insistindo

Se eu passar por você sem querer nesse domingo, não vou querer saber, vou dizer tudo que eu quero, vou me fazer de bêbado, de louco, vou pedir emprestado um violão e cantar qualquer música jurando que é nossa, vou dizer que larguei tudo por você e que o destino fica insistindo na gente, e é melhor não contrariar. E se você negar vou dar risada, e gritar que não custava tentar, que ainda é domingo e que eu posso fazer a loucura que eu quiser enquanto o sol não se põe.

💮 MAIS STATUS 💮

Para de drama e vem me ver. ❤

Tem gente que só te atrasa na vida..✋

É torturante ficar sem falar com você.😔💭

O pior inimigo é aquele que aperta sua mão.💭

Aquela sensação de “nada mais é como antes”. 🍃🍂

E eu deito no travesseiro imaginando o seu colo…💭❤

Eles se amam, mas algo os impede de ficarem juntos. 👥💔💑

E se realmente foi importante, não vai cair no esquecimento. 😉👊

Reciprocidade e sintonia, melhores sentimentos que existem. 👌❤

Deixa isso de planejar pra lá, o bom mesmo é o inesperado!!! 👌👍

Uns com tanto pra dar e nós insistindo naqueles que dão tão pouco. 👏👏

Deus está me ensinando que as melhores coisas vêm com o tempo. 🙏🙌

Eu só quero um mundo mais recíproco, sem intrigas e com mais amor. 💞

Vivendo com saudades do que não volta. E com medo do que pode vir. 💭

É amando sem querer, que começamos a entender o que realmente é o amor. 💖💑

É como eu sempre digo, ninguém perde por dar amor, perde quem não sabe receber!! 👊

Eu me declarei para você milhares de vezes, da minha maneira… Só você que não viu. 💭

Gostoso mesmo é encontrar o amor da sua vida, todos os dias, na mesma pessoa. 💏❤

Me aceita e eu te aceito, tem paciência com meus defeitos, mudanças, costumes e jeitos… 🙏

Sem joguinho… se quer ir, vai. Se der vontade, faz. Se quer falar, chama. Se bater saudade, não nega!! 🙊

Memória é uma coisa engraçada… lembro de tudo que queria esquecer, esqueço tudo que preciso lembrar. 👀

Não me dou muito bem com os meus sentimentos. Na verdade, acho que não sei lidar comigo mesmo. 💭

E já dizia um grande sábio: se quiser ver alguma mudança nesse mundo, comece por você mesmo.👊

Melhor uma vida cheia de “não acredito que fiz isso” do que uma cheia de “eu devia ter feito isso”.👌

Eu sou uma mistura. Uma mistura de amor e ódio, de riso e de choro, de gentileza e ignorância, de sabedoria e idiotice. 🌷🌹

A partir do momento que você faz uma escolha, tu é obrigado a viver com as consequências dela, sejam elas boas ou ruins…🍃🍂

Não importa quantos dedos você cruza, ou quantas moedas você joga na fonte. Se não é pra ser, não vai ser. 💭

To numa fase da vida que se quiser me procurar pra conversar comigo tudo bem, mas se não quiser tudo bem também, tanto faz… 👊👌

