
No dia de seu aniversário, você passou o dia digamos que, “Normal” com ele. Não o desejou parabéns, você praticamente se fez de louca.

Triste? Sim. Mas não ligou tanto, ele sabia que você tinha seus problemas pra cuidar, então não te culpou.

No meio em alguma música divertida, em que todos estavam correndo pelo palco, o som mudou, partindo para a sua voz e a dos meninos cantando a tão conhecida música em dia de festas.
Não demorou muito para todo o público cantar também. Namjoon correu e te abraçou, completamente emocionado.

- Meu Deus, SN! Eu não sei se te odeio muito por fingir que esqueceu ou se eu te amo muito por fazer tudo isso!

°°°
*YoonGi*

Ele estava tristinho e cabisbaixo. Pra ele você estava do outro lado do mundo. O mesmo se xingava por ter deixado você viajar sem ele e as únicas coisas que rodeavam sua cabeça eram “Ela tinha que está no outro lado do mundo mesmo bem no dia do meu aniversário?”

Mas tudo bem, ele relevou e esqueceu quando passou boa parte do dia em uma chamada de vídeo com você e lógico, você desejou seus parabéns.

No meio de uma das músicas do bangtan, a sua tão conhecida voz estava cantando parabéns para ele, junto com os meninos. Assim que te viu, correu até você, te abraçando tão forte que poderia dizer que seus ossos doeriam por pelo menos uma semana.

Ele te soltou e logo viu seus olhos brilhando. Toda a plateia cantava, os meninos e você continuou.

- Obrigada, obrigada, obrigada, obrigada, Jagi! Eu te amo tanto….meu Deus, você está aqui mesmo ou são só alucinações?

°°°
*Hoseok*

Okay…como se pode definir Hoseok naquele dia tão importante? Aquela completa bola de energia que sorri pra tudo e todos, até pro pombo que passa na rua, que está sempre dançando feliz, estava meio cabisbaixo. Você tinha sim dado os parabéns, mas não foi como deu nos anos atrás. Foi como se não tivesse interesse. Lógico que os meninos também fizeram igual.

Estavam juntando a felicidade para o show da noite.

No meio do show, as luzes se apagaram e os meninos e você, junto com todas as Armys começaram a cantar. Hoseok ficou surpreso! Dava pra ver sua alegria voltando aos poucos. Ele te abraçou, te beijou, disse o quanto te amava e não te largou mais o resto do show.

-Obrigada, Sn! Eu te amo muito por isso…mas não faz mais…me deixou com medo…achei que não me amava mais! Você ainda me ama…não é?

°°°
*Jimin*

Ele estava feliz sim! Todos os garotos tinham dado os parabéns a ele, você ainda não. Planejava dar a noite. Tinha até combinado com uma fãbase que iria ao show de em um certo horário começarem a cantar.

Ele achava que você iria fazer isso mais tarde. Mas quando você entrou cantando junto com os garotos e toda a plateia junto, o garoto se emocionou. Não se mexeu, ficou paralisado pensando em o quanto você era maravilhosa.

- Eu pensava que tinha esquecido ou iria dar meus parabéns mais tarde! Meu Deus Sn! Eu te amo tanto!

°°°
*TaeHyung*

Você passou o dia longe dele, estava planejando tudo, cada coisa, seus mínimos detalhes. Falou com os garotos, com algumas fãs que estavam mais ou menos liderando como seria o show. Por ser o aniversário dele, boa parte das Armys tinham arrumado alguma surpresa, com você incluída nela.

O garoto estava meio cabisbaixo, achava que você tinha esquecido que aquele dia era tão especial. Você só deu um beijo e saiu para o trabalho de manhã. Ele realmente ficou magoado, levando isso para o show e cantando sem vontade.

Quando ele iria começar seu solo, um dos meninos parou dizendo que Sn queria fazer uma coisa.

Ele achou estranho. Afinal, “Sn”? O que você faria ali?

Entrou você com um pequeno bolo, cantando com todo o público e os meninos…acho que TaeHyung nunca ficou tão emocionado!

Ele ficou te encarando, com aquele lindo sorriso, logo psssou a cantar com você e o público completamente feliz e energético.

-Peço obrigada a todos vocês, que fizeram tudo isso nas minhas costas, me deixando com um puta medo de terem esquecido desse dia…mas ainda amo vocês…e você também sua traidorazinha! Eu te amo, Sn!

