interativo

Harry Styles. (Parte 1)

N/A: Oi, como vocês estão? Espero que bem como sempre. Esse imagine é de um blog americano que eu amo e sou fan a algum tempo, a autora desse blog é uma pessoa maravilhosa. Eu conversei com ela e ela deixou que eu traduzisse alguns de seus imagines e postasse aqui. O nome do tumblr dela é: Harrystylesinmyimagines, e eu recomendo quem consegue ler em inglês a dar uma passadinha lá. Espero que gostem!

Boa leitura!


     A porta do quarto se abriu e os olhos de Harry estavam à procura de sua namorada. Quando olhou direito viu que ela se encontrava sentada na cama; as costas apoiadas na cabeceira e as mãos inquietas sobre a tela do I-phone.

     Ele fez uma expressão triste, ele agia como se estivesse cansado e um pouco irritado. Ele sabia que sua garota se preocupava e o mimava sempre quando ele ficava assim. Ele acabou de entrar no quarto e foi em direção a cômoda que ficava na frente da cama, tirou seu relógio e carteira, S/N  logo olhou para cima o encarando.

 “Ah. Oi, amor.” Ela disse sorrindo para ele.

 “Oi.” Ele diz sem graça, na esperança de ter sua atenção, mas quando ele a encarou ele percebeu que ela já tinha voltado sua atenção para o telefone outra vez.

     Ele a encara indignado, saindo para o banheiro com um beicinho, sem entender o desinteresse de S/N. Ele entra, tira a camisa e a calça jeans e tudo que pode fazer e tentar tomar um banho relaxante.

     Quando termina o banho ele apenas coloca uma cueca, e permanece sem camisa para tentar chamar a atenção dela de alguma forma. Ela ainda está do mesmo jeito, e aproveitando isso Harry desliza na cama, descansando sua cabeça em sua barriga depois de deixar um beijinho ali. Suas grandes mãos se enrolam ao redor de seu quadril em um círculo, e com um suspiro, ele espera que ela corresponda o carinho.

     S/N desvia o olhar de seu celular, e sorri para ele que está descansando sobre ela. “Amor.” Ela chama, enquanto com a mão livre faz carinho em seus cabelos agora curtos.

 “Hm-mm” Harry geme, se aconchegando mais em sua barriga e deixando outro beijo ali, antes de levantar seu rosto e encara-la com olhos sonolentos.

     Olhando para o celular, ela pergunta: “Foi um dia difícil?”

 “Eu estou exausto.” Ele diz com voz rouca, e lançou um sorriso sútil. Mas ela não estava olhando para ele, apenas fazia carinho em seus cabelos, ele já estava ficando irritado.

    Apertando sua cintura ele diz: “Amor, use as duas mãos, por favor.” Gesticulando para ela usar ambas as mãos para o acariciar como ela sempre faz.

 “Um minuto, querido.” Ela deixa de o acariciar e volta a digitar em seu telefone novamente.

 “O que está fazendo?” Harry pergunta se inclinando para olhar para a tela, mas S/N simplesmente puxa o telefone o escondendo, o que deixa Harry ainda mais curioso.

 “Só um minuto, amor.” Ela diz, sorrindo.

     Harry rola os olhos, e deita novamente. Agora com o rosto pressionado contra os seios da garota. Leves suspiros tristes escapavam de sua boca.

     Não demorou mais que um minuto para S/N terminar sua conversa, em seguida, ela colocou seu telefone ao seu lado na cama e olhou para Harry que estava abraçado ao seu peito.

 “Onde estávamos, amor?” Ela pergunta, suas mão em seu cabelo fazendo um carinho gostoso ali, Harry geme olhando para ela.

 “Com quem estava falando?” Ele pergunta.

 “Só um amigo.” Ela levou as mãos até as bochechas dele, tentou traze-lo para um beijo, mas ele agarra seus pulsos e os coloca a cima de sua cabeça enquanto olha em seus olhos.

 “Me diz.” Ele diz em um tom afetado. “Quem foi que te deixou tão ocupada a ponto de você não me dar atenção?”

     S/N ri. “Meu amor.” Ela soltou seus pulsos, e ele se inclinou para um beijo rápido.

 “Jenn estava fazendo uma sessão de fotos, e ela foi a uma cafeteria com um dos novos modelos contratados e insistiu que eu fosse junto, então eu fui. Ele é um doce de pessoa e muito bonito. Tivemos uma boa conversa. Ontem ele começou a me seguir no Instagram e eu o segui de volta, ele me enviou mensagem e nos começamos a conversar. Ele é um cavalheiro.” S/N disse tudo suavemente.

 “Ok.” Harry fechou sua expressão. “Sobre o que vocês conversam?” Ele perguntou sério para a namorada.

 “Apenas sobre fotos, e sobre Jenn.” Ela diz a ele.

 “Ele fica de conversinha com você e Jenn?”  Ele pergunta bufando.

     Ele pega o telefone da namorada e o desbloqueia, afim de abrir seu Instagram.

 “Não, ele…”

 “Como ele é?” Harry pergunta a interrompendo e olha em sua direção.

     S/N sorri e procura seu olhar, pega seu telefone de suas mão e mostra uma foto para ele. “Ele é uma ótima pessoa.”

     Harry a olha irritado antes de pegar o telefone e olhar a foto do rapaz, ele zomba de suas fotos algumas vezes.

 “Ele é legal, Harry.” Ele a encara e coloca o celular na mesinha que fica ao lado da cama; ele rola para o seu lado e se deita virado para parede.

    S/N ri, o divertimento brilha em seus olhos enquanto ela admira as costas nuas de Harry.

 “Amor, me deixe abraça-lo.”

 “Estou muito cansado.” Ele disse rude, sem ao menos olha-la.

     S/N abafa uma risadinha e inclina o rosto, e sussurra suavemente sobre o lóbulo de sua orelha “Eu acho que posso te ajudar a relaxar.”

     Harry vira para ela, e envolve seus braços em torno de sua cintura; ela solta um gritinho e sua mão desce até seus quadris, logo ela sente o golpear de um tapa forte em sua bunda.

     Ela geme, e morde o ombro dele. Ele sorri com os olhos fechados, e esfrega a mão onde ele bateu. Ela ri, e lentamente toma os lábios de Harry em um beijo e morde o lábio inferior dele lentamente no final.

     Ela volta para seu lugar na cama e Harry mergulha seu rosto em seu pescoço deixando um beijo ali. Sua perna girando em torno de seu quadril, apertando-a.

 “Durma agora.” Harry diz a ela, sorrindo. “Ou eu não vou te deixar dormir.”


P.S: Esse imagine tem uma parte dois, se vocês quiserem mandem ask. A parte dois é um pouco hot e fofa também, eu particularmente amo. Favoritem pra eu saber se gostaram! 

“The other day, my father told me something, which has been in my head and I think is true.

We can face a different team, but Barcelona will always be the same. And we can do it. We’ve done it once and we can do it a second time.

We have to give the maximum in everything. If everything goes well, there’ll be another comeback.

I believe in the team and our potential. It’s all lost as it stands, so we have nothing to lose and everything to gain.

We have to enter the field and do our work. It’ll be very difficult, especially as there’s a big deficit.

Juve are a great team, one that’s very well-structured, so it’ll be difficult to turn the tie around. We‘ll have to run twice as much.

It’s the same situation as against PSG, we have a one-percent chance of going through and the remaining 99% consists of running and having faith. God willing, the goals will come.”

- Neymar via Esporte Interativo | 16.04.17

Pedido: eles são casados mas o Liam fez um voto de castidade por um tempo (1 ano ou menos) e isso enlouquece os dois - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Liam Payne:

Liam sempre foi católico, desde pequeno a mãe dele o levou para a igreja, o batizou e continuou levando-o. Hoje Liam não frequenta muito, mas de uns tempos pra cá ele anda lendo alguns livros sobre castidade.

-Amor!
Escutei a voz de Liam me chamando. Larguei a faca e os tomates que estava picando e limpei minhas mãos em um pano antes de ir até a sala, onde Liam se encontrava.

-Que foi?
Perguntei me sentando ao seu lado. Liam tinha seus óculos de leitura apoiado no seu nariz e seus olhos compenetrados no livro em suas mãos. Por um momento, Liam olhou para mim e logo largou o livro sobre a mesinha de centro.

-Eu estava pensando e…acho que preciso fazer um voto de castidade.
Liam falou sério retirando seus óculos e os colocando por cima do livro.

-Como assim?
Franzi o cenho e Liam entrelaçou seus próprios dedos se ajeitando no sofá.

-Eu queria fazer um voto de castidade por nós, sabe, para…eu não sei explicar.
Gesticulou enquanto falava.

-Liam…me explica direito, por favor?
O olhei confusa. Liam pegou seu livro e abriu na primeira página.

-Leia esse primeiro parágrafo.
Falou mostrando. Peguei o livro de suas mãos e comecei a ler em voz alta.

-Para a igreja católica, a castidade antes do casamento é uma forma de conhecer o parceiro. A Igreja aceita que o desejo pelo prazer sexual faz parte da natureza humana, mas que a felicidade e o prazer não são sinônimos. O prazer poderia transformar o parceiro sexual em um meio, em um ato egoísta, enquanto o verdadeiro conhecimento do parceiro (amor) poderia estar sendo camuflado.
Li e olhei para Liam.

-Eu andei pensando e…nós fazemos muito sexo, é como se nosso relacionamento fosse só isso, puro prazer carnal. Por isso quero fazer um voto de castidade, se nos amamos muito vamos conseguir passar um ano sem transar.
Falou sincero e eu fechei o livro pensando um pouco.

-Você tem certeza disso? Você não consegue nem me ver com uma roupa um pouco mais justa ou curta que já fica excitado.
Liam me olhou culpado.

-Mas eu vou mudar, eu não quero que nosso casamento seja só isso, nós dois transando loucamente.
Comentou.

-Mas nosso namoro foi quase isso, nós dois transando loucamente.
Retruquei.

-Eu sei, por isso vamos mudar. A partir de agora, sem sexo por um ano.
Falou decidido e eu respirei fundo. Vamos sofrer muito durante um ano.

| Primeira Semana |

Está tudo indo relativamente bem, Liam e eu estamos levando isso bem a sério, apesar de às vezes eu tenho que evitar algumas coisas como por exemplo quando estamos no banheiro e eu estou na pia e ele tomando banho, então ele sai do box e precisa passar atrás de mim somente de toalha e todo molhado, bem quando vou cuspir na pia e minha bunda se empina para trás. Fica difícil. Ou quando estamos nos beijando e sem querer eu me empolgou, puxando de leve seus cabelos, dedilhando seus músculos ou sugando seu lábio. Ok, Liam e eu estamos subindo pelas paredes.

-Amor, acho que podemos chamar alguns amigos para passar um dia na piscina, o que acha? Está um dia ensolarado.
Liam sugeriu e eu arregalei os olhos.

Piscina + Liam é igual a Liam + molhado - menos roupas e + sexy que é igual a minha sanidade indo para as cucuias. Não sou boa em matemática, mas dessa conta eu tenho certeza.

-S/n?
Liam me chamou assim que percebeu que eu não o respondia.

-Tudo bem, pode chamar.
Sorri fraco e ele assentiu me dando um selinho. Não consegui resistir aos olhinhos castanhos.

(…)

Todos estavam felizes e conversando, alguns na piscina e outros tomando sol. Todos com seus biquínis, sungas ou maiôs. Liam havia ido se trocar enquanto eu ainda faço minha quinta oração para não perder a cabeça hoje.

-S/n! Fiquei sabendo que você e o Liam estão fazendo greve de sexo.
Adam, amigo de Liam se aproximou.

-Não é greve de sexo, Liam quis fazer um voto de castidade.
O corrigi e ele levantou as sobrancelhas.

-Duvido que vocês durem mais de um mês. Liam quando fica muito tempo sem transar parece um cachorrinho no cio.
Falou e eu franzi o cenho.

-Com todo o respeito é claro, mas foi o que ele me disse quando vocês ficaram quatro semanas longe, ele estava realmente maluco.
Falou e eu suspirei exausta, realmente vai ser difícil para nós.

-Mas não se preocupe, se Liam quis isso é porque é muito importante para ele, assim como você.
Falou em forma de consolo e eu o dei um sorriso fraco antes de me afastar para pegar mais bebidas.

-S/n? Pode passar protetor em mim?
Escutei Liam e me virei para trás encontrando o mesmo com uma sunga pequena e vermelha e mesmo que o mesmo não estivesse excitado, ele é grande o bastante para notar na sunga.

-Não acha que uma bermuda ficaria melhor?
Perguntei tentando não transparecer que aquilo estava me enlouquecendo.

-Eu também não estou confortável com esse seu biquíni minúsculo.
Respondeu e eu olhei para mim mesma.

-Você sabe que eu só tenho esse e não iria ficar de roupa na piscina, temos que continuar agindo normalmente.
Expliquei e ele sorriu ladino.

-Por isso eu não coloquei minha bermuda, acha que vou sofrer sozinho?
Perguntou em tom malvado e eu o olhei perplexa.

-Você armou isso?
Perguntei apontando em seu rosto.

Liam apenas riu e saiu da cozinha com sua toalha. Maldito!

| Quatro semanas depois |

Faltam apenas quatro dias para esse mês acabar, já vão fazer um mês que estamos nessa, nem um pouco fortes mas firmes. Estamos tentando ao máximo nos controlar, mas fica difícil quando seu noivo é Liam Payne, o cara mais gostoso de todos, na minha opinião é claro.
Liam hoje estava de calça de moletom e sem camisa. Jogando um jogo comigo provavelmente, mas desta vez ele não vai sair ganhando.

Coloquei a camisola mais fina e transparente que encontrei. Me olhei no espelho e dava claramente para ver meu corpo nu debaixo do fino tecido. Sorri malvada e joguei meu cabelo para o lado.

-Que filme vamos ver?
Perguntei me deitando no colo de Liam por cima de uma almofada.

Liam iria responder sem me olhar, mas assim que pôs seus olhos em mim paralisou.

-Do-r-y?
Perguntou e eu sorri.

-O que disse amor?
Provoquei e ele respirou fundo desviando o olhar.

-Dory.
Disse tentando parecer calmo e controlado.

O filme começou e Liam bebia água de minuto em minuto, claramente ansioso. Em um desses ataques que ele deu para pegar água, colocou sem querer seu cotovelo no meu seio esquerdo, em cima do mamilo e eu quase gritei. Um mísero contato e eu já estou assim?

-Porra. Desculpa.
Liam exclamou e eu notei que sua sanidade já tinha se esvaído, ele estava no seu máximo.

-Por que não fazemos algo de casal? Tipo um jogo ou simplesmente jogar conversa fora.
Sugeri e ele franziu o cenho sem direcionar o olhar para mim.

-Já estamos fazendo algo de casal.
Respondeu e eu suspirei.

-Eu quis dizer algo interativo, como conversar ou jogar…você sabe, algo juntos. Não só ficar olhando para a tela da TV.
Liam pensou por um momento e negou com a cabeça.

-Então você quer ficar encarando essa TV fingindo que está assistindo? Porque eu sei bem que não está. Você que quis fazer esse voto, pode pelo menos seguir o que planejamos? Não é para se separar totalmente, apenas sexualmente, nos manter mais ligados afetivamente. Porra Liam! Pode ao menos olhar nos meus olhos?
Perguntei irritada pelo mesmo não me olhar nem por um segundo.

Liam respirou falhamente e me olhou.

-Desculpa, mas eu fiquei muito mais sensível a provocações durante esses tempos pra cá, e essa camisola já me deixou duro.
Respondeu em tom baixo, quase suplicante.

-Vai se aliviar?
Perguntei claramente como quem diz “Eu vou ficar puta se você sair daqui para se masturbar!” mas com uma feição plena.

-N-não. Eu prometi e vou continuar, não vai ser justo com você, não vai ser justo com nós se eu fizer isso. Vou pensar em algo broxante.
Falou e eu suspirei aliviada, sorrindo.

| Primeiro dia do ano seguinte ás 00:00 |

-Finalmente!
Liam gritou e já pulou em cima de mim me agarrando.

Estamos na festa de ano novo na casa dos seus pais, toda a família reunida e Liam me agarrando na frente de todos, enquanto alguns fingiam que não ligavam e apenas continuam dando “Feliz ano novo!” para os outros.

-Liam…sua família.
O lembrei e ele colocou suas mãos na minha cintura me olhando com desejo.

-Eu preciso de você. Vamos para o quarto para eu te dar seu presente logo.
Falou me puxando.

-Não se dá presente no ano novo.
Comentei e ele sorriu safado.

-Você é uma exceção. A noite vai ser longa.
Sorriu piscando e me jogou na cama fechando a porta do quarto.