Moço, vou pôr a saudade em uma mala e em outra as minhas coisas. Porque dessa vez ou você me leva junto com você ou leva essa maldita saudade que insiste em ficar toda vez que você se vai. Ultimamente eu não consigo deixar de pensar em você. Eu te vejo em tudo: nos filmes, nos livros, nos meus sonhos. Em tua ausência a saudade faz questão de ser presente, me fazendo lembrar de você a cada segundo que se passa. Então moço, você ficará aqui comigo ou vou junto com você? Já se decidiu, o que irá fazer? Ficará ao meu lado para sempre ou levará essa saudade que eu tenho junto com você. Porque com essa saudade, eu não aguento mais ficar. Tem saudade espalhada por todo canto, teu cheiro ainda está em mim e em todo o meu quarto. Vou até a sala e vejo nós dois sentados com as mãos entrelaçadas, felizes. Mas percebo que é só a saudade insistindo em me consumir, me fazendo imaginar que você está ali ainda. Então me diz, por favor, que dessa vez você veio pra ficar. Porque o meu sorriso só existe ao teu lado, sem você aqui é como se meu coração estivesse faltando um pedaço e só com você ele irá se completar. Faça meu coração se alegrar. Por favor, se decidir em ficar, estou a te esperar, mas se decidir partir dessa vez: Ou eu vou junto com você ou essa maldita saudade contigo irá levar.
—  Escritorragia trocou sentimentos com Mariposiei.
E mais uma vez você despedaçou um coração que só te amou. E mais uma vez eu passei a noite chorando. E sempre foi assim. Me pergunto todos os dias quando você irá mudar esse teu lado grosseiro e estúpido ao lidar com os nossos sentimentos. Me questiono tentando saber o porque de eu ficar insistindo em você, mesmo quando você me da todos os motivos para partir. Tem tantas pessoas por aí que não precisariam fazer nenhum esforço para demonstrar tudo que sente por mim, e até em relação a isso você é complicado, mas sabe, ainda tenho esperanças de que não vou precisar encontrar ninguém lá fora, ainda tenho esperanças de que um dia, talvez não muito perto, você perceba que pode perder quem mais te ama, por simplesmente ter criado uma barreira em redor do seu coração que não permite demonstrar nenhum sentimento. Assim como já te falei uma vez, se você não demonstrar seus sentimentos, seria como se eles não existissem.
—  Larissa Gonçalves.
Simplesmente Acontece

Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém,ainda que a gente esteja um ao lado do outro.Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer,mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais…
Mas aí,daqui uns dias…Você vai me ligar.Querendo tomar aquele café de sempre,querendo me esconder como sempre,querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor.Me querendo no escuro.E eu vou topar.Não porque eu seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer.Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência:não entendemos nada,mas continuamos insistindo.

Tati Bernardi

@future-kinged

Mary ainda não entendia o propósito dos Adams estarem insistindo tanto para que ela fosse o palácio naquela tarde, tinham passado o dia preparando a filha para algo que ela não conseguia sequer imaginar. Depois de muitos arranjos e conselhos estranhos, a mãe lhe dissera que Mary estava finalmente pronta, e que todos poderiam seguir para o palácio, durante todo o trajeto a cabeça da loira borbulhava de ideias do porque de tudo aquilo, estar vestida de modo tão extravagante seguindo para o palácio com tanta pressa. Estava mais bela do que nunca, os cabelos loiros desciam sob seus ombros como cascatas de ouro, as melhoras roupas, as melhores joias, tudo para um propósito ainda desconhecido. - O que estamos realmente fazendo aqui? 

Se assumir “não-binária” prejudica as outras mulheres

Por Susan Cox

A coisa descolada para escritoras “feministas” fazerem ultimamente é “se assumir” como “não-binária” ou “genderqueer.” Essas mulheres afirmam ser não-binárias baseadas na premissa de que elas têm vidas interiores complexas e não se identificam com cada aspecto de sua subordinação social através da feminilidade.

Laurie Penny diz que se sentiu presa em seu corpo feminino quando ela desenvolveu seios sexualmente objetificados e curvas quando era adolescente. Jack Monroe lembra de olhar fotos de infância que revelaram que ela nem sempre usava roupas explicitamente femininas: “Eu, com sete anos, usando um boné de beisebol e jeans. Eu, com doze anos, com um corte de cabelo curtinho. Eu, com treze anos, insistindo em usar calças para ir à escola, como o meu amigo Z.” A editora de beleza da Good Housekeeping, Sam Escobar, publicou recentemente uma descrição rasa de seu status não-binário, explicando que ela “não se sentia exclusivamente atraída por rapazes” e, algumas vezes, “assistiu pornô hetero… pela perspectiva masculina”.

