in da niall

One Shot Niall Horan

Semana NHoran

— Não tem lugar para você. — Liam disse ao contar mais uma vez as poltronas da minivan que eles tinham alugado, ele queria me fazer ter certeza que eu não estava sendo excluída.

— Isso eu já entendi, Liam. — reviro os olhos — Mas acontece que eu decidir ir, então temos que dar um jeito.

— Joga essa mala em qualquer lugar. — Louis disse saindo da van e eu lhe mostrei o dedo do meio.

— Acontece que você disse que não iria, então alugamos uma van menor.  — Liam continuou pacientemente me explicando.

— Eu não posso dividir assento com alguém? Eu não sou tão gorda. — faço bico — E eu trouxe menos malas do que Eleanor.

— Seu peso não importa, você poderia ser um palito, as poltronas são apenas para uma pessoa. — Liam ajudou a Sophia colocar as coisas na van.

— Tudo bem, se você faz tanta questão assim que eu não vá. — faço um pequeno drama porque sei que ele não resiste.

— Não é isso, (seu apelido)… — ele suspirou.

— Niall? — Louis gritou — Diga sim!

— Sim! — Niall disse sem entender.

— Pronto, Niall concordou em te levar no colo dele. Eu até te levaria no meu, mas Eleanor e alguém mais se juntariam para me matar. — Louis riu.

— É muito longe… — Niall choramingou.

— Você disse sim. — Louis o acusou.

— Droga!

— Quem vai guardar as minhas malas? — eu perguntei sorrindo feliz por estar inclusa na viagem e todos eles sumiram em menos de um minuto — Ogros! — os xinguei indo eu mesma guardar as minhas coisas.

#–#–#–#–#–#–#–#

— Sem cantigas de viagem, por favor. Vamos em paz. — Liam disse para nós antes de ocupar o assento do motorista.

Os primeiros momentos da viagem fomos conversando sobre o que esperávamos do nosso final de semana, seriam quase cinco horas de estrada e resolvemos sair na sexta a noite. A primeira hora foi tudo bem, mas depois minha bunda começou a doer - convenhamos que estar no colo de outra pessoa durante tanto tempo não é nada confortável.

— Para de se mexer! — Niall sussurrou próximo ao meu ouvido.

— Eu não consigo, minha bunda tá quase dormente. — sussurrei de volta.

— Eu ainda fico excitado com você. Ficaria para qualquer pessoa que estivesse dançando no meu colo, mas a sua bunda eu já conheço, então não é tão difícil imaginar.

Sim, eu e Niall já nos pegamos em algum momento de nossas vidas, não foi nada sério, queríamos curtir e entramos em um acordo.

— Então é o seu pau que está me incomodando. — me mexi mais um pouco para ter certeza e sim, era o pau dele.

— Droga, (seu nome)… — Niall gemeu e apertou minhas coxas quando eu levantei um pouco e me sentei novamente.

— O que você está fazendo? — perguntei sentindo suas mãos trabalharem em uma massagem na minha coxa e quando uma de suas mãos foi de encontro a intimidade a acariciando levemente sobre o pano da calcinha, eu arfei. — Ah…

— Shhh… — a respiração quente de Niall estava em minha nuca enquanto seus dedos brincavam com meu clitóris.

— Niall… Eles… — eu tentava formular a frase, mas minha concentração estava toda no que Niall estava fazendo.

— Estão dormindo.

Mordendo meu lábio inferior fortemente, deixei que afastasse minha calcinha para o lado pressionando seu dedo em meu clitóris me fazendo choramingar. Ele continuou a me torturar - para mim era uma tortura - e vez ou outra eu me movia propositalmente em seu colo. Com a cabeça encostada no seu ombro e meus olhos fechados, eu o sentir parar e quando estava pronta para protestar abrir meus olhos e vi Liam acordando cuidadosamente um de cada vez nos bancos da frente, ele não demoraria a nos alcançar.

— Merda… — praguejei em frustração e Niall colocou minha calcinha de volta no lugar, o que me fez ranger os dentes para o quão úmida eu estava.

— Vamos fazer uma parada, quem quiser comer esse é o momento. — Liam disse assim que chegou até nós e eu fiz a minha melhor atuação de quem está acabando de acordar.

— Podem ir indo, eu vou procurar minha carteira. — Niall deu uma desculpa esfarrapada, se ele ficasse de pé era capaz de Liam pensar que a carteira dele estava dentro de sua cueca por causa do volume. Liam se virou de costas para caminhar para fora da van e eu me levantei para segui-lo, antes que eu começasse a andar Niall abaixou minha saia, eu o olhei e ele sorriu piscando para mim.

#–#–#–#–#–#–#–#

Durante a parada, nós todos ficamos em uma mesa fazendo a nossa refeição, Niall sempre me olhava com os olhos cheios de insinuações e eu apenas segurava o riso pela sua forma descarada de nem tentar disfarçar. As vezes quando eu não estava olhando para ele, ele me cutucava com o pé por baixo da mesa para ter minha atenção.

Quando voltamos para o carro o resto da viagem foi tranquila, eu e Niall não nos provocamos e isso pareceu encurtar a viagem. A partir do momento que o carro parou em frente a casa de campo, todos os garotos saíram da van correndo e eu fiquei sem entender, quando entrei dentro da casa todos estavam parados na frente da porta do quarto que tinha escolhido e eu só queria saber porque eu e Niall não fomos avisados que teria os jogos vorazes para saber quem ficaria em qual quarto.

— Pelo que eu pude ver, tem só mais esse quarto vago. — Zayn apontou para uma porta na frente a que ele estava de pé.

— Vocês são todos uns traidores, ninguém me avisou sobre essa corrida maluca. — Niall bateu os pés até o quarto restante.

— Falamos quando fizemos a parada, você tinha sumido. — Harry deu de ombros.

— Eu estava no banheiro, porra! — Harry fez uma careta para a ignorância de Niall.

— Teremos que ficar juntos desde que esse é o último quarto. — falei entrando atrás de Niall a tempo de vê-lo jogar a bolsa sobre o cama.

— Essa é a melhor parte… Não vamos deixar esses bastardos dormirem. — ele sorriu e caminhou até mim e me puxou pela cintura beijando meu pescoço.

Não deu tempo de fazer mais nada porque uma Eleanor animada entrou no quarto praticamente nos obrigando a ir conhecer o resto da casa, todos estavam bem dispostos e isso nos prendeu a eles quando iniciaram uma conversa para colocarmos na mesa tudo que cada um queria fazer.

As horas voaram e eu só me dei conta quando vi as pessoas darem boa noite e saírem em direção ao seus quartos, Niall e eu ficamos por último e ele me olhou sorrindo de um jeito que eu entendi o que ele queria dizer. Deixando de lado um pouco de vinho que restou no meu copo, eu me levantei e me sentei no colo de Niall iniciando um beijo rápido e intenso enquanto meus dedos iam de encontro ao seu cabelo puxando os fios de maneira firme.

Não demorou muito para que a temperatura do nosso corpo subisse e quando Niall estava quase tirando a minha blusa eu o impedi. Não poderíamos esquecer que havia mais pessoas na casa.

— Quarto! — sussurrei com meus lábios sobre os dele e os puxei entre os meus dentes.

Niall resmungou e no momento que percebi que ele não iria se mover para que chegássemos no quarto, eu o soltei e comecei a andar o deixando para trás.

— (Seu apelido)… —  Continuei andando e quando eu já estava de frente ao nosso quarto, Niall me alcançou, me empurrou contra a porta causando um som alto demais para quem estava tentando ser discreto e buscou meus lábios de forma faminta. Com um pouco de dificuldade eu alcancei a maçaneta da porta atrás de mim e a abri fazendo nós dois quase cair dentro do quarto.

— Calma… — sussurrei abafado por ter sua boca ainda sobre a minha.

— Eu estava com saudade. — ele se afastou fechando a porta e rasgou minha blusa me deixando surpresa.

— Bastardo! — ele riu me vendo segurar os dois pedaços de pano que uma dia foi a minha blusa.

—  Você não vai precisar dela. — o sorriso labino cafajeste brincava em seu rosto e antes que ele pudesse rasgar mais alguma coisa, eu tirei toda roupa que me restava e o ajudei a se livrar da própria camisa.

— Vamos logo com isso. — me deitei na cama o encarando esperando que ele ficasse nu como eu e assim ele fez estimulando um pouco seu membro antes de desenrolar sobre ele o preservativo.

— Você ficou ainda mais apressada com o passar do temp. — Niall riu deixando alguns beijos sobre a pele da minha barriga, subindo de encontro aos meus seios.

— Você já brincou muito comigo durante essa maldita viagem… Ah… — arfei ao senti-lo prender meu mamilo entre seus dentes.

— Já brincamos demais… — ele disse colocando uma de suas mãos em meu maxilar e iniciando um beijo rápido com certeza para me calar porque no segundo seguinte ele entrou em mim sem aviso e com brutalidade. Algumas estocadas e Niall mudou de posição, agora uma de suas mãos apertava minha cintura e a outra usava a cabeceira da cama como apoio para sair e entrar em mim com rapidez e força.

Qualquer esperança de manter a descrição foi completamente eliminada porque a cama batia contra a parede e rangia de forma que não tinha como impedir, nem mudando de posição melhorou a situação, a cama era ruim e escandalosa não importa o que fizéssemos.

— Hum… Eu… — não consegui formular a frase que eu estava tentando e apenas gemi mais alto quando atingi meu orgasmo ficando fora do ar por alguns breves segundos. Mantendo o ritmo das estocadas, Niall mordeu meu lábio fortemente e pelo jeito que seu corpo pesou sobre o meu, ele também chegou ao seu limite.

#–#–#–#–#–#–#–#

Acordei no dia seguinte sem Niall na cama, eu nem sei dizer quando eu peguei no sono na noite anterior, mas sei que meu corpo está leve e eu me sinto mais feliz. Já fazia algum tempo que eu não fazia sexo e não me arrependo de ter ficado com Niall mais uma vez.

Depois de tomar banho e me vestir, desci para a cozinha onde todos estavam presentes tomando o café da manhã, eu nem mesmo sei a hora, mas tenho certeza que não é cedo.

— Bom dia… — resmunguei com um pouco de preguiça e me sentei ao lado de Sophia.

— Niall destruiu você. — Louis riu enfiando um pedaço de pão na boca e Niall engasgou com o café —  Foi quase impossível dormir com a cama espancando a parede.