O ano foi difícil, extremamente difícil, mas conseguimos. Liam e eu nos casamos daqui algumas semanas e nosso voto de castidade deu certo, apesar de quase termos um deslize em uma festa quando bebemos demais, conseguimos e ficamos muito felizes por isso. Mas depois de tanto tempo sem qualquer tipo de contato sexual, Liam e eu ficamos ainda mais sensíveis e necessitados, o que nos fez ter vários orgasmos durante a noite de ano novo. Um ótimo começo.

***

Acabei lembrando do “I’ts 2017. Be nice. Be good.” do Harry.

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante para mim e me motiva a continuar.😊❤

Reaction ~BTS~

Reação dos meninos do BTS ao descobrirem que você tem poderes SOBRENATURAIS

P.s:  Vocês tinham brigado.  

Jimin: Você estava pegando um refrigerante em uma maquina quando Jimin passa por você e sem querer esbarra no seu braço, fazendo o refrigerante cair, mas antes de chegar no chão você o faz levitar e o pega na mão de novo, ao ver que o mesmo tinha presenciado a cena, você sai correndo e se esconde atrás de uma arvore na tentativa falha de despista-lo. Do nada você sente uma mão pegar no seu braço, jimin te puxa fazendo você ficar de frente para ele, mas como você estava brava com o mesmo ficou fitando o chão por um tempo até resolver olhar par o mesmo que te encarava sem piscar 

- Você precisa me contar como fez aquilo 

- Mas jimin, você não estava me ignorando por ciúmes ? Que foi, o ciumes passou ? 

- Esquece o ciúmes, ai mdsss, eu tenho tantas perguntas, nem sei por onde começar, vamos para a minha casa 

O menino fez perguntas o caminho todo, mas seu rosto risonho não negava, ele estava super feliz.

Originally posted by morekpopmore

Suga: Yoongi chegou em casa cansado e deitou-se no sofá, você, que estava brava com o mesmo por ter esquecido seu aniversario, nem foi recepciona-lo. Quando você viu que o menino tinha pegado no sono resolveu ir na sala buscar um livro que estava logo abaixo da TV. Para não acorda-lo usou seus “poderes” e levitou o livro até si, mas como não você sabia  que yoongi não tinha pegado no sono definitivamente e que o garoto havia visto o livro sendo levado até você, o mesmo alevantou-se num pulo, o que fez você se assustar e deixar o objeto cair. Suga saltou de cima do sofá e tentou grudar seu braço, mas você foi mais rápida e fechou a porta do quarto  deixando o mesmo para fora. 

- Você tem poderes ? … Claro que não, bem capaz que isso iria existir, não no nosso mundo 

Você fingiu não escutar, mas depois de alguns minutos escutou-o murmurar 

- É, eu sabia que ela era especial… por isso que eu a amo tanto  

Originally posted by bangtanboysloves

Jin: Vocês estavam jantando, mas como não haviam se falando o dia todo, resolveu deixar o orgulho de lado e pedir para Jin alcança-lhe o sal, mas o mesmo fingiu não escutar. Após pedir 3 vezes não ser correspondida, já irritada você faz o potinho vir até você e Jin então o olha com a boca aberta. Ele não fala nada o resto do jantar inteiro, mas quando você vai deitar o mesmo resolve perguntar 

- Você é diferente, não é mesmo ? eu tava tentando fazer o que você fez lá na cozinha mas não deu certo, eu sabia que minha namorada era especial

- Jin, mas você não estava me ignorando ? resolveu falar comigo agora? 

- Só queria perguntar - ele diz fazendo cara de cachorro perdido 

- O que seres como você gostam de comer?

Você ri e o olha com cara de dúvida, fingindo pensar no assunto 

- Acho que Danone com aveia e uma torrada - você ri mas vê que ele levou realmente aquilo a sério. No outro dia você é acordada por Jin que carregava uma bandeja com exatamente oque você falou.

Originally posted by jeontrash

Kookie:  Ao entrar na piscina, que estava JungKook e Jimin, você fica na beirada mexendo no celular pois tinha brigado com Kookie minutos atrás pelo tamanho do seu biquíni. Jimin, ao sentir o clima ficar tenso, resolveu sair deixando vocês dois sozinhos. Kookie se aproximou de você tentando puxar assunto, mas você ignorou ele o que fez o mesmo ter a linda atitude de fazer guerrinha de água, mas antes que a água chegasse no celular para não molhar, você fez com que a água parasse no ar e caísse na piscina. Ao ver isso o menino ficou de boca aberta te olhando  

- Você sabe fazer algo que eu não sei ? como assim? Me ensina

 - Mds, tu não para com essas atitudes infantis ? e se meu celular estragasse ?? pensa antes de fazer algo Jeon Jungkook.

- Não quero sermão agora -  ele se aproximou 

- Sabe, mesmo eu não sendo mais o Maknae de ouro, eu ainda sou a melhor coisa do Bangtan, e assim como você eu também tenho a sorte de ter uma namorada especial -  te beijou

Originally posted by bangtanbanchan

Rapmon: Você entra no estúdio afim de falar para ele que o manager estava querendo conversar com o mesmo na sala de reunião, mas quando chega lá Namjoon te ignora, como vocês já estavam brigados faziam 2 dias. Já irritada você faz com que o equipamento de som que ele estava trabalhando se desligue totalmente ao mesmo tempo que da um soco na mesa. Ele te olha incrédulo com uma cara de “que ????”  e você diz.

- Bom, está dado o recado, se tu não quiser ir lá ver o que ele quer, problema teu 

E sai caminhando deixando o mesmo com cara de desacreditado. No outro dia Joonie espera você na entrada da Big Hit. 

- Voltou a ser cavalheiro? - você pergunta irônica 

- Eu passei a noite pesquisando sobre você e descobri que existem mesmo pessoas com poderes como o seu, porque não me contou sobre? Nem precisa mais, já sei tudo sobre a sua espécie 

- Que? A minha espécie é a mesma que a sua, só tenho algo a mais, idiota, não me trate como animal - você diz irritada - Por motivos como esse que não te contei antes

 Mas logo começa a rir ao ver sua feição triste, você abraça o mesmo e fala no seu ouvido 

- Bom, esses meus poderes me dão benefícios que você vai descobrir hoje a noite - da um tapa em sua bunda (que bunda?) e sai andando, Nam pega em sua mão e diz 

- Essa é a melhor forma de se resolver uma briga

Originally posted by yourdailyrapmon

Jhope: Hope chega por trás de você e te abraça 

- Não consigo ficar brabo com você por muito tempo, se eu te perdoar tu me perdoa também?

Falou enquanto desceu a mão pela sua cintura, você como estava irritada por ele ter te deixado esperando 2hs na frente da empresa noite passada, reagiu de uma maneira tanto quanto agressiva o jogando para trás em um sofá que tinha na sala de dança. 

- O que? - o mesmo fala se ajeitando no sofá. 

Você sai correndo, não podia ter feito aquilo, não queria mostrar seus poderes pra ele, não agora, não daquela forma… Jhope vai atrás de você e não faz nenhuma pergunta, apenas te pede 

- Por favor, me ensina a fazer isso

E você, como também não consegue ficar brava com ele, ri da situação e de seu aegyo com as mãos na bochecha 

- Não tem como eu te ensinar, isso é de família, e para com essa cara, não consigo ficar brava com você assim -  e o mesmo te puxa para um beijo 

- Eu te amo mais ainda agora

Originally posted by hobibaehyung


Taetae: Você e Tae tinham saído para caminhar e no caminho acham uma maquina com ursinhos e resolvem jogar, mas Tae acaba pegando os ursinhos todos pra ele e não deixando nenhum para você. Irritada pela atitude egoísta do seu namorado, você sai caminhando na frente e quando entra no seu apartamento ele vem logo atrás mas o mesmo vê que você já estava no meio da sala e a porta se fechou antes que ele entrasse. 

Tae fica parado por um tempo tentando pensar em uma maneira da porta ter se fechado e trancado sem você estar perto dela. Desesperado, bate na porta até que você abre e o deixa entrar, mas como ainda está emburrada se senta no sofá e espera que ele fale alguma coisa a respeito dos ursinhos 

- Como você fechou a porta sem  encostar nela? -  você olha para ele com cara de dúvida e ele responde 

- Eu vi o que você fez, agora me explica tudo sobre isso, desde o começo, cada detalhe - ele arrasta uma cadeira e senta na sua frente com um sorriso lindo e as mãos no rosto escutando cada palavra que você diz atentamente. Você não conseguia ficar brava com ele, não por muito tempo.

Originally posted by breathingbts

By Yoongi J and BabyLolla 

Espero que gostem. 

O próximo farei masi interativo, com mais falas e coisas do gênero <3  

////

BabyLolla °3°

Harry Styles. (Parte 2; Final)

Essa é a segunda parte do último imagine, espero que gostem. Eu amei! 

Créditos: harry-writings.

Boa leitura!


     Um mês após o encontro de S/N com Gemma, ela não foi vista novamente. Tinha cortado laços com Harry e sua família, o que significa que ela começou a tomar empréstimos e trabalhar todos os dias para pagar a sua universidade. Harry não tinha absolutamente nenhum acesso a ela. Ele não esperava que seus últimos momentos com S/N  fosse em uma viagem de carro de três horas, onde o silêncio matava ele aos poucos e o amor de sua vida nem sequer o encarava. A memória ainda o assombra em seu sono e mesmo quando está acordado, deitado em sua cama com um copo cheio de bourbon às 4 da manhã ele ainda chorava.

     Ele mudou desde então, cada pedaço dele estava quebrado. Ele questionava sua razão de viver. Com o término de sua carreira e seus amigos ocupados gerenciando negócios e vivendo suas vidas, a única coisa que mantinha Harry em movimento havia desaparecido, e não mostrava nenhum sinal de retorno. Ele viu um futuro com S/N, um novo começo e um fim com ela, e agora que acabou, ele sente que seu futuro se tornou inexistente.

     Gemma também não ouviu falar de Harry desde aquela noite, ela tentou várias vezes explicar-se, mas ele simplesmente a ignorou, culpando-a por arruinar sua vida. Ela não sabia exatamente o que pensar, ela acreditava que o que tinha feito foi para protegê-lo, mas ela começou a duvidar de si mesma quando Anne disse que ele só ficava em sua casa com quantidades excessivas de álcool. Ela esperava que uma parte dele percebesse que ela estava certa e que encontrasse uma mulher, mas ela sabia que era altamente improvável que isso acontecesse. Ela estava frustrada, não só com Harry, mas com ela mesma.

 “Você e Harry precisam falar sobre o que aconteceu.” Anne exigiu através do telefone.

     Gemma rola os olhos, soltando um leve gemido.

 “Mãe, se ele quer me culpar, pode se divertir fazendo isso. No entanto, não há uma coisa que eu tenha feito de errado e eu não vou apenas sentar aqui e…”

 “Eu nunca vi seu irmão tão deprimido na vida.” Anne sussurra, um ligeiro tremor em sua voz enquanto ela fala. “Ele não está bem, mentalmente, pelo menos.”

     Anne solta um suspiro quase inaudível: “Gemma, não me importo com suas intenções, mas o resultado do que você fez foi matá-lo.”

     Gemma suspira, apoiando o cotovelo no balcão da cozinha, colocando a palma da mão na testa.

 “Eu não estou dizendo que você é uma má pessoa, mas por favor, meu amor, conserte isso.”

 “Mas, eu…”

 “Eles levaram três horas para vê-la, só para você deliberadamente envergonhá-la na frente de seu namorado.”

     O tom de Anne tornou-se repentinamente áspero, não tolerando a luta que Gemma tem levantado constantemente sempre que discutiram a situação.

 “Eu entendo que você estava tentando proteger seu irmão, mas isso não é sobre você. Eu não vou te dizer novamente, vá falar com Harry sobre isso antes que perca seu irmão para sempre.”

     Anne desliga o telefone sem ao menos esperar por uma resposta, e Gemma suspira, antes de pressionar sua testa contra o balcão da cozinha. Ela sabe que tem que falar com Harry sobre isso, mas uma parte dela ainda sente que não pode permitir que Harry fique com S/N. É como se seus instintos de irmã mais velha tivessem vindo a tona, ela não quer vê-lo ferido por causa de S/N, mas no fundo sabia que era ela quem o estava machucando.

     Ela geme para si mesma, pegando as chaves do carro do balcão. “Acho que vou ter que consertar isso.”


     Harry decide que é uma boa noite para sair. Um novo bar abriu não muito longe de sua casa, e ele sente que é a hora de menos, triste sair de seu quarto.

      Claro que ele estava bêbado antes de sua chegada ao bar, e ele foi sozinho, mas isso não mudou o fato de que esta é a maior ação que ele fez desde que S/N o deixou.

 “Uma dose de vodka, por favor.” Ele pede, lutando para se sentar no banco do bar corretamente.

     O bartender o entrega sua bebida, que ele toma de uma só vez. Ele nunca foi desses que tenta resolver seus problemas com álcool, aprendeu a superá-los e a nunca olhar para trás. Mas isso? Isso é diferente. O álcool é sua única maneira de ficar entorpecido, uma tentativa de escapar de sua horrível realidade.

     Se há uma coisa que ele aprendeu, é que o álcool realmente a torna pior. Ele o entorpece, mas em segundos S/N entra em sua mente, não há maneiras de tirá-la. Pelo menos quando sóbrio, ele pode cozinhar, ouvir música, ler ou escrever para distrair-se dos pensamentos que levam a ela, mas uma vez que o álcool está em seu organismo, S/N se prende à sua consciência. E de algum modo doentio e tortuoso, Harry adora.

     Ele leva sua bebida até seus lábios, olhando ao redor do ambiente encontrando um amigo que ele não via a tempo. Ele quase desiste de suas tentativas de encontrar companhia quando, de repente, ele vê uma mulher misteriosa do outro lado do bar; talvez seja a intoxicação trazendo ilusão ao seu cérebro, mas ela se parece muito com sua S/N. Ele não pode parar de olhar para ela, ela lembrava tanto S/N. A forma como seu cabelo fluía naturalmente em seus seios, e como ela movia seu corpo quase perfeitamente como S/N. Ele poderia jurar que ela está segurando a mesma bebida que S/N sempre pede, e seus lábios são coloridos com uma cor que lembra-lhe tanto o batom favorito dela. Não era ela, esta não é sua mulher, mas é quase como se aquela garota estivesse a imitando.

     Depois de vê-la, tudo se tornou um borrão. Ele se lembra de ter se aproximado dela, mas não se lembra de nenhuma conversa que possam ter tido. Tudo o que ele pode lembrar depois foi de deixá-la beijá-lo e perguntar a ela se ela queria sair com ele. E agora, ele está com ela em sua cama. Suas mãos perambulando por seu corpo, a língua lutando contra a sua. Ele agressivamente segura seus quadris para baixo, apertando as pontas de seus dedos em sua bunda. Ela geme em seu beijo, mordendo seu lábio inferior enquanto suas mãos deslizam debaixo de sua camisa. Ela tira a camisa do corpo dele, Harry ofega antes de voltar para beijá-la mais. Seus lábios percorrem seu pescoço, mordiscando sua pele, sugando sua mandíbula.

     Suas mãos viajam para suas pernas, engatando-as para que elas possam se agarrar à sua cintura. Ele põe suas mãos acima de sua cabeça, onde ela deixa escapar uma pequena risada enquanto ele faz isso. Seus lábios descem até seu peito, seus quadris se movem contra os dela, a fricção quente contra sua pele. Ele morde seu ombro, suas mãos agarradas em sua camisa, pronta para descartá-la de seu corpo.

 “Harry.” ela sussurra, unhas suavemente raspando suas costas.

     A voz que sussurrava seu nome o faz entrar em contato com a realidade. Isso não é certo, ela não é S/N. Como ele poderia estar tocando outra mulher assim? Ele nem se sente bem. Sua pele não é tão macia quanto a de S/N. Seu cabelo não é tão leve como S/N, e a maneira que ela se move contra ele não é tão fácil e magnética como era com S/N. Sua voz não faz seu coração acelerar e seu toque não arrepia seu corpo como S/N fazia.

     Harry rapidamente a empurra para longe.

 “Não!” Ele rosna.

     A mulher salta da cama, seu rosto contorcido em confusão, enquanto ele começa a colocar agressivamente sua camisa de volta. Ele já estava chorando, suas mãos esfregando seu rosto enquanto ele continua sussurrando. “Você não é ela. Não é.”

 “Que merda?” Ela grita.

 “Você precisa ir.” Harry chora, seu corpo como uma bomba relógio, pronto para explodir no segundo em que ela sair pela porta.

     Ele pega um copo em sua mesa de cabeceira, despejando bourbon de uma garrafa deixada lá, seria mais acessível quando quisesse ficar entorpecido.

