imposto

#Repost @osgemeos with @repostapp.
・・・
"ordem e progresso?“ violência/ corrupção/ desemprego/ censura sem educação/ abandono. "Order and progress?” violence/corruption/ unemployment/censorship/ no education/abandonment/ #saopaulo #brasil #corrupção #vergonha #violência #fome #desviode$publico #relaxo #imposto #povonaruamudaobrasil #amamosonossobrasil !

15 coisas para você lembrar sobre a CPMF

Oito anos depois de ter sido extinta, a CPMF voltou ao centro dos debates. Desde que foi criada, e a cada renovação ou recriação, muito se discutiu sobre o tributo (que já foi chamado também de “imposto do cheque”), que sempre dividiu opiniões. O governo agora quer recriá-la novamente, com a alíquota de 0,2% e vigência por dois anos. Vale lembrar um pouco da história da CPMF< quais foram suas alíquotas, o quanto arrecadou. Confira:

1 - A CPMF foi criada em 1993 e foi cobrada durante treze anos (houve um intervalo entre 1995 e 1996 sem cobrança).

2 – A CPMF era cobrada sobre quase todas as operações bancárias como saques, transferências, desconto de cheques, pagamento de contas, etc.

3 - A CPMF só não era cobrada sobre os saques de aposentadorias, seguro-desemprego, salários (em contas especiais e com operações restritas), FGTS e transferências entre contas-correntes de mesma titularidade e sobre as negociações de ações na Bolsa de Valores.

4 – Eram isentas de CPMF as operações financeiras feitas pelos órgãos governamentais, por entidades beneficentes, por missões diplomáticas (inclusive alguns de seus funcionários) e outras entidades específicas.

5 - Embora todos pensem que a sigla CPMF refira-se a Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras, na verdade o nome oficial do tributo era Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira.

6 –Em 1993, o nome era IPMF (em vez de C de Contribuição, I de Imposto). Na época, o tributo vigorou por dois anos e foi realmente extinto no fim de 1994.

7 – A CPMF (já com o C) voltou a ser cobrada a partir de 1997 e durou até 2007. Desde 2008 não é mais cobrada.

8 – Foi no Senado que a CPMF caiu. Em 2007, a Câmara dos Deputados aprovou a PEC que prorrogava o tributo por mais quatro anos (até o fim de 2011), mas, no Senado Federal, faltaram 4 votos para os 49 necessários para aprovar a prorrogação. A votação aconteceu na madrugada de 12 para 13 de dezembro de 2007.

9 –Ao longo dos anos, a alíquota de cobrança mudou várias vezes:

- De 1993 a 1994: 0,25%

- De janeiro de 1997 a janeiro de 1999: 0,20%

- De junho de 1999 a junho de 2000: 0,38%

- De junho de 2000 a março de 2001: 0,30%

- De março de 2001 a dezembro de 2007: 0,38%

10 – Quando foi recriada em 1996, o propósito da CPMF era financiar investimentos em saúde. Entretanto, não havia essa obrigação na lei e parte dos recursos foi utilizada em outras áreas.

11 – Em 2007, com a derrota na tentativa de prorrogar novamente a vigência da CPMF por mais quatro anos, o governo alegou que o fim do tributo resultaria numa perda de arrecadação de cerca de R$ 40 bilhões por ano.

12 – A arrecadação da CPMF em 2007, último ano de vigência, foi de R$ 37,234 bilhões, segundo balanço divulgado pela Receita Federal;

13 – A arrecadação total da CPMF desde desde 1996 foi de R$ 201,2 bilhões.

14 – R$ 33,5 bilhões foram usados para financiar outros setores e não a saúde, que era o objetivo original.

15 – 216,1%: este foi o crescimento da receita gerada pela CPMF entre 1998 e 2006, enquanto o montante de tributos administrados pela Receita Federal evoluiu 78,4% no mesmo período, em termos reais.

Refletindo um pouco sobre os Impostos e o Consumismo:

Peguei o texto com o Luis Gustavo Martins, Tecladista da banda Vivalma. Leiam e reflitam sobre nossos próprios hábitos em quanto consumidores:

Eu tento, mas não consigo entender, um Camaro SS custa R$180.000,00. Equivalente na cotação de HOJE a US$97.192,22. É um carro de quem tem ALTO PODER AQUISITIVO. Nos EUA, ele custa US$23.200,00. É carro de gente comum, de mulecada em geral. Ainda mais considerando que a renda per capta lá é bem maior que aqui.