— Não seja um idiota. — revirei os olhos e me servi com um pouco de chá.

— Ele não está mentindo. — Harry que estava cozinhando algo se meteu na conversa — Realmente deu para ouvir, acho que as paredes são finas demais.

— Eu estava esperando o momento em que a parede não aguentaria e os dois fossem parar no corredor. — Zayn riu fazendo Louis rir também assentindo.

— Vocês estão com inveja. — Niall se pronunciou.

— Gostaria que não falássemos sobre esse tipo de coisa enquanto estamos comendo… Eu estou quase perdendo o apetite. —  Liam nos olhou apreensivo.

— Obrigada! — Gigi agradeceu a intromissão de Liam no assunto e logo tínhamos outro assunto comentar.




Desculpem qualquer coisa, vocês sabem que sou uma negação com hots mas você sempre insistem para que tenha.

Espero que tenham gostado. 

- Tay

Imagine - Niall Horan

Oi, gente! Eu sei que hoje era dia de Work 2.0, mas como é aniversário dessa coisa fofinha tem essa continuação! Espero que gostem! Beijos

anterior


Eu estava deitada com Charlie, assistíamos um filme infantil enquanto eu recebia carinho em meus cabelos. Haviam se passado dois meses desde que Niall veio com aquele papo de que amava outra pessoa. Louis prometeu que não seria mais meu cupido pois não queria mais me ver magoada.
Mas em um festival de música, em que acompanhei Louis, esbarrei com Charlie em um dos corredores depois que ele terminou de se apresentar com as meninas da Little Mix. Ele foi um fofo. Me pediu desculpas e conseguiu convencer que eu o acompanhasse para tomar um chá gelado, afinal, o dia estava terrivelmente quente.
Passamos a sair, sem compromisso, sem beijos ou andar de mãos dadas; até que ele disse estar muito afim de mim e me pedir em namoro. Fui recebida na minha própria casa com um, enorme, buquê de rosas e muitos beijos depois que disse sim. Foi quando tivemos nossa primeira noite juntos. E desde então, não me recordava Niall nem da tristeza que ele me causou. Eu me sentia feliz, depois de muito tempo.
- Você tem mesmo que ir? – Perguntei jogada nos braços dele, parados na porta.
- Você sabe que sim… – Ele sorriu e beijou minha testa. – Mas, podemos marcar algo para sábado.
- Só vamos nos ver daqui a dois dias? – Minha voz saiu esganiçada.
- Sim. – Ele fez bico e eu o puxei para um beijo longo.
- Tudo bem. – Disse quando nos separamos. – Até sábado!
- Até, minha linda! – Ele me beijou mais uma vez e foi embora.
Voltei para dentro do apartamento para limpar a bagunça que havíamos feito antes de irmos assistir filme. Depois de por tudo no lugar, lavar a louça e tomar um banho relaxante, vesti meu pijama e pedi pizza. Por volta das nove da noite já tinha jantado, arrumado tudo que precisava e assistia uma série que foi indicada por uma amiga.
Tudo estava um tédio. Até a campainha tocar.
Ao abrir a porta, por que meu olho mágico estava manchado, dei de cara com Niall. Os olhos vermelhos, assim como a ponta do seu nariz. Seus lábios tremiam e seu rosto estava úmido.
- O que aconteceu Niall? – Só me dei conta que falava, quando ouvi minha voz.
Niall explodiu em lágrimas e catarro. Foi puro instinto puxa-lo para um abraço e levá-lo para dentro do apartamento.
- O que houve? – Pergunto quando sentamos no sofá.
- Ela me traiu, (S/A). Eu estava apaixonado; ela me traiu! – Sua voz embargada quase me fez chorar junto.
- Eu sinto muito, Niall! – Digo com sinceridade.
- Eu não deveria ter vindo aqui. – Ele soluça. – Você deve me odiar.
- Nunca, Niall! – Digo sorrindo. – Você fez parte de muita coisa boa da minha vida; não seria justo comigo se odiasse você.
- Eu sou tão idiota. – Ele abraça o próprio corpo e deixa mais lágrimas caírem. – Eu te magoei tanto e vim até aqui para pedir ombro amigo.
- Você não é idiotia, apenas se apaixonou. Isso acontece! – Eu sorri para ele. – Eu não odeio você, eu respeito você demais e te tenho como um ente querido. Só não somos mais um casal.
- Obrigada por ser essa pessoa tão boa, (S/A)! – Ele sorriu.
Pus uma almofada em meu colo e dei duas batidinhas vendo o sorriso dele alargar. Niall deitou com a cabeça em meu colo e eu acariciei seus cabelos macios deixando eles enroscarem em meus dedos.
Fico assim por longos minutos. Até que ouço a respiração de Niall ficar mais leve e ritmada. Ele havia dormido. Sua expressão estava suave.
- Niall. – O cutuco se leve. – Niall, vai dormir lá no meu quarto. Você pode passar a noite aqui.
- Tudo bem. Eu vou lá. Estou acabado. – Niall caminha em direção ao corredor onde meu quarto ficava.
Foi até a cozinha para tomar um copo de água e, caminhando em direção ao quarto, fui apagando as luzes do apê.
No quarto, deitei ao lado de Niall há uma distância considerável.
- Você ainda tem o mesmo cheirinho. – Ele diz com a voz baixa.
- É. Não costumo trocar de perfume com frequência. – Respondo no mesmo tom.
Depois de algum tempo em silêncio, sinto a mão de Niall acariciar minha cintura.
- Não vamos misturar as coisas. – Tirei a mão dele da cintura. – Eu já estou comprometida. Eu estou com Charlie.
- Eu sei. Hm. Eu vi algumas fotos. Me desculpe.
Murmurei algo que agora não me recordo e dormi. Na manhã seguinte, Niall nem ficou para o café.

Sábado
- Amor, temos um casamento para ir. – Charlie diz enquanto mexe no celular. – Daqui a quinze dias mais ou menos. Vai ser uma coisa meio campo. Você vai ser minha acompanhante, né?!
- Isso é um convite? – O encaro sorrindo.
- Isso é uma solicitação! – Ele riu. – Vai comigo?
- Vou! Já vou começar a ver meu vestido.

Imagine com Niall Horan

Originally posted by narryintheam

“oi amor, faz um imagine do niall em que ele é cantor (solo) e ela é atriz, os dois namoram e o niall foi convidado p um programa e eles combinar de fazer pegadinha com a sn (falando que traiu ela e tudo mais) mas ai ela fala que esta gravida de outro mas na real ela sabia que ele ia fazer pegadinha com ela, entendeu?”

Eu resolvi juntar dois imagines, então eu posto a segunda parte depois que eu postar o final alternativo com o Zayn! Boa leitura!!!!!!!


S/n mandou mensagem, dizendo que já estava chegando no estúdio que eu iria gravar a entrevista no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon. Sorri maldoso lembrando do plano para trollar minha mulher, eu possivelmente estaria fodido depois disso. 

Comecei uma nova tour solo á quatro meses e não nos vemos desde então. Quase todas as noites fazemos chamadas de vídeos ou falamos por telefonemas, já que ela está atuando em um filme e precisa estar no estúdio todos os dias, fica quase impossível de nos encontrarmos. 

Liguei as câmeras dadas pela equipe e logo recebi uma mensagem de S/n avisando que tinha chegado no estúdio e que estava vindo para o camarim. Tentei fazer a pior cara possível, abaixei a cabeça e apoiei meus braços nas minhas pernas. 

A porta foi aberta e S/n entrou por lá. 

– Amor? – Correu até o sofá e me abraçou. – Eu senti tanto a sua falta. – Começou beijar minha nuca. – O que foi? 

– Eu estou ficando louco. – Tentei parecer sério. – Eu sinto muito por isso, eu sou um lixo. 

– O que aconteceu, amor? – Acariciou meu rosto. – Aconteceu alguma coisa na tour? – Tentou me selar, mas desviei. – Niall, o que aconteceu? – Ficou séria. Tentei segurar o riso. 

– Eu me sinto tão culpado. – Puxei levemente meus cabelos, levantando do sofá e sendo acompanhado por ela. 

– Você está me deixando preocupada, porra Niall. – Cruzou os braços. – Fala logo. 

– Antes de tudo, eu quero dizer que eu te amo, eu estava bêbado, você sabe que eu nunca faria isso sóbrio, eu estava tão carente.  – Suspirei.  – Eu estava me sentindo sozinho.  – Abaixei a cabeça. 

– Niall.  – Respirou fundo.  – Que merda você fez?  – Seu pé começou a bater rapidamente no chão. 

– Eu trai você.  – Disse de uma vez.  

– O que?  –  Colocou as mãos na cintura. 

– Me desculpe, eu te amo tanto.  – Tentei abraça-la mas ela me empurrou para longe.  – Não faz isso comigo, por favor. Eu estou me sentindo tão culpado. 

– Você transou com ela?  – Ela perguntou calma e eu assenti.  – Puta que pariu, Horan.  –  Começou me dar socos e tapas, eu apenas tentava segurar o riso deixando ela me bater. 

– Eu sinto tanto, amor.  – A segurei, fazendo olhar para mim, seus olhos já estavam cobertos por lágrimas.  – Por favor, me perdoa.

– Niall.  – Se afastou, limpando as lágrimas que desciam pelo seu rosto, confesso que estou me sentindo muito culpado por isso.  – Eu estou grávida.  – Disse e eu gelei.

– Eu… eu… meu Deus… Eu vou ser papai.  – Gritei tentando abraça-la mas ela se se afastou. 

– Você não vai ser pai, Horan.  – Suspirou.  – Estou gravida de 3 meses, descobri faz quase uma semana. 

– Como você está grávida de 3 meses sendo que nós não nos víamos á 4 meses?  – Cruzei os braços.  – PORRA.  – Gritei.  – VOCÊ ME TRAIU! 

– Chifre trocado não doí, amor.  – Sorriu cínica.  

– Eu não acredito que você fez isso comigo.  – Ela deu ombros, parecia não se importar.  – VOCÊ ME TRAIU E ENGRAVIDOU DE OUTRO HOMEM, VOCÊ TEM NOÇÃO DO QUANTO ISSO É SÉRIO? 

– Você também me traiu, Niall, qual a diferença?  – Cruzou os braços.

– EU NÃO ENGRAVIDEI NINGUÉM, PORRA.  – Eu provavelmente já estava ficando vermelho de tão nervoso, ela não demonstrava nenhuma reação.  – Você me traiu com quem? 