     Como ele poderia fazer isso? Ele nunca imaginou ser tão íntimo com outra mulher. S/N foi a única com quem ele já se sentiu confortável, expondo partes dele que ninguém mais sabia que existiam. Ele pode ser famoso, mas nunca foi capaz de encontrar mulheres com as quais ele se sentia estável. Para ele, elas eram temporárias, apenas para manter algum tipo de consistência em seu estilo de vida agitado. Mas ele nunca sentiu amor, nunca sentiu uma conexão com elas, não até que conheceu S/N. Ela descobriu partes dele que ninguém mais teve tempo de descobrir. Ele nunca se sentiu tão vivo do jeito que ela fez ele se sentir, e agora era como se seu trabalho e o mundo inteiro que ele conhecia não significasse absolutamente nada sem ela.

 “O quê?” A mulher perguntou novamente, sentando-se ao pé de sua cama.

 “Por favor, apenas saia.” Harry gritou, ele jogou seu copo cheio de bourbon na parede do quarto.

     A mulher se encolheu enquanto os pedaços de vidro quebrado caiam no chão, recolhendo rapidamente seus pertences antes de sair pela porta do quarto. Enquanto se apressava a descer as escadas, tentando consertar-se, seu corpo se choca em outro.

 “O quê”

 “D-desculpe.” ela gagueja. “Desculpe.”

     Gemma vira a cabeça para ver a misteriosa mulher sair pela porta, suas sobrancelhas franzem-se em confusão, completamente perdida quanto ao que acabou de acontecer.

 “Harry?” Ela chama.

     A única resposta que ela recebe é sons de objetos sendo jogados pelo bêbados Harry. Seus olhos se arregalam, apressando-se para chegar onde Harry está. Quando ela chega ao quarto dele, Harry está tirando os lençóis do colchão. Os travesseiros já tinham sido jogados no chão, os edredons em seus pés. Ele está murmurando para si mesmo, silenciosamente, se xingava enquanto se afoga em soluços desumanos. A boca de Gemma permanece aberta quando ele tira agressivamente o colchão da cama, gritando enquanto o faz. Este não é Harry. Ele é quase um animal, mas em um sentido mais deprimido, como se sua violência fosse derivada de desespero e culpa.

 “Harry!” Gemma grita, rapidamente se aproximando do colchão jogado. “Que porra você está fazendo?”

     Harry observa enquanto ela coloca o colchão de volta no lugar. Era um objeto simples, destinado ao conforto e ao descanso, mas era muito mais para ele. Quase todas as suas lembranças favoritas com S/N aconteceram naquele colchão. Horas de incontáveis ​​piadas, cócegas, e até mesmo estúpidas brigas, que eles mais tarde se desculpariam, entre os lençóis, fazendo amor. Mas e agora? Ele está arruinado. Ele tocou outra mulher lá, fez outra mulher se sentir bem no colchão que era para ele e S/N.

 “Eu deitei aí com outra mulher.” Harry respira, engolindo o choro uma vez que ele termina sua frase. “Eu nem sei o nome dela, Gem. Eu não sei o que eu fiz.”

     Ela olha para ele. Seu rosto está coberto de lágrimas, seus cabelos uma confusão completa, olhos vermelhos e molhados, ele estava tremendo, quase como se tivesse perdido o controle de seu corpo.

 “Harry, está tudo bem. Vocês não estão mais juntos. Você não fez nada de errado.” Gemma diz suavemente, pegando os lençóis que estavam no chão.

     Ela não pode mentir, ela de repente se sente como uma vilã. Ele quase parece morto enquanto olha para a cama sem emoção, Harry é a última pessoa que ela esperaria perder o controle. Ele sempre foi o mais forte da família; quando seus pais se divorciaram, Gemma se sentira tão quebrada. Anne não ficou muito melhor. Harry foi quem as ajudou a superar. Embora sentisse como se seu mundo inteiro estivesse virado de cabeça para baixo, ele permaneceu forte, não apenas para sua família, mas para si mesmo. Isso aconteceu inúmeras vezes ao longo de suas vidas. O que quer que tenha acontecido com ele, Harry sempre foi capaz de enfrentar fortemente, nunca mostrando a ninguém, inclusive a si mesmo, a dor que lhe foi infligida.

 “Como você pode dizer isso?” Harry sussurra, ainda se recusando a olhar para Gemma. “Eu estava em nossa cama com outra mulher. Eu estou errado.”

     Sem saber como responder, Gemma ignora seu comentário, piscando suas lágrimas, rapidamente tirando seu olhar de seu irmão para olhar o vidro quebrado no chão.

 “Você tem sacos plástico para isso?” Ela pergunta calmamente, levantando-se de seu lugar para olhar pelo seu criado-mudo.

 “Armário de roupa.”

     Gemma abriu seu armário, olhando tristemente para a prateleira apenas com roupas de Harry. Elas estão empurradas perfeitamente para um lado, como se ele sentisse que não podia ocupar o espaço de S/N. Aquilo nem sequer parecia certo.

    Ela balançou a cabeça, vasculhando uma caixa no chão. Enquanto pega um saco plástico no fundo, uma pequena caixa de veludo preto cai no chão, bem ao lado de seus pés. O coração de Gemma para no segundo que ela vê, quase com medo do que realmente é.

     Ela hesitantemente pega, abrindo lentamente. Um soluço rasga sua garganta, um anel de noivado de diamante estava ali. Brilhava contra as luzes escurecidas no quarto de Harry, fazendo o coração de Gemma partir.

 “O que é isso, Harry?” Gemma pergunta.

     Harry não responde, imóvel na mesma posição, olhando para sua cama, gritos silenciosos e palavras de culpa saindo de sua boca enquanto Gemma falava.

 “Harry, o que é isso?” Ela pergunta mais dura desta vez, exigindo a resposta que ela precisava ouvir dele.

     Ele vira a cabeça, olhando tristemente para a caixa, seus lábios apertados com força. Ele fecha os olhos, o excesso de lágrimas escorrendo por suas bochechas, quase desejando não ter lembrado disso. Ele olha para baixo,  levando sua mão até a nuca.

 “Eu ia casar com ela.” Harry sussurra. “ Eu queria casar com ela.”

     Gemma inspira profundamente, seu rosto se contorcendo de culpa enquanto olha para seu irmão como se ele fosse um cachorrinho perdido. Ela sente seu coração quebrar por ele. Não teve a chance de se casar com S/N, e era culpa dela que não pudesse fazer isso. Foi escolha de S/N se separar dele, e honestamente, Gemma não poderia ficar mais feliz quando descobriu que não estavam mais juntos. Ela queria que Harry seguisse em frente e encontrasse uma mulher que o respeitasse e amasse por quem ele era, não por seu dinheiro. Mas quando ela olha para ele agora, sozinho e emocionalmente perturbado, como ela poderia ficar feliz? Ele queria casamento, uma vida e uma família com S/N, e ela acabou completamente com isso. Tirou sua felicidade e o futuro.

 “H-Harry, eu…”

     Suas desculpas são interrompidas pela campainha, fazendo-a suspirar antes de colocar o anel de volta na caixa.

 “Eu vou atender. Apenas tente limpar tudo, por favor.”

      Harry dá um pequeno aceno antes que Gemma desça as escadas, enxugando suas mãos suadas em sua calça antes de ir até a porta. Quando ela abre, sua respiração é tirada diretamente de seus pulmões. S/N estava lá, mexendo nervosamente com os dedos.

     Ela não esperava que Gemma atendesse, mas era exatamente o que ela queria. Desde que tudo aconteceu, S/N sentiu-se culpada por não conversar com Harry. Como ela sentia falta dele, como cada parte dela o desejava todos os dias, como sua pele desejava seu toque, como seus ouvidos ansiavam por sua voz, e seus lábios ansiavam os dele. Nenhuma parte dela era capaz de deixá-lo ir. Ela tentou muitas vezes livrar-se da dor que inevitavelmente tomou conta dela, mas nada poderia ajudá-la. Ela estava impotente, a dor tinha consumido seu todo e fez dela uma mulher sem emoção, incapaz de sentir nada além de dor.

     Ela lamentou tudo. Ele estava disposto a deixar tudo para ficar com ela. Ele lutou por seu relacionamento, e ela não lutou por ele. S/N planejava falar com Gemma, no entanto, ela não achou que isso iria acontecer tão cedo. Ela pretendia resolver as coisas com Harry antes de fazer as pazes com ela, mas parece que ela tem que começar onde queria terminar.

 “S/N…” Gemma expira, quase aliviada.

     S/N ficou chocada quando ouviu Gemma dizer seu nome. Ela normalmente diria isso com tanta repugnância, como se fosse veneno para ela. Mas algo sobre a forma como ela disse isso agora, e a forma como ela olha para ela, realmente a faz acreditar que tudo vai ficar bem.

 “G-Gemma, eu só quero dizer que…”

 “Eu sei.” Gemma interrompe. “Eu sei o que você vai dizer, mas você não tem que fazer isso. Eu te tratei como um nada, S/N, e você nunca mereceu isso. Eu sei que você não está deixando que Harry pague por sua faculdade mais, e isso me faz sentir tão mal. Você trabalha duro, S/N, eu sei. Você trabalha mais do que qualquer um que eu conheça, e eu apenas tirei conclusões precipitadas sobre você.”

 “Gemma, eu…”

 “Deixe-me terminar.” Gemma pedi. “Eu fui tão protetora com meu irmão, porque todas as suas namoradas passadas só estavam com ele por seu dinheiro. Eu nunca fiz nada sobre isso, sabe? Eu só assisti tudo acontecer, e quando ouvi dizer que ele estava namorando alguém de baixa renda, eu só… eu simplesmente senti que tinha que fazer alguma coisa. Agora isso soa tão estúpido, porque sei que você o ama tanto. Você se importou tanto com ele e nossa família que você quebrou seu próprio coração apenas para que ele não tivesse que escolher entre você e eu. Você tem feito tanto por meu irmão, e eu nunca vi isso, eu sinto muito, S/N. Me desculpe.”

     S/N balança a cabeça, um pequeno sorriso escapa de seus lábios junto com um suspiro de alivio.

 “Está tudo bem.” Ela sorri “Eu te entendo.”

     Gemma sorri, olhando para o chão antes de abrir mais a porta.

 “Harry está lá em cima. Você pode entrar, vou deixá-los sozinhos.”

     S/N sorri, resmungando um pequeno ‘Obrigada’, enquanto abraça Gemma pela primeira vez antes de subir os degraus.

 “Harry?” Ela chama quando chega à porta do quarto.

     Ela o vê parado no mesmo lugar, rígido, lágrimas continuamente rolando por suas bochechas. Ele não estava como ela se lembrava. Não há brilho nele, não há vida dentro dele. Não há nenhum pedaço do Harry que ela conhecia dentro daquele homem, em vez disso, tudo que ela vê é um homem quebrado, com sua alma completamente tirada dele.

     Seus olhos olham para ela, e ele jura que seus joelhos quase vão para o chão.

 “S/N” Ele sussurra.

 “Hey.” ela diz suavemente, caminhando lentamente em direção a ele, certificando-se de não pisar no vidro que ainda estava no chão. “Queria falar com você.”

     Ela se move para se sentar na cama, mas Harry é rápido para agarrar em seu braço antes que ela possa faze-lo.

 “Não, não se sente aí.” Ele implora suavemente, balançando a cabeça. “Eu estive com uma mulher ali, mas não fizemos nada além de alguns beijos e eu sei que isso não faz diferença, e eu sinto muito, S/N, mas eu estava bêbado e eu estava tentando me recuperar de tudo isso, mas não estava funcionando, e eu sinto muito, mas não posso vê-la sentar lá agora.”

     S/N permite que algumas lágrimas caem de seus olhos, mas ela não pode culpá-lo por isso. Doía tremendamente saber que ele estava com outra garota antes dela vir aqui, mas o que mais ela esperava? Quando ela se foi, ela queria que ele seguisse em frente e encontrasse outra pessoa. Ela foi quem terminou tudo, ela queria que ele encontrasse alguém digno para a aceitação de sua família. Ela não podia culpá-lo, não importava o quanto doesse.

 “Está tudo bem, Harry.” ela sussurra, colocando sua mão suavemente contra sua bochecha, “Eu entendo, está tudo bem.”

     Ele deixa escapar uma respiração trêmula, balançando a cabeça suavemente, uma de suas mãos estendida para segurar a dela.

 “Eu sinto muito por não ter lutado por nós.” Ela diz. “Eu apenas saí sem nos dar nenhuma chance. Você é o amor da minha vida e eu nem lutei por você. Eu fiz isso porque te amo, e eu não poderia ser a única a ficar entre o seu relacionamento com Gemma. Ela é sua irmã, e não importa o quanto eu te amo, eu não posso ser egoísta com você. Eu tive que deixar você ir para que você possa ter sua família.”

 “Oh, baby.” Harry solta, puxando-a contra seu corpo.

     Sua testa pressionada contra a dela, seus braços envoltos com segurança em torno de sua cintura. Ambos estão chorando.

 “Eu sei, querida, eu sei. Eu simplesmente não posso viver sem você. Você é meu tudo, você sabe disso? Meu dinheiro, minha imagem, minha vida não significam nada sem você. Eu daria tudo isso para você.”

     S/N acena, soluçando com suas palavras. Ele ergue a cabeça dela, seu polegar enxugando suas lágrimas antes de pressionar seus lábios contra os dele. Eles se beijam com fome, morrendo de vontade pelo tempo distante. Cada pedaço de seus corpos como ímãs, atraídos um para o outro quanto mais perto eles ficavam.

 “Tenho que te perguntar uma coisa, amor.” Harry diz entre beijos, separando-se de seus lábios e descansando sua testa contra a dela, sua respiração áspera espalhando-se em seu rosto.

     Seus olhos se fecham suavemente enquanto ela acena, mordendo seu lábio, ela tenta recuperar o fôlego entre seus beijos febris.

     Harry toma um fôlego de preparação antes de se ajoelhar sobre um joelho, ambas as mãos dele tomando as dela e correndo seus polegares em seus nós dos dedos.

     S/N suspira, olhos lacrimejantes olhando fixamente ele enquanto começa a processar o que estava acontecendo. Ela sabia que eles iriam se casar um dia, no entanto, ela começou a duvidar de seus maiores sonhos, uma vez que eles terminaram.

     Mas saber que tudo está voltando ao que era faz seu coração acelerar. Isso é o que ela estava esperando, tudo o que ela estava querendo desde o momento em que ela se apaixonou por Harry.

     E tudo está acontecendo no momento em que ambos precisam mais.

 “Amor…” Ela sussurra, passando as mãos pelo cabelo dele. Seu lábio inferior começa a tremer enquanto lágrimas de excitação começam a cair por suas bochechas.

     Harry aperta suas coxas em suas mãos enquanto olha amorosamente em seus olhos.

 “S/N. No momento em que te conheci, sabia que queria passar o resto da minha vida contigo. Você é o amor da minha vida, e você sabe. Você me completa e me inspira a ser um homem melhor a cada dia. E quando você me deixou, eu jurei para mim mesmo que se você decidisse voltar para mim, eu faria tudo ao meu alcance para mantê-la ao meu lado. Então querida, você quer se casar comigo?”

     A mão de S/N cobre sua boca enquanto tenta suprimir um soluço, seus olhos apertando fechados.

 “Sim!” Ela quase grita. “Deus, Harry, sim!”

     O rosto de Harry quebra em um sorriso, saltando de seus joelhos antes de erguer S/N em seus braços. Ambos riam, compartilhando o mais doces dos beijos e chorando juntos enquanto imaginavam o que o futuro estava guardando para eles.

(i wrote most of it yesterday when the news of Neymar wanting to leave was confirmed hence the usage of today)


It’s hard to describe how I feel today… So incredibly hard.

When I read the news this morning it didn’t really hit me if I’m being honest. I just felt numb. Trying to find more news and just posting it, but not feeling much. 

Not feeling how I felt for the last two weeks when the press in Brasil first reported about it. When it was just Sport I ignored the news and laughed it away. I found it hilarious, but when Marcelo Bechler of Esporte Interativo the following day said it was a done deal and he was on his way to PSG in the upcoming weeks I felt a shock. I felt anxious and sick. I wanted to act like it was nothing, but Brazilian media also reporting it? That made me worry… When I saw – in the following days – every other big Brazilian news station/paper also confirming the news (especially Globo) I knew I had every reason to freak out.

Some people may have thought I overreacted or even called Globo unreliable or were – as always – plain rude to me acting like I was a hysterical teen… But look at where we are today… 

Neymar is leaving FC Barcelona. He’s leaving us. He’s leaving the club I love so dearly and always have and always WILL support. I’ve said it times again: with or without Neymar I AM a culé for life.