°°°
*JungKook*

Você fingiria que hoje era só mais um dia comun. Falou com ele normalmente, como se nada tivesse acontecido.

Os garotos já sabiam de tudo, estava tudo como o planejado. Ele até falaria com os garotos sobre seu “Esquecimento”, falaria o quanto estava…chateado? Mas achou que era por conta de seus problemas, então ele respeitou isso.

No meio de seu solo, você não esperou muito pra começar a cantar junto com os garotos e todas as Armys, deixando o garoto assustado. Quer dizer…do nada?

Ele abriu um grande sorriso quando te viu sorrindo ali e cantando, não demorou muito para dar um abraço em você e juntar os amigos também.

- Seus putos! Sabiam de tudo! Sn! Não me deixa assim mulher! Eu achei que não se lembrava….obrigada, Sn! Esse foi com certeza o melhor dos aniversários!

°°°

Peço desculpas por não ter gifs~~ Minha internet está tão ruim ao ponto de não carrega-los.

Espero que tenham gostado~~

~Elmo🌞

Uma noite, fevereiro de 2013.

O segundo “primeiro encontro” foi no dia 8 de fevereiro. Com 8 cervejas, uma sobrinha, um convidado inesperado. Conversas, brincadeiras. Coisas de passado e presente. Reconhecimento outra vez. Nada muito sério, sempre casual. Tão intima, ou até mesmo folgada, que por vezes deitei no seu colo enquanto víamos sua sobrinha tentando desviar das 8 mãos do seu mais novo amigo. Tudo natural. Nos conhecíamos à quase 4 anos. O que de estranho podia acontecer? Não por falta de vontade, da minha parte. 

A noite teve fim nisso. Beijo de despedida, no rosto! Eu indo com meus amigos para rua, quase 1h da manhã, ultima semana de férias. Eu, dessa vez, iria aproveitar. Solteira. Vamos lá! Só que não foi bem assim. Passei a noite falando de você, conversando sobre como você era uma pessoa bacana. Todos notando menos eu. Sempre sou a ultima a saber. Dormi pensando em você. O que o destino nos reservaria? Não iria demorar para ter essa resposta. 

9 de fevereiro. Tequilas. Meus amigos reunidos, você na sua casa. Meu amigo querendo ficar com sua sobrinha, eu já querendo ficar com você. Liguei e fui no seu apê, no prédio ao lado. Viemos às 3 e o violão. Já na casa do meu amigo, que estava sendo minha casa por uns dias, algumas pessoas nem tão intimas, todos conversando. O Violão na mão de uma nova conhecida, Fernanda, com o coração sofrido de amor, juntando-se com o seu ainda mais sofrido. Confissões. A que mais me recordo foi uma sua: “Eu ainda gosto da minha ex, não é fácil esquecer. Foi o primeiro amor da minha vida.” Mas nada que uma dose ou outra não ajudasse a relevar. Horas passando, os vizinhos reclamando do barulho. Todos formaram seus pares. E adivinha quem sobrou? Eu, você, meu notebook, uma caixa de Halls preto, um colchão no chão. Luzes apagadas. Conversa vai, conversa vem. Você resolve me mostrar umas músicas. Foi quando, ao som de Boyce Avenue - Locked Out of Heaven, engatado devido à internet ruim, repetindo o início por umas 6 vezes que, aconteceu o primeiro beijo. Sucedido de incontáveis outros. Com apenas pausas para respirar, quando já não fazíamos isso durante o beijo. Nada mais que beijos. Mas que pra mim já era muito. Brincávamos de passar o halls uma pra outra. Foi tudo normal. Quando demos por nós eram quase 7 hs da manhã. Minha boca super inchada. Você ria em silêncio. Ria da situação. Ria por qualquer outro motivo. Eu tomei um banho e me esparramei no sofá. Com vergonha, de você, da boca inchada, da circunstância. Foi quando você levantou e disse que iria para casa, eu nem tentei evitar. Ainda não sabia ao certo tudo o que tinha acontecido. Um beijo no canto da boca, um selinho mal dado. - Até mais tarde, Tchau. 

Meus óculos estão quebrados – Droga, droga, droga! – repito incansavelmente. Odeio quando minha vida cai nesses círculos viciosos de azar. Tudo em minhas mãos se quebra. Tudo que eu tento não dá certo. O café fica amargo, e eu me esqueço de por água pra gelar. A conexão com a internet ruim e o tempo parece pausado. Nada se move e nada parece vivo. Mas só é domingo.
—  F. Flausino