– Dave Franco.  – Ela disse e então explodi. 

– O QUE?  – Gritei.  – VOCÊ ME TRAIU COM ESSE BOSTA?  – SEGUREI FORTEMENTE EM SEUS BRAÇOS MAS ELA CONSEGUIU SAIR DE PERTO DE MIM.  – Porra, vocês estavam trabalhando juntos á mais de meses.  – Suspirei.  – Por quanto tempo?  – Meus olhos já estavam marejados. 

– Niall.  – Disse baixo, tentando relar em meu rosto.  – Amor, por favor.  – Acariciou meu rosto e eu dei uma fungada baixa.  – Niall.  – Ela me olhou e começou a gargalhar, o que? A empurrei levemente, fazendo ela se afastar de mim, enquanto ela gargalhava com a mão na barriga.  – Porra.  – Disse ofegante.  – Eu estou ficando sem ar. 

– Vai se foder.  – Sentei no sofá.  – Você acha que eu vou te perdoar depois disso? Somos casados á 2 anos, olha o que você fez comigo.  – Passei as mãos tentando limpar as lágrimas que já caiam. 

– Niall.  – Sentou-se do meu lado, colocando suas mãos em meu rosto. 

– Sai.  – Tirei suas mãos e ela gargalhou mais ainda. 

– Diga oi para The Tonight Show, amor.  – Ela disse ainda rindo e eu a olhei com os olhos arregalados.  – Dá tchauzinho, Niall.  – Apontou para as duas câmeras que eu escondi.

– O que? 

– Você acha mesmo que eu iria te trair, foi tudo armado, amor.  – Gargalhou colocando a mão na barriga. 

– NÃO ACREDITO QUE VOCÊ CAIU, NIALL.  – Jimmy entrou rindo com sua equipe gravando toda a cena. 

– Que porra é essa?  – Olhei para o lado e S/n estava caída no sofá gargalhando mais alto que o normal.  

– Você foi tentar pregar uma pegadinha com a sua mulher, mas na verdade quem caiu foi você.  – Jimmy riu e passou o braço nos meus ombros.  – O feitiço virou contra o feiticeiro. 

– Ela estava chorando, Jimmy. – S/n chegou perto de nós e roubou um beijo de mim, eu ainda estava intacto, não acredito que isso realmente aconteceu.  – Desculpa, amor.  – Fez bico, mas eu a ignorei e sai do camarim, deixando várias pessoas rindo da minha cara. 

– Niall, para com isso, por favor.  – S/n jogou o casaco no sofá, quando entramos em casa.  – Até quando você vai ficar assim comigo?  – Cruzou os braços, e eu não a respondi.  – Porra.  – Segurou meu braço e eu finalmente a encarei. 

– Eu estou de greve.  – Digo curto e grosso.

– O que?  – Arregalou os olhos. 

– Greve de sexo, sabe como funciona?  – Respondi e subi as escadas correndo, indo em direção ao nosso quarto. 

– Foi apenas uma brincadeira, Horan.  – Falou gesticulando com as mãos.  – Pare de ser bebê chorão, você estava fazendo o mesmo comigo. 

– Estou em greve, ponto final.  – Peguei meu travesseiro e fui andando até a porta.  – Vou dormir no quarto de hóspedes por enquanto.  – Falei e bati a porta do quarto, deixando uma S/n enfurecida lá dentro. 

Imagine Niall Horan

Pedido: “ Um q eles são bff e ela conta q eh apaixonada por ele mas ele começa namorar uma mina e dá um fora nela e fica ignorando, ela fica puta e pega o amigo dele e ele vê ai depois começa gostar dela, mas ela fica ignorando ele e tudo mais… final feliz”. - Anônimo.

Como não foi especificado qual o boy era para usar, escolhi o Niall; porque tem poucos pedidos com ele. Me desculpem o tamanho no imagine, mas acabei me empolgando um pouquinho e não queria fazer em duas partes. Espero que gostem! (nem tá tão grande!

Ah, me desculpem por aquele diz que postei ele sem querer! hahah Fiz algumas mudanças e corrigi ele…. Beijos!!

****


Eu e Niall sempre fomos muito próximos, muito ligados um ao outro. Ao longo do tempo, e com a nossa forte convivência, eu acabei desenvolvendo sentimentos por ele. Sentimentos fortes. Eu me apaixonei pelo meu melhor amigo.

Mas nunca contei para ninguém. E viver por anos com um sentimento guardado só para você é sufocante. Me faz mal de certa forma. E por já estar completamente sufocada com esse sentimento, que eu resolvi contar para ele.

Sei que pode ser arriscado, mas tenho que fazer isso. Eu corro o grande risco de perder a minha amizade com ele, e isso me apavora. Mas tenho que, ao menos, tentar e arriscar. 

Esse é o mínimo. Não é?!

Nós estamos juntos nesse exato momento, estamos jogados no sofá da minha casa comendo algumas besteiras enquanto ele fala como foi o jogo de futebol ontem. E eu estou me preparando para contar para ele o que eu sinto. Respiro fundo, conto até dez e falo.

- Niall, preciso falar com você.

- Pode falar, S/A. – sorriu para mim.

- Pode parecer loucura, mas eu desenvolvi um sentimento diferente por você. Não foi proposital, apenas aconteceu. E eu me apaixonei por você. – o encarei. – Aconteceu, eu não tive como controlar. Quando eu percebi, eu já estava envolvida. – suspirei. – Eu guardei isso pra mim por um tempo, mas isso me sufoca. Eu achei que deveria te contar.

- S/N, eu… não sei nem o que te falar. – passou a mão pelos cabelos, nervoso. – Mas isso não é recíproco, eu não sinto o mesmo pro você. Eu estou ficando com uma menina agora. – foi como se me coração se partisse em vários pedacinhos. – Eu sinto muito, mas eu não posso fazer nada por você. Eu não posso te iludir, porque eu não gosto e você desse jeito.

- Tudo bem, Niall. – suspirei. Ele está ficando com alguém? Ele não tinha me falado isso… – Eu apenas me sinto aliviada por ter te contado. – ele sorriu.

- Bom, não me leve a mal, mas eu vou indo. Marquei um encontro com ela hoje! – falou animado. – Tchau, S/N. Até mais.

Talvez um soco teria doído menos que isso. Era como se sentisse os cacos do meu coração dentro do meu peito. Isso foi cruel.

Mas o pior é que não parou por ai. Ele simplesmente começou a me ignorar, não parecia que éramos amigos de anos, era como se fôssemos meros conhecidos.

Eu não fiquei chateada apenas pelo fora que eu levei dele. É um direito dele, afinal. Mas eu estou puta da cara com ele por outros motivos.

Oras, acima de tudo nós éramos melhores amigos, confidentes. Ele escondeu seu relacionamento de mim, como se eu não merecesse saber. Isso me machucou um pouquinho mais.

Hoje, depois de muita insistência das minhas amigas, resolvi ir em um barzinho com elas. Não sei ao certo quem vai, mas acho que será bom me distrair um pouco.

A noite estava agradável, estava me divertindo bastante. Até ver Niall entrar pela porta bem à minha frente, com uma loira até que ajeitadinha, mas sem graça, pendurada no seu pescoço.

Tentei ao máximo ignorar sua presença, já que ele não estava na mesma mesa que eu e meus amigos. Estava dando certo.

Eu já tinha bebido mais do que deveria, estava soltinha e animada. Eu dançava na pista de dança como se não houvesse amanhã. Bruce, o melhor amigo do Niall, chegou perto de mim e ficou dançando comigo.

Eu estava puta da cara com o Niall, ele não teve, se quer, a decência de me cumprimentar e ficava se agarrando com aquela loira o tempo todo.  

Eu me virei para o homem alto, musculoso e muito bonito atrás de mim e o beijei. Loucura minha, mas foi ótimo ver a cara que o Niall fez. Ele ficou vermelho de raiva e fechou a cara. Mas o ignorei completamente, assim como ele estava fazendo comigo; e passei o resto da noite ao lado do Bruce.

Acordei com uma dor de cabeça terrível. Eu realmente não posso beber muito. Fiz um café bem forte e decidi que passaria o dia enrolada nas cobertas. A campainha tocando fez minha cabeça doer ainda mais.

Abri a porta e ao ver quem era, me arrependi de ter feito isso.

- Você pode explicar o que foi aquilo ontem?

- E você pode me explicar desde quando eu te devo satisfações da minha vida?

- Desde quando somos melhores amigos. – ri.

- Ah, você não parece ter se lembrado disso quando escondeu de mim algumas coisas e quando passou a me ignorar, agindo como se não me conhecesse.

- Tá, ok. Eu errei. Mas você não tinha o direito de ficar com o meu melhor amigo.

- Claro que eu tinha direito. A vida é minha, eu sou livre e posso fazer o que eu quiser. Agora você não tem o direito de se meter na minha vida, depois de tudo que você fez, querendo controlar o que eu faço. Porque você não pode. – ele me olhou e suspirou.

- É tarde demais para pedir desculpas e dizer que eu me arrependi? – rolei os olhos.

- É, é tarde demais, Niall. Tchau. – iria fechar a porta, mas ele a segurou.

- Por favor. Eu estava errado, me arrependi do que eu fiz. – se aproximou de mim e me vi perdida na imensidão azul que são seus olhos. Ele encarou minha boca e eu me vi fazendo o mesmo, encarando a sua boca avermelhada.

Ele se aproximou mais um pouco e grudou nossos lábios, iniciando um beijo o qual eu não correspondi. Ele se afastou de mim e me olhou confuso.

- Não é assim, Niall. As coisas não funcionam assim. – o afastei de mim. – Você escolheu que as coisas fossem assim, e você está com uma menina agora. Não vai ser você vindo aqui, me dizendo essas coisas e querendo me beijar que vai apagar o que você fez. Você não vai brincar com os meus sentimentos.  – abri a porta. – Agora me dê licença, que eu tenho mais o que fazer.

- S/N… – não o respondi e desviei meu olhar.

Ele abaixou a cabeça e saiu da minha casa.

Se ela acha que será fácil assim, se enganou. Eu irei pagar na mesma moeda.


**

Niall Point Of View

**


Ontem quando eu vi S/N se agarrado com Bruce, que se dizia meu amigo, fiquei louco de ciúme.

Só então eu vi que eu gosto dela, mais que como minha amiga. Mas eu acabei sendo um idiota com ela, e agora ela está puta da cara comigo. E não tiro a razão dela.