Quando eu digo que carro custa muito caro aqui no Brasil, sempre me aparece alguém pra colocar a culpa no governo. Mas pensem só, nos EUA eles vendem o carro por ¼ do preço do Brasil e LUCRAM com a venda! SIM, eu disse lucram, pois ninguém vende sem LUCRO! A mão de obra automotiva nos EUA é mais remunerada que aqui. A PRODUÇÃO do carro lá é mais cara. A diferença aqui é o tal imposto. Digamos que o governo cobre 100% de imposto sobre o carro CONSIDERANDO O LUCRO da Chevrolet. Porque diabos o carro aqui custa 4 vezes mais ao invés de 2 vezes? E outra, os impostos não chegam a 50%. Mesmo supondo 100% de imposto o valor está muito LONGE do que nos é cobrado. 

Alguém me explica???
Duvidam??? Vejam só: CAMARO NO BRASIL http://www.chevrolet.com.br/Veiculos/todos-os-modelos/carros/Camaro/apresentacao.html

CAMARO NOS EUA http://www.chevrolet.com/camaro-performance-car/

Veja bem, enquanto continuamos comprando tais itens com esses valores absurdos, as empresas vão manter esses preços. Bem como os impostos.

External image

2012 e o dinheiro

   O fim do ano chegou e com ele o calor e as festividades. Natal, Reveillon e Carnaval, três motivos de comemoração no Brasil. Somados costumam representar um aumento bem significativo para a economia do país, por isso, se tornam foco de preocupação da população também, ou pelo menos minha.

   São presentes, festas, roupas brancas, fantasias e liquidações de inverno. Com a ajuda do décimo terceiro salário os brasileiros começam o novo ano gastando. Não posso dizer que vejo isso como algo ruim, pois muitas vezes me incluo na categoria. A minha questão é: por que ainda assim o Brasil não parece crescer?

   Mesmo com Copa do Mundo e Olimpíadas, sei que as reformas e construções não vão sair como estão no papel e que o Brasil não vai se tornar importante como deveria. Nessas horas de decepção, pressa ou tristeza que as pessoas costumam gastar ainda mais, voltando a questão inicial.

   Só espero que o dinheiro que gastamos com impostos e com o que é roubado por políticos seja bem utilizado em algum momento. Nas obras dos eventos que estão por vir ou na educação, a mais importante pra mim, mas que não fique parado em bolsos alheios.

“NOVO ICMS”: O AI-5 DO COMÉRCIO ELETRÔNICO

“NOVO ICMS”: O AI-5 DO COMÉRCIO ELETRÔNICO

por Roberto Dias Duarte (*)

External image

O Convênio ICMS 93/2015 funciona como um Ato Institucional nº 5 (AI-5) tributário.

Imagine que você faça parte dos 31,4% da população brasileira que sonham em ter seu próprio negócio. Sim, conforme o relatório da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), este era, em 2014, o  anseio de quase um terço dos brasileiros. Enfim, ao contrário dos 15,8% que desejam…

View On WordPress

IPVA, gripe e sapatos estragados

External image

Falo mal do IPVA, esse imposto escroto lindo que só serve pra tirar R$ 176 do meu bolso magro e me dar nada em troca. Por causa do fdp fofo to correndo risco de ficar gripada e perdi um dos meus pares de sapato preferidos.

Então, além de me arrancar dinheiro e me devolver nada, o IPVA me obriga a me deslocar até um banco e pegar fila para pagar, EM PLENO SÉCULO XXI. E como o clima em Salvador tirou o dia pra curtir com minha cara, uma chuva escrota resolveu desabar em cima de mim, e molhou até meus órgãos internos no espaço de 2m que me separavam do carro até o banco.

E sim, eu estava com guarda-chuva. Não, eu não estava usando galochas, e meu sapatinho de boneca ficou encharcado com as poças d'água suja e nojenta espalhadas pela rua.

Daí que precisei voltar pra casa, trocar de roupa e constatar que meus sapatos nunca mais serão os mesmos. Cheguei atrasada no trabalho e olha que beleza: já comecei a tossir e espirrar.

Já pode surtar?