Se esses supostos indícios de status não-binário soam para você como experiências extremamente mundanas comuns a um grande número de mulheres, você está correta. Isso ocorre porque a identidade não-binária é essencialmente desprovida de sentido.

Algumas narrativas comuns transmitidas por mulheres “não-binárias” incluem: “Eu sempre gostei de ter cabelo curto”, “Eu não gosto de ser submetida a violência sexual”, “Eu me sinto desconfortável em meu corpo feminino.” Frequentemente, ser não-binária é definido por escolhas superficiais que não são vistas como estereotipadamente “femininas”. No entanto, mesmo essas escolhas parecem não ser um requisito para o status de não-binária, como exemplificado por Escobar, que parece ser tão “feminina” como qualquer mulher.

Ao contrário de algumas categorizações populares dentro da ideologia queer (“trans” femme",“genderfluid”), não-binário é menos uma “identificação” do que uma “des-identificação”. O status não-binário é definido com base no que não é: “Eu não sou um membro da classe sub-humana conhecida como mulheres. Eu não sou a coisa a ser fodida”.

Uma mulher se assumir “não-binária” é uma não-afirmação que declara nada além de ódio comum à classe feminina. Seria a alternativa para uma mulher “não-binária” uma mulher “binária”? E o que isso significa? Que todas nós amamos nossos corpos e conseguimos não internalizar o olhar masculino? Que estamos totalmente à vontade com os estereótipos de gênero colocados sobre nós? A declaração não-binária é um tapa na cara de todas as mulheres que, se não se assumirem como “genderqueer”, presumivelmente possuem uma essência interna perfeitamente alinhada com a paródia misógina da feminilidade criado pelo patriarcado.

Ao contrário de feministas da segunda onda, que defendiam que as mulheres se unissem coletivamente sob a bandeira do feminismo, a teórica queer Judith Butler prega “desidentificação” como um ato politicamente progressista. Em 1993, Butler argumentou que as mulheres deveriam “coletivamente se desidentificar” com outros membros do sexo feminino como um meio para tornar “queer” a própria categoria de sexo. Mais de 20 anos depois, a visão de Butler se concretizou de forma bizarra, com mulheres orgulhosamente proclamando que não têm nada em comum com as outras mulheres.

As bizarras e aparentemente antifeministas prescrições políticas de Butler fazem sentido no contexto de seu projeto político mais amplo. Em suas duas obras principais sobre a teoria de gênero, Gender Trouble e Bodies That Matter, Butler teoriza que o gênero não é opressivo devido aos estereótipos machistas e hierárquicos ligados à masculinidade e feminilidade, mas por causa de sua natureza binária, que ela diz “violentamente excluir” aqueles que se encontram fora das “margens” do binário do gênero. Para Butler, a homossexualidade pode ser igualmente “excludente” e necessitar “desconstrução” assim como a heterossexualidade, pois ambos são termos binários que “cruelmente apagam” outras sexualidades, tais como a bissexualidade. O objetivo político global de Butler é tornar a marginalização impossível, tornando todas as categorias sociais “inclusivas”. Isso parece ter sido alcançado de alguma forma hoje, como vemos na fusão de todas as categorias de orientação sexual no conjunto amorfo “queer”. (Estranhamente, a opressão ainda existe, apesar desta reformulação mágica.)

A tendência recente de se declarar “não-binário” parece ser uma vitória para a política queer Butleriana, em que a realidade social perdeu sua forma definida e foi desfocada em uma massa de indivíduos que são supostamente “nem homens e nem mulheres.”