Mas eu não sei como eu vou provar que eu me arrependi do que eu fiz e que eu gosto dela de verdade se ela não quer nem olhar na minha cara.  

Flores, chocolates, cartões… tudo estava na minha lista de como reconquistar ela. Mas eu acho que, acima de tudo, eu precisaria falar o que eu sinto.

Eu encarava a porta branca na minha frente tremendo, mal conseguindo segurar o buquê em minhas mãos. Mas o que eu iria falar, afinal?

- Vamos lá, Niall. Você consegue… – respirei fundo. – Ok… S/n… eu queria pedir desculpas por tudo que eu fiz, e pelo modo que eu agi com você. Eu sei que foi completamente errado e eu estou profundamente arrependido… – bufei. Isso está péssimo. – Eu só queria o seu perdão e uma chance. Pra fazer diferente, fazer o certo. Eu prometo que farei de tudo para você não se arrepender e não te decepcionar. – bufei novamente. – Eu só tenho que falar que estou apaixonado por ela. Só isso.

- Falando sozinho, Niall?!  - escutei uma voz que conhecia muito bem e senti meu corpo gelar. Há quanto tempo ela está ai?

- O…oi. – disse completamente sem graça. – Você está ai há quanto tempo? – ela sorriu.

- Há tempo suficiente! – disse e se jogou nos meus braços, beijando meus lábios.

Rapidamente envolvi sua cintura com meus braços e a apertei contra meu corpo e aprofundei ainda mais o beijo. O beijo foi finalizado lentamente, quando já nos faltava ar, com vários selinhos.

- Eu acho que posso te dar uma chance! - sorri bobo - E eu realmente espero não me arrepender! – ri e a beijei novamente, com mais vontade que antes.

*

One Shot Liam Payne 

Semana LPayne ♡

Basta um só segundo para que tudo saia dos eixos, o presente bagunça o futuro e decisões causam consequências assustadoras, mas nada é culpa exclusivamente de uma pessoas, as coisas acontecem às vezes sem conseguirmos ao menos perceber.

Foi o que aconteceu com (seu nome), no auge de sua vida tudo era maravilhoso, ela tinha um namorado incrível, amigos maravilhosos e uma vida movimentada por coisas boas e pessoas legais, mas então teve um declínio tão grande que ninguém imaginou que ela, anos depois estaria em um lugar sequer parecido com o que ela se encontra. As pessoas fazem coisas que muitas vezes não querem para sobreviver, não podemos julgá-las por não poderem fazer a escolha de uma vida melhor.

Ela se lembra muito bem como era antes de toda a merda acontecer, tudo era tão bom que parecia sonho, a vida era ótima para se viver e 24 horas eram nada perto das coisas que ela queria animadamente fazer com seu namorado e amigos.

— Temos uma entrevista em uma rádio em Los Angeles. Você vai com a gente, não vai, (seu apelido)? — Niall perguntou olhando a garota sentada no colo de um de seus amigos.

— Mas é claro que ela vai! — Liam falou apertando-a mais contra seu corpo e deixando um beijo em sua nuca.

— Não é assim, Lee… Você sabe que minha mãe tem que concordar. — (seu nome) já tinha a maior idade completa, mas respeitava demais a opinião de sua mãe e não fazia nada sem antes consultá-la.

— Eu me entendo com a sogrinha. — Liam disse com humor fazendo (seu nome) rir, sua mãe o adorava.

— Ótimo! — Niall comemorou correndo até seu computador no sofá — Eu já vou fazer o nosso cronograma, tem uma boate gay incrível em Los Angeles, uns amigos meus foram lá e disse que vale a pena ir independente do gênero. Tem também um restaurante tailandês que podemos ir no outro dia, um spa e ainda teremos um tempo para ir para Las Vegas.

— Eu ouvi boate gay? — Harry perguntou descendo as escadas e Louis vinha logo depois dele com o cabelo molhado do banho que havia acabado de tomar.

— Niall está fazendo planos que não vamos levar em consideração. — (seu nome) diz e Liam ri da cara que Niall faz.

— Eu só quero que tenhamos uma boa estadia em LA. — Niall fecha no notebook assim que Louis senta ao seu lado, Harry ocupa a poltrona no canto da sala.

— Uma boa estadia será nós cinco em um quarto de hotel fazendo qualquer coisa. Eu não me interesso muito por boates incríveis, spa maravilhosos ou cassinos de Las Vegas quando eu tenho meu namorado e meus amigos juntos rindo de alguma bobagem. — o sorriso de (seu nome) era gigante ao finalizar essas palavras, ela apenas disse a verdade, no fim do dia o que importava mais era a quantidade de vezes que eles haviam dado risada juntos.

— Você encontrou uma namorada tão fofa, Liam. — Zayn disse desviando a atenção do celular que em suas mão.

Essa era a vida de (seu nome), tudo o que ela mais gostava e desejava ao abrir os olhos toda manhã era estar com seus amigos e namorado o resto do dia. Mas as coisas nem sempre continuam a ser o que eram, enlouquece perceber a rapidez com que a noite muda. Tudo que você sempre sonhou desaparecendo quando você acorda.

— EU NÃO QUERO MAIS ISSO! — Harry gritava em meio às lágrimas, algum desentendimento com um dos meninos o deixou completamente raivoso — VOCÊ É UM TRAIDOR DE MERDA, LOUIS! POR ISSO ZAYN NÃO ESTÁ MAIS AQUI!

— NÃO FALE PALAVRÕES HAROLD, VOCÊ VAI SE ARREPENDER DEPOIS! — Louis gritou de volta e tudo que recebeu foi um empurrão.

— MEU NOME É HARRY! HARRY! — Louis sempre o chamava de Harold e ele gostava, mas não é o caso no momento.

— Por favor, gente, não vamos perder a cabeça. — Niall se direcionou à Louis e Harry que se encaravam e olhar raivoso de Harry estava agora em sua direção.

— VOCÊ TAMBÉM SABIA! VOCÊ SABIA E MESMO ASSIM FEZ PARTE DESSA TRAIÇÃO NOJENTA! TODOS VOCÊS! QUE TIPO DE AMIGOS VOCÊS SÃO? — Harry se jogou no sofá cobrindo o rosto com as mãos e quando Louis ia se aproximar (seu nome) o parou indo até o cacheado acariciando suas costas.

— Ele se arrependeu, Harry… Notamos isso no momento em que ele chegou falando que tinha mexido em suas coisas, no momento que ele disse que agiu por impulso quando fez o que fez. Você não viu os olhos dele, não viu como ele estava arrependido. — (seu nome) tentou melhorar as coisas.

— Eu estou fora… Estou fora! — Harry falou decidido — Não quero estar na banda com o Louis, não quero olhar na cara dele. — seu olhar cortante foi direcionado a Louis, ele não podia reprimir a vontade de olhá-lo mesmo que tudo que tenha nos seus olhos seja raiva.

— Eu saio Harol- Harry… Eu sempre fui um peso morto para banda mesmo. — Louis dá de ombros tentando mascarar sua dor.

— Ninguém vai sair, vocês são adultos se resolvam como tais. — (seu nome) tentou.

— Zayn já saiu e não ache que suas palavras mudam alguma coisa… Você é só a namoradinha do Liam. — Harry cuspiu as palavras sem medi-las, se tivesse o feito saberia o peso delas.

— Eu também não vou ficar. — Liam disse depois de se manter completamente em silêncio durante toda a discussão — Depois que Zayn saiu eu pensei muito sobre a minha vida, eu tenho algumas coisas para fazer sozinho.

— Liam, você não pode… — (seu nome) começou, mas parou quando o viu negar com a cabeça.

— Eu posso sim (seu apelido), me desculpe deixar você saber desse jeito, mas eu acho que temos que terminar.

O mundo pareceu girar em câmera lenta, o chão pareceu ruir debaixo de seus pés e o céu cair sobre sua cabeça. (Seu nome) não podia acreditar no estava acontecendo, cada um de seus amigos e namorado estavam a virando as costas cada um caminhando para uma direção diferente enquanto ela ficava no centro sozinha os assistindo partir.

Os dias atuais não são nada animadores para (seu nome), um ano depois que os meninos foram embora sua mãe descobriu que estava doente, o estágio da doença era avançado demais e mesmo vendendo a casa que tinham e gastando todo o dinheiro da venda em remédios e tratamento, não foi o suficiente para manter sua mãe viva. Completamente sozinha e sem sem casa, (seu nome) começou a trabalhar em um bar que mais parecia uma espelunca no bairro em que cresceu, o dono do estabelecimento a deu uma quantia de adiantamento para que ela pudesse alugar quarto em uma pensão velha para poder ficar.

No início era tudo muito assustador, os bêbados do bar passavam as mãos sujas por seu corpo a deixando assustada e sempre que ela corria para longe, o dono do lugar ia atrás dela a lembrando da dívida que tinha com ele e ela era obrigada a voltar e aguentar tudo calada. Isso sempre a rendia um longo momento de choro antes de dormir, mas a medida em que o tempo foi passando, aquilo foi se tornando normal em seu dia a dia que não importam mais quantas mãos passaram em sua bunda enquanto ela andava pra lá e pra cá servindo mesas. Aquela era sua única forma de sobreviver.  

O sininho do bar tocou enquanto (seu nome) estava do outro lado do balcão folheando uma revista velha de moda e tragando um cigarro, ela nem se deu o trabalho de levantar sua cabeça para olhar quem havia entrado, conhecia cada pessoa que frequentava aquele lugar.

— Com licença, eu estou procurando (seu nome completo) e me disseram que eu poderia encontrá-la aqui. — aquela voz fez (seu nome) engasgar com a fumaça de seu cigarro, não poderia ser ele ali, não depois de todos os dois longos anos que se passaram.

Lentamente levantando a cabeça, (seu nome) teve a visão de Liam. Ele estava diferente, diferente para melhor, claro que a vida dele tinha sido muito melhor que a dela. Quase riu quando os olhos dele se arregalaram ao reconhecê-la naquele cabelo curto e maquiagem carregada, ele com certeza não esperava encontrá-la daquele jeito.

— O que você quer com ela? — ela perguntou com sarcasmo enquanto um sorrisinho debochado brincava em seus lábios.

— (Seu nome)? — Liam ofegou sem acreditar nos próprios olhos — Meu Deus!

— Informação demais para você? — ela voltou a tragar seu cigarro e se aproximou de Liam assoprando a fumaça em seu rosto. Ele fumava quando namoravam e ela tentava fazê-lo parar e agora quem fuma é ela.

