incuraveis

“As coisas nunca fizeram muito sentido para mim, mas eu continuei jogando o jogo "Dia-a-dia”, sempre esperando por um sinal, uma pista de que tudo ia acabar bem, mas nunca aconteceu nada. Todos os dias da minha vida, eu sempre esperei por um milagre, mas ele nunca chegou. É como se eu estivesse do lado de fora, para sempre, uma espécie de voyeur da vida alheia, invejando os felizes, desprezando o sucesso dos sem talento, me solidarizando com os marginalizados, os malditos… puxa…mas eu poderia ter sido qualquer coisa que eu quisesse ter sido na vida, qualquer coisa que eu quisesse, qualquer outra coisa.“
Do filme - Os incuráveis

Coração ensanguentado e alma retraída.

Olhos lameados, cabisbaixos, jogados ao chão, na foça, prestes a se entregar ao abismo e não existe nada a ser feito, além de esperar que o tempo apague as cruéis lembranças e as cicatrizes das feridas incuráveis.

Pessoas desprezíveis, indignas, nos machucam e nos decepcionam com suas hipocrisias, banalidades e futilidades.

A falta de carácter nos faz perder o brilho no olhar, nos faz perder os sonhos, nos faz perder a esperança e a vontade de querer outro ser humano do lado.

S.H