He just broke my heart today… And not just today, but these last two weeks have been so emotionally draining. The news went reliable so quickly, but then Geri gave us hope with ‘Se Queda’. I really thought he would stay, but the rumors kept going and Geri had to say it was just a Tweet of how he felt… After that everyday was again like a rollercoaster for me emotionally. One hour I had hope, then the next I felt down again after reading something. I don’t think I’ve ever used Twitter as often – on my mobile – as in these past two weeks. Afraid I would miss something positive, but the positive news never came again after ‘Se Queda’….

But how much I may hate this Brazilian kid now, with his god awful hairstyles, terrible sense of fashion (aka none at times) and ALWAYS surrounded by some kind of on- or off-field drama: I know deep down inside I can not hate him.

This kid stole my heart ever since I saw the first video of him at Santos. When Barça was rumored to be buying him I HAD to know more about this kid. Of course I’ve heard his name – I think everyone in football did – but I didn’t know much about him. I started with the football videos, but then I saw some funny moments and wanted to know more and more about him. His episodes showed me what a humble kid he was, but also a cocky little fucker (and I mean that in the nicest way. You know what I mean if you know Santos Ney).

Here at Barça he stole my heart like no other player ever did. I like the Brazilian type of play: the ‘Joga Bonito’. Dribbles, tricks (who some may hate but I love them), the passion and playing with so much happiness. He has all of that combined plus a very fun and nice personality.

READ MORE 

I’ve made this blog – mainly about him – a couple years ago, because I wanted to talk about football with people who love the sport as much as I do. Some of you might think I don’t have a social life, yet luckily – or sadly sometimes friends can be a pain in the butt HAHAHA – I have.

Yet sometimes I think I know more about him than my own friends. I’ve come to know so much about him that just by looking at him I can tell how he feels. When I see him smile in photos of videos I can tell if it’s genuine or if it’s just for the camera’s. For example – and maybe some of you can remember this - how I last year around October/November I think I said Neymar looked off. I’ve never really explained why I thought that nor did any of my anons agree or understand me, but it is something I’ve been thinking about a lot since this thing started… 

After all these years of following him I’ve seen many of his ups and many of his down. He is temperamental – and probably will always be – sometimes still annoys me with diving (that will stick with his name forever I’m afraid) and sometimes he just doesn’t think when he does something on/off the field. I protect him when I can and when he deserves it. And I always protect his privacy when I get send things on here that I know would cause a lot of controversy. 

However I’ve seen him grow so much as a player and as a personality in these 4 amazing years at FC Barcelona. After a tough first season he became a part of one of the great forward trio in football: M S N. He scored, assisted and showed amazing things on the field and besides trophies he was also voted in the top 3 of the Ballon d’Or. The pride I felt when I heard he was one of the finalists and saw him going to Switzerland to go to the gala was immense. Many tears of joy were shed when I saw he was nominated and when I saw him on that podium. He became an established and important player for us and has been ever since. 

He gave us – and me - so many beautiful and funny moments: Remontada is what we will all forever cherish and showed us how he stood up and took the lead. That goal in his first Champions League final against Juventus and the happiness afterwards, his everlasting love for hamburgers during our parades and seeing his amazing bound with some of the players on our team. What about the end of NeyMessi, NeyFinha, PiqueMar and NeyRez… You could see him being so close to them.

But one of his most beautiful moments for Barça defiantly was his goal against Villarreal. The combination of his first touch of the ball, skill, trick and then goal is just Neymar captured in one goal.

A new phase has come by in his career: now he’s off to PSG to be a leader of a team. A reason I can understand, because we all know Leo is the leader here and will be until the day he decides to leave us. With his brilliant form that shows, he’s in no way slowing down and I can understand his decision to leave and be a leader of another team.
He’s not a Masia player, he doesn’t owe us that loyalty that we want from our youth players. He’s not obligated to stay here and if I’m quite honest I never thought he would play only here in Europe. There was too much rumors surrounding him– a player with a contract for years – and every transfer window too make me believe he would stay at us and go back to Brasil when he’s done in Europe.
The many Brazilians at PSG probably also helped to make his decision easier and lets not forget the insane amount of money he will earn. I mean no one wouldn’t think about that kind of money and he decided to take it. I don’t think it was his main reason to go, but you can all have your own opinion about it.

Of course this whole transfer saga went on for way too long. I think the tour played a really big part in the delay and made him truly doubt his decision to leave. He will come out with a statement when it’s officially announced. I’m sure of that and that’s also what I need of him and what many of us want from him.  

The hate towards him was difficult to read and so many went overboard with it. It’s understandable he’s not loved by many Cules anymore, it’s understandable that you doubt who you supported for the 4 years he was here, but I hope that you also won’t forget the great memories he gave you, the fans and the team. The amount of times he let you laugh because of his singing and dancing or killed us with hot ‘Princesa’ Rafinha posts… I get it might take time for many to get over this, but I hope eventually the people that hate him now will be able to see him at least normally again.

For me the combination of him at Barça was ideal: My fave club & my fave player. How much I want to say that I won’t follow him anymore I know that won’t be true… I know I will be behind the tv or my laptop, but this time I won’t be rooting for a team I will just be rooting for him to do well. I can’t and won’t ever cheer for PSG. I will be cheering for him to win prices, making assists and to show me that Barça magic. But for him only (Ok, and maybe a little for Kevin too haha). You know a couple months ago when we played against them I said I hoped we would get a selfie of him and Kevin…. I didn’t think I would get it with them being teammates…

I will forever be sad about the fact that the one weekend I could have seen him up insanely close (within my touch) he had to be sick. The fact that I won’t ever get to see him play in a FC Barcelona shirt live will be my biggest football regret. Because now I will see him play for PSG instead… 


He is taking a HUGE risk by leaving Barça for them, but I hope to see him win prices. Win that Ligue 1, win the French cup and win that Champions League ((but not by playing against us please). Write history by winning the CL and even if you don’t win it, I know you will still do good. Be successful and what I want to see most of all is him being happy. Because I know that without happiness everything else is not important to him.  

It’s time to say goodbye to your time at FC Barcelona and thank you for what you gave me as a fan of you and the club. A new challenge awaits you and - though it may take some time to get over and used to it for me - I will follow you. 

I became your fan when you came to FC Barcelona and I still will be your fan now that you leave this club.

You may not stay Ney, but I will still stay with you.

Boa sorte Juninho y sempre tamo junto <3

Hoje, em Santa Cruz do Rio Pardo SP, rola o ÚLTIMO show da tour O NOSSO TEMPO É HOJE. Difícil explicar o quanto essa turnê foi incrível pra mim e minha equipe. Claro que a sensação de dever cumprido é inevitável, mas queremos melhorar mais ainda pra próxima turnê..queremos levar levar um show ainda mais interativo e organizado pra vcs. Em breve o LUAN SANTANA - ACÚSTICO vai chegar na sua cidade! Não perdem por esperar 

Harry Styles. (Parte 1)

N/A: Olá, como vocês estão? Espero que bem. Então, esse imagine é desse blog aqui: harry-writings, e uma leitora pediu para que eu traduzisse e postasse ele aqui. Espero que gostem! 

P.S: Isso não é plagio, a autora sabe que estou postando ele aqui. 

Boa leitura!


 “Você está nervosa?” Harry pergunta, agarrando a mão de S/N, logo no inicio de sua viagem de três horas para a casa de sua irmã.

     Eles tinham apenas um ano de namoro, e S/N iria finalmente encontrar a irmã de Harry, Gemma. Com seus horários apertados na universidade, o trabalho novo de Gemma, e o álbum solo de Harry, nenhum deles tinha tempo para uma viagem de três horas para se encontrarem, mas Gemma deu um jeito de conseguir uma pequena folga com seu novo chef, e as férias de primavera de S/N finalmente chegaram, e agora que Harry já tinha lançado seu álbum, S/N iria conhecer a ‘segunda metade’ de S/N.

 “Eu estou bem.” S/N responde relutantemente.

     Com toda a honestidade, ela estava assustada. Mesmo que o resto da família de Harry praticamente ame ela, S/N não foi criada em uma família rica. Ela compartilhou um apartamento de dois quartos com seus pais e seus dois irmãos mais velhos toda a sua vida. Seu único tempo fora de casa era quando ia para a escola ou para o trabalho, nunca realmente teve uma vida social, porque ela não tinha tempo nem dinheiro para isso. Esta notícia tem saído em todos os lugares. S/N está vivendo na casa de Harry, e está pagando dívidas e a universidade com o dinheiro dele, mesmo que essas declarações sejam completamente verdadeiras, não é como se ela estivesse com ele por dinheiro. Há uma história inteiramente diferente debaixo dessas publicações que ninguém compreende além de Harry e ela. E isso é o que mais a assusta.

 “Não se preocupe, querida. Ela vai te amar. Ela pode ler o que quiser, mas tudo que ela precisa prestar atenção é em quem você realmente é.”

     Harry segura a mão dela com mais força. Ele tem em mente que ela sabe que Gemma já tentou fazer com que ele rompesse com ela há um tempo. Ela pensa que S/N não é nada além de uma interesseira, usando de sua simpatia para tirar cada centavo dele para melhorar sua própria vida. Claro que não era o caso, e Harry estava disposto a passar o resto de vida refutando a irmã dele. E ele iria começar hoje.

 “Quem eu realmente sou não vai impressioná-la, Harry. Eu não tenho nada.”

 “Woah. Espere um segundo, não diga coisas assim.”

 “É a verdade.” Ela encolhe os ombros.

 “Isso está longe de ser verdade. Você está tentando terminar a faculdade, e eu nunca vi alguém ser tão determinado a realizar qualquer coisa na vida, você me inspira todos os dias. Quando eu penso em desistir ou que o que estou fazendo não vale a pena, eu penso em sua capacidade de superar qualquer uma dessas coisas, não importa o seu dinheiro, S/N, você é a melhor pessoa que eu já conheci, e eu faria qualquer coisa para ser metade da mulher que você é.”

     S/N sorri, deixando escapar uma leve risada. Ela se inclina para pressionar um beijo suave em sua bochecha, esfregando seu nariz ligeiramente contra a pele dele.

 “Então você quer ser uma mulher, hum?”

     Harry ri, olhando para ela pelo canto do olho. Seus cabelos em cachos soltos, brincos de diamante brilhando em suas orelhas, um pequeno sorriso brincando em seus lábios, seus olhos treinados na estrada à sua frente.

 “Não se preocupe, amor.” Harry suspira. “você sempre me terá.”


     Ao olhar em direção a casa de Gemma, S/N sentiu o medo atravessa-la. Tudo o que ela sentiu sobre este dia está se acumulando tanto dentro dela que seu corpo quase se sente entorpecido.

 “Não fique nervosa, meu amor” Harry ri. “Vai ficar tudo bem.”

     Quando subiu os degraus até a porta, S/N teve que agarrar a mão de Harry, caso ela tentasse fugir. Ele deu-lhe um beijo tranquilizador antes de abrir a porta e entrou.

 “Gemma, Está aí?” Ele gritou.

     Sua casa é tudo que S/N esperava que fosse. Era arejada, tudo em um só lugar, nada de paredes para separar os quartos. Tudo parecia tão caro, S/N nunca viu nada igual. Ela só pensava no quanto poderia dançar sem ter nada para se chocar.

     Gemma saiu da cozinha, parecendo ligeiramente desconfortável, mas sorrindo ao dar a seu irmão um abraço acolhedor. Quando se liberta de Harry, Gemma dá a S/N o olhar mais repugnante de todos.

 “Então, essa é S/N?”

     S/N desconsidera o modo como ela fala, queria obter a simpatia de Gemma, e ela não queria estragar o momento.

 “Olá, Gemma. É maravilhoso conhecê-la.” S/N sorri, estendendo a mão para se apresentar corretamente. A moça sorri ligeiramente, olhando para a mão dela.  

 “Há algum motivo pelo qual meu irmão está pagando suas contas da universidade, sim?”

      A maneira como ela pronuncia seu nome queima S/N por dentro, era como se seu nome fosse algo tóxico em sua língua. S/N lentamente abaixa a mão, enfiando-a debaixo do outro braço enquanto se move para arrumar o cabelo em puro sinal de nervosismo.

 “Gemma.” Harry a adverte. “Qual seu problema?”

 “Não, Harry.”  S/N estava completamente sem jeito, balançando a cabeça ligeiramente, “Está tudo bem. É que minha família não está financeiramente estável. Eles obviamente queriam que eu entrasse na melhor universidade que pudesse, então quando fui aceita, comecei a fazer empréstimos estudantis, eu estudava e trabalhava e até ganhei uma boa quantidade de ajuda financeira, mas não foi suficiente para nós. Acabei por pagar muito dinheiro ao banco pelos empréstimos e…”

 “Então você pediu que meu irmão usasse todo o dinheiro que ele economizou em sua carreira para pagar por você?”

     S/N estava de olhos arregalados, claramente não esperava por suas acusações. Demorou meses antes de concordar em deixar Harry pagar a sua mensalidade, ele ofereceu isso desde o dia em que a conheceu, sentiu que sua carreira não era nem metade do que ela se prestava a fazer por seus estudos. Ele tinha todo o dinheiro para dar tudo que ela precisasse, e estava disposto a dar cada centavo que ele tinha para ela, abrir mão de tudo por ela. Ele não precisava mais daquilo, tinha passado toda a vida construindo seu futuro. Passou cinco anos fazendo dinheiro que ele nem sabia como gastar. Encontrou a garota, a garota que queria se casar, e tinha uma bela casa, para ter filhos com ela. Ele viveu seu sonho sozinho, e agora queria compartilhar ele com ela.

     Depois do que parecia ser anos de Harry implorando para ela, até o ponto em que ele mesmo foi de joelhos, pedindo para ajudá-la a superar sua crise financeira, e ela não pôde dizer não, não vendo ele tão desesperado, não quando ele estava em lágrimas observando-a sofrer por não poder pagar os próprios estudos.

 “O quê? Não, não é isso que eu estou dizendo.”

 “Que porra, Gem?” Harry rosna, seus olhos se estreitando, puxando S/N para mais perto. “Você não sabe o que diabos você está falando.”

 “Isso é besteira.” Gemma cospe, dando um passo ameaçador para mais perto de S/N, que está tremendo e sufocando suas lágrimas.

 “Quais são as chances de uma garota como você ficar com meu irmão? Hãm? Quais são as hipóteses disso acontecer?”

 “Muitas.” Harry rosna, tirando S/N de perto de Gemma.

     Gemma foi a última pessoa que ele esperava que julgasse S/N por sua classe econômica. Ele realmente pensou que elas iriam se dar bem.

     S/N deu passos para trás, ela estava sem ar, sentia como se alguém tivesse lhe dado um soco na garganta, o que provavelmente teria acontecido se Harry não estivesse mantendo Gemma longe dela.

     Ela sente as lágrimas que estavam acumulando-se em seus olhos lentamente começarem  a cair. Não era para ser assim, ela não queria que ninguém na família de Harry a odiasse.

     No calor de suas emoções, S/N  coloca um sorriso sarcástico no rosto.

 “Você não precisa mais se preocupar com isso, Gemma.” Ela chora, patéticos soluços saindo de sua garganta. “Eu vou ir embora.”

     A cabeça de Harry se agita, seu coração de repente parando quando ele a vê se afastar.

 “Não.” Ele sussurra. “Baby… baby não.” Suas mãos caem completamente aos seus lados quando ele a vê correr pela porta da frente.

 “Eu nunca mais volto nesta maldita casa, Harry, eu juro…”

 “Nunca mais fale comigo de novo, Gemma” Harry rugiu. “Eu não quero mais te ver. Entendeu?”

     Gemma ofegou, arremessando as mãos para o ar.

 “Que merda. Você é cego, Harry? Estou protegendo você.”

     As mãos de Harry se apertam em punhos, toda sua raiva crescendo dentro dele. Ele dirigiu três horas, tomando o tempo de S/N, a única vez que ela pode relaxar, só para aparecer aqui e ter que passar por isso?

     Antes que Harry possa até mesmo pensar corretamente, seu punho está chocando duramente contra a parede. Ele não sentiu nada, apenas alguns pedaços do cimento caiu aos seus pés e Gemma o olhava aterrorizada.

 “Você está morta para mim.”

     Antes que Harry perca mais tempo, ele sai pela porta. Ele nunca correu tão rápido, era como se suas pernas estivessem a toda velocidade e sua mente estivesse espalhada ao seu redor. Nada está fazendo sentido, tudo o que ele pensava ter estava caindo aos pedaços. A vida que ele construiu está desmoronando sob ele, e não há absolutamente nada que ele possa fazer sobre isso.

 “S/N, S/N, espera!” Harry grita quando ele a vê correndo.

     Ela pode ouvi-lo, ela pode ouvi-lo alto e claro, mas suas pernas não param de se mover, e ela nem sequer se virou para olha-lo. Ela não pode, ela não pode olhar para tudo o que ela já amou se queria se afastar. Vai ser demais para ela.