— Eu… Eu… Os meninos estão lá fora. — ele disse ainda sem saber ao certo o que dizer.

— Que ótimo, eles não se deram o trabalho de entrar. Você pode voltar até eles e desaparecer de volta para o buraco de onde vocês saíram. — voltando a folhear a revista, (seu nome) ignorou a presença de Liam.

— Não faz assim, estamos aqui por você. — Liam tentou segurar a mão dela, mas tudo que conseguiu foi fazê-la se afastar.

— Receio que vocês tenham chegado um pouco tarde depois de terem me abandonado como um saco de merda na estrada. — mais uma vez os olhos de Liam se arregalaram, agora com as palavras usadas, (seu nome) sempre foi contra palavrões.

— Nos dê uma chance, estaremos no hotel da cidade esperando você para jantar amanhã pode ser? — ele perguntou quando viu que não teria nada dela naquele momento.

— Não posso impedir vocês de esperar. — ela deu de ombros não dizendo nada e nem o assistindo sair.

Na noite seguinte (seu nome) estava parada do lado de fora do hotel mais bonito da cidade, ela estava com seu fiel companheiro - o cigarro - na boca decidindo se entrava ou não, até que jogou o que restou do cigarro no chão e pisou sobre ele com seu coturno que em nada combinava com o vestido vermelho curto que escolheu colocar. Resolvendo não pensar em mais nada, ela entrou rumando em direção ao lugar que ficava restaurante.

Ao olhar a garota que um dia foi a sua namorada, Liam sabia que a mãe dela não gostaria daquele vestido, ele lembra toda a inocência que ela perdeu. Tudo que Liam poderia fazer era se arrepender por tê-la deixado para trás.

— O que vocês querem? — (seu nome) perguntou deixando seu corpo cair sobre a cadeira deixando escondida a surpresa de ver Zayn também presente ali.

— Eu estou feliz em ver você, (seu apelido). — Niall disse sorridente e seu sorriso sumiu com o que veio a seguir.

— Meu nome é (seu nome)! — ela se encostou na cadeira.

— Estávamos pensando em você e resolvemos te procurar, as coisas se resolveram entre nós. — Harry falou e olhou para Louis.

— Me deixa muito, muito feliz mesmo que o mundinho de vocês tenha voltada a se colorir. — ela usou todo o sarcasmo que juntou durante os anos para usar na frase — Se era só isso, eu tenho que ir trabalhar. — ela tentou se levantar, mas Liam a segurou.

— Você chama aquilo de trabalho? — Liam pergunta e (seu nome) se solta dele rapidamente.

— Eu chamo aquilo de sobrevivência. Quando não se tem ninguém no mundo, as pessoas aprendem a sobreviver por conta própria, Liam. Nem todo mundo é um merdinha privilegiado como você. — todos estavam boquiabertos naquela mesa, todos menos Liam que já havia experimentado uma dose disso quando a encontrou pela primeira vez.

— Sua mãe… — Liam começou.

— Morreu! — (seu nome) disse antes de caminhar rapidamente para fora daquele lugar, não ficaria ali perdendo tempo com aquelas pessoas que em nada se importam com ela.

Quando estava quase atravessando a rua, uma mão a puxou encurralando-a entre braços e seus lábios foram tomados pelos lábios de alguém que ela reconheceu ser Liam no mesmo segundo. O beijo era rápido e desajeitado pela surpresa, mas não deixou de ser delicioso e causador de uma explosão de sentimentos que a muito ela não sentia. Seu coração bate forte demais e ela não quer que isso pare.

— Eu ainda te amo… — Liam diz ao finalizar o beijo, suas testas coladas e olhos fechados — Posso te pegar amanhã a noite? Temos muito o que conversar.

— Não posso te impedir de tentar.

É o que (seu nome) diz antes de se afastar e virar de costas sorrindo como há muito tempo não fazia, ela estava novamente derretida nos braços de Liam, mas não deixaria ele pensasse que seria fácil. Caminhando de volta para o bar que era o seu ganha pão, ela não pôde deixar de tocar carinhosamente seus lábios repetidas vezes.




Eu não estendi mais o final porque já estava dando cinco páginas do word e eu fiquei com medo do tumblr não aceitar 1s inteiro como ele faz as vezes.

Eu espero que gostem e que mandem muito amor para o Liam no dia dele (amanhã) porque ele merece. ♡ 

- Tay

Pedido:Faz um do Louis que ela é amiga da Lottie,aí ele fala que tá afim dela para os meninos.(ela tem um crush por ele)

N/A: o 1s se passa no ponto de vista do Louis.


***
Os meninos riam e conversavam animadamente,tentava o máximo possível me concentrar na conversa e interagir,mas um emaranhado de pensamentos povoava minha mente.

- O quê você acha? - A voz de Liam soou mais alto. - Louis?

Pisquei algumas vezes e prestei atenção nos meninos que me observavam esperando uma resposta.

- Desculpa… - Suspirei pesadamente. - … Eu não estava prestando atenção.

Todos eles pareciam decepcionados pela minha ausência de atenção na conversa.

- Cara,o quê está acontecendo?- Niall foi o primeiro a me questionar e percebendo o que iria responder ele logo se adiantou. - Não vem falar que não é nada porque todo mundo já percebeu que de uns tempos pra cá você anda todo estranho.

Sabia que eles não me deixaria em paz até que eu contasse tudo,mas não tinha ideia de como contar que estava afim da melhor amiga da minha irmã e que a mesma só tinha 17 anos.

- Tá bom! - Exclamei e os garotos começaram a se arrumar mais perto de mim. - A sete ou oito meses atrás “conheci” uma menina…

- Mas isso é maravilhoso Tommo! - Niall exclamou animado e fiz uma careta. - Por quê essa cara?

- Porque não é tão simples assim. - Bufei irritado. - E eu não sei o quê fazer.

- ‘Tá,mas quem seria essa garota? Nós conhecemos?

Harry indagou curioso e o Niall e Liam me olharam em expectativa.

- Sim, vocês a conhecem.

- Meu Deus Louis! Fala logo de uma vez quem é ela!

Niall gritou agoniado arrancado risadas dos outros dois meninos e de mim.

- OK… Vocês conhecem a (S/N)?

- A amiga da Lottie? - Harry perguntou e apenas assenti. - Você está fudido meu caro.

- Nem tanto,idade não é tudo. - Liam tenta me consolar. - Eu e Cherryl,somos a prova viva disso,idade não é nada.

- Mais isso porque você e a Cherryl são maiores de idades e mesmo assim passaram o maior sufoco por causa da diferença de idade. - Niall falou mas logo tratou de amenizar. - Mesmo ela também correspondendo esse sentimento, você sabe que pode ir parar cadeia por causa disso né?

- Como assim? Ela também gosta de mim?

Ignorei completamente a outra parte e senti uma pontada de esperança me preenchendo.

- É…É que eu ouvi ela conversando com a Lottie.

- Você estava ouvindo a conversa dos outros Niall? - Liam deu um sorriso travesso. - Que coisa feia!

- É…qu…é que estava passando pelo quarto da Lottie e ouvi. - Niall tentava de toda maneira se explicar e parecia querer explodir de tanta vergonha. Seu rosto estava todo vermelho e ele não parava de gaguejar. - Eu na… Não estava lá espiando.

Isso foi o estopim para Harry e Liam começarem a gargalhar do loiro,que por outro lado ficava cada vez mais vermelho.

- OK, OK… - Tentava não rir . - Todos entendemos.

Os meninos pararam de rir- depois de quase se mijarem- e Harry foi o primeiro que falou.

- Se você realmente gosta dela e quer conhecer melhor,nada melhor do que uma conversa.

- Concordo com o Harry. - Liam secou uma lágrima do seu olho e sua postura voltou a ficar séria. - Conversa com ela e fala sobre seus sentimentos por ela e que deseja conhecer ela melhor…

- Isso! - Niall exclamou animado. - E convida ela para algum lugar.

- Vocês acham que daria certo? - perguntei incerto.

- Sim!

- Claro!

-Não tem erro!

Todos me responderam animados passando o máximo de confiança para mim.

- Certo,mas como vou fazer isso? - Me sentia como um adolescente nervoso prestes a dar o primeiro beijo. - Ela vive colada com a Lottie e eu não iria conseguir fazer isso na frente da minha irmã.

- Bom… - Harry colocou a mão no queixo e fez uma cara de pensativo. - Nós. - Apontou para Niall,Liam e ele. - Podemos distrair a Lottie enquanto você conversa com ela.

Liam e Niall pareceram gostar da ideia,eles trocaram um olhar e voltaram a olhar para mim.

- Louis estou morrendo de fome, será que podemos fazer uma pausa pro lanche e depois continuamos? - Niall me olhou com uma cara de pidão. - Por favor.

Assenti e me levantei para ir preparar um lanche para nós, Niall veio comigo e Harry e Liam ficaram lá em cima. Fazia os lanches junto com Niall até que o mesmo disse que estava com vontade de usar o banheiro e saiu me deixando sozinho.
Fritava batatas e cantarolava baixinho.

- Isso me parece ótimo! - Uma voz suave e muito conhecida por mim exclamou me assustando. - Desculpa,não quis te assustar. Mas me parece ótimo,tanto as batatas como sua voz.

Me virei e olhei para ela,(S/N) definitivamente era perfeita! Seus olhos castanhos tinham um brilho único e seu sorriso era de tirar o fôlego. Senti meu coração acelerar e minhas mãos começaram a suar,era ridículo o quanto ficava nervoso ao lado dela.

- Obrigado. - Falei meio sem graça. - O quê você está fazendo aqui? Quer dizer,não que você não possa,mas é estranho não te ver com a Lottie.

Me senti estúpido assim que terminei de falar e sua risada soou pela cozinha.

- É que a Lottie me pediu para fazer um lanche para nós duas. - (S/N) sorriu de lado. - Então como uma boa amiga que sou,vim fazer os lanches.

Sabia que isso tinha dedo dos meninos e que eles esperavam que eu a convidasse e me declarasse pra ela.
Isso me deixou mais nervoso do que estava,tremia levemente e o suor que antes era apenas na palma dá mão começou a se espalhar por todo meu corpo.

- Posso te ajudar,se você quiser. - Agradeci aos céus por falar sem gaguejar,estava me portando como um adolescente e (S/N) parecia tão leve e calma. Ela assentiu e sorriu. - Certo,pega duas bacias lá em cima. - Apontei para a porta. - E copos.