Imposto de Renda

Eu pago!
Eu pago pelo estrago,
eu pago e é dobrado,
eu pago sem resultado.
Eu pago quando compro,
eu pago enquanto recebo
e pago pelo imposto - de novo.
Eu pago!
Eu pago pelo estrago,
pelo roubo, pela seca,
pela escassez, pela inflação,
pela falta de educação…
Eu pago por toda falta que há
na saúde, na habitação,
na mobilidade, na segurança,
eu já nem tenho mais esperança,
- eu só recebo a falta,
eu pago e vejo a fome,
dessas pessoas sem nome,
eu pago pela tragédia,
pois é só o que vejo: miséria.
Eu pago, mesmo sem saber,
porque não há mais hospitais
quem são os políticos saem
estampados nos jornais.
Ainda sem escolha, eu pago,
eu pago pela corrupção
eu pago pelas mentiras que me farão
em outubro, em plena televisão.
Eu pago tudo o que me é taxado,
o que sempre é roubado,
eu pago sempre dobrado.

“N” - Política em ensaios poéticos

IPTU é Devido, Mesmo Quando Condomínio é Irregular

IPTU é Devido, Mesmo Quando Condomínio é Irregular

External image

Morador de condomínio irregular deve pagar IPTU O proprietário de um imóvel localizado em um condomínio irregular de Brasília terá de pagar cerca de R$ 25 mil relativos a cinco anos que deixou de recolher o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de casa construída sobre área pública. Decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) entendeu pela legalidade da cobrança sob o…

View On WordPress

Quanto você paga de IOF?

Se você fez compras internacionais, usou o cheque especial, parcelou pagamentos, comprou um carro financiado, fez um investimento ou seguro, deve ter percebido a cobrança de um imposto chamado IOF nessas transações.

O IOF é o Imposto sobre Operações Financeiras que pessoas físicas e jurídicas precisam pagar toda vez que realizarem operações de crédito, câmbio e seguro ou aquelas relativas a títulos ou valores mobiliários. O decreto 6.306/2007 e a instrução normativa 907/2009 da Receita Federal tratam do tema.

A cobrança e o recolhimento do tributo ocorrem por meio do responsável tributário, ou seja, a instituição que concede o crédito, as empresas autorizadas a operar em câmbio, as seguradoras ou pessoas jurídicas autorizadas a operar na compra e venda de títulos ou valores mobiliários. A taxa cobrada para essas operações é de 0,38% mais uma alíquota diária, que varia conforme o tipo de transação.

Veja como o IOF é cobrado nas diferentes situações:

Operações de crédito

Cartão de crédito – a compra efetuada à vista ou parcelada não está sujeita ao IOF, somente quando a fatura do mês não é paga integralmente incide o imposto sobre o valor que deixou de ser pago (pois isso, na prática, é um empréstimo). Ou seja, regra geral, pagamentos com atraso estão sujeitos à cobrança de IOF. A taxa é de 0,38% + 0,0082% ao dia para pessoas físicas, limitado a um total de 3%, o que equivale a 365 dias. Em compras no exterior com o cartão o valor do IOF cobrado é de 6,38% a cada transação.

Cheque Especial – a alíquota de 0,38% incidirá sobre o somatório dos acréscimos dos saldos devedores diários, apurado no último dia do mês. Já a taxa diária de 0,0082% incidirá sobre o somatório dos saldos devedores diários, apurado no último dia do mês.

As operações de crédito para pessoas jurídicas terão a cobrança da taxa-base de 0,38% mais a alíquota diária de 0,041%

Financiamentos e empréstimos - Se você vai contratar operações de crédito pessoal, financiamentos de veículos e imóveis, terá que pagar IOF também. Além da alíquota de 0,38%, a taxa diária é cobrada da seguinte maneira:

- Operações contratadas até 21/01/2015: 1,5% ao ano (0,0041% ao dia) calculado no momento da liberação do crédito com base no prazo da operação e no valor do crédito. Exceção: No caso de cheque especial e cartão de crédito, diariamente, sobre o saldo utilizado.
- Operações contratadas a partir de 22/01/2015: 3% ao ano (0,0082% ao dia) calculados no momento da liberação do crédito com base no prazo da operação e no valor do crédito. Exceção: No caso de cheque especial e cartão de crédito, diariamente, sobre o saldo utilizado, conforme explicado acima.

Investimentos

Para CDBs, Fundos DI e Fundos de Curto prazo, a tributação ocorre para saques com menos de 30 dias de aplicação, sobre a rentabilidade, e é proporcional ao número de dias aplicados. A alíquota, nesse caso, é regressiva, ou seja, diminui à medida que aumenta o prazo de aplicação. Neste contexto, as alíquotas variam de 96%, para aplicações por 1 dia, até 3% para aplicações por 29 dias. As operações com ouro possuem incidência de 1% de IOF.

Poupança, previdência privada, LCA (Letra de Crédito Agrícola) e LCI (Letra de Crédito Imobiliário) são isentos dessa cobrança.