     Antes que ela possa acelerar seu passo, Harry agarra seu pulso tão apertado que ela de alguma forma acabou batendo em seu peito. Ele imediatamente começa a chorar, agarrando seu rosto em suas mãos a forçando a encara-lo.

 “Não me deixe, querida. Não me deixe.”

 “Harry…”

 “Não ligue para minha irmã, S/n. Por favor, não pode fazer isso comigo. Você não pode.”

     Ela aperta os olhos fechados, quebrando completamente enquanto ela sente que ele a segura. Como ela resolveria isso? Ou ela fica com Harry e sua irmã faz de sua vida um inferno, ou ela deixa Harry, e vive o resto de sua vida sozinha, porque ela não pode encontrar amor em mais ninguém.

     Ela quase considera ficar com ele. Quase. Mas não há nenhuma maneira de ficar com ele e viver sua vida inteira sendo odiada por alguém que significa mais para Harry do que ela. Ela simplesmente não pode.

 “Ela está certa. Tudo isso é um erro, nós somos muito diferentes. Isso não está certo.” S/n diz entre soluços.

 “NÃO!” Harry grita, pressionando sua testa na dela.

 “Você não pode fazer isso comigo. Não diz isso para mim.”

     S/N sacode a cabeça, empurrando-o para longe dela tão rude quanto ela podia.

 “Ela é sua irmã.”

 “Eu não me importo, querida. Nada vai nos atrapalhar.”

     Mas ela simplesmente não pode.

 “Eu sinto muito, Harry.”

     Harry jura que ele sente seu coração rasgando ao meio com suas palavras, seu corpo completamente sem forças, ele cai de joelhos em sua frente. Ele segura suas pernas como se fosse sua última esperança, seus soluços drenando tudo em sua cabeça e tudo o que ele pode sentir é a mistura de seu coração sendo tirado para fora de seu peito e suas mãos correndo suavemente através de seu cabelo.

 “Por favor, S/N” É a única coisa que ele podia dizer. “Por favor, por favor, por favor…” Ele não queria ficar longe dela.

     Ele segura suas pernas mais apertado, sua testa pressionada contra seus joelhos.

     Isso não deveria acontecer.

 “Por favor.”

     Ela suspira. “Eu não posso.”


P.S²: Esse imagine tem uma parte dois, vou posta-la amanhã.

youtube

Está cansado de viajar pelo YouTube a procura de um conteúdo novo, engraçado e interessante para assistir? Bem, se você respondeu sim, nós temos uma ótima novidade pra você! (Se você respondeu não também, tá?) Está no ar a saga O MISTERIOSO DESAPARECIMENTO DE PEDRO PEDROSO! Essa série de vídeos são um comédio-dramo-suspense interativo, onde você decide os destinos de 4 universitários que estão procurando o seu amigo Pedro, que desapareceu ao mesmo tempo que o notório e perigoso Serial Killer Galinha Pintadinha chegou na cidade deles… E pior. Na faculdade deles. 

Apenas lembrando… Este é um vídeo amador, feito por 6 estudantes de cinema, que tiveram apenas um mês de aula até hoje. Não espere nenhum padrão de qualidade Hollywoodiano aqui. Nós não vamos ganhar o Oscar com esses vídeo. Talvez o Kikito. Mas não o Oscar.

Então assista! Deixe um like, comente, compartilhe! Mas, principalmente, se divirta!

Harry Styles.

N/A: Oi vocês! Me desculpem por não ter postado o imagine às 20:00h, não tenho desculpas, apenas esqueci. Mas ele está aqui e espero que vocês gostem muito! 

P.S: Falem comigo o que vocês estão achando das postagens, Por favor!!!

Boa leitura!


·       Ciúmes.

     Nós tínhamos acabado de sair de casa, estávamos indo a um pub que estava inaugurando. Mas no caminho começamos uma discussão que eu nem sei como havia se iniciado.

 “Harry, eu não consigo acreditar que você pode dizer uma coisa como essa.”

 “Supere, eu disse.” Ele rosnou.

  “Eu com certeza vou superar. Não preocupe sua cabecinha.” Eu disse em tom sarcástico.

 “Pare de falar assim comigo. Você está sendo ridícula.” Ele disse alto.

 “Ok.” Respondi afetada e não fiz questão de falar mais com ele.

    Quando o carro parou na entrada do pub, sai do carro e entrei sem ao menos esperar por ele. Fui direto para bancada do Bartender e Harry me olhou indignado. Antes de conseguir chegar perto de mim, um homem loiro sentou ao meu lado e iniciou uma conversa comigo. Harry que fez questão de não ficar muito longe nos fuzilou com o olhar mais não fez nada a respeito.

     Ri de alguma bobagem que o cara ao meu lado disse, ele tinha me dito seu nome mas não fiz questão de guarda-lo na memória. Conseguia sentir os olhares de Harry me queimado. Ele estava furioso e esse era o meu objetivo.

 “Então, você tem namorado?”

     Acenei com a cabeça. “Sim, faz pouco tempo.” Harry conseguia me ouvir, ele não estava tão distante. “Estamos com alguns problemas nesse momento.” Suspiro quando termino minha frase.

 “Nossa, que chato.” Ele disse e acariciou minha mão, logo a soltando.

 “Sim, eu o amo tanto… e eu acho que ele não percebe.” Suspirei. “As vezes penso que sou só mais uma das muitas pessoas na vida dele. Eu estou lá por ele mas parece que ele nunca vai estar lá por mim.” Desabafei enquanto olhava para o copo com liquido colorido que eu tomava.

     Olhei para Harry e ele me olhava sem reação. Ele não tinha ideia de como eu vinha me sentindo ultimamente, mas será que se ele soubesse teria mudado alguma coisa? Faz alguns dias que nós temos brigado muito e eu estou começando a duvidar de seu amor por mim. E só em pensar sobre isso meu peito doí.

 “Posso te comprar uma bebida?” O cara volta a acariciar minha mão.

 “Tudo bem.” Respondi o olhando.

     A bebida chegou, tomei ela rapidamente. Uma das mão do cara ao meu lado trilha o caminho do meu braço até minhas costas. Olho para Harry e consigo ver uma expressão assassina em seu rosto, ele estava ficando mais vermelho a medida que se aproximava.

 “Esse cara está te incomodando?” Ele perguntou em tom severo.

 “Nós estamos conversando se não se importa…” O cara respondeu olhando para Harry.

 “Eu te fiz alguma pergunta?” Harry o encarou. Suas mão fechadas como se estivesse se segurando para não dar um soco nele.

 “Harry…” Tentei intervir.

 “Deixe que eu cuido dele para você, meu doce.” O homem disse colocando a mão em minha coxa.

     Harry olha aquela cena com raiva nos olhos e se move para cima do cara. “Filho da puta.” Ele grita no momento em que desferiu um soco deixando um corte no lábio do homem ao meu lado.

 “Escuta aqui seu imbecil, ela é a minha namorada. Não coloque a porra da mão nela outra vez.” Ele rosnou feito um animal para o homem.

 “Então você é o idiota que não dá atenção pro que tem em casa?” Esse disse com deboche na voz.

     Harry bate nele outra vez, “Harry!” Eu grito tentando parar ele.

 Olho a cena apavorada, tento puxar Harry mas não consigo. Harry só para o que estava fazendo quando dois seguranças chegam para apartar a briga.

     Harry vem até mim e acaricia meu rosto com suas mãos. “Amor.” Ele beijou minha testa e me puxou para seus braços. “Se você chegar perto dela de novo eu juro que não vai ter segurança que vai conseguir fazer eu parar de bater nessa sua cara. Entendeu?” Harry disse antes de me puxar para a saída.

     Enquanto esperávamos o manobrista trazer seu carro, eu o olhava sem expressão. Não sabia como reagir ao que tinha acabado de acontecer.

     Harry me encarou e como se já soubesse o que eu pensava disse: “Ele colou as mãos em você e eu não gosto quando tentam te tocar.”

 “Desculpa.”

 “Eu ouvi todas as suas palavras.” Ele disse me lançando um olhar triste. “Me perdoa por não ter te dado atenção. Tem sido tudo tão corrido para mim nesses últimos tempos, e isso não é desculpa, eu sei que você é mais importante mas mesmo assim eu não te coloquei em primeiro lugar.” Ele disse enquanto eu encarava o chão.

     Harry me obriga a olhar em seus olhos e continua. “Você é minha, e eu te amo mais que qualquer pessoa. Eu nunca vou te deixar, e eu não quero que nada atrapalhe nosso relacionamento.”

 “Harry, eu tento fazer dar certo. Mas é como se eu estivesse nessa sozinha.”

 “Amor, me perdoa, você é tão importante pra mim, eu fui um idiota. E ver aquele cara tocando você me deixou louco e ele estava tentando te conquist…”

 “Amor… não era nada, eu te amo e mais ninguém. Eu só quero você.”

 “Eu também te amo, vamos para casa temos muito o que conversar ainda.” Concordei com a cabeça e ele me puxou pela nuca para um beijo calmo antes de me levar até o carro. Tínhamos muito a fazer em casa.

Harry Styles.

·         Medo?

     O relacionamento de S/N e Harry nunca foi do jeito que ele imaginou que seria. Ele imaginou que ambos estariam apaixonados e que teria todos os clichês que ele poderia pensar que casais fariam.

     Mas com S/N, é difícil ter um relacionamento assim.

     Ele não sabia de seu passado, S/N tinha sofrido muito quando seu ex-namorado a traiu e sentiu como se não pudesse confiar em nenhum outro homem.

     Quando Harry sentou ao seu lado no cinema não fazia muito tempo do acontecido, por isso quando ele pediu seu número de telefone, ela gritou com ele e foi embora furiosa.

     Alguns meses depois eles se encontraram novamente e Harry teve que implorar por um jantar como um pedido de desculpa pelo modo que ele agiu na primeira vez que eles se encontraram.

     Agora, com dez meses de relação eles eram uma bagunça como casal. Mas mesmo assim eles estavam bem juntos, e estavam fazendo uma das coisas favoritas de Harry; Tendo um dia de preguiça, descansando no apartamento dele com S/N rindo de uma piada que ele tinha contado a ela.

     Quando S/N finalmente acabou de rir, ele virou sua cabeça para vê-la com os olhos fechados e um sorriso no rosto, o cabelo desarrumado em seu travesseiro e sua camisa levantando por qualquer movimento que ela fazia. Ela era a garota mais bonita que ele já conheceu e ele é tão feliz por poder chama-la de ‘sua’.

 “Hey” S/N virou a cabeça para ele e olhou para ele com olhos brilhantes.

 “Oi” Ela riu.

 “Ele sorriu e pressionou um beijo em sua testa entes de se deitar. “Se lembra quando fomos ao supermercado?”

 “Temos várias lembranças desses mercados, Harry.”

 “Você queria sorvete, mesmo sendo inverno. Você não conseguia decidir qual sabor levar e eu estava te provocando sobre você ser tão indecisa às vezes. Eu sugeri que você comprasse todos os sabores do mercado e você riu. Era o tipo de risada que eu poderia ouvir pelo resto da minha vida. Você disse que eu era um bobo e me beijou, você usava um suéter, e os cabelos bagunçados por ter passado o dia todo na cama comigo. Lembra disso?”

     Ela revirou os olhos e se aproximou dele, envolvendo um de seus braços ao redor de sua cintura e descansando a cabeça em seu ombro. “Eu lembro. Por que está falando disso agora?” Ela perguntou suavemente, pressionando um beijo em suas costas. Ele estava deitado de bruços, com os braços debaixo do travesseiro.

     Ele respirou fundo. “Naquele momento eu sabia que eu te amava mais do que qualquer outra pessoa que eu já amei. E, no entanto, tudo o que estávamos fazendo era procurar sorvete.” Ele riu suavemente.

     Essa foi a primeira vez que um deles disse ‘Eu te amo’ no relacionamento. Harry tinha certeza do que sentia a algum tempo e naquele momento se sentia preparado para falar.

     Seu sorriso lentamente se transformou em uma carranca quando S/N se afastou dele. Ela saiu da cama e mordeu o lábio quando viu os olhos de Harry cheios de dor.

 “S/N”

 “Eu… Eu tenho que ir” Ela murmurou, pegando suas coisas. Ela saiu do quarto em menos de um minuto deixando um Harry confuso.

     Antes que S/N pudesse abrir a porta, ele agarrou seu pulso e a parou. “Espera. Por que você está indo embora?”

     Ela puxou seu pulso e abriu a porta. “Eu tenho que ir.” Foi tudo que ela disse antes de bater a porta.


     Três semanas depois e S/N não tinha voltado a ver Harry. Ela pensou em ligar para ele algumas vezes, mas ela não ligou e suspirou cada vez que desligou o telefone.

     Ela mordeu o lábio inferior e gemeu quando sentiu a culpa subindo. Desligou a tv e pegou as chaves do carro.

     Parou no mercado para comprar doces. Já faz dez meses que eles estavam juntos e ela não sabe o doce favorito dele. Será que ele tem um doce favorito? Ela então parou em uma pizzaria pediu uma pizza e foi até ao apartamento de Harry.


     Quando ele abriu a porta ela sorriu. “Eu trouxe presentes como um pedido de desculpas.”

     Ele não sorriu, apenas se moveu para o lado e deixou-a entrar. Ela colocou a pizza e os doces no balcão antes de se virar para enfrentar um Harry sem emoção.

     Se ela soubesse que ele agiria assim ela só faria uma ligação. Mas o que ela queria dizer não deveria ser falado por telefone .

 “Eu comprei doces para você…” Ela disse pegando um dos doces comprados.

 “Eu não gosto de doces.”

     Seu sorriso murchou, Harry sacudiu a cabeça e abriu um pequeno sorriso. “ Só estou brincando, querida.” Ele caminhou até ela e envolveu seus braços em torno de sua cintura. “Pensei que você nunca viria.”

     Ela fechou os olhos e envolveu seus braços ao redor dele, descansando sua cabeça em seu ombro. Ela queria chorar, mas ela segurou a vontade.

 “Podemos comer? Eu estou com fome.” Ela sussurrou.


     Eles comeram e tiveram uma pequena conversa. S/N estava tentando evitar o assunto que estava por vir, mas ela tinha que acabar com isso.

     Quando terminaram de comer e limparam a bagunça, sentaram-se de costas e se enfrentaram, vendo qual deles falaria primeiro.

 “Por que você foi embora?” Foi Harry quem começou.

 “Eu quero terminar.”

     Os olhos de Harry se arregalaram e sua boca abriu, ele estava chocado. Descansou os cotovelos sobre os joelhos e suspirou.

 “Harry?” Quando ela não recebeu uma resposta descansou uma mão em seu ombro mas ele se afastou. “Harry… por favor, fala alguma coisa.”

 “Quer que eu fale o que? Que eu quero isso também? Eu disse que te amo e você se afastou. Agora que finalmente tenho você de volta, você quer terminar?.” Ele disse indignado.

 “Pare de dizer isso” Implorou ela, com lágrimas nos olhos. “Pare de dizer que me ama, você não me ama.”

 “Você não sabe como eu me sinto, você não sente o que eu sinto. Obviamente.”

 “Desculpe.” Ela sussurrou e se levantou pronta para sair.

 “Não.” Harry disse bloqueando a porta. “Não, você não vai sair dessa vez. Você saiu da última vez, eu não vou deixar isso acontecer novamente sem uma explicação. Por que você quer terminar?”

 “Harry, por favor…”

 “Pare de se esquivar da minha pergunta.” Ele estava ficando frustrado.

 “Porque eu acho que é a coisa certa a fazer.” Ela disse rápido e em tom alto.

 “O que eu fiz errado? Eu não sou o suficiente para você? É porque eu disse que te amava?” Ele perguntou desesperado.

     Ela queria ir embora, mas tudo o que fez foi soltar um pequeno grito e agarrar seus cabelos. “Deus! pare de dizer isso. Você não me ama. Você acha que me ama, mas não ama.“

 “Claro que amo. Eu te amo porque eu sei que você está sempre lá para me levantar quando eu caio, está lá para me ouvir quando eu preciso de você, está lá quando eu me sinto sozinho. Eu te amo porque você me entende; Você sabe como me sinto mesmo quando não consigo dizer uma palavra. Você sabe que eu não sou tão forte quanto eu digo ser. Eu te amo porque você me faz acreditar que eu não sou inútil. Eu desistiria da minha vida por você. Porra, eu te amo.”

 “Por favor, pare.” Ela disse em meio as lágrimas.

    Ele engoliu o nó em sua garganta e se aproximou dela agarrando suas mãos. “Bebê…”

 “Harry, eu não posso.”

     Parece que seu coração acabou de ser arrancado de seu peito. Ele colocou as mãos em suas bochechas e a fez olhar para ele. “Por quê?”