Por ser um pouco alto (S/N) teve dificuldades para pegar os copos e as bacias.
Desliguei o fogo e coloquei as batatas nos potes enquanto (S/N) colocava coca-cola nos copos.

- (S/N). - Sussurrei seu nome mas foi o suficiente para ela ouvir e olhar para mim. - Eu gostaria de te falar uma coisa antes de subirmos. - Como ela não respondeu decidi continuar. - Bom,a alguns meses,quando fomos devidamente apresentados,me interessei de cara por você. - Sua feição se tornou em choque puro. - Sim,eu sei que é loucura,mas eu gostei mesmo de você e desde então venho te admirando. Queria muito ter uma oportunidade de encontro para se conhecermos melhor, isso é, apenas se você quiser.

(S/N) tinha seu rosto corado e sua feição ainda era de choque. Seria bastante fofo se eu não tivesse tão nervoso e a beira de ter um colapso.

- Bom… - (S/N) sussurrou depois de um tempo calada. - … Eu adoraria.

Senti um peso enorme sair do meu corpo e suspirei em alívio,olhei para (S/N) que sorria envergonhada e retribui o sorriso.

- Sério? - Ela assentiu mordendo os lábios. - OK, no parque de diversões que foi inaugurado essa semana,te pego às 19:00?

- Perfeito!

O seu sorriso tímido era apaixonante e quando ela pegou as coisas para subir para o quarto da Lottie a impedi.

- Desculpa,mas preciso fazer isso.

Encostei meus lábios no dela,um contato leve e rápido mas totalmente bom. Ficamos assim por um tempo antes de se afastarmos e a mesma sair quase que correndo da cozinha.
Sentia o gosto de framboesa do seu gloss e a textura de seu lábio macio no meu.
Sai da cozinha com um sorriso bobo no rosto e no momento que abri a porta do meu quarto os meninos começaram a gritar me parabenizando.

- Eu não acredito que vocês estavam nos espionando! -falei indignado. - Vocês são piores que aquelas vizinhas fofoqueiras.

Eles começaram a protestar sobre a comparação “exagerada” que tinha feito e falamos sobre como me portaria e como seria o meu primeiro encontro com (S/N).

***

N/A: eu coloquei uma cena com a (S/N) porque iria ficar muito parado o 1s hehehe.

Eu estava pensando em fazer continuação desse 1s e mostrar como seria o encontro deles,mas eu estou em dúvida se faço ou não.

Espero que tenham gostado (já não posto a um tempão e estou meia enferrujada).


Obrigada a quem não desistiu de nós ❤❤❤


Mah xx

Imagine - Niall Horan

Espero que gostem! Beijos 

Pedido:  Mulher sua linda vc voltouuuu ❤️❤️❤️ Ja vou pedindo um imagine com o Niall… queria um que ele apresenta ela pra família é uma prima dele começa a implicar com a s/n… durante um almoço a menina faz a s/n passar vergonha falando que ela é uma vagabunda por fazer sexo com o Niall na casa dos pais dele. Achando isso errado!! Bem BAFOOOO rs Estava com sdds 💙😘


- Amor, eu já estou pronta! – Parei na ponta da escada.

- Você está linda, (S/A)! – Niall levantou-se do sofá e veio até a ponta da escada.

- Obrigada. – Depois de descer os degraus e deixei um beijinho em seus lábios.

- Vamos?

- Claro! – Peguei minha bolsa da poltrona e caminhamos até o carro do Niall.

Ele dirigiu por alguns minutos entre ruas e vias pouco movimentadas até chegar em frente de uma casa lindíssima. Descemos do carro e caminhamos lado a lado com Niall que segurava minha mão. Ainda do lado de fora da casa, podíamos ouvir os sins de risadas e conversas altas.

- Estão animados! – Niall comentou e sorriu.

Esperamos em frente a porta depois de Niall apertar a campainha. A porta foi aberta e Maura apareceu sorrindo.

- Tudo bem, minha querida? – Maura avançou me abraçando.

- Saudades quando eu era prioridade. – Niall resmungou.

- Você ainda é minha prioridade, mas falo com você com mais frequência! – Maura abraçou Niall e deu uma piscadinha para mim.

- Estão todos lá no jardim? – Niall perguntou e Maura assentiu.

- (S/A) vai comigo para a cozinha! – Maura me puxou pela mão.

Ficamos nos divertidos na cozinha que estava abarrotada de mulheres. Fui apresentada uma por uma e rimos à beça.

Josi, uma das primas de Niall, digitava algo nervosamente no celular e de tempos em tempos me encarava. Quando o churrasco estava quase pronto, fui atrás de Niall no jardim que ficava nos fundos da casa, onde só os homens estavam.

- Ah, não! Uma mulher invadindo nossa área! – Bobby gritou assim que me viu. – Me dê um abraço, querida!

Depois de abraça-lo e ser apresentada a alguns membros da família, me aproximei de niall segurando sua mão.

- Niall, onde fica o banheiro? – Perguntei ao seu ouvido. Estava muito apertada para fazer xixi.

- Vem, eu te levo.

Segurando minha mão, Niall caminhou comigo pela casa; subindo alguns degraus parou de supetão e beijou meus lábios com força.

- Eu preciso mesmo fazer xixi. – Murmurei ofegante após me separar de Niall.

- Está bem. – Niall riu e me levou até uma portinha marrom. – Entregue! Quer que eu te espere aqui?

- Sim! Por favor! – Ri.

Terminei o que tinha para fazer e sai, encontrando Niall escorado na parede. Dei um selinho nele e de mão dadas, descemos pela escada.

- Obrigada! – Beijei sua bochecha.

Ao sentarmos na mesa onde a família estava reunida, Josi me encarava com a sobrancelha arqueada.

- A transa foi boa? Vadia! – Ela perguntou em frente a família. – Sempre achei um absurdo casais que não respeitam a família.

- Do que você está falando? – Niall perguntou.

- Da rapidinha que vocês deram agora. – Ela sorriu.

- Ainda não sei do que você está falando. – Niall insistiu e eu corei violentamente.

- Sabemos que vocês saíram de fininho para transar lá em cima. Foi na cama da tia Maura?

- Chega! – Niall berrou. – Fui ajudar a (S/A) achar o banheiro. Esperei do lado de fora. Depois descemos de novo. Não fizemos nada. Não faríamos nada. Respeito não só minha namorada como minha família também!

- Niall… – Sussurrei e segurei sua mão.

- Não, (S/A)! Ela está falando besteira. Isso não é justo comigo nem com você! – Ele passou a mão pelos cabelos.

- Niall, querido, por favor, se acalme! – Maura veio para nosso lado e passou a mão pelas costas do meu namorado em um carinho lento. – Sabemos que você não fez nada disso… Josi está sendo completamente desnecessária. Vou pedir que você se retire, Josi, por favor!

- Isso não é necessário… por favor… não… – Falei baixinho vendo aquela confusão.

- (S/A), aqui protegemos a família e você faz parte dela. – Maura veio para meu lado. – Josi não tem mais nada para fazer aqui.

A garota bufou alto e em passos barulhentos saiu da sala de jantar. Niall jogou-se na cadeira e bufou. Minhas mãos tremiam e eu pedia baixinho para que elas parassem.

- Está tudo bem. – Niall segurou uma das minhas mãos entre as suas. – Me desculpe por isso…

- Tudo bem. – Suspirei. – Podemos ir para casa? Ou, de repente, pede um taxi para me levar…

- Niall te leva, meu bem. – Maura me fez levantar e me puxou para um abraço. – Nos desculpe por isso.

- Não há motivos para se desculpar. Obrigada por tudo. De verdade!

Depois do desastre no almoço e de me despedir rapidamente dos outros familiares de Niall, fomos embora. Chegando na casa de Niall, troquei de roupa e me deitei na cama.

- Me desculpe por aquilo. – Ao ouvir a voz de Niall, lágrimas passaram a escorrer do meu rosto. – Ei, não. Não chore! Eu estou aqui para te proteger sempre, ok? Ainda mais quando as acusações são falsas….

- Obrigada!

- Não há o que agradecer!

Pedido: Faz um do Lou pra mim que eles estão só ficando e ele acha que ela é toda princesinha e um dia chega na casa dela e vê ela com uns amigos vendo a final de algum campeonato e ele fica surpreso por ver que ela não é toda cheia de frescura (foi mal a confusão hahahaha)

           Sorri assim que vi s/n descendo as escadas usando uma camiseta do Brasil que ficava enorme nela ela sorriu e arrumou a tiara de gatinho na cabeça. Ela parece tão delicada é meiga que tenho a sensação que a qualquer momento posso quebra-la ou machuca-la. Assim que ela desceu o ultimo degrau da escada pulou no meu colo e colocou as duas pernas em volta do meu tronco, s/n é a única pessoa que consegue ser menor que eu, e isso é bom pois quase todas as minhas ex namoradas eram maior que eu ou do mesmo tamanho e nunca menor e isso me faz ter a sensação que posso proteger ela de tudo e de todos.

- Pronto para a sua derrota? – Ela beijou o canto os meus lábios e sorriu.

           Nós dois entramos em uma aposta, se o Brasil ganhasse da Inglaterra eu iria levar ela para jantar, mas se eu perdesse ela que iria me levar, isso poderia ser uma coisa besta, mas significa tanto para alguém como eu, nunca gostei tanto de uma mulher como gosto de s/n, não estamos namorado, mas quero a pedir em namoro hoje depois do futebol, já tinha planejado tudo, incluindo a aliança que eu tinha comprado pela a manhã;

- É melhor você se prepara, para a sua derrota.

           Assim que chegamos a minha casa, os meninos já estavam na frente da televisão contando os segundos para o jogo começar, ri comigo mesmo ao vê Niall usando a camiseta do Brasil, enquanto falava que o Brasil é o melhor time de futebol, depois da Irlanda. Dei o balde de pipoca para o Niall e para o Harry segurarem, Zayn estava sentando no sofá rindo da discussão do Niall com o Liam. S/n sentou-se na ponta do sofá e eu ao lado dela.

           O jogo estava empatado e o Niall gritava como um louco. Assim que uns dos jogadores brasileiros marcou pênalti s/n levantou do sofá juntamente com o Niall e começaram a gritar vários palavrões ao mesmo tempo, todos que estavam presentes do local olharam assustado para ela, mas s/n não se importou nem um pouco e continuou gritando.

- Pare que o jogo está virando não é mesmo pequeno Lou? – Ela colocou a mão na minha cabeça e bagunçou meus cabelos como se eu fosse um cachorrinho indefesso.