Seguros

Nas operações de seguro de vida e acidentes pessoais, inclusive obrigatórios, a alíquota é de 0,38% sobre o valor do prêmio (preço do seguro). Nas demais modalidades, inclusive seguro de automóveis, a alíquota é de 7,38%.

Câmbio

Nas operações de compra de moeda estrangeira em espécie, envio de valores para o exterior e recebimento de valores vindos de fora, a alíquota de IOF é de 0,38%.

Já nas transações efetuadas com cartão de crédito/débito (compras/saques) no exterior, bem como recarga de cartões pré-pagos (Ex: Visa Travel Money), a alíquota é de 6,38%.

Outros pontos importantes:

· Não há incidência de IOF sobre juros, apenas sobre o valor principal;

· Não há incidência de IOF sobre leasing;

· A incidência do IOF-Crédito para pessoas físicas é de 0,0082% ao dia, limitada a 3,00% sobre o valor contratado. Ou seja, ainda que o prazo da operação de crédito ultrapasse de 365 dias, a alíquota máxima será de 3,00% incidente sobre o valor contratado.

· O IOF-Crédito é devido integralmente na entrega dos recursos operação de crédito contratada. Na hipótese de a entrega dos recursos financeiros ser parcelada o IOF incidirá sobre o valor de cada parcela liberada.

· O IOF não incide sobre o pagamento, portanto não incidirá sobre as parcelas pagas.

· O crédito consignado segue as mesmas regras das demais operações de crédito das pessoas físicas

 CPMF x IOF

A CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) incidia sobre todas as operações bancárias, com exceção da negociação de ações na bolsa, saque de aposentadoria, seguro-desemprego, salário e transferência entre contas correntes da mesma titularidade. O tributo foi cobrado de 1997 a 2007 e agora há um projeto de lei no Congresso Nacional para instituir novo período de cobrança.

O IOF foi instituído em 2008 como forma de compensar as perdas que a extinção da CPMF causou aos cofres públicos. A taxa de cobrança era 0,38%. No início de 2015, o governo federal publicou um decreto aumentando a alíquota diária do IOF de 0,0041% para 0,0082%.

Brasil e a palhaçada da gasolina!!!

Hoje, alias ontem, já passamos da meia noite, recebi um e-mail muito interessante sobre a situação do combustível no Brasil. Ele esta desatualizado depois dos rápidos aumentos no combustível, e olha que recebi o e-mail ontem mas remete muito bem a situação vergonhosa do nosso país.

Vejam abaixo em detalhes. (autor desconhecido, apenas estou repassando)

Composição do preço gasolina (em reais) :

Gasolina (“A”) 800ml (pura, vendida pela Petrobrás) = R$ 0,80
Álcool Anidro 200 ml (os 20% misturados à gasolina) = R$ 0,24

TOTAL = R$ 1,04 / Litro
+
CIDE - PIS/COFINS (Imposto Federal) = R$ 0,44
ICMS (Imposto Estadual) = R$ 0,64
TOTAL DE IMPOSTOS (104% do Preço Bruto) = R$ 1,08 

TOTAL (CUSTO + IMPOSTOS) = R$ 2,12 

LUCRO DA DISTRIBUIDORA (Média por Litro) = R$ 0,08 
FRETE (Média por Litro) = R$ 0,02 
LUCRO DO POSTO (Média por Litro) = R$ 0,25

FINALIZANDO: 
VALOR NA BOMBA COM IMPOSTOS = R$ 2,47 
VALOR NA BOMBA SEM IMPOSTOS = R$ 1,39 

Portanto, se você consome 200 litros de gasolina por mês, o bolo fica dividido assim:

DONO DO CARRO (otário 01 - Você, no caso….) GASTA: R$ 494,00 
DONO DO POSTO (otário 02) GANHA: R$ 50,00 
DONO DO CAMINHÃO (otário 03) GANHA: R$ 4,00 
PETROBRÁS (gente que rala…) GANHA: R$ 16,00 
GOVERNO (nem um pouco otário….gente de lobby….gente da corte….. gente picareta…. gente privilégio reforma não… gente auto-salário) GANHA: R$ 216,00 

Deveríamos comemorar a “auto-suficiência” em roubo também.
Nós produzimos nossos próprios corruptos… 

BRASIL: UM PAÍS DE TOLOS!!!

Bem é isso que vocês viram acima, uma vergonha para nosso país e uma revolta para a população.

É por isso que apoio o movimento Na Mesma Moeda, vamos apoiar e participar. Juntos podemos muito mais!

Abraços!