 “Eu …” Ela parou, um soluço a interrompeu.

 “Eu sei que você não quer se separar, eu sei que você não me ama e eu sei que há algo que está impedindo você de me amar. É seu ex?”

 “Não é ele. Quero dizer, ele é parte disso. A última vez que amei um homem, ele me enganou. Ele teve um caso com minha melhor amiga.” Ela disse, seu tom de voz abaixando agora que ela tinha algum contato com Harry.

 “Eu nunca trairia você, amor. Por favor, me diga.” Ele sussurrou, descansando sua testa sobre a dela.

 “Eu tenho medo” Ela sussurrou, sem olhar para ele.

 “Medo de quê? De mim?”

 “Não. Claro que não. Tenho medo de me apaixonar.”

     Ele soltou uma risada engraçada se afastou e deixou beijos por todo rosto dela; Seu nariz, olhos, testa, bochechas, em toda parte. “Bebê, por que você não me disse isso antes?”

 “Harry, isso não é engraçado.” ela disse seria, afastando-se dele. Ela cruzou os braços e fez uma carranca.

 “É, amor.” Ele assentiu, agarrando as mãos dela novamente. “Quer saber por quê?” Ele sorriu, puxando-a para um abraço.

 “Hm?”

 “Tenho medo de me apaixonar também.”

     Ela piscou os olhos para ele e seus lábios se abriram. “Mas você não disse que …”

 “Sim, eu te amo. Eu não estou apaixonado por você.” Ele lambeu os lábios e levou ela de volta para o sofá onde gentilmente a deitou e se aconchegou em cima dela com a cabeça em seu peito, os dedos de S/N correndo através de seu cabelo. “Olha, você é isso para mim. Você é a garota dos meus sonhos.” Ambos sorriram. “Eu não sei se é assim que você se sente em relação a mim, mas é assim que eu me sinto. Eu quero você e só você para o resto da minha vida. Se você quer terminar, então vamos terminar. Só quero que você seja feliz, amor.”

     S/N beijou a testa de Harry e fechou os olhos. “Você me faz feliz.” Ele sorriu e a beijou, e naquele momento ele soube que teria o amor dela.

Harry Styles. (Parte 2; Final)

N/A: Oi vocês. Então, essa é a continuação do imagine anterior. Está meio longo mas foi porque eu não queria ter que dividir em uma parte três, espero realmente que vocês gostem. Lembrando: Esse imagine é de um blog americano chamado: Harrystylesinmyimagines que já foi citado no imagine anterior. Quero avisar que sempre vai sair imagines de blogs americanos aqui e queria deixar claro que eu tenho parceria com todas as autoras desses imagines. Como disse antes espero que gostem. 

Boa leitura!



     Harry acordou assustado com o toque de seu telefone, e correu para fora da cama indo até a cômoda, aceitando a chamada. Era Jeff, convidando-o para tomar algumas cervejas e assistir ao jogo de futebol no clube com o resto dos rapazes, adicionou no final para levar S/N também.

     Harry colocou o telefone de volta na cômoda, e virou-se para cama procurando sua namorada mas percebeu que ela já havia levantado. Afinal, já eram 10 da manhã.

     Ele caminhou até o banheiro para encontra-lo vazio, porém molhado. Ela já tomou banho, e esse fato o deixou confuso. Ele entra no box e toma um banho rápido, logo saindo e colocando apenas uma calça de moletom, as mãos enfiadas nos bolços enquanto caminhava até a cozinha.

     S/N estava na frente da cafeteira, concentrada na tela de seu telefone . Seu cabelo ainda estava molhado, a água manchava sua blusa branca e gotejava em sua calça de brim escura e apertada.

 “Bom dia.” Harry disse caminhando em sua direção. Ela ergue os olhos, e deixa o telefone de lado enquanto Harry se inclina para um abraço. Depois de um beijo calmo, eles se afastam mas Harry continua com as mãos em sua cintura.

 “Vai sair?” Ele pergunta, olhando para ela de cima a baixo.

     S/N ergue suas mãos e acaricia o rosto dele. “Jenn ligou a alguns minutos. Ela está precisando de ajuda com a montagem dos aparelhos no estúdio, e é meu dia de folga então eu pensei em ajuda-la.” Ela disse calmamente.

 “Outra sessão de fotos?” Harry pergunta, a cafeteira apita e ele se inclina para pegar canecas no armário.

     S/N apenas assente com a cabeça, e vai em direção a geladeira para pegar leite e depois vai até o armário pegando açúcar.

 “Escuta.” Harry diz, chamando sua atenção, enquanto se servia de café. “Jeff nós chamou para ir ao clube, Quando você vai ficar livre?”

 “Só vou ficar lá por algumas horas. Se eu chegar as 11, eu acho que acabo ás 16:00.”

 “Vai demorar tanto assim?” Ele se inclina, e faz uma expressão tristonha ela logo beija seus lábios.

 “Amor, Jenn sempre me ajuda, e me incluir no projeto que ela sonha a tanto tempo e muito gentil da parte dela. Eu não poderia dizer não.” S/N diz enquanto acaricia o cabelo de seu namorado.

     Harry sorri para ela, inclinando-se para outro beijo. “Vou buscá-la no estúdio, certo? Vou estar lá as 16:00.”

 “Tudo bem, vou enviar o endereço para você.”


     Eram 16:15 quando Harry chegou ao local da sessão de fotos, estacionou seu carro e correu para dentro do prédio.

     S/N e o modelo estavam conversando, eles estavam animados e riam de alguma coisa. Os olhos de Harry logo os encararam em meio a tantas pessoas, e seus passos aumentaram.

 “S/N” Ele diz, e a garota olha em sua direção.

     Ela sorri, caminhando até ele e o abraçando brevemente; Harry a puxa para seu lado, mesmo depois que ela se afastou. Seu rosto adquiriu uma expressão séria quando viu o cara se aproximar.

 “Francisco, este é Harry, meu namorado.” Ela diz sorrindo.

     Harry estende a mão para cumprimentar o rapaz. “Prazer em conhece-lo, cara.” Ele não era tão novo, parecia ter mais de trinta.

 “Então, o que você estão fazendo?” Harry pergunta com os olhos nela.

 “Jenn foi ajudar os outros, Francisco está apenas esperando sua carona.”

 “Nós podemos ajudar, leva-lo se quiser.” Harry diz.

 “Não, obrigado. Eles já estão a caminho.” Francisco diz sorrindo para Harry.

     Um grito alto foi ouvido e um menino correu em direção a eles.

 “Papai!” O garotinho pulou nos braços de Francisco, que recebeu beijos no rosto.

 “Milo.” Francisco chama a atenção do garoto para Harry e S/N. “Esta é S/N, e este é Harry.”

     Milo cumprimentou os dois animadamente, S/N conversava com o garotinho enquanto Harry que estava surpreso tentava se recuperar da informação. Uma mulher surge ao fundo, segurando um bebê e sorrindo para Francisco, beijou seus lábios logo que o alcançou.

 “Está é minha esposa, Susan.” Francisco disse apresentando a mulher.

     S/N estava conversando alegremente com o casal. Jenn logo se junta ao grupo, e de alguma forma eles engatam em uma, não muito longa conversa.

 “Eu adoraria manter contato com vocês. Obrigado pelo convite, espero trabalhar com vocês de novo.” Francisco sorri se despedindo, antes de sair com sua família.

     S/N puxa Harry pelo braço. “Vamos?”

 “Vamos.” Ele diz assentindo.


 “E então?” S/N se vira, e encara Harry que estava parado na frente da porta depois que ele a fechou.

 “Sim…” Harry olha para ela, e limpa a garganta desajeitadamente.

     S/N ergue suas sobrancelhas; e cruza os braços vendo Harry ir de relaxado para confuso.

 “Você não me disse…”

 “O que?”

 “Você não me disse que ele é casado, e que… que tem filhos e tudo.” Harry diz tudo rápido, olhando para ela.

 “Isso mudaria alguma coisa?” S/N provoca, tentando segurar uma risada.

 “Não.” Harry responde. “Ele iria apanhar do mesmo jeito se chegasse perto de você, talvez eu iria me sentir um pouco culpado; considerando o fato de que ele tem uma família.” Ele se aproximou, e a olhou serio continuando. “Mas iria apanhar do mesmo jeito.”

     S/N não consegue se segurar e solta uma gargalhada. “Você teria batido nele?”

 “Sim.” Ele diz a puxando pela cintura. “Eu teria deslocado sua mandíbula.”

     S/N ri, e mergulha o rosto em seu pescoço. “Amor, você e suas palavras são tão doces. É estranho pensar em um Harry violento. Você é tão calmo e amoroso.” Ela ri enquanto leva suas mãos ao rosto dele. “Eu não pensei que você fosse ficar assim, querido.”  

     Harry a encara indignado, sua testa enrugando. “Você fez isso de propósito?”

 “Eu não pude evitar. Você foi tão dramático ontem à noite.” Ela zomba rindo.

     Harry não diz nada, apenas se afasta balançando a cabeça. “Arrume-se, temos que sair.”

     Ela morde o lábio parando de rir, e vai correndo atrás dele.

 “Harry.” Ela o chama, entrando no quarto; ele estava no closet escolhendo uma roupa. “Amor, foi uma brincadeira.” Ela diz se aproximando e envolvendo seus braços em torno de sua cintura.

 “Eu fiquei tão irritado ontem à noite, eu estava chateado. Você não entende.”

 “Harry.” Ela chama e puxa seu braço, virando-o. “Tudo bem, desculpe. Não vou tentar brincar com o meu namorado de novo, porque ele é muito sensível e se machuca facilmente.” Ela diz, ironia era nítida em sua voz.

 “Então eu sou sensível, agora?” Harry diz parecendo ofendido.

      S/N rola os olhos e se afasta. “Não vamos discutir.” Ela diz e vai em direção ao banheiro, deixando Harry confuso e aborrecido.

     Eles se arrumam sem trocar nenhuma palavra. Seus olhos se encontram apenas quando os dois já estavam prontos, mas S/N se vira entes que Harry possa fazer qualquer menção de toca-la.

     O caminho até o clube é silencioso; não parece haver nenhum tipo de interesse em iniciar uma conversa, vindo de nenhum dos dois. Ambos são egoístas, e esperam que o outro comece a conversa e acabam ficando cada vez mais constrangidos, mas isso não muda nada.


     Chegando ao clube S/N vai até suas amigas, enquanto Harry vai até os seus próprios companheiros, eles se olhavam algumas vezes, mas claro, não se aproximavam para conversar.

     Se sentindo pressionada, S/N conta tudo para Jenn.

 “Você não está errada S/A. Jesus, os meninos têm de aprender a ser menos dramáticos. Tenho certeza que Harry está jogando com você, querendo ter você de joelhos. Não faça isso garota.”

     As palavras de Jenn fizeram S/N pensar de alguma forma, e ela decidiu não se importar mais e começou a aproveitar a noite.


     O jogo estava animado; os garotos estavam torcendo animadamente. Harry continuava a lançar olhares para S/N, e em um desses olhares ele vê ela mostrando alguma coisa em seu telefone para Jenn e rindo.

     Ele volta a ficar chateado, e toma o resto de sua bebida. Quando ele se vira para o lado Jeff está olhando para ele.

 “Não tem que agir como se não tivesse ficado chateado, mesmo que tenha sido apenas uma brincadeira e que ele só tenha conversado com ela.” Jeff diz. “Você o odeia, deixe-a saber disso. Pare de ser tão mal-humorado.”

 “Mas ela não devia ter…”

 “Eu sei que você ainda está com ciúmes do modelo. Mas sua garota está se afastando cara, pegue-a de volta.” Jeff interrompe o encorajando.

     Harry assente, mordendo o lábio inferior. Ele se vira para Jeff e implora ajuda com os olhos.

     Jeff apenas ri de seu amigo. “Seu idiota.” Ele se vira. “Jenn, venha ficar aqui amor.” Ele diz alto o suficiente para a moça ouvir.

     Jenn assente sorrindo para o namorado, e se vira para S/N “Querida, não ceda facilmente.” Ela diz e S/N assente para sua amiga.

     Jeff dá espaço dando lugar para as duas garotas. Jenn desliza ficando ao lado de Jeff, automaticamente fazendo com que S/N tenha que ficar ao lado de Harry. Ela se sentou e ele nem se quer olhou para ela.

    Jeff pede para que Harry passe algumas cervejas. Harry se inclina e pega algumas latas, passando uma para o amigo e outra para namorada dele e logo depois segura uma lata a estendendo para S/N.

 “Cerveja?”

     Ela pega sem dizer nenhuma palavra, abre a lata trazendo-a até seus lábios. Harry coloca seu braço atrás dela no sofá, e se mexe algumas vezes; os truques dele para tentar chamar a atenção dela estavam falhando miseravelmente, ele queria toca-la, mas estava hesitante em fazê-lo, ele estava irritado porque S/N não mexia um músculo para tentar quebrar o gelo entre eles. Ele não gosta de ser rejeitado.

     Harry então cruza as pernas e leva seu braço outra vez atrás dela, limpando a garganta como jamais tinha feito antes, e acaba ficando naquela posição por longos minutos.

     De repente S/N vira sua cabeça em sua direção, pegando ele olhando para ela antes de se virar coçando a cabeça constrangido. Ela segura uma risada, e se vira para Jenn que arregala os olhos para ela gesticulando com a boca algo como: ‘ele está sofrendo muito.’ Jeff pega Jenn no flagra, e quando ele encara Harry vê que ele também estava encarando as meninas pelos canto dos olhos. Ele puxa Jenn para ele, tentando ajudar o amigo a tomar alguma atitude.

     S/N arruma a sua postura alarmada com a maneira que Jeff puxou Jenn para perto tão de repente, ela olha para Harry e ele está tomando sua cerveja.

     Ela permanece calma, e casualmente se encosta no sofá; quando está prestes a cruzar as pernas uma mão fria aperta sua coxa, fazendo com que seu vestido suba um pouco. O ambiente estava escuro, caso contrário Harry nunca teria feito isso.

     S/N passa a língua entre os lábios, e lentamente afasta a mão de Harry de sua pele.

 “S/N” Harry sussurra em seu ouvido. O som da voz do rapaz faz a garota estremecer por dentro. A mão de Harry a puxa para mais perto e ele respira forte perto de sua orelha.

 “Eu preciso procurar uma coisa, você pode me ajudar?” Ele sussurra logo se levantando e puxando ela para se levantar também, ela o faz mas se afasta.

     Jeff ‘abraçou’ Jenn tão apertado que ela mal pode olhar para S/N. Não restando nenhuma outra opção, ela segue o caminho que Harry fez, passando pela primeira porta do corredor ela se abre e Harry a puxa para dentro, trancando-os lá.

     S/N o encara com os olhos arregalados, enquanto ele a olha fixamente sem nenhuma emoção.

 “Você não queria procurar uma coisa?” Ela pergunta, agora sem nenhuma confiança em sua voz.

 “Você sabe o que.” Ele diz rude, mas seu nervosismo estava o destruindo. “Eu pensei que você tivesse desistido de jogar comigo, mas você ainda está tentando me deixar com… ciúmes.”

 “Harry, você está levando isso longe demais. Foi uma brincadeira, amor. E foi divertido.”

     Harry se aproxima e a faz chocar contra a parede atrás dela, e puxa seus pulsos os deixando presos à cima de sua cabeça.

 “Não me faça te lembrar de como você e Jenn estavam zombando de mim por estar com ciúmes.” Ele rosna, mas logo volta a si, o corpo pressionado contra o corpo da garota. “Agora pare.”

     S/N se inclina beijando seus lábios, se sentindo culpada por fazê-lo ficar furioso. Harry se afasta, e inclina a cabeça para o lado. Ele solta seus pulsos e descansa suas mãos em sua cintura. Os olhos da garota fecham um momento e ela logo está inclinada, puxando-o para um beijo.

 “Eu fiquei e ainda estou com ciúmes. E o fato dele ser casado não muda uma virgula isso; na verdade, eu vou ficar com ciúmes de todos que fizerem você desviar sua atenção de mim. E eu sempre tenho que ficar me segurando para não bater nesses caras porque você é minha.” Suas mão agarraram sua cintura com mais força. “Você é inteiramente minha e eu quero deixar isso bem claro para você antes de sair contando isso ao mundo inteiro.”

     Ele direciona uma de suas mãos até a parte de trás da cabeça da garota, puxando o cabelo dela levemente e fazendo ela o encarar.

 “Você não pode ficar fazendo piada do meu sentimento. Aquilo realmente me machucou, eu fiquei me comparando com aquele cara e tive medo de você me deixar por ele.”

     Ela não diz nada; ela se inclina, mordendo os lábios. Os olhos de Harry se fecham; seus lábios indo de encontro com seu beijo. Ela se afasta e envolve suas mãos ao redor do pescoço dele direcionando os dedos aos cabelos fazendo um carinho ali. “Sinto muito, amor.” Ela sussurra em seus lábios.