           Nunca imaginei que ela poderia ser essa garota. No começo imaginava que s/n era uma menina meiga e que tinha medo de tudo e odiava futebol, mas a cada dia que a conheço melhor apaixono-me ainda mais por essa mulher. Ela tirou a tiara de orelha de gatinho e colocou na minha cabeça.

- Você não acha que está abusada demais? – Sorri.

- Está com medo?

           Antes que eu pudesse falar alguma coisa, o narrador do jogo gritou e gol. Olhei para a televisão e vi que foi gol do Brasil. Todos levantaram do sofá e começaram a gritar, inclusive s/n.

           Assim que a sobremesa entrou, minhas mãos começaram a suar frio, ela estava se divertindo tanto e fazia questão de falar a todo o momento como ela entendia de futebol e eu não sabia de nada. Normalmente se fosse outra pessoa falando isso para mim, iria acabar com ela, mas eu não conseguia fazer isso com s/n ela é diferente e de um modo estranho amo ela dizendo a todo o momento isso, não sabia que iria gostar tanto de mulheres que amam futebol.

           Quando ela terminou de comer finalmente tomei coragem e tirei a aliança do bolso e levantei-me da mesa. S/n olhou-me estranho e parou de falar no mesmo minuto. Suspirei fundo e olhei para os meninos que estavam comendo em outra mesa, eles sorriam e eu sabia que eles estavam aprontando algo. Assim que me ajoelhei no chão, s/n colocou as mãos na boba e os seus olhos se encheram de lagrimas.

- Quer namorar comigo? – Foram as ultimas palavras antes de quase ter um infarto.

           Ela se levantou da mesa e caminhou na minha direção e balançou a cabeça antes de começar a chorar e me abraçou fortemente. Senti confetes caindo sobre o meu corpo, assim que olhei para trás vi Harry jogando confete encima de nós dois.

NIALL HORAN


  • anna-luisa11 :Faz um do Niall em que a mãe dela não aprova ter filho antes do casamento mas ai ela descobre que tá grávida e se afasta do niall e da família dela mas no final ele pede ela em casamento e ela conta na festa que está grávida? Amo os seus imagines 💓💓💓 
  • Esse tá grande, espero muito que vocês gostem!
  • Boa leitura!



Minha mãe sempre foi aquelas mulheres religiosas, desde que eu era um bebê ela sempre me levava pra igreja, ela até me batizou e tudo mais e quando fiz meus 15 anos ela começou a me prender em casa com medo de eu encontrar um menino, ela sempre diz que sexo e filhos só depois do casamento, no meu  último ano do colégio eu conheci um menino, ele era 3 anos mais velho que eu, o que fez a gente namorar escondido , sempre tinha aqueles momentos que eram quentes entre nós e eu sempre me esquivava lembrando do que minha mãe dizia, é bobagem, mas se eu fizer sexo ou ficar grávida minha mãe me expulsa de casa, eu estou a sete meses com Niall e quando menos esperei aconteceu, nós tivemos nossa primeira vez e foi maravilhoso. O que eu não esperava era que junto com isso iria vim um bebê, eu descobri a uma semana que estou grávida e se minha mãe souber ela me mata, e claro eu não tive coragem de falar para Niall o que fez eu evita-lo por uma semana, ele já veio na minha casa, na minha escola e eu sempre fugia, talvez o certo era não falar mesmo, por mais que ele ficaria muito feliz, mas não quero estragar sua juventude assim como estou estragando a minha.

Tive que tomar uma decisão difícil, mas era necessário, peguei minhas mesadas na minha poupança e peguei uma mala e coloquei algumas roupas dentro, eu iria para casa do meu pai em Boston, sim meus pais são separados desde que eu tinha três anos. Depois de arrumar minha mala eu comprei uma passagem de ônibus para Boston que sairia aquela noite mesmo, eu saio pela janela, já que meu quarto não ficava em cima e sim embaixo. Meu pai nunca foi daquele muito religioso então eu tenho certeza que ele ficaria muito feliz. Cheguei na rodoviária e logo vi meu celular vibrar com um monte de mensagem do Niall do tipo:

“(seu nome)  cadê você? Estou chegando na sua casa”, não respondi apenas ignorei, assim que ele chegasse lá na minha janela eu já vou estar dentro de um ônibus indo para Boston.

Ligue pro meu pai e disse que estava chegando, e ele disse que iria me buscar, ele me perguntou o que aconteceu e eu disse que contaria só quando eu chegasse, assim que cheguei eu vi meu pai com uma das minha irmã mais nova e fui correndo abraça-lo.

­- Oi papai! – dou um sorriso

- Oi minha princesa, você está abatida o que houve?

- Em casa eu te conto, acho que aqui não é uma boa hora – digo e ele assentiu me levando até o carro.

O caminho até sua casa é silencioso e quando eu chego, entro naquela casa onde passei a metade da minha infância e que agora meu pai morava com minha irmã e minha madrasta que me amava. Meu pai me mostra a casa e o quarto de hospedes.

- Então (seu nome) pode começar falar o que aconteceu – ele senta na cama me puxando

- Bom pai, tenho certeza que só você vai me ajudar mesmo, eu conheci um menino e estamos namorando a seis meses e você sabe que a mamãe sempre foi daquelas que dizia que filhos antes do casamento e blá blá blá, e bom eu e Niall a gente vai ter um bebê.

- Mais que legal filha, mas a sua mãe sabe?

- Pai se ela soubesse você acha que eu estaria aqui?

- É verdade, e seu namorado sabe?

- Não  – digo e ele me olha surpreso

- Ele precisa saber (seu nome)

- Eu sei eu sei, mas estou com medo

- Está tudo bem (seu nome), vou respeitar sua decisão e pode ficar aqui o tempo que precisar – ele diz e me abraça

- Obrigado Pai – sorrio

- Jantar vai ser servido daqui a meia hora – ele sai

Passou uma semana desde que cheguei, Niall tem me ligado constantemente e eu apenas recusava, aquilo doía, mas eu não estava pronta ainda. Minha mãe também estava preocupada e eu apenas não atendia. Eu estava tentando achar um emprego mas era difícil aqui em Boston, meu pai disse que não era pra eu me preocupar então eu só ajudava minha madrasta e minha irmã com as tarefas.

[No andar de cima] 

narrador em 3° pessoa

O pai de (seu nome) estava em seu escritório com aquele papel na mão se perguntando se ligava ou não já que ele estava passando por cima da palavra da sua filha então, ele respirou fundo, tomou coragem e discou o numero com ddd de los angeles. Não demorou muito e logo atenderam.

- Alô? – a pessoa do outro lado da linha pergunta

- Alô, é o Niall?

- Sim ele mesmo, quem fala?

- Aqui é o pai da (seu nome) – ele diz

- (seu nome)? Meu Deus o que aconteceu? Ela esta ai? Me diga o que aconteceu com a minha menina – o pai da (seu nome) dá um risinho

- Calma garoto, ela está bem, quer dizer, só se você vim a Boston para conversar com ela, ela tem um assunto muito sério para falar com você.

- O que é?

- É melhor ela te falar, não quero estragar isso.

- Tudo bem, me manda o endereço que estou a caminho – Niall diz e o pai da menina desliga o telefone convicto de que fez a coisa certa.

Narrador em 3°pessoa off

No dia seguinte acordo, tomo meu café e fico um pouco no jardim lendo meu livro preferido, logo sinto uma ânsia de vomito e saio correndo pro banheiro vomitando tudo o que eu comi no café da manhã. Escovo meus dentes e escuto a campainha, abro e meu coração dispara, minhas pernas ficam bambas e eu não tenho reação nenhuma.

- (seu nome), graças a Deus. Porque fugiu de mim? – ele entra e me abraça e eu não consigo retribuir.

- Niall, o que faz aqui? Como sabe que estou aqui? – pergunto

- Seu pai me ligou, mas não fica brava com ele, ele só quer seu bem e estava preocupado – ele sorri e me abraça de novo, puxo ele pro sofá e sento – agora pode me dizer o que aconteceu

- Eu não sei se devo – abaixo a cabeça

- Eu não sai de Los Angeles em vão (seu nome)

- Tudo bem! Eu estou grávida, pronto falei – ele sorrio e fica boquiaberto

- Sério? Eu estou tão feliz meu amor – ele me abraça de novo e beija meu pescoço – Mas porque você escondeu isso de mim?

- Minha mãe na verdade, se ela souber ela vai me matar e matar você – digo

- Sua mãe vai ter que entender (seu nome), a gente se ama e ela não pode fazer nada com você – ele diz

- Eu estou com medo Niall

- Meu amor, eu estou com você e seu pai também que te apoiou todo esse tempo

- Ela vai nos obrigar a casar, e não sei se você vai querer – digo

- Ah, falando nisso – ele mexe no bolso da sua jaqueta e tira uma caixinha de veludo e se ajoelha a minha frente – Você quer se casar comigo?

- Sim meu amor, sim – sorrio e ele me pega no colo

- Agora vamos para Los Angeles e dizer tudo para sua mãe.

- Eu vou, só que não quero deixar meu pai – digo – ele me acolheu esse tempo e fazia muito tempo que não o via

- A gente vai voltar (seu nome), a gente vem visitar eles de vez em quando – sorrio

- Tudo bem, vou só arrumar minhas coisas.

Arrumei minhas malas, arrumei o quarto que fiquei e me despedi do meu pai, agradeci a ele por ter falado com Niall e que estava noiva, ele ficou muito feliz e disse que eu merecia ser feliz.

Chegando em Los Angeles fui para minha casa com Niall, e estava me preparando pra falar tudo pra ela. Quando cheguei e ela me viu, ela veio me abraçar e dizer que estava muito preocupada comigo e perguntou quem era o menino do meu lado, já que namorávamos escondido, expliquei tudo a ela e ela entendeu, eu só não disse da gravidez, eu não tive coragem ainda e decidi contar na festa de noivado que minha mãe insistiu em querer fazer.

Chegando no dia do noivado eu estava apreensiva, mas muito feliz, quando cheguei a festa vi meu pai e fui direto abraça-lo, mas logo chegou a hora do discurso e de eu dar meu anuncio. Subi ao palco segurando a barra do vestido e peguei o microfone.