Butler está focada na eliminação da marginalização de identidades “não-normativas” (que teoricamente poderia incluir qualquer um desde praticantes de BDSM até pedófilos), não especificamente de mulheres. Ela argumenta que a categoria “mulher” em si deve ser desconstruída, já que exclui outros indivíduos que não são mulheres (ou seja, do sexo masculino). Já que Butler não está preocupada com a libertação das mulheres em particular, o fato de as mulheres se desidentificarem umas com as outras poder entravar os esforços feministas não a incomoda. Mas, apesar da admissão de Butler de que sua política não está especificamente preocupada com liberação feminina, muitas mulheres ainda declaram sua desidentificação não-binária como um ato feminista.

Penny, pelo menos, reconhece que a desidentificação com mulheres entra em choque com a política feminista, mas tenta resolver esse problema dizendo que ela ainda “se identifica, politicamente, como mulher.” Isso é paradoxal, já que a declaração não-binária de Penny não é meramente uma expressão pessoal neutra de sua individualidade, mas já está saturada com uma certa ideologia política. Nesta ideologia, quando uma mulher sofre sob o peso do patriarcado - exemplificado na forma como Penny odiava seu corpo feminino durante a puberdade e sentia uma pressão dolorosa para estar em conformidade com os padrões de feminilidade - esse desconforto não é visto como uma reação natural à imposição injusta de poder, mas sim como uma indicação de que essa mulher não é uma mulher de fato.

Se o desconforto na posição social feminina significa que uma mulher é “não-binária”, então o que isso significa para todas as mulheres que não se declaram “genderqueer?” Elas são sempre ok com suas vidas sob o patriarcado? Será que elas nunca se sentem impedidas pelos estreitos limites da feminilidade? Poucas pessoas, se houver alguma, estão perfeitamente alinhadas com uma das extremidades do binário do gênero ou de outro, assim como Rebecca Reilly-Cooper argumenta: “Se gênero é realmente um espectro, isso não significa que cada indivíduo vivo é não-binário, por definição?”

Escobar observa que ela “se identifica consideravelmente com os homens”, o que não é nada surpreendente, considerando que a nossa cultura é quase inteiramente dominada pela perspectiva masculina. Nossa literatura e filmes apresentam principalmente personagens masculinos que são os heróis e vilões, enquanto a maioria das personagens femininas aparecem apenas em relação a esses homens: o interesse amoroso, a esposa ou a mãe. Sentindo tão intensa alienação (combinada com o trauma do estupro), faz sentido que Escobar poderia sofrer de depressão, distúrbios alimentares, e dismorfia corporal.

Mas ela não faz essas conexões entre suas experiências e poder patriarcal, em vez disso dando a entender que sua infelicidade e alienação foram devido a ainda não ter percebido sua singularidade “difícil de nomear” que ela descreve como “não-binária.” (Penny, de forma semelhante, atribui sua dificuldade a ter crescido em “um tempo antes do Tumblr quando muito poucos adolescentes estavam falando sobre ser genderqueer ou transmasculinos”. O horror!)

O que isso pressupõe é que o poder estrutural irá desaparecer quando as mulheres perceberem que sua infelicidade sob o patriarcado é apenas devido a uma diferença ou defeito pessoal. A ideologia por trás do “não-binário” exemplifica o conceito liberal do contrato social (isto é, a ideia de que os indivíduos que vivem sob um poder político assumidamente consentem com esse poder, caso contrário, eles simplesmente optariam por mudar). Quando ser estritamente definido pela estereótipos sexistas é colocado como algo que se pode simplesmente rejeitar de forma voluntária, as mulheres que não escolhem optar por sair do gênero estão se posicionando, portanto, como consentindo com esse poder.