 “Eu te amo tanto, bebê. Por favor me perdoe.”

     A respiração de Harry treme, e ele invade sua boca como ele tem esperado a tanto tempo. S/N interrompe o beijo, olhando para a boca de Harry. “Posso dizer uma coisa?”

 “Não.” Harry ri quando ela resmunga. Ele puxa seu vestido para cima, deslizando sua mão até sua calcinha de renda, fazendo uma massagem em sua intimidade.

 “Harry” Ela geme, agarrando seus ombros. Ele envolve o braço em torno de sua cintura a erguendo em seu colo. “Eu gosto disso” Ela geme contra seu ombro outra vez. “Mas rápido, você sabe o que tem que fazer.”

     Ouvindo-a, Harry sente um choque percorrer seu corpo, e ele a coloca no chão e começa a abrir sua calça.

     Não demora muito e a mão de Harry a ergue outra vez, ela o encara; seu rosto iluminado, vermelhidão em suas bochechas e olhos escuros de desejo.

     Harry geme quando desliza dentro dela, seus lábios se encontram e um beijo demorado se inicia antes que ele comece a se movimentar.

 “Você quer mais?” Harry pergunta gemendo puxando-a para perto de seu peito.

     Ela acena, a cabeça contra seu ombro, seus lábios deixando mordidas ali.

     Ele a coloca no chão e a vira de costas, batendo em sua bunda enquanto empurra duro, sem esperar por aprovação.

     Ela sorri. “Você pode bater mais que isso.”

     Sorrindo, Harry coloca seu queixo em seu ombro, empurrando com tudo. Ela geme alto, e ele não sente necessidade de olhar para seu rosto para aprovação. Ele amassa sua bunda em suas mãos, beijando seu ombro e pescoço, enquanto seus quadris pressionam mais dentro dela, duro. Eles atingem seus clímax.

     Harry puxa S/N para ele, beijando seus lábios vagarosamente sentindo o alívio em seu toque. Eles se afastam; Harry a ajuda a colocar suas roupas.

     S/N sorri para ele. “Jenn estava certa quando ela disse que você estava sendo dramático.” Harry olha para ela deslizando sua calcinha por suas coxas. “Realmente me machucou.” Ela ri, Harry sorrindo para ela enquanto sacode a cabeça.

     Ele dá uma bofetada em sua bunda outra vez, fazendo com que ela se sacoleje em seu lugar e salte sobre ele. Ele ri de volta para ela, golpeando-a novamente, mas de uma forma muito brincalhona.

 “Eu te amo.”

 “Eu também te amo.” Eles se inclinam para um beijo.

     Harry sorri, lutando para puxar para cima suas calças. “Vamos sair daqui. Já devem está falando sobre nós.”  

     S/N sorri. Ela agarra seu braço, e puxa-o para ela.

 “Nunca mais faça de novo.” Ele diz em um tom baixo, segurando seu queixo em suas mãos.

     S/N sorri. “Ou talvez todos os dias. Eu gosto desse seu lado selvagem.”

     Ele sorri. “Há outras maneiras de trazê-lo para fora.” Ele pisca para ela.

 “Como?” Ela pergunta com olhos curiosos.

 “Vamos para casa, vou te ensinar.”

Harry Styles.

N/A: Oi vocês! Como vocês estão? Espero que bem! Bom, esse imagine foi inspirado em dois textos aleatórios de escritores que gosto muito e em um imagine que eu li faz algum tempo e também na certeza ilusória de que algum dia eu vá casar com o Harry e que provavelmente ele já terá um filho que eu torço para ser parecido com a Darcy que eu ‘inventei’. Espero que gostem! 

Boa leitura!


            · Família.

     Harry sempre quis o melhor para sua filha Darcy, por esse motivo ele tinha tanto medo de começar um novo relacionamento. Ela é todo o seu mundo.

     Mas quando Harry conheceu S/N em um mercado na seção de guloseimas, com oreos em uma mão e batatas chips em outra franzindo a sobrancelha tentando se decidir, ele não pensou mais do que alguns minutos para falar com ela.

     Agora eles estão em sua cozinha, bebendo café e comendo alguns biscoitos feito pela moça enquanto Darcy ainda estava dormindo.

 “Eu acho que estamos indo muito devagar, amor.”

     S/N deixou seu café de lado e olhou confusa para Harry. Ela era um tanto quanto baixinha comparada a ele. Ela não passava de seus ombros.

 “O que você quer dizer?” Ela perguntou levando sua xícara suja de café até a pia.

 “Olha,” ele soltou uma espécie de grunhido quando a ergueu, suas mãos seguravam sua bunda. “Nós nos conhecemos há algum tempo, então três meses depois começamos a namorar, e eu ainda nem conheço seus pais, você sempre vem com uma história de está cansada porque nos moramos longe ou que eles estão ocupados e blábláblá. Nosso relacionamento é maravilhoso. Mas nós namoramos há um ano e eu só vou conhecer seus pais hoje.”

 “Acho que estamos fazendo tudo no tempo certo. Já nos conhecemos suficientemente bem e hoje à noite você vai conhecer meus pais. E eu não moro com você, a viajem até aqui cansa.”

 “Nós já conversamos e você sabe muito bem que eu quero que venha morar conosco, você roubou três de minhas gavetas e elas estão cheias de calcinhas que eu adoro ver você vestida.” Ele sorriu quando ela golpeou seu braço. “Até o travesseiro que você não consegue dormir sem a noite, sempre está aqui. Qual a desculpa pra não vir dormir aqui todas às noites?”

 “Hey, não roubei suas gavetas, você me emprestou.” Ela disse em falso tom de indignação. “E sobre o travesseiro, eu não tenho desculpa pra isso. Mas eu posso leva-lo para minha casa, se é isso que você quer.” Disse encolhendo seus ombros, mas sabia que não era o que ele queria.

 “Não, está tudo bem para mim, você pode deixa-lo aqui.” Disse enquanto caminhava em direção ao sofá com S/N ainda em seu colo e deitou nele.

     S/N mergulhou o rosto em seu pescoço e o acariciou com o nariz. “Está tão bom aqui.”

     Antes de Harry dizer alguma coisa, uma garotinha de 4 anos subiu em cima de S/N. Harry conseguia ver como S/N ficava feliz com o simples fato de ver Darcy e ele se apaixonava mais a cada vez que via isso.

  “Hey criança.” S/N se afastou de Harry, que fez uma careta por causa disso e agarrou a garotinha, deu um beijinho em seus cabelos e disse: “Eu senti sua falta.”

 “Você me viu ontem, mamãe.” Darcy disse ainda sonolenta, e coçando os olhos que eram iguaizinhos aos do pai.

 “Eu não posso sentir sua falta?”

     Darcy riu e colocou suas pequenas mãozinhas em cada lado do rosto de S/N. “Pode.” Disse e sorriu.

 “Tudo bem.” Harry se levantou erguendo Darcy e agarrou a cintura de S/N com o braço livre. “Temos que nos arrumar para conhecer os pais de S/N.”

     S/N o olhou confusa. “Nos só temos que chegar lá as quatro horas e ainda são oito da manhã.”

     Harry assentiu. “Sim, mas você leva horas no banho e Darcy horas para se arrumar e serão três horas de viajem. Então nós temos que sair de casa uma da tarde, daqui a pouco você entra no banho e demora hor…”

 “Tudo bem, você está certo.” S/N o interrompeu com um sorriso no rosto por saber que ele a conhecia muito bem.

     Harry riu. “Agora vá já para o banho, porque eu não quero me atrasar.” Ele disse e deu um tapa no traseiro de S/N e roubou um beijo de seus lábios.


     Harry estava nervoso, a perna que não estava usando para dirigir não parava de mexer e sua mão correu seus cabelos varias vezes durante todo o caminho.

     Quando S/N viu Harry passar sua mão por seu cabelo mais uma vez, ela a agarrou e entrelaçou seus dedos nos dele.

 “Não se preocupe amor, eles vão amar você e Darcy.” Beijou sua mão e arrancou um sorriso de Harry com sua ação.

 “Só quando ‘você’ parar de se preocupar.”

     Era ridícula a forma como Harry a conhecia tão bem.

     Seus pais sempre foram muito críticos a pessoas que tinham filhos antes do casamento, eles eram muito severos quanto a isso. Foi por esse motivo que ela adiou ao máximo o encontro entre seu namorado e sua família e também era esse o motivo dela estar tão nervosa.

 “Tudo bem, vou parar de me preocupar. Sei que são pessoas adoráveis.”

     Ela não conseguiu responder sua frase, Harry parou o carro na entrada da casa de seus pais. Podia avistar o carro de sua irmã estacionado não muito longe.

     Harry desligou o carro e eles saíram do mesmo. S/N se virou e estendeu sua mão para ele, colocou a mão livre em sua nuca pra traze-lo para mais perto. “Você sabe que eu te amo, certo? E eu amo muito sua filha também.” Disse sincera olhando diretamente para os olhos verdes de Harry.

     Ele a encarou confuso e franziu a sobrancelha enquanto colocava suas grandes mão na cintura dela. “Nossa filha, você tem sido mais mãe do que a mãe dela de verdade.” Disse dando um selinho em seus lábios e continuou. “Nós te amamos muito também.”

 “Promete que não vai me deixar.” Ela pediu encarando o chão.

 “O que há de errado, amor?” Perguntou levantando seu queixo e a olhando com um olhar preocupado.

 “Promete pra mim, por favor.”

 “Eu sempre vou estar aqui com você.” Ele disse e logo depois beijou os lábios dela.

     Harry, S/N e a pequena Darcy, subiram os degraus e tocaram a campainha, Foi a mãe de S/N quem abriu a porta e cumprimentou-os com um sorriso.

 “Oi minha querida, entre.” Ela deu passagem para que eles pudessem entrar. “É um prazer conhece-lo Harry.”

 “O prazer é todo meu Sra. N/d/M”


     A situação ficou ruim durante o jantar. Todos estávamos rindo e conversando quando Hanna fez a pergunta que S/N tanto tinha medo.

 “O que aconteceu para você ter que trazer sua irmãzinha?”

     Harry tinha uma expressão confusa em seu rosto. “Irmãzinha?” Ele olhou para S/N que estava evitando seu olhar. “Eu não tenho irmãzinha, tenho uma irmã mais velha que se chama Gemma. Essa é minha filha.” Disse calmo “Minha ex-namorada nos abandonou um pouco antes de Darcy completar seis meses.”

     A mãe de S/N a olhou nervosa. “Pode nos explicar isso S/N?”

 “Acho que não tenho que explicar nada a ninguém.” Ela disse serenamente.

 “Você sabe muito bem o que nós achamos sobre ter filhos antes do casamento, e o quanto nós odiamos essa ideia. Eu pensei que tinha te dado uma boa educação. Você não pode se relacionar com ele, eu não vou permitir.”

     Harry olhava toda aquela situação sem conseguir dizer nada.

     S/N agarrou a mão de Harry, ergueu Darcy em seu colo e saiu daquela casa.

 “Harry, meus pais acham que ter filhos antes do casamento significa falta de responsabilidade e não aceitam isso. Eu não faço ideia do por quê. Eles sempre me disseram que se isso acontecesse comigo eles não me considerariam mais como filha”

 “E por que você nunca me disse isso?” Ele estava ficando nervoso, ela sabia. Eles sempre foram muito sinceros um com o outro, mas ela poderia dizer isso a ele antes.

 “Eu estava com medo.” Disse o abraçando forte.

 “De quê, S/N?”

     Ela o soltou do abraço. “Disso. Estava com medo de você me deixar. Eu preciso de você na minha vida, Harry.”

 “Eu preciso de você na minha vida também. Porra, Darcy precisa de você. Você é a mãe dela.” S/N já sabia que tinha um ‘porém’ por vir. “Mas depois do que aconteceu comigo e Darcy, eu descobri que família sempre vem em primeiro lugar, sempre.”

 “Minha família são vocês dois.” Ela sussurrou.

     Ele beijou a testa dela. “Nós te amamos muito, amor. Mas eu não posso deixar que você escolha entre mim e sua família.” Ele a afastou. “Nós vamos para casa, vou chamar um taxi e vou deixar a chave do carro com você.”

     Só Harry sabia o quanto doía ter que fazer aquilo, a dor piorou muito mais quando ele viu uma lagrima cortar o rosto de S/N. Ele a limpou e selou seus lábios.

     S/N ouviu Harry falando com Darcy e dizendo adeus. Ela não conseguia se mexer.

     Apenas quando ela ouviu Darcy perguntar a Harry por que S/N não ia para casa com eles que sua pernas funcionaram. Ela correu e quando os alcançou se curvou na altura de Darcy e abraçou a pequena garotinha. “Eu te amo muito, nunca se esqueça. OK?”

     Ela pressionou um beijo na testa de Darcy e tentou não chorar na frente dos pais que assistiam tudo. “Eu te amo, mamãe.” A pequena murmurou, agarrou a mão do pai e olhou pra S/N. “Você vai me visitar?”

     S/N sorriu e acenou com a cabeça. “Vou sim, eu prometo.”

 “Vamos filha, o taxi chegou.” Harry puxou a mão de Darcy e abriu a porta do taxi. Ele olhou para a família de S/N e logo depois para ela e deu um pequeno sorriso. “Eu te amo.” Ele sussurrou.

     Quando o carro deu partida. S/N olhou para a família e todos tinham uma expressão imparcial, exceto Hanna que lhe lançou um olhar de compaixão; como se entendesse seu sofrimento.

 “Estão satisfeitos?” Ele disse com raiva transbordando de sua voz.

 “Sim, muito.” Sua mãe disse.

 “Você são tão hipócritas, acha que eu não sei que vocês me tiveram dois meses antes da porra do casamento? Harry esteve lá por mim quando vocês não estiveram, ele se importa comigo mais do que vocês todos juntos.” Ela cuspiu as palavras em cima deles, pegou as chaves do carro e foi em direção a ele. “Estou indo embora e não vou voltar, não até vocês se desculparem com ele.”

 “Terminar esse relacionamento é uma boa escolha.” O pai dela disse.

 “Não” Ela o olhou indignada. “Deixar vocês é uma boa escolha. Vou ter minha família de volta e não importa o que vocês façam.”

    S/N sabia que estava fazendo o certo.

 “Se você voltar com ele, você não precisa voltar para essa casa novamente.” Sua mãe fez a ameaça.

     S/N fingiu que não ouviu, entrou no carro e deu partida.


     Ela abriu a porta do apartamento de Harry e entrou tentando não fazer barulho. Estava tudo escuro, então ela deduziu que eles estavam dormindo. Afinal, era uma da madrugada.

     Ela subiu as escadas e entrou no quarto de Darcy. Seu coração se alegrou quando viu Darcy dormindo com a boca entreaberta e com seus cachinhos caídos em seu rosto.

     Ela fechou a porta do quarto de Darcy e caminhou até o quarto de Harry. Ela suspirou ao vê-lo agarrada ao seu travesseiro. O travesseiro que ela simplesmente não conseguia dormir sem.

     Ela caminhou até a cama e se curvou para acariciar os cabelos dele. Ele se moveu para mais perto para conseguir mais carinho. Ela sorriu com a ação involuntária dele e beijou seus lábios fazendo ele acordar.

 “Amor?” Ele murmurou com a voz sonolenta. Ele a olhou e deu espaço para que S/N pudesse deitar ao seu lado. “O que você está fazendo aqui?”

 “Eu vim buscar meu travesseiro, mas alguém está usando ele nesse momento.” Ela disse sorrindo. Ele sorriu e a envolveu em seus braços, trazendo-a para mais perto.

 “Você nunca vai o deixar, não é mesmo?”

 “Eu nunca vou deixar você nem Darcy.” Ela murmurou e mergulhou seu rosto na curva de seu pescoço e deixou um beijo ali. “Quem eu deixei foi minha família.”

     Ele suspirou. “Amor, você não dev…”

 “Você mesmo disse que a família tem que vir em primeiro lugar, e você nunca esteve tão certo. Vocês são minha família, e eu nunca vou deixa-los.”

     Harry puxou o rosto de S/N e beijou seus lábios calmamente, quando o ar se fez necessário ele interrompeu o beijo. “Eu te amo, S/N”

 “Eu te amo, Harry.”

Harry Styles.

N/A: Esse é o primeiro post desse blog, espero que ainda venham muitos por aí. Eu estou muito feliz de ter criado isso aqui, sempre gostei de escrever e sempre amei o Harry Styles (Os outros meninos também, mas Harry é o amorzinho da minha vida.) Espero que gostem, eu fiz com todo carinho. Fiquem a vontade para mandar ask ou mensagens, quero muito conversar com vocês e saber o que vocês acham de tudo.