- Bom, primeiro quero agradecer a todos por terem vindo nesse dia tão especial que é pra mim e pra Niall, e que estou muito feliz de ver minha família e a família do meu noivo aqui – respirei fundo – Bom, agora tenho um anuncio para todos….. Mãe, Pai, Maura e Bob, vocês vão ser vovôs e vovós – disse e logo vi Maura e Bob alegres e meu pai que já sabia piscando pra mim e sorrindo e minha mãe, claro, séria sem sorrir, ela saiu do seu lugar e veio andando até mim.

- (seu nome) – ela respira fundo – Parabéns meu amor – ela sobe e me abraça e depois abraça Niall

- Você não está brava?

- Claro que não, estou feliz que vou ser vovó e parabéns Niall e cuida da minha filha e do meu neto viu – ela diz abraçando meu noivo.

- Pode deixar que vou cuidar da minha menina e do meu menino – ele diz me abraçando por trás e logo veio todo mundo me dar parabéns e para Niall também.

A noite foi longa e foi maravilhosa, como fizemos nosso noivado em um sitio nossas familias estavam todas lá, quando todo mundo foi dormir eu fui para fora, me sentei na piscina e coloquei meus pés na água aquecida, logo sinto Niall sentando do meu lado e ele me abraça

- Eu estou muito feliz sabia? – ele diz

- Eu também meu amor, eu também – digo e lhe dou um selinho demorado.

- Obrigado por tudo (seu nome), por ser essa pessoa maravilhosa, pode deixar que vou cuidar muito bem de vocês – ele alisa minha barriga.

- Eu te amo – sorrio e encosto nossos lábios.

- Eu também – ele me abraça forte e ficamos ali até sentimos sono.

LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

VOLTE NA ASK PARA DIZER O QUE ACHOU POR FAVOR!

mari13xx: oiii eu queria um com o niall em q ele e a menina fosse bffs e ia ter uma festa de hallowen na cidade deles e era num castelo mal assombrado, aí foram eles e outros amigos (pode ser os meninos da banda) e o niall e a s/n se perdem do resto e ela fica com mt medo e ele meio q protege ela e depois eles se beijam! E se quiser q rola um hot tbm hehe obrigada ❤️

— Tá preparada ? 

— Não — fechei meus olhos 

— Calma S/n, vai ser divertido — Niall segurou minha mão 

Niall, eu e mais quatro idiotas estávamos indo até uma festa de halloween que aconteceria em um castelo mal assombrado. 

Desde o início achei aquilo uma péssima ideia, sempre fui medrosa e nunca curti festas de halloween mas insistiram tanto que aqui estou eu. 

— Podemos voltar se quiser — Niall acariciou meu rosto — Eu sei doa seus medos bobos e você não tem que passar por isso.

— Niall, eu paguei um absurdo nesse ingresso e agora eu vou entrar nisso. Vamos — eu disse determinada pensando no desfalque que minha mesada teve por causa dessa maldita festa. 

O castelo estava todo decorado com terríveis personagens de filmes de terror, algumas pessoas estavam fantasiadas e aquelas luzes coloridas deixava tudo mais macabro. 

— Tá cheio de gatinhas aqui — Harry dizia babando em cada uma das meninas que estavam ali 

— Como sabe que são gatinhas ? A maioria delas estão mascaradas 

— Extinto masculino que no caso você não tem — ele passou o indicador pelo meu nariz e saiu indo dar em cima delas 

O castelo era enorme e aquelas luzes coloridas não davam uma visão clara do ambiente, o que para mim era péssimo. Nunca superei meu medo de escuro.

— Quer alguma coisa ? — Niall perguntou preocupado 

— Ter um treco é uma boa opção ? — perguntei irônica 

— Para com isso, babe — ele riu — é divertido. 

— Vai ter aquelas voltas pelo castelo, vocês vão ? — Liam perguntava com uma bebida em mãos 

Voltas pelo castelo era o nome que eles deram para uma ideia idiota de andar por aquele castelo a noite com todas as luzes apagadas. Era uma tradição que acontecia a mais de dez anos e esse ano não ia ser diferente. 

— Eu não sei não, Niall — agarrei o braço dele — Você sabe do meu medo de escuro… 

— Nós podemos começar e se você sentir muito medo, podemos voltar. 

— Tudo bem, vamos! 

As luzes do castelo de apagaram formando um tremendo breu. 

Subimos aquela enorme escada, eu estava agarrada ao corpo de Niall que me abraçava o tempo todo. 

Barulhos de trovão e risadas de bruxa eram constantes, e sempre me davam o maior susto. 

— Niall, cadê todo mundo ? — perguntei quando um silêncio em torno de nós se formou 

— Hum, acho que nós perdemos dele. Liam, Zayn, onde vocês estão ? — ele gritou pelos meninos 

Ninguém respondeu o que me levou a ter certeza que estávamos sozinhos sabe-se lá em que andar daquele maldito castelo. 

— Ai que droga — me desesperei — Eu sabia que isso não era uma boa ideia 

— Se acalma, eu estou aqui com você! — ele acariciou meu braço — Acho que tem um banco aqui — ele foi apalpando — Senta

Me sentei naquele banco e encontrei um receptor, apertei ele e uma mini luz vermelha se acendeu, o que não fez muita diferença. 

— Você está soando frio — ele segurou minhas mãos — Não precisa ficar assim… 

— Eu tenho muito medo de escuro e isso é desde criança — expliquei — E olha a escuridão que está isso aqui

— Boba — ele riu — Não vai acontecer nada, mas se acontecer eu estou aqui para proteger você! 

— Você é o melhor amigo que eu poderia ter — sorri mais tranquila 

Ficar sozinha com Niall nunca foi problema para mim, contando que estivéssemos na sala de casa e com as luzes acesa, mas ficar com ele a noite, sozinha e no escuro me levou a ter pensamentos ousados. 

Ele era lindo, quando tinha os fios louros era um verdadeiro príncipe e mesmo depois de escurece-los, continuou lindo e eu não negaria dar uns beijos naquela boca tão linda. 

— Tá tudo bem — ele perguntou me tirando dos pensamentos com ele — Você ficou quieta de repente 

— Está sim… — suspirei 

Aquela luz vermelha foi o suficiente para eu ver os olhos azuis dele me encarando de uma forma assustadora, o rosto fino dele se aproximou do meu e nosso beijo foi inevitável. 

O beijo dele era calmo, sua língua trabalhava com a minha num ritmo constante e ele tinha um incrível gosto de menta. As mãos dele estavam apoiadas na minha coxa, me causando alguns arrepios. 

— Niall — eu disse meia zonza depois daquele beijo — O que foi isso ? 

— Eu não resisti… Desculpe…

— Não peça desculpas — ele me olhou assustado — Eu gostei.

Niall me levantou e me prensou com a parede que tinha ali e começou a me beijar novamente, só que dessa vez ele estava mais feroz, o beijo estava mais ágil.

As mãos dele estavam na minha bunda dando leves apertões, enquanto as minhas seguravam na nuca dele. 

— E se alguém pegar a gente ? — perguntei sentindo os beijos dele sendo distribuídos pelo meu pescoço  

— Ninguém vai ver a gente aqui, relaxa 

Suas habilidosas mãos ergueram o vestido que eu usava e arrastou minha calcinha para o lado.

— Niall — o repreendi imaginando o que viria a seguir 

— Você só não pode gemer — ele sorriu malicioso 

Em questão de segundos, os dedos dele estavam no meu clitóris me masturbando num ritmo absurdamente lento, que me fazia arfar e morder o ombro dele impedindo os gemidos.

— Quero chupar você — ele disse no meu ouvido me fazendo arrepiar — Senta  

Ele me colocou sentada no banco que eu estava minutos atras e abriu minhas pernas, tirando minha calcinha, logo ele se ajoelhou e olhou para mim como se pedisse autorização para aquilo. Eu cedi.

A língua dele entrou em contato com minha intimidade úmida me fazendo agarrar aqueles cabelos escuros sentindo tamanho prazer. 

Por algumas vezes os dedos dele entraram dentro de mim me levando ao delírio, ele sabia exatamente como enlouquecer uma mulher. 

— Ai, Niall — eu dizia ofegante — Caralho, eu vou gozar… 

— Goza me beijando 

Imediatamente ele se levantou e começou a me beijar, mantendo apenas seus dedos entrando e saindo de dentro de mim, numa velocidade absurda. Não demorou muito e eu me desfiz nos dedos dele, dando um gemido com a boca dele colada a minha. 

Meu corpo foi se acalmando aos poucos do orgasmo que tive. 

— Olha como você me deixou — ele colocou minha mão por cima da calça dele me fazendo sentir seu membro duro

— Que delícia — lambi os beiços — Eu posso acalmar ele com meus lábios — eu disse maliciosa abrindo o botão da calça dele 

— Nós somos melhores amigos, S/n… — ele estava adorando aquilo tudo

— Eu só quero fazer você gozar, e sei que você também quer isso…

— Vou acabar gozando só com o som da sua voz — ele abriu a calça e colocou seu pau para fora — Anda com isso

Niall encostou na parede e eu me ajoelhei na frente dele, colocando o membro dele na minha boca. Seu pau grande e grosso preencheu minha boca por completo, e o gosto do seu pré-gozo já escorria.

— Porra, S/n — ele jogava a cabeça para trás — Por que nunca me disse que sabia tão bem chupar um pau ? 

Eu passava a língua pela cabeça do membro dele e olhava a cara dele, delirando com meus toques. 

— Eu vou gozar — ele avisou fazendo um rabo de cavalo com meu cabelo e começou a comandar os movimentos — Chupa bem gostoso 

Ele acelerou os movimentos me fazendo engasgar as vezes mas eu estava adorando. 

Niall deu um último gemido e o líquido quente e espesso desceu pela minha garganta, me fazendo sentir o gosto dele. 

— Nunca recebi um boquete tão bom — ele dizia ofegante abotoando a calça
— Não acredito que fizemos isso aqui — eu disse um pouco envergonhada
— Foi maravilhoso — ele selou nossos lábios — Quer procurar os outros agora ?
— Eu queria te fazer gozar mais — eu disse manhosa passando a mão pelo peitoral dele 

— Vamos para minha casa depois daqui, garanto que será mais confortável e bem mais gostoso

— Nós somos melhores amigos, não deveríamos fazer isso 

— Melhores amigos que agora transam. — ele disse baixo no meu ouvido

— Safado — eu ri — Vamos! 

Sai na frente puxando Niall pelas mãos, senti quando ele deu um tapa estralado no meu bumbum. Se eu soubesse que era tão bom sentir prazer com ele, já teria feito a mais tempo.