Não consigo pensar em nada mais anti-feminista do que uma ideologia que exclui a possibilidade de identificar e enfrentar o poder patriarcal e, em vez disso, individualiza a opressão como se fosse uma “escolha pessoal”. Penny argumenta que ela ainda é uma feminista, e qualquer obrigação de mulheres a se identificar com outras mulheres, “politicamente ou de outra forma”, constitui “uma porcaria fodida de policiamento de identidade”. Mas o feminismo não é uma questão de identidade pessoal. Assim como sentir dor sob o patriarcado não é um resultado de peculiaridades individuais das mulheres. Infelizmente, não podemos nos assumir como “seres humanos”, a fim de convencer os homens a nos tratar como iguais. Então, por favor, poupe-nos de suas insinuações injuriosas de que podemos nos identificar (ou “desidentificar”) como maneira de sair da opressão estrutural. Nós vamos estar tentando construir um movimento político com o objetivo específico de liberação feminina, enquanto isso.

Artigo original em inglês: http://www.feministcurrent.com/2016/08/10/coming-non-binary-throws-women-bus/?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter


Observação: o título do artigo original usa a expressão “throws other women under the bus”, que significa literalmente “joga as outras mulheres sob o ônibus”. Trata-se de uma expressão idiomática que significa prejudicar outra pessoa em benefício próprio. Infelizmente não encontramos uma expressão em português que correspondesse de forma a exprimir exatamente o significado.

anonymous asked:

Para a menina do bj, tbm perdi meu bv com 16 anos, a pessoa ficou insistindo e eu cedi, não me arrependo, mas se voltasse atrás eu faria diferente. Então não se liga com essas coisas, vão acontecer Qnd for para acontecer, rlx

Falou tá falado

anonymous asked:

Ja cansei de falar c ele, disse tudo o que não disse quando terminamos, da saudade, do meu medo de perder ele, de acontecer alguma coisa e eu só saber tarde demais. E ele disse que eu tava forçando, aí me irritei e comecei a agir fria igual ele

Nossa, ele nem parece se importar muito, sei como é isso. Olha, não fica insistindo em uma relação que só te desgasta, se ele está te fazendo mais mal do que bem, deixa ele pra lá

docxstrange  asked:

ei dezza, como você tá? ultimamente estou com a tão famosa procrastinação. eu podia muito bem estar escrevendo agora, mas estou insistindo em ficar no computador. já não to sabendo mais como lidar com isso. alguma ajudinha aí?

Oh miga, nem fala. Minha vida está uma procrastinação eterna para tudo, tenho nem moral pra dar conselho, viu? Hahaha. Acho que você podia fazer alguns rascunhos, porque voltar com a escrita logo assim de cara é complicado mesmo. É o que tô pensando em fazer até, mas preciso adiantar coisas da faculdade. :((

anonymous asked:

Como ficaria se tivesse alguém que gosta muito e essa pessoa te trata diferente, tenho uma amiga que muda sempre comigo cheguei a conclusão que ela n q see minha amg apenas se faz

Me afasto, se a pessoa não acha minha amizade o suficiente, eu não vou ficar insistindo.

Guerreiro

Já se sentiu em uma prisão,
Onde por mais que você tente, não ache uma saída,
Mas continua insistindo, querendo sair.
Porém você se dá conta que tudo é em vão
Que tudo foi um fracasso; e desiste então.

Você sente como se estivesse se afogando em tristezas,
Deixando ser levando pelas mágoas em forma de ondas
E quando você olha, nada mais importa.
Mas no fundo, você ainda pode lutar,
Ainda pode ganhar.

Seus olhos podem não ver isso,
Sua mente pode lhe dizer que não há mais nada,
Porém você tem uma fagulha ainda no seu coração,
Uma pequena faísca que não te deixa cair por completo.

Você diz pra si mesmo que é um fracasso, um inútil
Mas não vê que no fundo tem potencial.
Você se protege das pessoas, 
Das palavras delas que para você são como lanças.
Elas te atacam, lhe ferem, você cai,
Entretanto, não põe tudo a perder.

Você é como Leão feroz por dentro,
Uma arma pronta para disparar.
Você pode ser ferido, mas sabe como revidar.
As coisas podem ser ruins, mas no fim
Como um guerreiro,
Você dá a volta por cima revelando sua capacidade,
Mostrando toda sua braveza, sua ferocidade.