Seja bem vindo(a)!

Boa leitura!


     Eu estava me sentindo horrível, nos últimos dois dias eu estava tentando ter uma alimentação saudável, dormir na hora certa e tudo o mais, mas ainda era inevitável. Naquela manhã quando eu acordei completamente congestionada, queimando em febre e dor de cabeça, eu simplesmente não estava surpresa. Mesmo assim foi horrível acordar daquele jeito. Contrariando o desejo do meu corpo me virei para o lado de Harry da cama, só pra ter minha segunda decepção do dia, ele não estava mais lá. Ele havia me dito que teria compromissos hoje, e provavelmente iria ficar fora por algumas horas.

     Eu estava tão aborrecida, odiava ficar doente, eu estava um lixo. Decidi finalmente me levantar, precisava de um banho. Pra minha total felicidade, era sábado, então não precisava trabalhar hoje. Só não queria ficar sozinha em casa.

     Assim que sai do banho caminhei em direção ao armário, sentia minha cabeça doendo mais, bem pior que antes. Abri o armário e peguei uma calça de moletom e uma camiseta qualquer de Harry, depois de vestida sai do quarto em direção a cozinha. Estava sem fome então só preparei um chá e fui direto para sala assistir alguma coisa na TV, não tinha energia pra fazer qualquer outra coisa. Tomei um remédio antes de terminar meu chá, me embrulhei em uma coberta quentinha e logo cochilei por causa do remédio, mesmo tendo acabado de acordar de uma longa noite de sono.

     Acordei depois sentindo como se tivesse sido atropelada por um caminhão, logo ouvi o som da porta se abrindo e Harry entrando. Assim que ele me viu, uma expressão preocupada tomou seu rosto. Afinal, me ver jogada em um sofá enrolada em uma coberta e tendo uma crise de espirros não é uma cena tão normal pra ele. Um beicinho se formou em seu rosto em quanto ele caminha em minha direção.

 “Oi, babygirl, você está bem?” Ele me perguntou delicado, se ajoelhando em minha frente, colocando uma de suas enormes mão em minha testa.

 “Eu me sinto horrível” Eu disse, num sussurro quase inaudível.

 “Eu sinto muito, querida. Mmm, sua testa está muito quente. Vou buscar um termômetro.”  Ele disse, antes de deixar um beijinho em minha testa e se pôr de pé para buscar o termômetro.

     Olhei de relance para o relógio e fiquei surpresa ao perceber que estava dormindo há horas naquele sofá. Eu estava tão desorientada, me sentia péssima.

 “Aqui está, amor” ele disse docemente enquanto colocava o termômetro em seu devido lugar. “Você está com fome? Tem dores? Quer que eu vá comprar algum remédio, sopa ou algo assim?” Ele me encheu de perguntas, e sua expressão preocupada voltou.

 “Mmm, só se deite comigo por favor” Eu implorei, fungando um pouco e me sentindo um bebê.

 “Claro meu amor, venha aqui” Ele disse com um sorriso tranquilo nos lábios enquanto tirava sua jaqueta e se espremia comigo no sofá de nossa casa. Suavemente ele me abraçou e eu pousei minha cabeça em seu peito. Ele acariciava meus cabelos e o sono já se fazia presente de novo.

 “Amor?” Chamei, levantei um pouco o olhar pra dar de cara com seus olhos.

 “Oi” Ele respondeu, levando sua mão até minhas costas e fazendo um carinho gostoso ali.

 “Harry, eu me sinto uma porcaria.” Sussurrei, ele deu uma risada baixinha.

 “Eu posso ver, bebê, e eu sinto muito. Tente dormir, você vai acordar melhor.” Tentou me convencer, sem saber que eu já estava cochilando.

 “Harry” sussurrei novamente, queria ficar um pouco mais acordada.

 “Sim amor?”

 “Eu te amo muito” Eu disse, sentindo que os braços que estavam em volta de mim com tanta força iriam me proteger.

 “Eu te amo mais” Ele sussurrou, poderia garantir que em seu rosto estava um sorriso, ele beijou meus cabelos e sussurrou mais uma vez “Eu te amo muito mais”.

Harry Styles.

N/A: Escrevi esse texto a alguns minutos e tive como inspiração um imagine de um blog americano, e um filme de comedia romântica bem fuleiro tenho que dizer. Eu espero mesmo que gostem, muito obrigada! <3

Boa leitura! 


·         Desejo!


     Harry já estava acomodado na cama apenas me esperando para dormir, eu estava na porta do banheiro de nosso quarto com uma camiseta que eu havia roubado de seu guarda-roupa no inicio do nosso namoro.

     Ela era alguns números maiores que o meu e caia acima de meus joelhos, era mais como um vestido bem confortável pra mim. Eu terminava de secar os cabelos enquanto olhava sem muito interesse para um filme qualquer que passava na televisão, e não reparei nos olhares de Harry estudando minhas ações.

     Eu estava bem relaxada naquele momento, tinha acabado de sair do banho. Olhei para o meu namorado e ele mordeu o lábio. De repente me senti interessada em beija-los com força.

     Terminei de secar meus cabelos e caminhei em direção a cama me deitando ao seu lado, e cobrindo meu corpo com o cobertor quentinho.

 “O que foi? Por que tanto me olha?” perguntei já sabendo sua resposta.

     Ele colocou seu corpo encima do meu, e deslizou sua mão por minha cintura. Sorri encarando a expressão sapeca estampada em seu rosto. “Você está bem animado essa noite.” Disse o provocando.

     Ele sorriu, seus lábios encostando ligeiramente nos meus, “Você me deixa assim” ele disse.

     Acabei com qualquer distância entre nossas bocas o beijando, ele continuou explorando meu corpo com suas mãos.

     Eu comecei  a rir interrompendo o beijo e ele se afastou “O que é tão engraçado?” Ele perguntou confuso.

 “Sua barba em meu rosto, me faz cócegas.” Ri um pouquinho mais e ele sorriu.

 “Eu tiro ela amanhã.”

 “Você está brincando?” Disse sorrindo, eu amava quando ele deixava sua barba por fazer, e ele sabia disso.

     Ele sorriu, enquanto dava vários beijinhos por meu rosto que logo em seguida foram direcionados ou meu pescoço e seios que ainda estavam cobertos por sua camiseta, que não demorou para ser tirada de meu corpo com facilidade.

     Sentir suas grandes mãos deslizando por meu corpo como se conhecesse cada cantinho me fazendo gemer ligeiramente, sentia pequenos choques em cada lugar que ele tocava enquanto eu o beijava com vontade.

     Trilhei o caminho para o short de seu pijama, e consegui facilmente sentir o que estava por baixo. Sorri com o modo que ele se arrepiava a cada toque meu, amava saber o quanto ele era vulnerável a mim.

 “Eu ainda nem fiz nada e você já está assim?” Brinquei, abusando de minha voz mais sedutora e tive certeza do meu sucesso quando vi seu olhar necessitado mordendo o lábio.

 “Você sabe o que faz.” Sorri ao ouvi suas palavras.

 “Eu vejo que sim” Disse enquanto fazia movimentos por todo ‘ele’.

     Eu gostava de vê-lo assim, era uma delicia ouvir seus gemidos quando eu acelerava meus movimentos.

 “Por favor…” Ele implorou por mais

 “Não está bom?”

 “Eu quero mais…”

     Soltei um risinho, “Acho que posso te ajudar” Empurrei seu corpo de cima de mim. Foi impressionante o modo como ele tirou seu short tão rapidamente.

     Me movi pra cima dele montando em sua cintura nos fazendo gemer, abaixei e dei vários beijos em seu pescoço enquanto me movimentava contra ele.

 “Jesus S/n…” Ele disse com sua voz cheia de desejo. “Amor, não vou aguentar muito mais tem…”

     Ele interrompeu suas próprias palavras, e colocou seus braços ao redor de mim deixando nossos corpos ainda mais colados. Depois de alguns minutos ele me soltou um pouco do abraço e pude ver seu rosto corado e sua respiração descompassada que provavelmente não era tão diferente da minha.

     Sai de seu colo e deitei ao seu lado, ele puxou meu rosto e se inclinou para me beijar “Você realmente sabe o que faz.” Ri de seu comentário bobo, beijei sua boca mais uma vez.

 “Eu te amo” Eu disse mergulhando meu rosto em seu pescoço e deixando um beijo casto ali.

 “Eu te amo mais.” Foi a ultima coisa que eu ouvi antes do sono me tomar por completo.

Harry Styles.

N/A: Oi amoras! Tudo bom? Espero que sim. Então, esse imagine não é meu, é desse tumblr gringo aqui: harry-writings, ele é incrível. 

P.S: Deixando claro aqui que conversei com a dona do blog e ela deixou que eu postasse alguns dos imagines dela. 

Boa leitura!


·         Sempre vou te salvar.

     Tranquei a porta da frente do restaurante, cantarolando junto com a melodia suave que saia de fones de ouvido. Deixei a chave em minha bolsa, e fiz o meu caminho até o ponto para esperar por um táxi. Normalmente Harry viria me buscar, mas ele está cansado por gravar e escrever muito ultimamente, e eu não queria que ele se cansasse mais.  

     Mexia minha cabeça no ritmo da música quando passei por alguns caras perto do parque, eles não pareciam perigosos, então eu decidi cortar caminho por eles.

 “Desculpe.” Eu sussurro sorrindo quando esbarro em um deles.

 “Ei, ei, ei. O que temos aqui?” Pergunta um dos caras, vindo em minha direção.

     Eu dei um passo para trás, mantendo meu olhar no chão enquanto eu balanço a cabeça. Harry sempre me disse que se os paparazzi ficassem no meu caminho, simplesmente era para eu ignorá-los. Mesmo que esses caras não sejam paparazzi, eu não tenho nenhum outro plano para fugir dessa situação.

 “Eu tenho que ir ver minha mãe.” eu menti, encolhendo os ombros.

     Todos eles de repente se aproximaram de mim, formando um círculo em torno de onde eu estava. Eu não olhei para cima, mas imediatamente comecei a entrar em pânico. Eu nunca estive em uma situação daquelas antes, mas eu sabia o que estava acontecendo, só não sabia como me salvar.  

 “Nem pense que nós vamos deixar você ir sem deixar uma lembrança.” Um deles disse, me empurrando para os braços do cara atrás de mim.

     Com muito medo e desespero, levantei a cabeça para olhar seus olhos escuros e perversos. O fogo atrás deles me queimava, fazendo-me choramingar. O olhar que ele me deu fez com que os arrepios subissem sobre a minha pele.

 “Por favor, me deixe ir. Pode levar tudo, só por favor, me deixe ir sem qualquer mal. Por favor.” Eu implorava para o homem a minha frente.

     O homem inclinou a cabeça, observando minhas ações, dando passos curtos para mim. Queria correr, fugir dele, qualquer coisa para sair daquela situação, mas meu corpo estava preso nos braços do outro homem, com o que parecia ser centenas de outros olhos olhando para mim. Seus braços envolvem minha cintura uma vez que ele estava perto o suficiente, dando ao meu corpo um ligeiro aperto para me trazer para mais perto dele.

     Eu tento tirar suas mãos de mim, mas ele recusou minhas tentativas.

 “Não. Por favor, não.” Eu soluço.

     Eu tentei escapar dos braços dele, mas ele só me apertou mais forte. Eu juro, já podia sentir meus pulsos ficando inchados e feridos com cada movimento que fazia.

 “Querida…” O homem disse, colocando cabelo caído atrás de minha orelha. “Quem disse que nós vamos feri-la?”

     Ele deslizou seu braço de minha cintura, e levou sua mão até minha bunda, esfregando-a, seus olhos se fecharam com tamanha luxúria.

 “Nós vamos fazer você se sentir tão bem, querida.”

     Eu arremessei minhas pernas para cima, me contorcendo para afasta-lo. Até aquele momento, eu só gritava, minha garganta doía com os gritos que eu dava.

 “Não, por favor, não, não, não, por favor!” Eu continuava gritando, contorcendo cada parte do meu corpo que não estava sendo presa por ele.

 “Sua puta!” O homem gritou, tentando me acariciar mesmo com meus movimentos.

 “Pare de chutar.”

     De repente eu sinto uma sensação horrível na minha bochecha, e eu estava quase apagada. Minha cabeça é jogada para o lado, e eu pude sentir o sangue escorrendo até o meu pescoço. Toda a energia que eu tinha antes foi tirada para fora de mim.

     O homem à minha frente me joga para longe se desfazendo do apertado que estava em mim anteriormente, e eu quase achei que ele tivesse desistido de mim. No entanto, ele me lançou contra um poste de rua, e logo me agarrou novamente. Eu resmunguei pelo impacto nas minhas costas, minha cabeça girava por conta da dor.

 “Quem diabos você pensa que é?” Ele gritou em meu rosto, levando sua mão até minha garganta, empurrando firmemente contra meu pescoço.

     Eu suspiro, tentando encontrar qualquer maneira de obter ar em meus pulmões. Minhas mãos agarraram seu braço na tentativa de empurrá-lo para longe de mim, eu tento chutá-lo, mas ele só me segura mais apertado.

     Eu não conseguiria sair daquilo.

 “Pare de tentar me chutar, sua cadela.” Ele rugiu.

     Ele apertou meu pescoço ainda mais que antes, e a única coisa que eu podia sentir é a mistura de sangue e suor que escorreu por meu rosto. Essas foram as únicas coisas que me lembravam que ainda estava viva. Todo o resto ficou escuro, todo o resto ficou silencioso.

     Eu ainda podia ouvir seus gritos, e o aperto de suas mãos. Mas tudo é lento, e em algum lugar ao longo do vazio em torno de mim, percebo que meu corpo não está lutando mais. Estou pendurada entre a vida e a morte, metade de mim já está morta, eu sinto, e a outra já estava no fim.


 “Eu não posso te perder, não faça isso comigo.” Eu ouço uma voz gritar.

     Compressões em meu peito, eu estava sendo puxada para a consciência com cada movimento.

    Eu sou sacudida, tomando todo ar que meus pulmões podem aguentar. Eu estava ofegante, tentava recuperar minha respiração. Eu sinta meu coração bombeando em meu peito, quase batendo contra os ossos. Tudo é nebuloso, o que aconteceu e tudo o que está acontecendo, tudo é um borrão.

     Abro os olhos, e olho para os lados. Mas tudo que eu vejo é Harry, seus olhos verdes afogados em lágrimas. Seu rosto está coberto por elas, e ele parece uma mistura de aliviado e medo.

 “Oh Deus.” Ele grita.

     Ele levanta a mão do meu peito para que ela possa descansar em minha bochecha, e no segundo que ele faz isso, ele começa a soluçar. Ele me segurava como se sua vida dependesse disso, e sua voz soava forçada com cada barulho que ele fez.

 “Eu pensei que você tinha morrido, eu… achei que era tarde demais. Você não… não… eu não…’’

     Eu balanço a cabeça, colocando meus dedos trêmulos entre os dele.

“Você me salvou.” Eu sussurro, beijando cada um de seus nós dos dedos. “Você salvou minha vida, isso é tudo que importa.”

     Ele chorava forte, enterrando o rosto no meu pescoço. Podia dizer que ele ainda estava assustado com o que aconteceu. Cada parte dele estava tremendo e suando, ele continuou murmurando palavras incoerentes enquanto soluçava.

 “Eu bati neles S/N, mas eles fugiram. Eu vi a placa do carro, eles vão ser presos amor. Eu juro.”

     Eu aperto sua mão.

     Ele balança a cabeça, engolindo o nó em sua garganta.

 “Se eu não estivesse aqui, procurando por você, eu… eu não consigo imaginar o que teria acontecido se eu não tivesse vindo buscá-la. Eu simplesmente não gosto de você andando sozinha do por aí. Eu queria encontra-la no meio do caminho, mas quando eu vi o que estava acontecendo, S/N, eu não conseguia respirar, tudo aconteceu tão rápido eu…”

 “Não, não. Pare, está tudo bem. Você me salvou. Você me salvou. Isso é tudo o que você deveria estar pensando.”

     Ele aperta os lábios em uma linha, e estrangula outro soluço. Ele ainda está segurando em mim, ainda mais apertado agora.

 “Eu sempre vou te salvar.”

Neymar can fight to be the best [player] in the world. He’s got the ability. He’s unique when he dribbles, there’s no other player in the world who can run with the ball like he does.

He’s so incisive, so direct, that he’s just thinking about [scoring or making] goals, dribbling for goals. He’s at such a high level. He makes the difference [in games].

When I train and play with him [for Brazil] I see that he’s an extraordinary player. I think he’s surprised a lot of people.

I’m Neymar’s No. 1 fan. I would put him a small step ahead of Griezmann

—  Filipe Luis [Atlético Madrid] | via Esporte Interativo